Amianto: Eternit vira alvo de ação de R$ 1bi

O Ministério Público do Trabalho do Rio pede indenização de R$ 1 bilhão da Eternit por expor trabalhadores ao amianto, fibra considerada cancerígena pela OMS.

Ministério pediu prótese antes da visitada da presidente

A dona Nalvinha, agricultora baiana que ganhou dentes novos na véspera de gravar programa eleitoral com Dilma (PT), recebeu o benefício após pedido do Ministério do Desenvolvimento Social à Prefeitura de Paulo Afonso. A pasta informou que identificou a necessidade do atendimento e “avisou” a prefeitura. Especialista vê prática ilegal…

Ex-diretor da Petrobras aceita delação premiada

No dia de operações de busca da PF em empresas de uma filha e de um genro, o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa fechou acordo de delação premiada com procuradores que atuam na Operação LavaJato. Costa é acusado de ter superfaturado contratos e embolsado parte do valor que foi pago a mais.

 BC vê falta de “espírito animal’ nos empresários

Para empresários, a falta de “espírito animal” no Brasil se explica porque indicadores não apontam para uma aceleração da economia. A maior preocupação é com o real sobrevalorizado, que favorece a importação em vez da produção local.

 

O Globo

Manchete: Escândalos em série – Ex-diretor da Petrobras aceita delação premiada

Preso, Paulo Roberto Costa quer falar de corrupção na estatal em troca de redução de pena

Ex-diretor agora quer falar
Horas depois de a Polícia Federal fazer uma operação nas casas e empresas de suas filhas e seus genros no Rio de Janeiro, o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa, preso na Operação Lava-Jato, decidiu fazer um acordo de delação premiada. Promete dar um depoimento e contar tudo o que sabe sobre contratos com a Petrobras. Ontem, Costa se reuniu com a advogada Beatriz Lessa da Fonseca Catta Preta, na sede da Superintendência da PF em Curitiba, onde está preso, e acertou que encaminhará o pedido formal ao juiz do caso, Sérgio Moro.

A ideia é, com isso, negociar uma redução de pena e até pedir que seus parentes não sejam envolvidos nos processos que ele responde. O ex-diretor da Petrobras é acusado de envolvimento com o doleiro Alberto Youssef e de superfaturamento no caso da construção da refinaria de Abreu e Lima, em Pernambuco. (Págs. 1 e 3)

Merval Pereira: Depoimento de Paulo Roberto Costa é o fato novo da eleição (Págs. 1 e 4)

Graça entrega ao TCU documentos sobre doação

A presidente da Petrobras, Graça Foster, antecipou-se às investigações do TCU e entregou documentos sobre a doação de bens aos filhos após o escândalo de Pasadena. (Págs. 1 e 4)

Eleições 2014: Marina diz que, se eleita, não disputará reeleição

A candidata do PSB à Presidência, Marina Silva, comprometeu-se a não disputar novo mandato, se eleita: “O Estado não é um partido, e o governo não é o Estado”. Ela aceitou a indicação do deputado Márcio França (PSB), vice na chapa do tucano Geraldo Alckmin em SP, para cuidar das finanças de campanha. O presidente do PSB, Roberto Amaral, disse que Marina vai dar uma “sinalização” para tranquilizar o mercado. (Págs. 1 e 6)

Aécio e Dilma descartam ofensiva sobre PSB agora

Tucano diz que não fará cooptação, e petista só considera se aproximar de descontentes com Marina no caso de 2º turno. (Págs. 1, 8 e 9)

PSB admite erro no uso de avião de Campos

Reservadamente, dirigentes do PSB admitem que o avião que caiu em Santos não poderia ser usado na campanha. (Págs. 1 e 7)

Contabilidade criativa: Atraso nos repasses do Tesouro é investigado

O Tesouro está represando despesas para melhorar artificialmente suas contas. Atrasos nos repasses à Caixa para o Bolsa Família e o seguro-desemprego estão sendo investigados pelo TCU. A Procuradoria-Geral da Fazenda vai apurar se essas operações ferem a Lei de Responsabilidade Fiscal. (Págs. 1 e 25)

Graça Foster tenta explicar ao TCU doação de bens aos filhos
A presidente da Petrobras, Graça Foster, decidiu se antecipar à investigação do Tribunal de Contas da União (TCU) e apresentou ontem explicações e documentos sobre as doações de imóveis feitas aos filhos após estourar o escândalo da refinaria de Pasadena. O material, com cerca de 30 páginas, foi anexado ao processo em curso no TCU que avalia os prejuízos e irregularidades na compra da refinaria.

O presidente do tribunal, Augusto Nardes, já determinou que auditores façam uma diligência junto aos cartórios do Rio, de forma que se verifique se houve “dissimulação” de patrimônio na iniciativa de Graça. Com base em registros oficiais em cartório, O GLOBO revelou que tanto a presidente da Petrobras quanto o ex-diretor Nestor Cerveró transferiram imóveis aos filhos após o escândalo de Pasadena.

Vice de Alckmin assume finanças de Marina
Em meio à crise que levou à saída do coordenador-geral Carlos Siqueira, a candidata do PSB à Presidência da República, Marina Silva, aceitou em um posto-chave da campanha um dos seus principais desafetos dentro da legenda: o deputado federal Márcio França, vice na chapa do tucano Geraldo Alckmin, que disputa a reeleição ao governo de São Paulo. França foi escolhido pelo PSB para cuidar das finanças da candidatura. O objetivo do partido, ao nomear o vice de Alckmin, foi dar um sinal de que integrantes da Rede não vão ter autonomia completa de ação, após a saída de Siqueira.

Ontem, numa forma de apaziguar os ânimos com o PSB, Marina anunciou que não disputará um novo mandato, caso seja eleita em outubro. A decisão abre portas para um eventual nome do partido suceder a ela em 2018.

– Agora não é hora de ficarmos cada um querendo valorizar a parte. É hora de lutar pelo todo. Nosso compromisso é pelo fim da reeleição. O meu mandato será um mandato de apenas quatro anos. O que eu quero é ajudar a renovar a política – disse a ex-senadora, após reunião com a equipe que cuida do programa de governo da campanha.

Em vídeo de 2013, Erundina criticou candidata do PSB
Indicada às pressas como coordenadora-geral da campanha de Marina Silva (PSB) à Presidência, para apagar um incêndio com a debandada do primeiro-secretário do partido, Carlos Siqueira, a deputada Luiza Erundina (PSB-SP) já se tornou alvo na internet. Um vídeo em que a ex-prefeita de São Paulo critica a forma de Marina fazer política começou a circular nas redes sociais. Em entrevista ao jornalista Kennedy Alencar, na RedeTV, no segundo semestre de 2013, Erundina explicava por que não havia chances de ingressar no partido de Marina, a Rede Sustentabilidade.

– A Marina é uma pessoa maravilhosa, mas é uma pessoa que entra no senso comum da sociedade do ponto de vista de negar a política, de negar partido. Tanto é que é uma Rede, não é partido. Acho que isso desorganiza, deseduca politicamente. Não há política e não há democracia sem partidos. Pode ser um partido dentro da concepção do que ela defende, mas não negando o partido, não negando a política. Eu gosto das coisas mais precisas – disse Erundina.

‘Divergências são salutares. Só partidos Stalinistas conhecem a unanimidade’ – trecho de entrevista com o presidente interino do PSB, Roberto Amaral

Como o senhor avalia a saída de Carlos Siqueira da coordenação?
– A saída do Siqueira não representa crise, foi uma questão pessoal que respeito, e a Marina respeita muito. É um companheiro dedicado, da construção partidária e que encontrará outras formas de contribuir com o projeto do PSB. Meu papel como presidente é superar todas as divergências e construir uma unidade partidária. Estou preocupado em reunir nossos melhores esforços para uma vitória que parece possível.

As divergências com a Rede não tendem a se acentuar?
– Tende a nada. Vamos deixar claro: o PSB não é a Rede, nem a Rede é o PSB. Nem Marina é Eduardo, nem Eduardo era Marina. São dois projetos que se encontraram. Se todos pensássemos igualmente, não seríamos partidos diferentes. As divergências são salutares. Fico muito feliz quando vejo o debate das ideias e dos projetos dentro do PSB. Só partidos stalinistas conhecem a unanimidade.

Marina, se eleita, sai do PSB?
– Não sei, isso não conversamos e não vejo que este momento seja oportuno.

Atuação de Marina no Rio vira debate
Dez dias após a morte de Eduardo Campos, o PSB do Rio se reúne às 9h30m de hoje, no Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário (SindJustiça), no Centro da cidade, para debater o rumo da campanha estadual de Marina Silva, que é candidata do partido à Presidência. No estado, a legenda se aliou ao PT, da presidente Dilma Rousseff e do senador Lindbergh Farias, que disputa o governo e a quem Marina reluta em apoiar.

Os socialistas fluminenses querem convencer Marina a subir no palanque de Lindbergh, apesar da resistência da ex-senadora e de integrantes da Rede Sustentabilidade, grupo criado por ela que não conseguiu o número necessário de assinaturas para ser oficializado como partido no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Batizado como “Ato de convocação à militância: Não vamos desistir do Brasil”, a reunião também terá a participação da Rede, com o objetivo de realinhar o discurso eleitoral do PSB com o novo cenário depois do trágico acidente aéreo que matou Eduardo Campos.

PSB admite erro no uso de jato que caiu
Embora não admitam em público, dirigentes do PSB sabem que houve erros no uso do Cessna Citation PR-AFA na campanha eleitoral. O avião caiu e matou o ex-governador Eduardo Campos e outras seis pessoas dia 13. O PSB contratou uma equipe de advogados para atuar nesse e em outros casos da campanha à Presidência. O jato estava oficialmente em nome da AF Andrade, um grupo de usineiros, e não poderia ter sido usado na campanha, como revelou o GLOBO ontem.

Segundo autoridades da Justiça Eleitoral, uma empresa só pode doar serviço ou produto ligado a suas atividades fins. Não há registro de que a AF atue como empresa de táxi aéreo. O uso do avião pode complicar a prestação de contas de campanha do PSB. A doação dos serviços de táxi aéreo não consta dos registros do partido no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Comissão de Anistia reduz 29 indenizações milionárias
A Comissão de Anistia aprovou ontem a redução do pagamento de 29 indenizações milionárias concedidas a anistiados políticos. Desde os anos 1990, esses anistiados, ou suas viúvas e filhas, recebiam prestações mensais de até R$ 33 mil. O menor valor pago a esse grupo era de R$ 12,7 mil por mês. Entre eles, 12 são ex-conferentes de carga e descarga de contêineres em portos, e três são estivadores. Essas mensalidades, com a decisão de ontem, foram reduzidas para valores de mercado, com salários pagos hoje em dia, e caíram para R$ 1,8 mil, no caso dos estivadores, e R$ 1.478 para os conferentes de carga.

Os 29 anistiados recebiam, em média, R$ 23,1 mil mensais cada. Com a alteração feita ontem, esse valor caiu para R$ 2,4 mil mensais para cada um. Essas indenizações revisadas representavam um desembolso para a União de R$ 672 mil mensais. Agora, esse montante caiu para R$ 72,4 mil por mês. A indenização do jornalista Paulo Pinto da Motta Lima, que já faleceu, e era paga à viúva, caiu de R$ 22,7 mil para R$ 3.747. Dois aeronautas, Aluizio Fonseca e Ion Sá Weber, antigos pilotos da aviação civil, tiveram suas prestações mensais de R$ 29,4 mil, cada, reduzidas para R$ 3,2 mil.

Comissão de Anistia: Diminui valor de pensões

A Comissão de Anistia aprovou ontem a redução de 29 indenizações concedidas a anistiados políticos. O total mensal que é pago pela União caiu de R$ 672 mil para R$ 72.400. (Págs. 1 e 12)

Amianto: Eternit vira alvo de ação de R$ 1bi

O Ministério Público do Trabalho do Rio pede indenização de R$ 1 bilhão da Eternit por expor trabalhadores ao amianto, fibra considerada cancerígena pela OMS. (Págs. 1 e 29)

Execução sumária: Hamas fuzila 18 por ajuda a Israel

O grupo extremista Hamas matou 18 pessoas — sete em praça pública — acusadas de colaborar com Israel. Uma criança israelense morreu num bombardeio. (Págs. 1 e 34)

Colunistas: Cacá Diegues

Candidatos ignoram o peso da cultura para o país. (Págs. 1 e 14)

O ESTADO DE S. PAULO

Paulo Roberto Costa decide fazer delação premiada
O ex-diretor da Petrobrás Paulo Roberto Costa decidiu fazer delação premiada. Acuado, na iminência de sofrer uma sucessão de condenações como réu da Operação Lava Jato, Costa considera que não tem a menor chance de sair da prisão tão cedo. Ele quer preservar seus familiares, que também se tornaram alvos da Lava Jato.

Horas antes de Costa se decidir por falar o que sabe de corrupção em negócios da Petrobrás, a Polícia Federal deflagrou a quinta fase da Lava Jato e vasculhou os endereços de 13 empresas de consultoria, gestão e assessoria, todas situadas no Rio e ligadas a uma filha, Ariana Azevedo Costa Bachmann, a um genro, Humberto Sampaio Mesquita, e a um amigo dele, Marcelo Barboza.

As buscas foram realizadas a pedido da Procuradoria da República, que apontou “vertiginoso acréscimo patrimonial” das empresas no período em que Costa foi diretor da Petrobrás (2004/2012). Após sua saída da estatal, verificou-se “decréscimo de receita” no caixa dessas empresas.

Ele não fez ainda nenhum depoimento. Nem o acordo foi assinado. Se falar o que sabe muitos políticos poderão ser incriminados. No período em que atuou na Petrobrás, manteve contatos com parlamentares, empreiteiros e também com o doleiro Alberto Youssef, mentor da Lava Jato, segundo a PF.

Costa substituiu Gabrielli no comando da estatal 24 vezes
Preso desde junho e réu em dois processos, o ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás Paulo Roberto Costa foi presidente interino da estatal em 24 ocasiões de 2005 a 2012, período em que a empresa comprou a refinaria de Pasadena, nos EUA, numa operação que causou prejuízo milionário. Ele também é acusado de agir em benefício do esquema do doleiro Alberto Youssef nesse mesmo período.

Ao todo, foram 95 dias no cargo. O regimento da Petrobrás dá ao presidente – à época José Sergio Gabrielli – o direito de escolher o substituto. Costa só não ficou mais no cargo máximo da Petrobrás do que o ex-diretor de Exploração e Produção Guilherme Estrella, que assumiu a cadeira de Gabrielli 36 vezes e 116 dias. A frequência com que Costa era chamado a comandar a estatal contrasta com o depoimento de Gabrielli dado em junho à Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Petrobrás. O ex-presidente da estatal negou que Costa fosse seu “homem de confiança”.

Papéis afastam suspeita sobre Graça, diz empresa
A Petrobrás informou ter enviado anteontem ao Tribunal de Contas da União documentos que comprovariam que a doação de três imóveis da presidente Graça Foster ao casal de filhos foi iniciada em junho do ano passado, antes da decisão do TCU, em 23 de julho passado, de bloquear os bens dos diretores envolvidos na compra da refinaria de Pasadena, no Texas (EUA). A aquisição é investigada pelo TCU e por Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do Congresso.

Em nota oficial, a empresa sustenta que o envio dos documentos ocorreu voluntariamente e não por determinação do TCU. Entre os documentos, segundo a Petrobrás, estão as avaliações dos imóveis, certidões, verificação do valor dos custos e tributos incidentes, elaboração das minutas de escrituras e sua posterior formalização, além de registros imobiliários.

Polícia investiga se sócio de Campos é dono de jatinho
A Polícia Federal investiga se o sócio do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, Aldo Guedes Álvaro, é o verdadeiro dono do jato Cessna Citation 560 XLS, prefixo PR-AFA, que caiu no dia 13, em Santos (SP), matando o candidato à Presidência do PSB e mais seis pessoas. Homem de confiança de Campos, Guedes era seu sócio na Fazenda Esperança, área de 210 hectares, e na Agropecuária Nossa Senhora de Nazaré, em Brejão (PE). Ele também é casado com uma prima da família.

Agentes da PF já sabem que Guedes intermediou a compra feita em nome de três empresários pernambucanos e cuidou da contratação dos pilotos Marcos Martins e Geraldo da Cunha, que morreram no acidente no litoral paulista. Agora, a PF tenta provar que os três empresários que assumiram a compra seriam “laranjas” usados para ocultar o verdadeiro dono do jato. A aeronave é avaliada em US$ 8,5 milhões. Além de ocultação de patrimônio e sonegação fiscal, será apurado o aspecto eleitoral sobre o uso da aeronave na campanha.

PF acha elo de Valério e empresário do ABC
A Polícia Federal apreendeu no escritório da contadora do doleiro Alberto Youssef um contrato de empréstimo no valor de R$ 6 milhões entre o empresário Marcos Valério Fernandes de Souza, condenado no esquema do mensalão, e uma empresa de Ronan Maria Pinto, empresário de Santo André (Grande SP). O Estado teve acesso a cópia do contrato entre a empresa 2 S Participações Ltda, de Valério, e a Expresso Nova Santo André, de Ronan Maria, e a Remar Agenciamento e Assessoria.

O documento foi assinado em outubro de 2004. As prestações seriam pagas entre 2004 e 2005. Na capa do contrato esta escrito à mão “Enivaldo” e “confidencial”. Enivaldo pode ser uma citação a Enivaldo Quadrado que trabalhava para Youssef e teve o nome envolvido no esquema do mensalão. Youssef é apontado pela PF como operador de um esquema de desvio de dinheiro de contratos da Petrobrás e lavagem de dinheiro.

Em depoimento ao Ministério Público em dezembro de 2012, revelado peloEstado, Valério afirmou que dirigentes do PT pediram a ele R$ 6 milhões que seriam destinados ao empresário Ronan Maria Pinto. O dinheiro serviria, segundo Valério, para que o empresário parasse de chantagear o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o então secretário da Presidência, Gilberto Carvalho, e o então ministro da Casa Civil, José Dirceu.

Programa de tucano em Minas não transfere renda
O programa criado em 2008 pelo então governador Aécio Neves (PSDB) para combater a extrema pobreza em Minas, principalmente na região semiárida do Estado, investiu 75% do total de recursos – R$ 1,22 bilhão até o primeiro semestre deste ano – em obras de infraestrutura. Intervenções como a pavimentação de estradas, calçamento de ruas, instalação de redes de energia elétrica, de água e de tratamento de esgoto em áreas de baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). O Travessia já foi citado como a referência do “Novo Nordeste”, plano de investimentos para a região que o candidato do PSDB à Presidência vai anunciar hoje em Salvador.

O tucano promete promover um choque de infraestrutura nos Estados nordestinos se for eleito. A região é o maior desafio eleitoral do candidato do PSDB, que, conforme as pesquisas, concentra suas intenções de voto no Sudeste e no Sul. Por outro lado, é onde a presidente Dilma Rousseff tem melhor desempenho, impulsionada por programas sociais como o Bolsa Família.

No programa inspirador, o governo mineiro afirma que nenhuma ação pode ser classificada como transferência direta de renda, mas sim de “apoio ao aumento da escolaridade das famílias mais pobres”.

CORREIO BRAZILIENSE

Ex-diretor da Petrobras negocia delação premiada e amaça implodir a estatal
Encurralado por nova fase da Operação Lava-Jato, que ontem cumpriu 11 mandados de busca e apreensão em empresas ligadas a ele, o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa negocia delação premiada com o Ministério Público Federal e a Polícia Federal. A expectativa dos investigadores é que o engenheiro revele mais do que disse na CPI da Petrobras no Senado em junho, quando basicamente negou envolvimento com a organização criminosa. Já congressistas temem que o depoimento de Costa cause estragos pela possibilidade de revelar ramificações políticas em ações dele na Petrobras.

Preso desde 11 de junho, Paulo Roberto Costa deu ontem o primeiro passo para a delação premiada — recurso pelo qual o réu fornece informações para a Justiça em troca de uma pena menor. Ele trocou de advogado. Agora é Beatriz Catta Preta, especialista em delação premiada, que o defende. Ela esteve ontem em Curitiba, onde Costa está preso. Em entrevista a um portal da internet, Beatriz disse que as tratativas com o MP e a PF ainda não começaram e que ainda está “tomando pé do processo”. Para conseguir o acordo, o réu precisa convencer os investigadores de que tem informações importantes para colaborar com a apuração do suposto crime. A delação premiada necessita de autorização da Justiça.

Costa é acusado de participar de esquema de lavagem de dinheiro, junto ao doleiro Alberto Youssef. Foi preso pela primeira vez em 20 de março, três dias depois de a Lava-Jato ser deflagrada. Depois de 59 dias, deixou a prisão por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF). Em 11 de junho, voltou a ser preso depois de autoridades da Suíça informarem à Justiça brasileira que ele tem contas com US$ 23 milhões no país. Ele é acusado de ter superfaturado contratos da refinaria e receber suborno. Também responde por ocultação de provas.

Cúpulas de Marina Silva e PSB tentam estancar a crise na coligação
As cúpulas do PSB e da Rede agiram rápido para estancar a sangria e aproveitar o momento de ascensão da candidatura de Marina Silva nas pesquisas de intenção de voto. Embalados pelo festival de boatos que mostrariam a presidenciável em uma situação ainda mais confortável que a apresentada na última pesquisa de intenção de votos, socialistas e marineiros promoveram as demais mudanças na cúpula da campanha. Os panfletos com as fotos de Eduardo Campos e Marina estão sendo distribuídos; o material, já com as imagem da candidata com o novo vice, Beto Albuquerque (PSB-RS), seguiu para a gráfica; e o novo site oficial foi posto no ar. Para completar, a dupla iniciará hoje, no Recife, berço de Eduardo, a nova fase da corrida presidencial.

Com a presença de familiares do ex-governador de Pernambuco e o pretexto de alavancar a candidatura de Paulo Câmara — escolhido por Eduardo para sucedê-lo no Palácio do Campo das Princesas, mas que ainda tem uma baixa intenção de votos nas pesquisas divulgadas até o momento —, Marina e Beto farão uma caminhada partindo do Restaurante da Mira, na Casa Amarela, para aproveitar o momento de comoção popular em torno da morte do ex-governador de Pernambuco.

“Aproveito para fazer supervisão e fiscalização das obras”, diz Dilma
Candidata à reeleição, a presidente Dilma Rousseff (PT) se tornou alvo de críticas nas últimas semanas devido à participação diária em atos de campanha. Segundo a oposição, a intensa agenda de eventos de cunho eleitoral atrapalha a gestão do país, especialmente porque muitos atos são promovidos em horário de expediente. Ontem, no entanto, ela negou que a campanha atrapalhe a atuação como chefe de Estado. “A minha ação como presidente passa por olhar obras”, disse.

“Agora, aproveito meu tempo como candidata para fazer duas coisas: faço supervisão das obras, fiscalizo as obras. Você sabe aquela frase célebre: ‘O olho do dono engorda o boi?’ Se tiver alguma coisa errada, eu, como presidente, vou ver”, completou a petista, em entrevista em uma estação de trens urbanos em Porto Alegre.

Candidato do PSC, Pastor Everaldo faz corpo a corpo na Rodoviária
Com, em média 3%, nas pesquisas de intenção de voto, o candidato do PSC à Presidência da República, pastor Everaldo, preferiu o corpo a corpo com a população para a agenda de campanha de ontem. No início da tarde, ele esteve na Rodoviária do Plano Piloto, em Brasília, e depois seguiu para a Feira Central de Ceilândia, a 26 quilômetros da capital. Ele reuniu correligionários e candidatos a deputado federal e distrital. No local, reafirmou a proposta de privatizar a Petrobras e as outras empresas públicas e criticou o governo federal.

O presidenciável aproveitou a ocasião para anunciar que vai entrar com uma representação no Conselho Nacional de Políticas sobre Drogas (Conad) contra uma resolução que proibiria a atuação de entidades religiosas na recuperação de dependentes químicos. “É uma atrocidade. É inconstitucional proibir a liberdade de expressão, de culto. Nós vamos entrar com uma representação contra essa resolução se ela for efetivada”, disse. “É mais um absurdo deste governo contra o cidadão brasileiro, a família brasileira, e contra aqueles que contribuem para o bem da família brasileira”, provocou.

Região Nordeste entra no foco de propostas de Aécio Neves
Depois de anunciar ontem o Programa Brasil Acessível, o candidato do PSDB à Presidência da República, senador Aécio Neves, lança hoje, em Salvador, o Programa Nordeste Forte, que prevê medidas para o desenvolvimento da região. Entre os projetos a serem adotados, estão modificações na carga tributária e investimentos em irrigação. O objetivo, segundo o candidato, é dar “um choque de infraestrutura no Brasil”. “Mas vamos, principalmente, estabelecer as vocações específicas de cada uma das nossas microrregiões”, disse.

Quinta-feira, na Paraíba, Aécio prometeu priorizar investimentos no Nordeste. Em crítica ao governo da presidente Dilma Rousseff (PT), o candidato afirmou ser necessário dar condições para que os próprios municípios superem dificuldades. “Porque o Brasil se transformou num Estado unitário hoje. Apenas o governo federal tudo tem. Apenas o governo federal tudo pode e todos dele são dependentes. O nosso governo será o governo da descentralização”, afirmou.

————————————————————————————

Zero Hora

Manchete: Planos dos candidatos para a dívida do Estado

Diante do aperto nas contas em 2015, principais concorrentes ao Piratini apostam na renegociação com a União e querem parte das receitas que ficam em Brasília. (Págs. 1 e Notícias 6 e 7)

Ex-diretor da Petrobras aceita delação premiada

Acordo com procuradores da Operação Lava-Jato será negociado por advogada. (Págs. 1 e Notícias 16)
————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete: BC vê falta de “espírito animal’ nos empresários

Para diretor do Banco Central, pouca disposição de investir trava economia

O diretor de Assuntos Internacionais do BC, Luiz Awazu, disse que a falta de “espírito animal” dos empresários impede um maior crescimento econômico.

Em evento da Fiesp, Awazu citou a expressão cunhada pelo economista John Keynes para descrever a disposição que guia o homem de negócios a empreender.

Para o diretor do BC, cotado para assumir a instituição num eventual segundo mandato da presidente Dilma (PT), as economias estão contidas, apesar de todo o estímulo financeiro ofertado pelos bancos centrais após a crise global de 2008.

Segundo executivos que acompanharam a palestra, as palavras de Awazu soaram como autocrítica dos reguladores e reprimenda ao pessimismo empresarial.

Para empresários, a falta de “espírito animal” no Brasil se explica porque indicadores não apontam para uma aceleração da economia. A maior preocupação é com o real sobrevalorizado, que favorece a importação em vez da produção local.

Em eventos recentes em que representantes do governo buscaram aproximação com industriais, a gestão Dilma foi alvo de críticas e protestos. (Págs. 1 e Mercado 1, B1 e B2)

Gasto de turista brasileiro no exterior é recorde em julho (Págs. 1 e Mercado 2, 1)

Ex-diretor da Petrobras aceita delação premiada

No dia de operações de busca da PF em empresas de uma filha e de um genro, o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa fechou acordo de delação premiada com procuradores que atuam na Operação LavaJato. Costa é acusado de ter superfaturado contratos e embolsado parte do valor que foi pago a mais. (Págs. 1 e Poder 2, 1)

Justiça bloqueia conta de banco dos EUA após pedido de fundo dos Correios (Págs. 1 e Mercado 1, B5)

Fotolegenda: “Tudovia’ 

Corredor, ciclista e mulher com carrinho de bebê dividem com poste e árvores a 1ª ciclovia da gestão Haddad (PT) que também pode ser usada por pedestres. (Págs. 1 e Cotidiano 1, C4)

Governo pediu prótese antes de mulher gravar com Dilma
A agricultora baiana que ganhou dentes novos na véspera de gravar programa eleitoral com a presidente Dilma Rousseff (PT) recebeu o benefício após um pedido direto do governo federal à Prefeitura de Paulo Afonso (BA). A prefeitura, do PDT, disse que Marinalva Gomes Filha, 46, conhecida como dona Nalvinha, recebeu atendimento numa unidade municipal de saúde odontológica, por solicitação do Ministério do Desenvolvimento Social.

Dilma e o ex-presidente Lula foram à cidade do sertão baiano nesta quinta (21) para gravação de imagens para o horário eleitoral –a visita também constava da agenda oficial da petista, conforme a Folha revelou nesta sexta (22). “Essa demanda chegou da assessoria do ministério”, disse à reportagem o secretário da Saúde, Alexei Vinícius. O contato, disse ele, foi feito na segunda (18), por telefone. Após o pedido, a prefeitura mandou buscar Nalvinha na zona rural da cidade e a levou para colocar a prótese.  (Págs. 1 e Poder 1, A4)

Fernando Rodrigues: Doação de dentes carimba em Dilma a marca do atraso

Dona Nalvinha ganhou a prótese um dia antes de Dilma passar em sua casa para gravar um comercial. O assistencialismo é um dos traços mais retrógrados da rudimentar democracia brasileira. Evoca o pior do país. Os dentes novos carimbam na presidente a marca do atraso que o PT já combateu. (Págs. 1 e Opinião A2)

Marina se compromete com fim da reeleição
Candidata do PSB ao Palácio do Planalto, Marina Silva assumiu nesta sexta-feira (22) o compromisso com o fim da reeleição e afirmou que o presidente da República “não deve ser tratado como propriedade de um partido”. As declarações foram feitas em meio à crise que acomete a campanha. Integrantes do PSB estão insatisfeitos com a candidatura da ex-senadora pois acreditam que, caso seja eleita, Marina deixará a legenda em 2015, após a criação de seu partido, a Rede Sustentabilidade.

Aliados da candidata já trataram publicamente sua estada no PSB como “transitória” e Marina deu sinais de que migrará para seu grupo político assim que conseguir o registro na Justiça Eleitoral. Questionada sobre a eventual permanência no PSB, a candidata foi evasiva.

“Me comprometo a governar o Brasil. Não devemos tratar o presidente como propriedade de um partido. A sociedade está dizendo que quer se apropriar da política, e as lideranças políticas têm que entender que o Estado não é um partido e que o governo não é o Estado.”

Redução da meta de inflação afetaria área social, diz presidente
Em um recado aos adversários na corrida pelo Palácio do Planalto, a presidente Dilma Rousseff disse nesta sexta-feira (22) que quem promete reduzir a meta de inflação do governo será obrigado a cortar programas sociais. A inflação acumulada nos últimos 12 meses foi de 6,49% –0,01% atrás do teto da meta. A alta nos preços tem sido um dos principais motivos de críticas ao governo da petista pelo tucano Aécio Neves e por Eduardo Campos (PSB), que morreu em 13 de agosto.

“Quem diz que vai reduzir a meta no dia seguinte vai ter que cortar programas sociais. A equação simplesmente não fecha”, disse Dilma durante visita a Novo Hamburgo (RS).

Agenda de candidata permite fiscalizar obras, diz presidente
A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta sexta-feira (22) que a agenda de candidata vem permitindo a ela “fiscalizar” obras do governo federal pelo país. Dilma foi questionada em Novo Hamburgo (região metropolitana de Porto Alegre) sobre as viagens pelo país para a campanha eleitoral comprometerem o dia a dia da gestão do governo.

Ela respondeu que sua atuação de presidente inclui “olhar obras” e argumentou que agora tem mais tempo porque as inaugurações não são permitidas. Também disse que a “tecnologia” permite múltiplas atividades. “Eu não posso fazer inauguração. Antes, a minha agenda combinava gestão e entregar obras para as pessoas. O que é minha função e meu dever. Agora, eu aproveito esse tempo como candidata para fazer duas coisas: fazer supervisão das obras, fiscalizo obras”, disse.

Aécio diz que não fará ‘cooptação’ de integrantes do PSB insatisfeitos
O senador Aécio Neves (PSDB), candidato à Presidência, disse nesta sexta (22) que não fará “cooptação” de setores ou aliados do PSB insatisfeitos com a escolha de Marina Silva como candidata da sigla. Apesar disso, afirmou que serão “bem-vindos” os que aderirem à sua proposta.

“Tenho o maior respeito pelo PSB. Não vou fazer nenhuma ação junto ao PSB, cooptação de quem quer que seja. Se ao longo da caminhada nossa proposta sensibilizar setores do PSB ou ligados ao PSB, obviamente que serão bem-vindos”, disse ele, durante visita ao centro de reabilitação da ABBR (Associação Brasileira Beneficente de Reabilitação), no Rio.

Chefe do Exército impõe silêncio sobre crimes da ditadura
Ofício assinado pelo general Enzo Peri, comandante do Exército, proíbe que unidades militares deem informações sobre crimes ou violências praticadas em suas dependências durante a ditadura militar (1964-1985). Em documento encaminhado a subordinados em fevereiro, Enzo disse que qualquer informação referente ao tema deveria ser respondido exclusivamente por seu gabinete.

A descoberta do ofício foi do Ministério Público Federal, que o recebeu após ter informações negadas pelo Hospital Central do Exército, conforme informou nesta sexta (22) o jornal “O Globo”.

Delator sugere propina a diretores de fundo da Petrobras
Depoimento prestado por um novo colaborador da Polícia Federal aponta que integrantes do esquema de lavagem de dinheiro desmontado pela Operação Lava Jato podem ter pago propina para captar dinheiro do fundo de pensão da Petrobras. O advogado Carlos Alberto Pereira da Costa, preso durante a operação, se identificou aos policiais como sócio da CSA Project Finance, empresa operada pelo doleiro Alberto Youssef.

Em depoimento à PF no dia 15 de agosto, Costa disse que a CSA intermediou a venda de títulos da Indústria Metais do Vale para a Petros, fundo de pensão da Petrobras. Segundo o advogado, funcionários do fundo receberam propina para facilitar o negócio. O advogado é suspeito de ser um testa de ferro de Youssef no megaesquema de lavagem de dinheiro. E-mails interceptados durante a investigação revelaram que Youssef usou empresas para criar fundos de investimento que receberam dinheiro de fundos de pensão de prefeituras e de empresas estatais, inclusive a Petros.

Outro lado: Petros nega irregularidades em operações
O fundo de pensão da Petrobras informou em nota que não vai se pronunciar porque não teve acesso à investigação. Na nota, a Petros informou que fez operações de crédito privado a partir de 2005, “com o objetivo de financiar empresas menores que tenham boas perspectivas de expansão no mercado”. “Todas as operações são realizadas respeitando-se a legislação vigente, o regulamento do fundo e os preceitos estabelecidos pelas políticas de investimentos da Petros”.

Ex-diretor da Petrobras aceita fazer delação
Após a Polícia Federal fazer operações de busca em empresas de sua filha, o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa aceitou fechar nesta sexta-feira (22) um acordo de delação premiada com procuradores que atuam na Operação Lava Jato para deixar a prisão. Costa é considerado uma bomba política pelos contatos que tinha quando era diretor da Petrobras. Ele foi indicado em 2004 pelo PP, obteve depois o apoio do PT e tinha trânsito no PMDB. Ficou no cargo até 2012.

Ao mesmo tempo, tinha contato com a cúpula das maiores empreiteiras do país. Ele teria dito na prisão que se contasse tudo o que sabe não haveria eleições neste ano.

Barbosa nega descontrole em gastos do CNJ
O ex-presidente do Conselho Nacional de Justiça e agora ministro aposentado Joaquim Barbosa contestou a avaliação de seu sucessor, ministro Ricardo Lewandowski, que considerou elevadas as despesas com diárias e passagens de conselheiros e servidores do órgão em sua gestão. O CNJ faz o controle externo do Judiciário e apura crimes cometidos por juízes.

Presidente em exercício do CNJ, Lewandowski assinou, no último dia 8, uma instrução normativa que fixa regras mais rígidas para a autorização de viagens, com o objetivo de conter o “elevado dispêndio de recursos no exercício financeiro de 2013 e no primeiro semestre de 2014″.

Por meio de ex-assessores, Barbosa argumentou que esse dado isolado não reflete a redução das despesas com viagens ocorrido nos últimos anos. Segundo dados oficiais, os gastos com passagens e diárias nacionais e internacionais em 2013 foram de R$ 3,076 milhões, em comparação com R$ 8,3 milhões em 2011, na gestão do ministro Cezar Peluso (2010/2012).

Falta de ‘espírito animal’ segura o crescimento, diz diretor do BC
Para o diretor de Assuntos Internacionais, Riscos e Regulação do Banco Central, Luiz Awazu Pereira da Silva, o mundo não entrou em rota acelerada de crescimento apesar dos estímulos dos bancos centrais porque os empresários não recuperaram o “espírito animal”. A afirmação, que faz referência ao termo popularizado pelo economista britânico John Maynard Keynes (1883-1946) para descrever o impulso que leva o homem de negócios a empreender, foi feita em evento de associação de empresas transnacionais, nesta sexta (22), em SP.

Segundo Awazu – um dos nomes mais cotados para substituir Alexandre Tombini em um eventual segundo mandato da presidente Dilma –, os BCs foram eficientes ao evitar uma depressão maior da economia usando métodos não convencionais em vez da redução dos juros. Por métodos não convencionais, o diretor do BC se referia às sucessivas injeções maciças de recursos nos EUA, Europa e Japão. Isso, no entanto, não foi suficiente para o crescimento, porque os empresários não reagiram com investimentos.

Deputado propõe criação de Museu Cristão em São Paulo
“Jesus Cristo é o mesmo – hontem, hoje e eternamente.” A grafia de “ontem” com a letra “h” mudou faz tempos. Os evangélicos brasileiros também passaram por várias transformações após a Cruzada Nacional de Evangelização, que juntou centenas de fiéis sob uma lona na avenida Francisco Matarazzo, zona oeste paulistana, em 1953.

Levantado por dois missionários americanos, o “circo gospel” ajudou a renovar o pentecostalismo no país, com louvores à base de guitarra e conceitos como “cura divina”, aquela que promete fazer andar um cadeirante. A foto que captura esse “hontem” compõe o acervo do Museu Cristão Brasileiro.

O projeto deu seu primeiro passo para sair do papel, com o lançamento do “primeiro tijolo simbólico” nesta quarta (20), na Assembleia Legislativa de São Paulo. O primeiro piloto da obra tem 10 mil m² (equivalente ao Masp) e capacidade para 1.500 pessoas. Quatro pilastras gregas sustentam a entrada. No topo, uma cruz. Na fachada, duas Menorás –candelabro judaico comumente visto em igrejas evangélicas como a Universal do Reino de Deus e a Renascer em Cristo. Sobre a porta, a inscrição: “A Deus toda honra e toda glória”.

O deputado estadual Fernando Capez (PSDB-SP), “padrinho” da proposta, diz que correrá atrás de patrocinadores e de recursos da Secretaria da Cultura paulista.

Hamas mata 18 palestinos suspeitos de ajudar Israel

O grupo radical Hamas assassinou em Gaza 18 palestinos suspeitos de abastecer os israelenses com informações sigilosas. Sete deles foram mortos em público.

Em Israel, um menino de quatro anos morreu ao ser atingido por um foguete, perto da fronteira. Segundo o Exército israelense, o ataque veio de Gaza. (Págs. 1 e Mundo 1, A18)

Alexandre Vidal Porto: No Brasil, flagelar o Itamaraty é o tipo de economia que denota miopia política (Págs. 1 e A18)

Editoriais 

Leia “Campanha postiça”, acerca de Brasil artificial mostrado por candidatos, e “Síria sem química”, sobre aniquilação de arsenal de gases do país. (Págs. 1 e Opinião A2)

EBC – CONGRESSOEMFOCO

Edição: Equipe Fenatracoop

Portal Cambé, site de informações e serviços de Cambé – PR.

Responda

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.