Planos de saúde sobem 9,04%; ANS divulga reajuste máximo de planos individuais e familiares contratados a partir de 1999. Percentual supera a inflação…- Emprego: Rotatividade de jovem deixa país menos competitivo; Estudo do Ipea mostra que as empresas não investem na retenção de trabalhadores de até 24 anos. A mudança constante de trabalho dificulta a especialização. A pesquisa será base de um programa do governo para melhorar a qualidade do emprego…- Protestos; Após a saída do pontífice do Palácio Guanabara, grupo de manifestantes lançou um coquetel molotov contra a polícia, que revidou com gás lacrimogêneo…

O Globo

Cortes de R$ 10 bi não garantem meta fiscal deste ano

O governo anunciou corte de R$ 10 bi no Orçamento, mas analistas dizem que o ajuste é insuficiente e que, para cumprir a meta de 2,3% do PIB, será preciso usar as receitas do pré-sal. (Págs. 1 e 17)

Manchete: Jornada mundial da juventude: Papa arrasta multidão nas ruas e evita tom político no palácio

Apesar do susto com engarrafamento da comitiva no caminho da catedral, desfile no papamóvel foi tranquilo.

No Palácio Guanabara, Pontífice se limitou a falar de temas religiosos e da importância da fé católica, enquanto a presidente Dilma Rousseff vinculou a Jornada Mundial da Juventude aos desejos de mudança expressos pelos jovens nas ruas do país nas últimas semanas.

Recebido com festa por uma multidão de fiéis apaixonados, o Papa Francisco frustrou, em seu primeiro discurso em terras brasileiras, a expectativa de quem aguardava palavras de preocupações sociais com menções ao momento turbulento por que passa o país. No Palácio Guanabara, em cerimônia oficial de boas-vindas com a presidente Dilma Rousseff, o Pontífice se limitou a falar de temas religiosos e dos objetivos evangelizadores da visita. A presidente, por sua vez, fez questão de vincular a Jornada Mundial da Juventude aos desejos de mudança expressos pelos jovens nas ruas do país nas últimas semanas.

Curiosamente, ainda durante o voo para o Brasil, o Papa se queixou da crise econômica e alertou para o risco de se criar uma geração de jovens que nunca trabalhou. Ele fez um apelo para que os jovens e idosos não sejam “isolados do tecido social” o que seria uma injustiça. Logo após desembarcar, a comitiva ficou presa num engarrafamento, deixando a segurança estressada. Mais tarde, já no papamóvel, o passeio pelo Centro do Rio foi tranquilo e levou os fiéis ao delírio.

E na frente do Guanabara…

Um grupo de baderneiros infiltrados num protesto nas imediações do palácio entrou em confronto com a polícia e o Batalhão de Choque, que dispersaram a multidão com bombas de gás lacrimogêneo, balas de borracha e um caminhão-pipa. Duas pessoas foram detidas, uma com um carregamento de coquetéis molotov.

Engarrafado no Centro

O esquema para o translado do Papa Francisco do Galeão até o Centro do Rio falhou, e o Pontífice ficou parado em três pontos do percurso, devido a uma fila de ônibus. A comitiva foi cercada por populares. O episódio gerou acusações entre a prefeitura, que alegou desconhecer o trajeto, e o governo federal, que desmentiu a prefeitura. (Págs. 1 e caderno especial)

Planos de saúde sobem 9,04% (Págs. 1 e 21)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete: Papa diz que falta de trabalho pode criar ‘geração perdida’

Em discurso no Palácio Guanabara, Francisco cobrou educação e estrutura para jovens; Dilma pediu apoio para iniciativas globais; Quebrando o protocolo, papa andou sem blindagem, ficou preso em congestionamento e beijou crianças

Em seu primeiro discurso no Brasil, diante da presidente Dilma Rousseff e de autoridades no Palácio Guanabara, no Rio, papa Francisco cobrou educação e meios materiais para que os jovens possam se desenvolver, e deixou claro que sua viagem terá forte caráter político. No avião que o trouxe ao Brasil, ele alertou para o risco de se criar uma geração perdida diante da incapacidade de os jovens encontrarem trabalho em todo o mundo. Dilma criticou em seu discurso os protestos que têm tomado o País e pediu a participação do pontífice para “transformar iniciativas pontuais em globais”. Ao chegar, Francisco embarcou em um carro sem blindagem. No trajeto até o centro, com os vidros abaixados, ficou preso em congestionamento e saudou fiéis. Também andou de papamóvel aberto e beijou crianças. Hoje, ele não tem agenda pública. Amanhã, vai a Aparecida (SP), onde anteontem uma bomba de fabricação caseira foi encontrada no banheiro do Santuário. (Págs. 1 e Metrópole A10 a A17)

O que disse o papa

‘A crise global não tem sido suave com os jovens. Estamos correndo o risco de criar uma geração perdida que nunca trabalhou’
Discurso no Palácio Guanabara

‘Vocês (brasileiros) não se conformam com nada. Querem tudo? Vocês já têm um Deus brasileiro. Queriam um papa brasileiro também?’
Durante voo para o Brasil

Fotolegenda: Recepção

Multidão saúda o papa Francisco durante passeio pelo centro do Rio, e polícia reprime protesto perto do Palácio Guanabara.

Protesto no Rio tem confronto e 1 ferido

Um protesto realizado ontem perto do Palácio Guanabara, após visita do papa Francisco, terminou em confronto com a polícia. Um homem foi ferido na perna com um tiro. (Págs. 1 e A14)

Francisco Borba Ribeiro Neto

O papa já indicou que não quer simplesmente dar uma mensagem, mas sim se envolver no processo político. (Págs. 1 e A12)

Leonardo Boff

Papa Francisco, vindo de fora da velha cristandade européia, trouxe esperança, uma nova primavera da Igreja. (Págs. 1 e A16)

PT já fala em 2º turno na eleição de 2014

O PT admite que Dilma Rousseff pode não vencer a eleição no primeiro turno. Proposta de resolução levada ao Diretório Nacional diz que o partido enfrentará “intensa luta política e ideológica” e os protestos criaram “nova situação”. (Págs. 1 e Política A4)

Governo anuncia corte de R$ 10 bi no Orçamento

Em busca da credibilidade perdida na área fiscal, o governo federal anunciou ontem um corte de R$ 10 bilhões nas despesas previstas no Orçamento deste ano. O governo espera cumprir a meta de poupar 2,3% do PI B. (Págs. 1 e Economia B1)

Plano de saúde pode subir até 9,04% (Págs. 1 e Metrópole A21)

Dora Kramer

Mundo da Lua

Alheio ao momento, PT se engalfinha em briga interna e destaca ‘aloprado’ como representante do pensamento do partido sobre reforma. (Págs. 1 e Política A6)

Arnaldo Jabor

Um artigo otimista

Mudar o País tem de ser por dentro. A democracia brasileira, se for mantida, vai expelindo os micróbios que a atacam. (Págs. 1 e Caderno 2, C8)

Notas & Informações

Falta confiança para investir

A confiança tomou-se insumo mais escasso no País do que capital para ampliação dos negócios. (Págs. 1 e A3)

————————————————————————————

Correio Braziliense

Manchete: Segurança aloprada põe o papa em perigo

O maior aparato policial já montado na história do país não impediu que, em seu primeiro dia de visita ao Brasil, o papa Francisco fosse exposto a situação de risco. Homens encarregados de proteger o pontífice passaram sufoco quando uma multidão cercou o carro do papa no Centro do Rio. Todo mundo queria tocar e fotografar o líder católico. Em alguns momentos, a tensão foi extrema. Passado o susto, Francisco desfilou de papamóvel, acenou para os fiéis e beijou criança. Ao discursar em encontro com Dilma, no Palácio Guanabara, demonstrou preocupação com os jovens desempregados e pediu cuidado especial aos idosos. “Cristo bota fé nos jovens”, disse. Enquanto isso, do lado de fora, manifestantes ateavam fogo a boneco de Cabral e entravam em confronto com a polícia.

Erros a corrigir
Porta-voz do Vaticano aponta falhas de segurança no Rio, mas diz que bomba em Aparecida (SP) não preocupa.

Dia de descanso
Hoje, em seu segundo dia no Rio, o papa não terá compromissos públicos. Amanhã, ele celebra missa no interior de São Paulo.

Teste de prestígio
Segundo especialistas, Francisco usará a viagem ao Brasil para ampliar o discurso social e as mudanças na Igreja.

Tabus em xeque
Pesquisa revela que jovens católicos são mais liberais: defendem o uso da camisinha, da pílula e até o casamento gay. (Págs. 1 e 2 a 9)

Governo vai adiar concursos

O corte de R$ 10 bilhões no Orçamento vai afetar seleções e nomeação de aprovados. O arrocho, no entanto, pode ficar bem abaixo do anunciado ontem, contrariando ainda mais os planos do ministro da Fazenda. (Págs. 1 e 10)

Congresso usa cerca ilegal para proteção

Sem autorização do Iphan, as laterais do prédio foram isoladas com fios de arame. (Págs. 1 e 26)

Arenas da Copa: Mané tem a maior ocupação (Págs. 1 e Superesportes, 2 e 3)

Reajuste de planos de saúde chega a 9% (Págs. 1 e 13)

————————————————————————————

Valor Econômico

Manchete: Corte não garante meta de superávit

O corte adicional de R$ 10 bilhões nas despesas do governo federal, anunciado ontem pelos ministros da Fazenda, Guido Mantega, e do Planejamento, Miriam Belchior, não garante o cumprimento da meta de superávit primário do setor público de 2,3% do Produto Interno Bruto (PIB) neste ano. Com as medidas, o superávit seria elevado em 0,2% do PIB, dos atuais 1,3% para 1,5% do PIB. Assim, para chegar aos 2,3%, Estados, municípios e suas estatais teriam de fazer uma economia de 0,8% do PIB, o que é considerado quase impossível por especialistas.

Há outras questões que levantam dúvidas sobre a consistência do corte. A redução de R$ 4,4 bilhões nos gastos com a compensação de desonerações da folha de pagamentos à Previdência, por exemplo, é neutra do ponto de vista fiscal. O Tesouro deixará de pagar, mas a receita da Previdência cairá em valor correspondente. Ou seja, o corte é automaticamente compensado pela receita menor que não entra no cofre do INSS. A medida, portanto, não tem efeito sobre o resultado primário do governo federal. (Págs. 1 e A3)

Papa vai ao povo e usa até gíria

Uma multidão de brasileiros e estrangeiros recepcionou ontem o papa Fancisco após seu desembarque no Rio. No trajeto entre a Base Aérea do Galeão e a Catedral Metropolitana, a comitiva do papa teve de parar devido ao engarrafamento provocado por diversos ônibus parados. O papa não perdeu o bom humor, manteve o vidro do carro aberto, pegou uma criança no colo e a beijou. Várias pessoas chegaram a tocar o pontífice e jogaram bilhetes dentro do carro.

Em discurso no Palácio das Laranjeitos, em português, o papa disse que “Cristo bota fé nos jovens”. Manifestações nas Laranjeiras não chegaram a atrapalhar o primeiro dia da viagem papal ao país. (Págs. 1 e A8 e A10)

Geada ameaça trigo, cana e café no Paraná

As geadas previstas para esta semana ameaçam 43% da área plantada de trigo no Paraná e também podem afetar ainda mais a produtividade da cana-de-açúcar no Estado. No caso do café — a outra cultura que pode ser afetada por geadas —, os preços já estão em alta pela perspectiva de queda i na safra. Há previsão de geadas de forte intensidade nas regiões produtoras de café. Se as previsões se confirmarem, será a primeira geada forte no Paraná em 19 anos. (Págs. 1 e B12)

Lucros das grandes empresas caem 32%

O desaquecimento da economia brasileira afetou diretamente o lucro das grandes companhias. As mil maiores do país que compõem o ranking do anuário “Valor 1000” registraram em 2012 uma queda de lucratividade de 32,4%. Em valor absoluto, o lucro líquido caiu de R$ 171 bilhões para R$ 117bilhões.

Apesar disso, a receita líquida cresceu 14,3%, para R$ 2,54 trilhões em 2012. O faturamento dessas companhias foi equivalente a 58% do PIB, quatro pontos acima do ano anterior. Essa participação deve ser ainda maior, uma vez que várias empresas bilionárias se recusam a divulgar seus balanços. (Págs. 1 e A14)

HRT avalia até mesmo a liquidação

A HRT está contratando um assessor financeiro para avaliar as opções que lhe restam, inclusive a liquidação, apurou o Valor. Depois de anunciar que o segundo poço perfurado na Namíbia revelou-se seco, a empresa anunciou alteração no plano de venda de ativos que mostra um freio nos investimentos na Amazônia. Estão à venda helicópteros, sondas desmontáveis e foi incluída a IPEXco, prestadora de serviços de análise geoquímica e modelagem 3D. As ações fecharam ontem em queda de 14,85%. (Págs. 1 e B1)

Crise fiscal leva Cartes a rejeitar Venezuela

A situação fiscal do Paraguai levou o presidente eleito do país, Horacio Cartes, a elevar o tom contra Brasil e Argentina em relação ao Mercosul. Sem tradição no Partido Colorado, pelo qual se elegeu, e em minoria no Senado, Cartes abandonou o tom pragmático em relação ao ingresso da Venezuela no bloco, aprovado depois que o Paraguai foi suspenso do grupo em junho do ano passado.

O déficit do setor público deve passar de 1,1% do PIB em 2012 para 2,3% neste ano. Para tentar reequilibrar o caixa, Cartes articula o aumento de impostos sobre o agronegócio, a principal fonte de recursos externos formais dó país. Com a proposta tributária na mesa, não há clima para o Congresso aprovar formalmente a adesão da Venezuela, rejeitada na legislatura passada. (Págs. 1 e A11)

Aumento nos planos de saúde

Os convênios médicos individuais contratados a partir de 1999 terão aumento de até 9,04% neste ano, segundo a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). É o maior reajuste desde 2005 e afetará cerca de 8,4 milhões de usuários. B3

Captações aéreas

Depois de obter R$ 7,5 bilhões com a emissão de ações e debêntures no mercado doméstico e outros US$ 3,2 bilhões no exterior, aéreas brasileiras terão de captar o dobro para cumprir planos de crescimento até 2020. (Págs. 1 e B4)

Dívida em dólar pressiona siderurgia

A elevação de 10% do dólar frente ao real no 2º trimestre deixará marcas negativas no balanço trimestral das siderúrgicas brasileiras, segundo analistas. Embora o real mais fraco possa incrementar algumas linhas, os resultados financeiros devem piorar. (Págs. 1 e B8)

Investimentos na cana

Fabricantes de equipamentos para o setor sucroalcooleiro esperam encomendas 10% maiores entre agosto e março de 2014, fim da próxima entressafra, com negócios em tomo de R$ 2,2 bilhões. (Págs. 1 e B11)

Girassol avança em Minas

Com apoio da Petrobras, pequenos agricultores de Minas Gerais ampliam a produção de girassol no Estado, onde a área plantada aumentou mais de 150% na última safra. (Págs. 1 e B12)

Banco público preocupa o IIF

A deterioração da qualidade dos ativos dos bancos da América Latina, principalmente das instituições públicas do Brasil, preocupa o Instituto Internacional de Finanças (IIF). (Págs.1 e C3)

Inadimplência no crédito mercantil

Após afetar os balanços dos bancos no ano passado, a inadimplência das empresas começa a aparecer com mais força no crédito mercantil—compras a prazo de fornecedores —, conforme seguradoras que atuam no segmento. (Págs. 1 e C12)

Proteção ao pequeno investidor

Após OGX, adoção de preço maior para desestimular acesso de pessoa física em IPOs de empresas pré-operacionais, com divisão dos papéis 18 meses após a estreia, entra na pauta de debate de reguladores e autorreguladores. (Págs. 1 e Dl)

Ideias

Delfim Netto

Se a evolução do clima for benigna, resposta ao Plano de Safra 2013/14 será um estímulo importante ao crescimento do PIB. (Págs. 1 e A2)

Jorge Arbache

Estimativas sugerem que o Brasil envelhecerá rapidamente e terá uma das menores taxas de fecundidade do mundo. (Págs. 1 e A13)

Gerdau propõe superministério nos transportes (Págs. 1 e A7)

————————————————————————————

Estado de Minas

Manchete: “Cristo bota fé nos jovens”

Em seu primeiro pronunciamento oficial no Brasil, papa Francisco disse a milhares de fiéis que a juventude enfrenta grandes desafios e deve criar um mundo de fraternidade cristã.

Achegada de Francisco ao Rio de Janeiro, pouco antes das 16h, para a Jornada Mundial da Juventude, foi marcada pela emoção dos fiéis desde o aeroporto do Galeão até o desfile no papamóvel. Em seguida, com a presença da presidente Dilma Rousseff, ele fez pronunciamento em português no Palácio Guanabara: “Os braços do papa se alargam para abraçar a inteira nação brasileira, na sua complexa riqueza humana, cultural e religiosa”.

Tensão: Uma trapalhada sobre o trajeto deixou o papa retido num carro comum em congestionamento e exposto a riscos no meio da multidão.

Peregrinos: Não só tocar o papa, como também ser tocado pelas palavras dele. Essa é a expectativa dos 10 mil jovens mineiros que seguiram para o Rio.

Confronto: Uma manifestação perto do Palácio Guanabara terminou em confusão. Depois da queima de um boneco do governador Sérgio Cabral, c PM reagiu com bomba de gás lacrimogêneo a ataques de pedras e coquetel molotov. Cinco manifestantes foram presos e um policial ficou ferido.(Págs. 1 e 3 a 6)

Funcionalismo: Fim do salário integral na aposentadoria

Estado propõe teto do INSS e cria previdência complementar Medida vai valer para quem entrar no serviço público após sanção da lei. (Págs. 1 e 10)

Planos de saúde: Reajuste de 9,04% supera a inflação

É a segunda maior correção em oito anos e vai valer entre maio de 2013 e abril de 2014 para 84 milhões de brasileiros, sendo 840 mil em Minas. (Págs. 1 e 12)

————————————————————————————

Jornal do Commercio

Manchete: Francisco do povo

Mal desembarcou no Rio, onde participará da Jornada Mundial da Juventude, o papa sentiu de perto a acolhida brasileira. Por uma falha na segurança, foi cercado por uma multidão após sair do aeroporto e também quando desfilava no papamóvel.

Protestos

Após a saída do pontífice do Palácio Guanabara, grupo de manifestantes lançou um coquetel molotov contra a polícia, que revidou com gás lacrimogêneo.

Pernambucanos

Jovens pernambucanos de várias paróquias seguiram de avião ou de ônibus para a Cidade Maravilhosa. Até jovens da Funase integram caravana.

Espaço para os jovens

Em seu primeiro discurso, no Palácio da Guanabara, o santo padre pediu mais espaço para a participação dos jovens na sociedade. (Págs. 1 e 6 a 10)

Plano de saúde terá alta de 9,04%

ANS divulga reajuste máximo de planos individuais e familiares contratados a partir de 1999. Percentual supera a inflação. (Págs. 1 e economia 1)

————————————————————————————

Zero Hora

Manchete: Jornada no Brasil – “Cristo bota fé nos jovens”, diz Francisco

No Rio de Janeiro para a Jornada Mundial da Juventude, Papa se deslocou em carro popular, desfilou em papamóvel aberto e foi saudado por uma multidão.

Trajeto com falhas na segurança e contato direto com os fiéis.

Protesto e prisões do lado de fora do Palácio Guanabara. (Págs. 1 e 4 a 8 e 14)Gasto federal: Governo corta, mas analistas esperavam mais

Programas sociais ficam de fora de redução de R$ 10 bi em orçamento. (Págs. 1 e 20 e 21)

————————————————————————————

Brasil Econômico

Manchete: SP terá novo aeroporto para jatos executivos

O ministro da Secretaria de Aviação Civil (SAC), Moreira Franco, vai assinar, na quinta-feira, autorização para construção de mais um aeroporto na região da Grande São Paulo, voltado para a aviação geral – helicópteros, táxis aéreos e jatos executivos. Segundo o ministro, a medida vai desafogar a movimentação em Congonhas, Guarulhos e no Campo de Marte. (Págs. 1, 6 e 7)

Emprego: Rotatividade de jovem deixa país menos competitivo

Estudo do Ipea mostra que as empresas não investem na retenção de trabalhadores de até 24 anos. A mudança constante de trabalho dificulta a especialização. A pesquisa será base de um programa do governo para melhorar a qualidade do emprego. (Págs. 1, 4 e 5)

O movimento da fé

O Papa Francisco foi recebido ontem por uma multidão de fiéis, que terão este ano a versão carioca da feira de livros e artigos religiosos realizada em São Paulo. (Págs. 1 e 10)

HRT põe mais ativos à venda

O comitê criado para tratar da crise da petroleira chegou à conclusão de que se desfazer dos bens pode reduzir as perdas para o investidor, já que eles valem mais do que o preço das ações em Bolsa. Um dos itens é o laboratório de pesquisa que deu origem à empresa. (Págs. 1 e 14)

Na web

Redes sociais refletem duas faces da visita do Papa: seguidores e protestos. (Págs. 1 e 17)

Clipping Radiobrás

Edição: Equipe Fenatracoop

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.