Governo vai usar telefone celular até para pagar Bolsa Família e INSS – Soja deve frear avanço da economia gaúcha – Dia decisivo: STF vota hoje aborto de anencéfalo – Súmula contra a guerra fiscal – Ferrovia Oeste-Leste se arrasta – Caminhões chineses em SC – Brasileiro prefere poupança e capitalização – Estados não aceitam Selic para dívidas…

O Globo

Manchete: Congresso enfim vai criar CPI para Cachoeira e Demóstenes

Acéfalo há meses, Conselho de Ética do Senado volta a ter presidente

Depois de mais de um mês de denúncias praticamente diárias sobre as relações do bicheiro Carlinhos Cachoeira com políticos de vários partidos, o Congresso, sob pressão da opinião pública, finalmente tomou ontem duas iniciativas para investigar o caso. Parlamentares da oposição e da base concordaram, em movimento inédito e coordenado, em criar uma CPI Mista. Ao mesmo tempo, o Senado enfim definiu um nome para a presidência do Conselho de Ética. Será o senador Antonio Carlos Valadares (PSB-SE). O posto caberia ao PMDB, que tem a maior bancada da Casa, mas desde setembro nenhum parlamentar do partido aceita a tarefa de comandar processos que podem levar à cassação de colegas. Valadares foi empossado interinamente e, de imediato, acatou o pedido do PSOL para investigar Demóstenes Torres (sem partido-GO), o principal político atingido pelas gravações da Polícia Federal. (Págs. 1, 3 a 10 e Roberto DaMatta)

Fotolegenda: Regra três

Líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros conversa com Antonio Carlos Valadares, do PSB, escolhido para presidir o Conselho de Ética, na falta de um peemedebista interessado. (Págs. 1 e 13)

TRT do Rio investigará dono de R$ 282 milhões

O Tribunal Regional do Trabalho do Rio abriu investigação contra o servidor Rogério Figueiredo Vieira, apontado pelo Coaf como responsável por movimentações atípicas de R$ 282,9 milhões em 2002. O TRT constatou que Vieira era sócio de empresas privadas – o que é proibido ao servidor público – e que ele prestou declaração falsa para ter vantagens pessoais. (Págs. 1 e 13)

Rede envolvia gabinete de governo do PT no DF

Chefe de gabinete do governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), Claudio Monteiro pediu demissão ontem, após a divulgação de conversas em que integrantes do esquema de Carlinhos Cachoeira discutem o pagamento de propina para ele e para Marcelo Lopes, ex-assessor da Casa Militar, em troca de nomeações para o Serviço de Limpeza Urbana. (Págs. 1, 4 e Merval Pereira)

Governo não aceita exigência de bancos

A primeira tentativa de um acordo para reduzir spreads bancários – diferença entre o custo de captação e as taxas cobradas nos empréstimos – acabou em impasse. Entre as medidas sugeridas pelos banqueiros ao governo está o corte de impostos (IOF e Cofins), mas a Fazenda não está disposta a abrir mão desses recursos. (Págs. 1 e 21)

Barreira à China agora é oficial

Autopeças, brinquedos, cadeirinhas e carrinhos para bebês e até celulares importados serão inspecionados em portos e aeroportos para impedir a entrada de produtos fora das regras do Inmetro. O alvo são os chineses. (Págs. 1 e 25)

Rio tem 11 cracolândias e 3 mil viciados

O Rio tem 11 cracolândias e 6 áreas com pontos itinerantes de consumo, segundo mapeamento da prefeitura feito a pedido do GLOBO. São três mil usuários – 20% menores. O combate ao problema consome R$ 2 milhões por mês. (Págs. 1 e 14)

Acusados na Unirio somem e não depõem

Os cinco estudantes matriculados irregularmente na Escola de Medicina e Cirurgia da Unirio não compareceram para depor na comissão de sindicância que apura o caso. Caberá à Polícia Federal intimá-los. (Págs. 1 e 19)

Gordos já são metade dos brasileiros

Praticamente a metade da população do país (48,5%) está acima do peso, segundo estudo do Ministério da Saúde divulgado ontem. O percentual de obesos vem aumentando. De 11% em 2006 para 16% no ano passado. (Págs. 1 e 32)

Fotolegenda: Popularidade

Neymar chega à Câmara dos Deputados e enfrenta barreira de seguranças e adolescentes em busca de autógrafos. O craque foi a atração na homenagem aos 100 anos do Santos. (Págs. 1 e Caderno Esportes)

EUA: Santorum sai e deixa Romney na disputa com Obama

O ex-senador republicano Rick Santorum anunciou o fim de sua candidatura à Presidência dos EUA, abrindo o caminho para tornar o rival, Mitt Romney, a escolha inevitável do partido para enfrentar o presidente Barack Obama nas eleições de novembro. Mas Santorum não endossou a campanha de Romney. (Págs. 1 e 29)

Síria mata 52 no dia em que tropas sairiam

Bombardeios e 52 mortes sinalizaram que governo Assad ignora o cessar-fogo proposto pela ONU. No Egito, Assembleia Constituinte teve seu trabalho suspenso por um tribunal do Cairo. (Págs. 1 e 30)

Elio Gaspari

Por que o Brasil não tem movimento renovador como o que criou, nos EUA, a universidade de Harvard e o MIT? (Págs. 1 e 6)

Nos EUA, Dilma sela parceria tecnológica entre o MIT e o ITA (Págs. 1 e 23)

Míriam Leitão

Os EUA ainda não entenderam a nossa importância, e nós continuamos achando que temos de provar independência. (Págs. 1 e 22)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete: Acordo no Congresso vai permitir CPI do Cachoeira

Governistas e opositores dizem apoiar a investigação sobre as ligações políticas do contraventor

Um acordo entre Senado e Câmara permitirá a abertura de CPI mista para investigar as ligações políticas do contraventor goiano Carlinhos Cachoeira. Governistas e opositores expressaram apoio. “Temos interesse em apurar tudo”, disse o líder do PT no Senado, Walter Pinheiro (BA). “Estaremos firmes na defesa da investigação”, afirmou a presidente do PSDB, deputado Sérgio Guerra (PE). Além da CPI, o Senado deu o primeiro passo no processo de cassação de Demóstenes Torres (sem partido), acusado de elo com Cachoeira. O presidente do Conselho de Ética da Casa, Antonio Carlos Valadares (PSB-SE), acolheu a pedido do PSOL, apresentado há 13 dias. (Págs. 1 e Nacional A4 e A8)

Grampo também envolve Protógenes

Autor de requerimento para a CPI do Cachoeira, o deputado Protógenes Queiroz (PCdoB-SP) foi flagrado por escuta em conversas com Idalberto Matias Araújo, integrante do esquema do contraventor goiano. Protógenes parece orientá-lo sobre como se comportar em juízo. (Págs. 1 e Nacional A4)

Dilma cobra Obama sobre Embraer

A presidente Dilma Rousseff queixou-se a seu colega Barack Obama sobre a recente decisão dos EUA de cancelar a compra de aviões da Embraer. Para ela, houve “quebra de contrato” e, dessa maneira, é difícil aceitar a oferta da Boeing para renovar a frota da FAB. (Págs. 1 e Nacional A8)

Governo quer acordo para baratear luz

O governo federal está disposto a baixar o preço da energia elétrica, abrindo mão de parte dos tributos federais que incidem sobre a conta, mas quer dividir com os Estados o prejuízo – os governadores terão de reduzir o ICMS, que é o que tem mais peso no valor final. (Págs. 1 e Economia B1)

Neymar leva a Câmara ao delírio

Neymar bate bola com Marco Maia (PT-RS), presidente da Câmara, em evento pelo centenário do Santos. Os 600 presentes no plenário, inclusive o ministro do STF Gilmar Mendes, tietaram o craque e outras estrelas santistas. (Págs. 1 e Esportes E4)

STF julga se é crime aborto de feto sem cérebro

Ao final de quase oito anos de discussão, o Supremo Tribunal Federal (STF) começa hoje o julgamento que definirá se grávidas de fetos sem cérebro podem abortar sem que a prática configure um crime. A tendência é que a interrupção da gravidez seja autorizada nesses casos. Durante a discussão, que pode se estender até amanhã, ministros ressaltarão que uma decisão favorável não é um primeiro passo para a descriminalização total do aborto. (Págs. 1 e Vida A14 e A15)

Quase metade dos brasileiros está acima do peso

Pesquisa do Ministério da Saúde mostra que 49% da população está acima do peso. Entre 2006 e 2011 o número de pessoas com sobrepeso subiu em media 1 ponto porcentual por ano. O índice de obesos chega a 15,8%. A pasta admite dificuldade em conter a alta. (Págs. 1 e Vida A16)
CET testa multa por velocidade média (Págs. 1 e Cidades C1)

Santorum desiste e abre caminho para Romney (Págs. 1 e Internacional A10)

Eliana Cardoso

Pizza com abacaxi

É um erro expandir as operações dos bancos públicos valendo-se da garantia de que eles não podem quebrar contando com o respaldo do Tesouro. (Págs. 1 e Espaço Aberto A2)

Dora Kramer

Muito além do PSD

O que está em jogo na Justiça Eleitoral é mais que a circunstância de um partido. É o destino do princípio geral da fidelidade partidária. (Págs. 1 e Nacional A6)

Roberto DaMatta

Enigmas?

É impossível deter as Cachoeiras de desejos, sobretudo quando são proibidos por lei, mas aceitos placidamente pelos costumes da terra. (Págs. 1 e Caderno 2, D12)

Notas & Informações

Diplomacia da cachaça

O reconhecimento da cachaça foi o evento mais notável da visita da presidente Dilma aos EUA. (Págs. 1 e A3)

————————————————————————————

Correio Braziliense

Manchete: Senado e Câmara vão criar CPI do Cachoeira

Chefe de gabinete de Agnelo pede licença do cargo para se defender de acusação

Marcada para a sexta-feira, a abertura de uma CPI mista para investigar as relações do bicheiro Carlinhos Cachoeira com parlamentares foi acertada ontem entre os presidentes do Senado e da Câmara. Além disso, senadores decidiram iniciar processo, na Comissão de Ética, para a cassação de Demóstenes Torres (GO). Sem partido, ele terá 10 dias úteis para responder às acusações de envolvimento com o esquema criminoso do contraventor. À noite, logo depois da divulgação de gravações nas quais Cachoeira e um assessor acertam o pagamento de mesada a Cláudio Monteiro, o chefe de gabinete do governador Agnelo Queiroz se afastou do cargo e prometeu se defender das suspeitas. (Págs. 1 e 3 a 6)

E agora, coronel?

Logo após tomar posse no comando da PM, Suany Santana promete gratificação a chefes de batalhões, mas é obrigado a recuar. Pai de jovem morto na 413 Norte convoca para protesto hoje: “Que a morte do nosso filho sirva como um alerta”. (Págs. 1, 21 e 22)

O dia em que Neymar parou o Congresso

A marcação dos fãs e dos políticos era cerrada. Mas o craque, embora blasé, distribuiu sorrisos e autógrafos e foi o protagonista da homenagem aos 100 anos do Santos. (Págs. 1 e Super Esportes, Capa e 2 a 5)

Dilma quer barrar a crise com empregos

Boston e Cambridge – A presidente pediu investimentos na produção para combater o tsunami monetário. Ela também assinou acordos com universidades dos EUA para ampliar as bolsas de estudos para brasileiros. (Págs. 1, 2 e Visão do Correio, 14)

Romney será o rival de Obama

Com a desistência de Rick Santorum nas prévias, republicanos vão indicar Mitt Romney como candidato nas eleições dos EUA. Pesquisa mostra o presidente como favorito. (Págs. 1 e 16)

Tendência no STF é aprovar o aborto de fetos sem cérebro (Págs. 1 e 9)

Juros: Bancos pedem garantias

Instituições privadas admitem reduzir taxas, como fizeram BB, CEF e BRB, mas tem lista de exigências. E cobram fatura de R$ 300 milhões do governo. (Págs. 1, 10, 11 e 31)

Concurso: CEF tem 1,1 milhão de inscritos

As provas estão marcadas para o próximo domingo e os candidatos começam a revisão de conteúdos. O salário para os aprovados chega a R$ 7.7mil. (Págs. 1 e 13)

Down: Taxa extra será investigada

Associação de pais pede ao Ministério Público que apure a cobrança de valores a mais para alunos com a síndrome. A entidade também quer mudanças no ensino especial dos escolas. (Págs. 1 e 27)

————————————————————————————

Valor Econômico

Manchete: Bancos conseguem aliviar o efeito dos compulsórios

Itaú Unibanco, Bradesco e Santander, os três principais bancos privados do país, conseguiram diminuir praticamente à metade a restrição de liquidez imposta pelo Banco Central no fim de 2010 com o aumento das alíquotas de recolhimento compulsório sobre o dinheiro depositado pelos clientes nas instituições financeiras. O caminho foi aumentar o peso dos Certificados de Depósitos Bancários (CDBs) no total dos depósitos, ao mesmo tempo em que as aplicações na poupança e o dinheiro da conta corrente perderam espaço. Mesmo com compulsório maior desde o fim de 2010, o CDB segue como o instrumento que dá maior liberdade de aplicação aos bancos.

Na época em que fez o aperto monetário, o BC conseguiu reduzir de 47,9% para 42,1% dos depósitos totais – conta corrente, poupança e CDB – os recursos que os bancos podiam usar livremente para empréstimos. Em termos financeiros, a restrição foi de quase R$ 30 bilhões, de captações que somavam R$ 507 bilhões. O dinheiro livre é aquele que não fica depositado compulsoriamente no BC e que não precisa ser aplicado de forma obrigatória em empréstimos imobiliários ou crédito rural. (Págs. 1 e C16)

Estados não aceitam Selic para dívidas

O governo deve fazer avançar hoje no Congresso o projeto de resolução 72 que reduz e unifica a alíquota interestadual do ICMS incidente sobre produtos importados e acaba com a chamada ‘guerra dos portos’.

Para avançar no tema o governo comprometeu-se com uma antiga reivindicação dos governadores, a troca do IGP-DI como o indexador das dívidas estaduais. Os governadores começam a se articular para fazer valer a troca, mas rejeitam a Selic como o novo indexador sob o argumento de que a taxa é um instrumento de política monetária e pode voltar a subir no futuro se o Banco Central assim decidir. (Págs. 1, A12 e A13)

Usina de Santa Isabel pode sair do papel

Dez anos depois de seu leilão, o projeto de construção da hidrelétrica de Santa Isabel, um dos empreendimentos de geração de energia mais polêmicos do Brasil e tido como descartado, começa a se viabilizar por meio de duas decisões oficiais. No dia 26, o Ibama, que havia rejeitado o projeto várias vezes, decidiu que os estudos de impacto ambiental estão tecnicamente corretos, o que permitirá que o consórcio de empresas organize audiências públicas sobre a obra, a ser erguida no rio Araguaia, na divisa entre Tocantins e Pará. Ontem, a Aneel decidiu prorrogar a concessão do empreendimento por 34 anos, prazo que só passará a contar quando sua licença prévia for emitida pelo Ibama. (Págs. 1 e B12)

Retração nos bens de capital

Os investimentos em máquinas e equipamentos estão em marcha lenta neste início de ano. O consumo aparente de bens de capital encolheu 13,7% no primeiro bimestre na comparação com o mesmo período do ano passado. A queda da produção nacional (descontada a exportação) somada à importação no setor é a maior desde 1999, segundo cálculos do Itaú Unibanco, com exceção de 2009, auge da crise financeira internacional. A capacidade ociosa da indústria, na visão de Aurélio Bicalho, economista do Itaú que fez os cálculos a pedido do Valor, ainda está elevada e desestimula investimentos para ampliar a oferta de bens manufaturados. (Págs. 1 e A3)

Brasil inspira oposição a Chávez

Henrique Capriles, o homem que quer pôr fim ao reinado de Hugo Chávez na Venezuela, também se diz “bolivariano”. Seu programa, porém, não é o “socialismo do século XXI”, e sim o “modelo brasileiro” – programas sociais do Estado, geração de empregos na iniciativa privada, aumento da eficiência da economia.

Formado em direito, solteiro, 39 anos, Capriles governa o Estado de Miranda, o segundo mais populoso do país e que abrange parte de Caracas. Foi escolhido candidato único pela oposição para uma disputa que, se vitoriosa, o tornará o presidente mais jovem da história do país. (Págs. 1 e A18)

Brasileiro prefere poupança e capitalização

As aplicações preferidas dos brasileiros são a caderneta de poupança e os títulos de capitalização, mostra levantamento do Instituto de Pesquisas Fractal. A maioria dos entrevistados também demonstra forte aversão aos investimentos de renda variável.

Para Aquiles Mosca, estrategista de investimentos pessoais da Santander Asset Management, a pesquisa evidencia que as pessoas não investem de maneira eficiente. “A carteira do brasileiro indica que não se persegue retorno no longo prazo nem independência financeira. Os produtos financeiros mais populares ou são extremamente conservadores ou extremamente arriscados”. (Págs. 1 e D1)

Área militar impulsiona os negócios de TI

Dezenas de empresas relativamente jovens e centradas em tecnologia estão encontrando espaço para negociar com as Forças Armadas. O movimento cresce à medida que os requisitos de segurança migram para o mundo digital, onde é preciso defender um novo tipo de fronteira, a do ciberespaço, sem descuidar das tarefas militares tradicionais. O impulso vem da retomada dos investimentos na área de defesa. Estão em andamento projetos que vão do desenvolvimento de mísseis a satélites geoestacionários.

A Embraer desenvolve com 16 fornecedores o jato de transporte militar KC-390, que lhe permitirá dar um novo salto tecnológico. Será o maior e mais pesado avião feito pela empresa. (Págs. 1, B1 e B3)

Recrudesce a batalha entre a YPF e o governo de Cristina Kirchner (Págs. 1 e B13)

Santorum abandona pré-candidatura republicana nos EUA (Págs. 1 e A15)

Investimentos da Natura

O BNDES aprovou ontem financiamento de R$ 35 milhões para dois projetos da Natura Cosméticos: uma nova linha de produtos e a construção de centro de distribuição na zona norte da capital paulista. (Págs. 1 e B5)

Rimet ajusta o foco

A Rimet, fabricante de embalagens de aço, aposta em produtos de maior valor agregado e nos segmentos químico e de ração animal para elevar as margens e driblar a alta de custos, a concorrência dos importados e a substituição de materiais. (Págs. 1 e B6)

Caminhões chineses em SC

A fabricante chinesa de caminhões Sinotntk assinou protocolo de intenções com o governo de Santa Catarina e com a Prefeitura de Lages para investir RS 300 milhões em montadora na cidade. (Págs. 1 e B10)

Ferrovia Oeste-Leste se arrasta

Inicialmente prevista para ser entregue no segundo semestre de 2013, a Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), entre Ilhéus (BA) e Figueirópolis (TO), só deve ficar pronta em 2016. O atraso pode ameaçar projeto minerador orçado em US$ 2,5 bilhões. (Págs. 1 e B11)

Doux para e deve deixar o país

A francesa Doux está perto de deixar o país, 14 anos depois de comprar a Frangosul. Em dificuldades desde 1998, a empresa paralisou seus dois frigoríficos e pode anunciar a venda do negócio nos próximos dias. (Págs. 1 e B15)

Manpower amplia o leque

A americana Manpower, até agora com foco no mercado de profissionais temporários, amplia sua atuação no Brasil em novas áreas: recrutamento permanente; especializada em TI, finanças, engenharia e saúde e um serviço para desenvolver projetos internos nas empresas, diz Jonas Prising. (Págs. 1 e D3)

Montadoras aceleram o passo

País pode entrar em um novo grande ciclo de investimentos no setor automobilístico. O desembolso total somente em novas fábricas é estimado em cerca de R$ 10 bilhões, excluídas as expansões das unidades já instaladas. (Págs. 1 e D8)

Súmula contra a guerra fiscal

O Supremo Tribunal Federal poderá contribuir, ao menos em parte, para acabar com a guerra fiscal entre os Estados. O STF estuda editar uma súmula vinculante exigindo autorização prévia do Confaz para qualquer incentivo relativo ao ICMS. (Págs. 1 e E1)

Ideias

Martin Wolf

A zona do euro ganhou tempo. A grande questão é se agora conseguirá aproveitá-lo bem. (Págs. 1 e A17)

Ideias

Fabio Giambiagi

Conjunto de variáveis que levou ao crescimento da economia dificilmente voltará a se repetir, nessa intensidade, no futuro. (Págs. 1 e A17)
————————————————————————————

Zero Hora

Manchete: Soja deve frear avanço da economia gaúcha

Quebra da safra provocada pela seca tende a fazer o PIB do Estado crescer abaixo da média nacional, devido à dependência da produção agrícola. (Págs. 1 e 18)

A ofensiva dos prefeitos

Carros oficiais estacionados ontem na Assembleia revelam pressão crescente de administradores contra projeto que eleva multa por irregularidades nos municípios. (Págs. 1 e 8)

Dia decisivo: STF vota hoje aborto de anencéfalo

Corte decide permissão para interromper gravidez de feto com ausência parcial de cérebro. (Págs. 1 e 31)

Investimento: R$ 210 milhões para logística em Canoas

Maior centro de cargas da Região Sul será anunciado hoje em SP. (Págs. 1 e 21)

Desfecho: As últimas semanas da Doux no país

Operações de frango devem ser vendidas para o grupo JBS. (Págs. 1 e 18)

Relações suspeitas: Congresso fecha CPI contra Demóstenes

Conselho de Ética do Senado abre processo para investigar laços com Cachoeira. (Págs. 1 e 10)
————————————————————————————

Brasil Econômico

Manchete: Governo vai usar telefone celular até para pagar Bolsa Família e INSS

Como objetivo de expandir a inclusão bancária, o diretor de Política Monetária do BC, Aldo Mendes, anuncia que está preparando um marco regulatório para pagamentos com celulares, que tem potencial para movimentar até R$ 29 bilhões em 2016. (Págs. 1 e 33)

Atualmente, o Brasil tem 242,2 milhões de telefones celulares

Em 2011, o INSS pagou R$ 287,7 bilhões em benefícios

O Bolsa Família consumiu R$ 16,7 bilhões no ano passado

Os bancos atendem 121 milhões de brasileiros.

Agora é Romney contra Obama

Com a desistência de Rick Santorum, o republicano Mitt Romney será o adversário de Obama nas eleições de novembro. A primeira missão será unir o partido e depois, o mais difícil, derrotar o presidente, hoje favorito. (Págs. 1 e 4)

A lista dos bancos para baixar juros

Febraban apresentou ao governo 20 medidas que, segundo ela, ajudaria na redução dos spreads. (Págs. 1 e 40)

Dobram pedidos de recuperação judicial

Entre janeiro e março de 2012, 199 empresas foram à Justiça para renegociar dívidas com credores. (Págs. 1 e 31)

Daniel Dantas encara Eike Batista

ALLX, controlada pelo homem mais rico do Brasil, vai enfrentar a concorrência da Santos Brasil, num porto em Santa Catarina. (Págs. 1 e 20)

Editoras brasileiras derrotam Amazon

A gigante americana cedeu na sua política de preços para convencer empresas como a Record, mas ainda não firmou contratos. (Págs. 1 e 18)

Deputados contra mudança

Proposta de trocar indexador da dívida dos estados e municípios pela Selic enfrenta resistência. (Págs. 1 e 6)

Abaixo o protecionismo

Em entrevista ao BRASIL ECONÔMICO, Luiz Furlan pede ao governo ações contra barreiras à carne brasileira. (Págs. 1 e 3)
Clipping Radiobrás

Edição: Equipe Fenatracoop

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.