Salário inicial na construção já bate o da indústria – US$ 2 bilhões entram ilegalmente no país – Técnicos avaliam áreas de risco com chuva no Sudeste  – Estiagem põe 39 cidades gaúchas em emergência – Em contraste: Enchentes em Minas tiram de casa 10 mil -Presente de Natal: Suplentes com os benefícios de deputados – Importadores vão à Justiça contra selo fiscal no vinho – Dilma reage a ministro que fez uso político de verba antienchente…

O Globo

Manchete: Dilma intervém em pasta que faz uso político de verba contra cheia

Pernambuco, estado do ministro da Integração, foi o que mais ganhou recursos

Para evitar uso político na distribuição de verbas de prevenção contra enchentes, a presidente Dilma Rousseff fez ontem uma intervenção branca no Ministério da Integração Nacional, chefiado pelo pernambucano Fernando Bezerra. Agora, só haverá liberação de recursos com aval da Casa Civil. Em dezembro, o ministério listou 56 cidades do Sul e do Sudeste como prioritárias para receber verbas, mas Pernambuco e Bahia, estado do ex-ministro Geddel Vieira Lima, foram os que mais receberam: R$ 34 milhões e R$ 32 milhões. Só 30% do previsto no Orçamento para prevenir enchentes foram liberados em 2011. Em Minas, a chuva já matou seis pessoas e desalojou 2,1 milhões; 53 municípios decretaram situação de emergência. (Págs. 1 e 3)

Rio: chuva também preocupa no Noroeste

O drama da chuva chegou ao Noroeste Fluminense, onde rios transbordaram e duas pessoas morreram. Uma barreira interditou a Rio-Friburgo e, no Médio Paraíba, uma represa se rompeu. (Págs. 1, 14 e editorial “Catástrofe de 2011 na Serra foi em vão”)

Nos feriados têm de fim de ano, estradas federais menos acidentes e mortes (Págs. 1 e 4)

Com o mau tempo, aeroportos ainda registram atrasos de quase 20% dos voos (Págs. 1 e 4)

Obras mudam o cenário do Sambódromo

Nem só as obras de ampliação do Sambódromo transformam a paisagem da Cidade Nova. Secretaria de Segurança, ONS, Petrobras e Cedae estão erguendo prédios novos e revitalizando o epicentro do carnaval carioca. (Págs. 1 e 10)

Pacote agora é para atrair mais turistas

Prestes a sediar os principais eventos esportivos do mundo, Copa e Olimpíadas, o governo brasileiro prepara pacote para atrair mais turistas. Entre as medidas estão redução de taxas aeroportuárias e corte de impostos. (Págs. 1 e 15)

Acre recebe ajuda federal para haitianos

O governo do Acre recebeu oito toneladas da Conab para alimentar 1.250 haitianos em Brasileia, mas a ajuda federal só dará para oito dias. Na cidade, há mais haitianos do que soldados brasileiros no Haiti. (Págs. 1 e 9)

Viúva de governador argentino: ‘Eu não queria matá-lo’ (Págs. 1 e 21)

NOTAS

Dilma intervém em pasta que faz uso político de verba contra cheia

Para evitar uso político na distribuição de verbas de prevenção contra enchentes, a presidente Dilma Rousseff fez ontem uma intervenção branca no Ministério da Integração Nacional, chefiado pelo pernambucano Fernando Bezerra. Agora, só haverá liberação de recursos com aval da Casa Civil. Em dezembro, o ministério listou 56 cidades do Sul e do Sudeste como prioritárias para receber verbas, mas Pernambuco e Bahia, estado do ex-ministro Geddel Vieira Lima, foram os que mais receberam: R$ 34 milhões e R$ 32 milhões. Só 30% do previsto no Orçamento para prevenir enchentes foram liberados em 2011. Em Minas, a chuva já matou seis pessoas e desalojou 2,1 milhões; 53 municípios decretaram situação de emergência.

Rio: chuva também preocupa no Noroeste

O drama da chuva chegou ao Noroeste Fluminense, onde rios transbordaram e duas pessoas morreram. Uma barreira interditou a Rio-Friburgo e, no Médio Paraíba, uma represa se rompeu.

Obras mudam o cenário do Sambódromo

Nem só as obras de ampliação do Sambódromo transformam a paisagem da Cidade Nova. Secretaria de Segurança, ONS, Petrobras e Cedae estão erguendo prédios novos e revitalizando o epicentro do carnaval carioca.

Pacote agora é para atrair mais turistas

Prestes a sediar os principais eventos esportivos do mundo, Copa e Olimpíadas, o governo brasileiro prepara pacote para atrair mais turistas. Entre as medidas estão redução de taxas aeroportuárias e corte de impostos.

Acre recebe ajuda federal para haitianos

O governo do Acre recebeu oito toneladas da Conab para alimentar 1.250 haitianos em Brasileia, mas a ajuda federal só dará para oito dias. Na cidade, há mais haitianos do que soldados brasileiros no Haiti.

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete: Dilma reage a ministro que fez uso político de verba antienchente

Presidente manda fixar critérios técnicos para distribuir recursos depois de o ‘Estado’ revelar que Pernambuco, reduto de Fernando Bezerra, foi privilegiado

A presidente Dilma Rousseff ordenou ontem a adoção de critérios técnicos na distribuição de recursos do Ministério da Integração para o combate a enchente, no dia em que o Estado revelou que 90% dessa verba estava sendo canalizada para Pernambuco, Estado de origem do ministro Fernando Bezerra Coelho. A pedido de Dilma, a ministra Gleisi Hoffman (Casa Civil) interrompeu suas férias no Paraná para convocar a reunião com técnicos do ministério e da Defesa Civil. Dilma não procurou Bezerra, que vai suspender as férias e deve se pronunciar hoje. Até expoentes do PT pernambucano avaliam que o ministro exagerou na politização do uso das verbas antienchente. (Págs. 1 e Nacional, A4)

Chuva mata em Minas Gerais

As chuvas das últimas semanas deixaram 53 cidades em situação de emergência em MG. No total, 109 municípios foram atingidos e seis pessoas morreram. Ontem, deslizamento em Ouro Preto matou um taxista. (Págs. 1 e Cidades, C1)

Imóveis sobem 26% em 2011, mas ritmo de alta é menor

O preço dos imóveis residenciais subiram em média 26% em 2011, mas o ritmo de alta é cadente desde maio, segundo o índice FipeZap, que acompanha o valor médio do metro quarado de apartamentos prontos em seis capitais (São Paulo, Rio, Belo Horizonte, Recife, Salvador e Fortaleza) e no Distrito Federal. Em dezembro, a alta de 1,1%, a menor do ano, após pico de 2,7% em abril. A atividade econômica mais fraca no segundo semestre ajuda a explicar a evolução dos preços. (Págs. 1 e Economia, B1)

PM ocupa cracolândia e fará vigilância 24 horas

A Polícia Militar ocupou ontem a cracolândia, no centro de São Paulo. Pelo menos até o final de janeiro, cem policiais e 30 guardas-civis metropolitanos permanecerão nas ruas tomadas por traficantes e usuários de crack. O objetivo é combater o narcotráfico e permitir a ação de agentes comunitários. A migração para outras ruas do centro foi imediata – até áreas comerciais, como a Santa Efigênia, foram tomadas por drogados. (Págs. 1 e Cidades, C3)

A presença da polícia na região é positiva?

SIM
Antônio Carlos Malheiros, coordenador da Vara da Infância e Juventude, diz que esse tipo de operação, “desde que não seja contra o usuário de drogas, mas contra o traficante”, pode ajudar. A PM será útil, em sua opinião, para facilitar o trabalho de quem cuida dessa população.

NÃO
Guaracy Mingardi, doutor em ciência política pela USP, concorda que é preciso fazer algo em relação à cracolândia, mas diz que ações como essa só ampliam o espaço de uso dos viciados. Para ele, “a repressão ao usuário é perfumaria”, com o objetivo de “esconder as pessoas”.
Exército do Irã ameaça porta-aviões dos EUA (Págs. 1 e Internacional, A12)

Dora Kramer

Saldo devedor

Cada um dos Poderes da República ficou devendo a sua parte em 2011. E, com muitas questões em suspenso, 2012 abre a conta no vermelho. (Págs. 1 e Nacional, A8)

Rolf Kuntz

Pacote não é política

Pacotes e medidas provisórias podem ser bons para emergências. Mas objetivos permanentes e de longo prazo são alcançados por meio de políticas. (Págs. 1 e Economia, B4)

Roberto Damatta

Ano-novo, velhos hábitos

Chega o ano-novo, mas os nossos grandes problemas estão nos velhos hábitos situados naquela zona malandra centrada entre o Estado e a sociedade. (Págs. 1 e Caderno 2, D8)

Notas & Informações

Um sopro de otimismo

O ano começou com boas notícias e algum otimismo nos principais mercados. (Págs. 1 e A3)

NOTAS

Dilma reage a ministro que fez uso político de verba antienchente

Insatisfeita com a canalização de verbas federais quase que exclusivamente para Pernambuco, Estado de origem do ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho (PSB), a presidente Dilma Rousseff interveio e ordenou a adoção de critérios técnicos na distribuição de recursos da pasta para combate e prevenção de desastres naturais – enchentes e desmoronamentos.

A medida foi tomada após o Estado revelar que cerca de 90% das verbas antienchente da Integração foram aplicadas em Pernambuco, a despeito dos estragos provocados pelo verão chuvoso em outros Estados. Em reunião convocada às pressas ontem, a ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffman, que interrompeu a semana de férias no Paraná, a pedido da presidente, voltou ao Palácio do Planalto para tratar da questão com técnicos do ministério e da Defesa Civil.

Dilma conversou por telefone com Gleisi logo cedo, mostrando-se preocupada com as chuvas e com a ação do governo. Àquela altura a presidente já havia telefonado a Antonio Anastasia (PSDB), governador de Minas Gerais, onde há 52 municípios em situação de emergência.

Oposição quer que Bezerra se explique ainda durante recesso

A oposição decidiu acionar a Comissão Representativa do Congresso, que funciona durante o recesso parlamentar, para cobrar explicações do ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, sobre a destinação de 90% dos recursos voltados à prevenção de desastres naturais a Pernambuco. O líder do PPS, deputado Rubens Bueno (PR), anunciou que já prepara requerimento de informações. “Ele precisa explicar a lógica da divisão desse dinheiro. Tudo isso é suspeito”, afirmou.

Governador diz que presidente quis ajudar PE

O governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), saiu em defesa de seu afilhado e correligionário, o ministro Fernando Bezerra, e negou que ele tenha privilegiado o Estado no repasse de verbas para prevenção de desastres naturais. Segundo ele, do total de recursos liberados pela pasta em 2011, R$ 25 milhões foram definidos e acordados com a presidente Dilma Rousseff.

Chuva mata em Minas Gerais

As chuvas das últimas semanas deixaram 53 cidades em situação de emergência em MG. No total, 109 municípios foram atingidos e seis pessoas morreram. Ontem, deslizamento em Ouro Preto matou um taxista.

Imóveis sobem 26% em 2011, mas ritmo de alta é menor

O preço dos imóveis residenciais subiram em média 26% em 2011, mas o ritmo de alta é cadente desde maio, segundo o índice FipeZap, que acompanha o valor médio do metro quarado de apartamentos prontos em seis capitais (São Paulo, Rio, Belo Horizonte, Recife, Salvador e Fortaleza) e no Distrito Federal. Em dezembro, a alta de 1,1%, a menor do ano, após pico de 2,7% em abril. A atividade econômica mais fraca no segundo semestre ajuda a explicar a evolução dos preços.

PM ocupa cracolândia e fará vigilância 24 horas

A Polícia Militar ocupou ontem a cracolândia, no centro de São Paulo. Pelo menos até o final de janeiro, cem policiais e 30 guardas-civis metropolitanos permanecerão nas ruas tomadas por traficantes e usuários de crack. O objetivo é combater o narcotráfico e permitir a ação de agentes comunitários. A migração para outras ruas do centro foi imediata – até áreas comerciais, como a Santa Efigênia, foram tomadas por drogados.

A presença da polícia na região é positiva?

SIM
Antônio Carlos Malheiros, coordenador da Vara da Infância e Juventude, diz que esse tipo de operação, “desde que não seja contra o usuário de drogas, mas contra o traficante”, pode ajudar. A PM será útil, em sua opinião, para facilitar o trabalho de quem cuida dessa população.

NÃO
Guaracy Mingardi, doutor em ciência política pela USP, concorda que é preciso fazer algo em relação à cracolândia, mas diz que ações como essa só ampliam o espaço de uso dos viciados. Para ele, “a repressão ao usuário é perfumaria”, com o objetivo de “esconder as pessoas”.

————————————————————————————

Correio Braziliense

Manchete: Idosos se libertam da ditadura do INSS

Cada vez mais, brasileiros recorrem à previdência privada para não depender só da aposentadoria oficial na velhice. (Págs. 1 e 8)

Brasília, um patrimônio da humanidade sob ameaça

Marco do urbanismo e da arquitetura, a capital brasileira foi o primeiro monumento moderno a ser reconhecido pela Unesco como patrimônio da humanidade. Mas, devido ao descaso, com as regras de preservação, a cidade corre o risco de engrossar a lista dos sítios ameaçados de perder esse título. Encarregados de fiscalizar o tombamento visitam Brasília até o início do mês que vem. Rosina Parchen, presidente do conselho ligado à Unesco, alerta: “É o patrimônio em situação mais difícil”. (Págs. 1 e 18)

Seis problemas na mira da Unesco:

1. Construções com mais de dois andares na Vila Planalto

2. Transformação da Quadra 901 Norte em setor hoteleiro

3. Puxadinhos de bares e restaurantes no Plano Piloto

4. Falta de regras para expansão fora da área de tombamento

5. Invasão de prédios na orla do lago, em vez de áreas de lazer

6. Intervenções urbanísticas no perímetro do tombamento

Chuva encerra férias de Dilma e ministros

Preocupada com os estragos em Minas e no Rio, a presidente Dilma vai reduzir o recesso e voltar a Brasília. Gleisi Hoffmann, da Casa Civil, e Fernando Bezerra, da Integração Nacional, também retornam ao trabalho. (Págs. 1, 6 e Visão do Correio, 12)

A boquinha dos suplentes

De olho nas mordomias da Câmara, quatro deputados “reservas” e um titular assumiram os cargos em dezembro. E saem com os bolsos cheios: ganham R$ 26,7 mil da ajuda de custo e o salário de janeiro. (Págs. 1 e 2)

30 vagas: Itamaraty abre novo concurso

A seleção será para diplomatas, com organização do Cespe. Como no último certame, haverá reserva de vagas na primeira fase para candidatos afrodescendentes. O salário é de R$ 12.962. (Págs. 1 e 9)

————————————————————————————

Valor Econômico

Manchete: Infraestrutura ampliará o investimento da indústria

A decisão do governo federal de acelerar o ritmo das obras públicas em 2012 e os projetos de infraestrutura relacionados com a Copa do Mundo e Olimpíada levam uma parte expressiva da indústria a planejar aumento ou manutenção dos investimentos neste ano. Oito de nove setores consultados pelo Valor – que representam 50% do valor da produção da indústria de transformação – indicaram essa intenção mesmo após a desaceleração da atividade fabril ao longo de 2011.

No ano passado, informam os empresários, a concorrência dos importados e a própria desaceleração da economia doméstica fizeram com que parte dos investimentos programados fossem postergados. Isso aconteceu no setor de máquinas e equipamentos, que agora prevê uma recuperação dos desembolsos destinados a ampliar a capacidade produtiva. A projeção, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), está ancorada na demanda que será gerada pelos projetos de infraestrutura. Outros setores que prevêem mais investimento são os fabricantes de químicos, eletroeletrônicos, automóveis, autopeças e material de construção. (Págs. 1, A3 e A5)

País capta com a menor taxa da história

O Brasil, por meio do Tesouro Nacional, realizou ontem a primeira operação em dólares do mercado internacional do ano, com a reabertura do bônus de 10 anos, o Global 2021, e pagou a menor taxa da história (3,449% ao ano), captando US$ 750 milhões. O prêmio da emissão, porém, ficou um pouco superior ao da reabertura anterior do mesmo papel. Em julho de 2011, foram captados US$ 550 milhões com esse bônus, com um “spread” sobre o título americano de 105 pontos básicos. Ontem, o prêmio foi de 150 pontos. A explicação é que hoje os prêmios de risco estão altos para todos os países e os títulos do governo americano estão em patamares muito baixos. Além disso, o Brasil tem conseguido as melhores taxas entre os emergentes. (Págs. 1 e C1)

Pessoa física tira R$ 7,8 bi da Bovespa

Pelo terceiro ano consecutivo, os investidores pessoas físicas tiraram mais dinheiro da Bovespa do que aplicaram. No ano passado, o saldo líquido (compras menos vendas) da pessoa física encerrou negativo em R$ 7,8 bilhões. Com isso, nos últimos três anos o total de recursos retirados pelos pequenos investidores da bolsa soma R$ 25,2 bilhões. O número de pessoas físicas na bolsa cresceu muito em 2006 e 2007, auge das aberturas de capital. O mercado vivia uma fase de liquidez farta e era comum uma empresa abrir capital e sua ação se valorizar já no primeiro dia de pregão. “Isso atraiu muitos investidores oportunistas, que ganhavam dinheiro comprando qualquer coisa”, diz Paulo Levy, diretor do home broker da Icap. Agora, “o que se vê são muitos desses investidores deixando o mercado acionário”. (Págs. 1 e D2)

Importadores vão à Justiça contra selo fiscal no vinho

Vinícolas brasileiras, importadoras de vinhos e supermercados travam uma batalha sobre a aplicação do selo fiscal em todos os vinhos e espumantes vendidos no país, tornada obrigatória desde o dia 1º. A exigência não é válida só para produtos adquiridos pelo comércio até 31 de dezembro de 2010. A Abba, que reúne 130 importadoras, obteve mandado de segurança no Tribunal Regional Federal de Brasília desobrigando seus associados de estamparem o selo de controle fiscal em suas mercadorias e pretende levar a disputa até o Supremo Tribunal Federal.

Os produtores brasileiros pretendem colocar um pequeno exército nas ruas para ajudar a Receita a fiscalizar a aplicação do selo e consideram a medida um passo importante no combate ao contrabando e à comercialização ilegal de produtos brasileiros. Segundo eles, mais de 15 milhões de litros de vinhos e espumantes entram irregularmente no país por ano – o mercado legal é de cerca de 100 milhões de litros. (Págs. 1 e B4)

Salário inicial na construção já bate o da indústria

O salário de admissão na construção civil já é hoje mais alto que o da indústria, serviços, comércio e agropecuária. A reviravolta se deve ao grande déficit de mão de obra no setor. De janeiro a outubro, o salário médio do profissional que ingressa na construção foi 5,46% maior que o pago, nas mesmas condições, na indústria de transformação, segundo o Ministério do Trabalho. Foram criadas cerca de 250 mil vagas até outubro do ano passado no setor, que, sozinho, representa 5,1% do PIB. (Págs. 1 e A2)

Mais gastos públicos, a aposta do presidente Hugo Chávez para se reeleger de novo (Págs. 1 e A9)

G-7 e Brics têm dívidas de US$ 7,6 tri que vencem em 2012 (Págs. 1 e C1)

Déficit de empregos no mundo

A ONU estima que 2011 terminou com déficit de 64 milhões de empregos globalmente. Esse é o numero de empregos necessários para restaurar o nível de antes da crise e absorver as pessoas que entram no mercado de trabalho. (Págs. 1 e A9)

Alerta sobre aftosa

O Ministério da Agricultura do Brasil divulgou nota garantindo que tomará todas as medidas necessárias para salvaguardar a fronteira do Brasil com o Paraguai, onde foi confirmado novo surto de aftosa. (Págs. 1 e B10)

Preços menores do cacau

Os produtores brasileiros estão vendendo o cacau a preços abaixo dos custos de produção, o que não ocorria desde 2008. As cotações internacionais vêm recuando desde outubro passado. (Págs. 1 e B10)

Preços agrícolas em baixa

A desaceleração da economia vai derrubar os preços das commodities agrícolas em 2012, mas essa queda não será drástica no curto prazo, disse ontem José Graziano da Silva, dois dias depois de assumir o cargo de diretor-geral da FAO. (Págs. 1 e B10)

€ 14,8 bi para bancos europeus

Bancos da zona do euro começaram o ano pegando € 14,8 bilhões de empréstimos de emergência junto ao Banco Central Europeu, ilustrando o problema de funding no sistema bancário do bloco. (Págs. 1 e C2)

Inflação nos balanços

Representantes de países latino-americanos defenderam mudanças nas regras contábeis mundiais em reunião no Conselho de Normas Internacionais de Contabilidade. A maior preocupação é o efeito da inflação nos balanços. (Págs. 1 e D1)

Investimento em treinamento

Mesmo com o menor ritmo de contratações por conta da crise, as empresas de mineração e siderurgia estão investindo pesado na formação de profissionais especializados. Somente a Vale recrutou de janeiro a outubro 19 mil trabalhadores. (Págs. 1 e D8)

Ideias: Daniel Rittner

O “modelo K”, política econômica do kirchnerismo que tirou a Argentina do calvário, já não é mais o mesmo. (Págs. 1 e A2)

Ideias: Martin Wolf

O grande perigo para as economias mais fracas da UE é que os setores público e privado cortarão despesas simultaneamente. (Págs. 1 e A11)

————————————————————————————

Estado de Minas

Manchete: Não faltou aviso

Deslizamento de encosta sobre a rodoviária de Ouro Preto mata taxista e outro está desaparecido

Mapeamento geológico entregue à prefeitura em dezembro havia alertado para o risco no local. O estudo da UFOP mostra que 60% do solo urbano da cidade é instável e sujeito a mais tragédias.

Bombeiros seguiram trabalhando até a noite de ontem em busca do corpo do segundo taxista que, conforme testemunhas, ficou sob os escombros. O desmoronamento fechou o principal acesso a Ouro Preto.
No outro lado do morro que desabou, dezenas de famílias deixaram suas casas às pressas.

A chuva inundou várias outras cidades da Região Central e Zona da Mata, como Muriaé, Ubá, Conselheiro Lafaiete, Congonhas, Jeceaba e Dona Euzébia, algumas delas vivendo a pior enchente da história. Em Guidoval, um homem foi arrastado pela enxurrada e estava desaparecido.

Alagamento interditou a BR-040 por mais de 12 horas nos dois sentidos em Congonhas, causando imensos engarrafamentos. Desmoronamento também fechou a BR-356 entre Itabirito e Ouro Preto.

Em BH, deslizamento de terra na cabeceira do Viaduto São Francisco, que já fechou duas das três pistas do Anel Rodoviário, será avaliado hoje e pode levar à interdição da via por pelo menos um mês.

Em Minas:
5 mortos desde o começo das chuvas
53 cidades em estado de emergência
9 mil pessoas tiveram de sair de casa

Foto-legenda: Toneladas de terra desceram sobre a rodoviária de Ouro Preto.

Foto-legenda: Em Divinópolis, o Rio Itapecerica subiu mais de 7 metros e inundou boa parte da cidade
(Págs. 1, 17 a 20 e editorial “Lições da tragédia”, 8)

Presente de Natal: Suplentes com os benefícios de deputados

Manobra de parlamentares às vésperas do recesso na Câmara dos Deputados garantiu salário e adicionais a quatro substitutos. Os novatos trabalharam no máximo cinco dias antes das férias, mas foi o suficiente para assegurar até o recebimento da ajuda de custo de R$ 26,7 mil, equivalente a um 13º. (Págs. 1 e 3)

Ciência: Patrimônios naturais da humanidade em perigo (Págs. 1 e 16)

UFMG: Engarrafamentos atrasam segunda fase do vestibular

Retenções no trânsito fizeram provas começar mais tarde, mas clima foi de tranquilidade nas salas. (Págs. 1 e 2)

Inflação: Índice de 2011 na capital é maior em sete anos (Págs. 1 e 11)

————————————————————————————

Jornal do Commercio

Manchete: Guerra na porta do paraíso

Protesto na entrada de Porto de Galinhas, contra aterros na comunidade do Alto da Bela Vista, fechou o trânsito por nove horas para quem tentou entrar ou sair do balneário ou chegar nas indústrias de Suape. A PM foi chamada e houve confronto. (Págs. 1 e Cidades, 1)

Novo plano de combate aos homicídios (Pág. 1)

Intervenção branca na pasta da Integração

Dilma condiciona verbas a aval da Casa Civil, após Bezerra Coelho ser acusado de favorecer Pernambuco. Eduardo Campos diz que ministro cumpriu ordens da presidente. (Págs. 1, 3 e 4)

Técnicos avaliam áreas de risco com chuva no Sudeste (Págs. 1 e 6)

————————————————————————————

Zero Hora

Manchete: Estiagem põe 39 cidades gaúchas em emergência

No Estado, conforme a Defesa Civil, passa de 235 mil o número de moradores atingidos pela falta de chuva, que também castiga o oeste catarinense. (Págs. 1, 22 e 27)

Umidade do ar cai a nível comparável ao de deserto (Pág. 1)

Em contraste: Enchentes em Minas tiram de casa 10 mil

Chuva no Sudeste reaviva o terror das cheias dos janeiros passados. (Págs. 1 e 23)

Ato polêmico: Libertação de modelo e político abre debate

Juiz que revogou prisões diz a ZH por que tomou a decisão, que desagradou a familiares de vítimas e promotora. (Págs. 1, 4 e 5)

Prévias: Um nome para desafiar Obama

Mitt Romney testa seu favoritismo no Partido Republicano. (Págs. 1 e 20)

Aftosa

Estado reforça barreiras na fronteira. (Págs. 1 e 14)
————————————————————————————

Brasil Econômico

Manchete: Metade das empresas brasileiras planeja comprar seu concorrente

Para 46% das companhias do país, fusões e aquisições são os caminhos preferidos para ingressar em novos mercados, ter acesso a tecnologias inovadoras e reduzir custos operacionais, revela pesquisa da Grand Thornton divulgada com exclusividade pelo Brasil Econômico. (Págs. 1 e 4)

MAN prepara chegada de seu extrapesado

Há nove anos na liderança do mercado de caminhões, companhia presidida por Roberto Cortes lança novo caminhão e quer crescer de 1 a 2 pontos percentuais em 2012. (Págs. 1 e 16)

Começa a corrida eleitoral nos EUA

Estado de Iowa deu a largada ontem para a escolha do pré-candidato republicano à Casa Branca. Democratas iniciam movimento pela reeleição de Obama. (Págs. 1 e 37)

Gol tem passagens mais caras que TAM

Apesar de se posicionar como empresa de baixo custo e focar no público de menor renda, Gol tem passagens 6% mais caras, na média, que a concorrente. (Págs. 1 e 18)

Marcas brasileiras viraram raridade

Ao anunciar sua volta ao mercado, a Gradiente tenta, mais uma vez, recuperar o terreno dos eletroeletrônicos hoje dominado pelas multinacionais coreanas. (Págs. 1 e 17)

US$ 2 bilhões entram ilegalmente no país

Mesmo com a abertura do mercado de câmbio nos últimos anos,
“doleiros” continuam atuando. Metade das movimentações não supera o valor de R$ 10 mil. (Págs. 1 e 10)

Ações de 3 empresas iniciam ano no topo

Ambev, Eletropaulo e Klabin atingiram em apenas dois pregões de 2012 o ‘topo histórico’, o maior valor para os papéis desde que são negociados na BM&FBovespa. (Págs. 1 e 30)

Comida mais barata?

Novo diretor-geral da FAO, o brasileiro José Graziano da Silva diz que preços de alimentos não vão disparar. (Págs. 1 e 36)

Jogos de Guerra

Exército brasileiro vai investir R$ 5 milhões para ter a primeira versão nacional de simuladores bélicos. (Págs. 1 e 24)

Clipping Radiobrás

Edição: Equipe Fenatracoop

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.