A Podologia Cambé esta instalada no Centro Comercial Canadá Localizado na Rua Holanda, 263 esquina com a Av Canada, Sala 311 no centro de Cambé, telefone: (43) 3254-7433 e WhatsApp: (43) 9.9918-7889
A Podologia Cambé esta instalada no Centro Comercial Canadá Localizado na Rua Holanda, 263 esquina com a Av Canada, Sala 311 no centro de Cambé, telefone: (43) 3254-7433 e WhatsApp: (43) 9.9918-7889

O Globo

Manchete: Aposentados são maioria em um terço das cidades
Em 1.874 municípios, eles superam o número de trabalhadores formais, que financiam os benefícios do INSS. Jovens migram atrás de oportunidades.
DAIANE COSTA E HENRIQUE GOMES BATISTA
A cada três cidades brasileiras, uma já registra um número maior de aposentados do que de trabalhadores com carteira assinada. Os primeiros recebem benefícios do INSS, que são financiados pelas contribuições de quem tem emprego formal. Segundo levantamento feito pela Confederação Nacional do Comércio (CNC) apedido do GLOBO, 1.874 dos 5.570 municípios do país enfrentam esse desequilíbrio. Na maioria dessas localidades, a economia é pouco dinâmica, altamente focada na administração pública e na informalidade, o que leva os jovens a migrarem em busca de oportunidades melhores. Para especialistas, a pesquisa reforça a necessidade da reforma da Previdência, que pretende evitar a aposentadoria precoce. O quadro também desafia gestões municipais como as de Mendes (RJ) e Iguape (SP), que precisam reformular políticas públicas. (PÁGINAS 23 a 2)

Caciques ainda sobrevivem à gestão Bolsonaro
Eles têm apelido no Congresso: “Esqueceram de Mim’’. Afilhados políticos de antigos caciques da política, como Eunício Oliveira, Romero Jucá e José Sarney, foram mantidos em chefias regionais de órgãos federais, enquanto aumenta a pressão por cargos no governo Bolsonaro. (Página 4)
Colunistas
MÍRIAM LEITÃO
Um ‘espelho’ do presidente na PGR agravaria crise institucional (Página 24)
ELIO GASPARI
O ‘pacificador’ que conflagrou o STF e impôs a censura (Página 9)
MERVAL PEREIRA
Nos EUA, Bolsonaro terá nova chance de melhorar sua imagem (Página 2)
ASCÂNIO SELEME
Data é propícia para o presidente refletir e apostar numa virada (Página 10)
LAURO JARDIM
Bolsonaro incentiva aliados que criticam Mourão nas redes sociais (Página 8)
DORRIT HARAZIM
Doações para catedral reacenderam debate sobre grandes fortunas (Página 3)
BERNARDO MELLO FRANCO
O ministro que se empenha em destruir o que devia proteger (Página 3)
————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete: Deixado de lado por Bolsonaro, Congresso impõe agenda própria
‘Empoderamento’ parlamentar inclui medidas para limitar poder do Executivo
O Congresso vem impondo agenda própria, no vácuo das dificuldades de articulação política do governo. Ao abandonar o presidencialismo de coalizão – as alianças em torno de propostas específicas –, Bolsonaro abriu caminho para o “empoderamento” dos parlamentares. A Câmara já aprovou a PEC do orçamento impositivo, que tira poder do governo de autorizar gastos, e acionou as engrenagens para mover pautas próprias. O “pacote de maldades” inclui limitar o número de medidas provisórias que podem ser editadas pelo Executivo, impor derrotas em votações de interesse do governo, priorizar projetos de autoria dos parlamentares em temas coincidentes, como a reforma tributária, e atrasar a votação da reforma da Previdência. “A decisão do presidente de priorizar a independência entre os poderes abre a possibilidade de restabelecermos as nossas prerrogativas”, diz o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). (POLÍTICA / PÁG. A4)
Equilíbrio entre Poderes
Para políticos experientes, a postura do Congresso não é uma retaliação ao governo, mas uma forma de buscar equilíbrio entre os Poderes. (PÁG. A4)

Plano de privatização de Guedes sofre resistência
O ministro da Economia, Paulo Guedes, vem enfrentando resistência para convencer colegas de outras pastas da necessidade de privatizar empresas públicas, um dos pilares de sua política econômica. Há até casos de empresas que estão recebendo novos funcionários. As resistências vêm, principalmente, dos Ministérios de Ciência e Tecnologia, Agricultura, Minas e Energia e Infraestrutura. (ECONOMIA / PÁGS. B1 e B3)

Demanda por obras favorece corrupção no Peru
A demanda por obras de infraestrutura no Peru, a fragilidade dos partidos, o histórico de corrupção e o revezamento de presidentes que receberam propinas da Odebrecht, aliados à ação agressiva do MP, explicam por que a Lava Jato atingiu 4 ex-presidentes peruanos, como mostra o enviado Luiz Raatz. (INTERNACIONAL / PÁG. A10)

Frota nacional de veículos volta a ficar mais velha
A frota brasileira de veículos voltou a envelhecer. A idade média dos automóveis em circulação no País é de 9,7 anos, a maior dos últimos 18 anos. Os caminhões têm média de 11,4 anos, a mais velha desde 2007. A tendência, até 2020, é piorar. (ECONOMIA / PÁG. B4)

Planilha tem 187 entregas de dinheiro da Odebrecht (POLÍTICA / PÁG. A6)
Notas & Informações
Nova política, velha e inepta
Desorganizado e acuado, o governo do presidente Jair Bolsonaro falhou até hoje na execução de novas políticas de alguma relevância. (PÁG. A3)
O diálogo necessário
O pluralismo não é um mal, mas um grande bem, que deve ser protegido e valorizado. (PÁG. A3)
————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete: Governo decreta sigilo de pareceres da Previdência
Ministério blinda documentos que embasam a proposta enviada à Câmara
O Ministério da Economia decretou sigilo sobre os estudos e pareceres que embasaram a sua proposta de reforma da Previdência. Assim, o cidadão que terá a aposentadoria afetada caso o texto venha a ser aprovado não tem acesso a argumentos que o sustentam. A blindagem é mencionada na resposta da pasta a pedido da Folha para consultar os documentos. A argumentação do governo é que os estudos da proposta são “preparatórios”, só podendo então ser acessados por autoridades e servidores autorizados. Segundo o ministério, quando e se o texto for aprovado pelo Congresso, os cidadãos terão então acesso a todos os detalhes. O ministro Paulo Guedes tem resistido em fornecer a base de sua previsão de economia com a proposta, de R$ 1,1 trilhão em dez anos. Isso tem irritado congressistas, que questionam a transparência do governo. Apresentado em fevereiro, o projeto não superou nem a comissão inicial. (Mercado A17)
Samuel Pessôa
Sem mudança no fiscal, rumamos à Argentina (A19)
Gasto militar com pessoal é o maior em uma década
O orçamento militar para 2019 prevê a maior despesa com pessoal em dez anos. Em contrapartida, há uma redução expressiva nos investimentos em programas das Forças Armadas. Dos R$ 104,2 bilhões estimados p ara o Ministério da Defesa, R$ 81,1 bilhões irão para pessoal. A Defesa diz que o aumento se deve à última parcela do reajuste da categoria. (Poder A4)
Renovação faz porto de Santos cortar pessoal e trocar de nome
A nova gestão do terminal, cuja imagem foi desgastada por suspeitas de corrupção, prevê redução de pessoal, concessões e o nome Santos Port Authority. (Mercado A20)
Oferta de vagas em direito cresce 20% após flexibilização
O país teve aumento de 20% na oferta de vagas em cursos de direito após o governo facilitar a abertura de graduações na área, no ano passado. Isso gera críticas sobre qualidade e empregabilidade. (Cotidiano B1)
Fernanda Torres
Brasil é Muzema de dimensões continentais (C8)
Editoriais
O tabu do mínimo
Acerca de política de valorização do piso salarial.
Gol contra da Receita
Sobre deferência do governo ao pai de Neymar. (Opinião A2)
————————————————————————————

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.