Manchete nos Jornais deste Domingo, 07 de Março de 2021

0

O Estado de S. Paulo

  • Limite de gasto entra na mira na Câmara
  • Governo barra novo cadastro para auxílio
  • Confira
  • Preço da carne puxa inflação de consumidor de menor renda
  • Corte de benefício já afeta vendas em supermercados
  • Com auxílio, consumo de alimentos por mais pobres cresce 8% em 2020
  • Brasil tem dez mil mortes em sete dias
  • Queda de mortes pode demorar 5 semanas
  • Ministério diz que repassou dinheiro para Estados
  • Na contramão do mundo, Brasil tem maior alta de mortes por covid
  • Portugal aperta quarentena a brasileiros
  • Falta de vacinas põe em xeque governo paraguaio

Com auxílio, presunto entrou na mesa dos mais pobres

Presunto e apresuntado passaram a ser consumidos por 8,5 milhões de famílias das classes D e E em suas casas no ano passado. A mudança é atribuída à pandemia e ao auxílio emergencial. Em 2020, o volume geral de itens consumidos nos domicílios cresceu 4%. Entre os mais pobres, alta foi de 8%. O aumento do consumo de alimentos pelos mais pobres foi embalado pelo auxílio emergencial, que injetou cerca de R$ 300 bilhões na economia em 2020. Cerca de 70% das classes D e E, com renda familiar de até R$ 2,6 mil, segundo o IBGE, receberam o benefício. Isso provocou um salto na receita dessa faixa da população, que gasta quase 25% do que ganha com comida. Com mais dinheiro no bolso, os mais pobres incluíram itens que não faziam parte do cardápio. Presunto e apresuntado passaram a ser consumidos por 8,5 milhões de famílias das classes D e E no ano passado; 6,2 milhões de domicílios experimentaram empanados, do tipo nuggets, de frango, carne bovina e vegetais; 4,5 milhões foram às compras de hambúrguer, linguiça, maionese; 5,1 milhões passaram a usar manteiga e requeijão; e 7,1 milhões, azeite, mesmo do tipo misto, por causa da disparada de preço do óleo de soja.O acesso a novas categorias de produtos por conta do auxílio emergencial lembra o movimento que ocorreu no início do Plano Real, em meados dos anos 1990. Na época, a queda abrupta da inflação permitiu a compra de frango e iogurte pelos mais pobres. Agora, porém, esse movimento de consumo é tido como transitório. E um primeiro sinal disso já começou a aparecer nos supermercados paulistas, que tiveram queda real de vendas este ano.

O Globo

  • Covid põe à prova negócios de brasileiros em Portugal
  • Ipea endurece regra para divulgação de estudo e sinaliza com punição
  • Mudanças podem afetar Previdência a longo prazo
  • Precarização: No mercado de trabalho, tecnologia do século XXI convive com condições do século XIX
  • Sob pressão, Paraguai anuncia reforma ministerial
  • Fruto da precaução
  • Falência múltipla
  • Vacinação dupla de gripe e Covid é desafio inédito
  • Governo reduz em 8 milhões previsão de doses para março

Folha de São Paulo

  • Vale dá R$ 34 bi em dividendos, mas atrasa reparos a vítimas de acidentes
  • Bolsonaro multiplica por 10 número de militares no comando de estatais
  • Protestos no Paraguai pedem saída de presidente por má gestão da Covid
  • Cansaço, fatalismo e cérebro habituado explicam a falta de medo da Covid-19
  • Com prefeita anti isolamento, Bauru ignora fase vermelha
  • Variante britânica do coronavírus é até 90% mais transmissível
  • Saúde negou Pfizer 3 vezes e perdeu 3 milhões de doses

Ecommerce não destrói loja física

Para os acionistas da companhia de vestuário, pontos de venda mantêm relevância ao servir como base de distribuição. A pandemia trouxe mudança no comportamento de compra em loja física e ecommerce, com maior busca por conforto, camiseta básica, pijama, moletons. Nas lojas físicas, vimos um cliente muito objetivo, reduzindo tempo de permanência, colocando mais itens na cesta. A pandemia trouxe dispersão de resultados. A loja de rua tem conseguido atrair mais, tem ido acima na comparação com shopping, com menor perda de fluxo, maior tempo de permanência, indicadores de produtividade como venda média e peças por atendimento maior. Se até um tempo atrás o foco era na loja eletrônica, hoje não é. É a venda em qualquer ambiente, seja físico ou virtual. Eles têm de se combinar, criar modalidades. (Folha de S. Paulo)

________________________________________________________________
A Podologia Cambé esta instalada no Centro Comercial Canadá Localizado na Rua Holanda, 263 esquina com a Av Canada, Sala 311 no centro de Cambé, telefone: (43) 3254-7433 e WhatsApp: (43) 9.9918-7889
A Podologia Cambé esta instalada no Centro Comercial Canadá Localizado na Rua Holanda, 263 esquina com a Av Canada, Sala 311 no centro de Cambé, telefone: (43) 3254-7433 e WhatsApp: (43) 9.9918-7889

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.