Alerta: ONU aponta desigualdade brasileira; País tem a quarta pior distribuição de renda da América Latina… –Cartaz de grevistas da PRF causa revolta e polêmica; Governo promete identificar e punir responsáveis por faixa como a colocada em porto policial em Penedo-RJ. Em Pernambuco, servidores das universidades federais decidiram manter a greve… – Crescem as queixas contra plano de saúde; Segundo a ANS, reclamações contra operadoras avançam a cada mês, principalmente por causa dos prazos de atendimento. Desde novembro, já foram registradas mais de 27 mil ocorrências. ..

O Globo

Manchete: A hora do mensalão – Ministro deve antecipar voto para evitar empate

Peluso, que vai se aposentar, poderá ser o único a não votar de forma fatiada

Relator Joaquim Barbosa admite que a possibilidade de não haver posição vencedora preocupa devido aos longos impasses registrados em votações anteriores na corte

O julgamento recomeça hoje com a leitura do voto do revisor, Ricardo Lewandowski, sobre o capítulo 3 da denúncia. Barbosa já votou pela condenação de cinco réus. Depois de Lewandowski, Cezar Peluso, que tem de se aposentar até 3 de setembro, deverá antecipar seu voto sobre todos os 37 réus. Ele será o único que não votará de forma fatiada, como fez o relator. “Fica a critério de Peluso” disse o presidente do STF, Ayres Britto. Além de Miriam Belchior, gravaram vídeos para a campanha de João Paulo Cunha (PT), réu do mensalão, os ministros Pepe Vargas e Aldo Rebelo. (Págs. 1, 3 a 6, Merval Pereira e Elio Gaspari)

Polícia! Para quem precisa

Com a greve na Polícia Rodoviária Federal, agentes levaram até três horas para liberar a pista na BR-493 (Magé-Manilha) após acidente com feridos. Em posto fechado no km 311 da Via Dutra, uma faixa anunciava que o caminho estava livre para o tráfico. (Págs. 1, 25 e editorial “As greves e o princípio da realidade”, 20)

Exigências elitizam poupança

Depósito inicial pode ser de até R$ 1 mil, aponta pesquisa

Pesquisa em 35 agências no Rio mostra que bancos estão exigindo até R$ 1 mil para abrir uma caderneta, opção tradicional para quem começa investindo pequenas quantias. Com a redução dos juros, bancos estão direcionando clientes para produtos que garantem mais lucros. (Págs. 1 e 23)

Brasil é 4º mais desigual na AL

Até 2020, país terá 90% da população em áreas urbanas

Apesar de crescimento e avanços no combate à pobreza, o Brasil é o quarto país mais desigual da América Latina, atrás de Guatemala, Honduras e Colômbia, segundo a ONU. Em oito anos, 90% da população vão morar em cidades. (Págs. 1 e 31)

‘Casa da Morte’ vai virar museu

Um decreto da prefeitura de Petrópolis declara como sendo de utilidade pública o imóvel onde funcionou, nos anos 70, o centro de tortura clandestino do regime militar. O ato abre caminho para desapropriar o local e transformá-lo num centro de memória. (Págs. 1 e 10)

Paciente morre sem ambulância

O idoso, de 78 anos, morava a 400 metros de um hospital público de Niterói, sede da central do Samu. Foram 12 ligações e nenhum socorro. Obeso, ele foi carregado pelos próprios filhos num edredom até o hospital, onde existe um cemitério de ambulâncias quebradas. (Págs. 1 e 12)

Fechada ‘fábrica’ de infratores

Marcado por rebeliões, o Instituto Padre Severino, para menores infratores, na Ilha, está fechando as portas. Os 160 internos serão transferidos aos poucos. Os primeiros 58 para o Centro de Socioeducação Dom Bosco, no mesmo terreno. (Págs. 1 e 15)

Violência sectária cruza a fronteira

A cidade de Trípoli, no Norte do Líbano, foi transformada em arena de uma disputa envolvendo clãs pró e anti-Bashar al-Assad, com choques sectários entre sunitas e alauitas, que deixaram quatro mortos e 60 feridos. (Págs. 1 e 32)

Roberto DaMatta: Nossos tempos

País não entende o liberalismo. (Págs. 1 e 20)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

 

Manchete: Base do governo infla plano de concessão com novas obras

Parlamentares vão incluir emendas em medida provisória destinando verba para VLT e rodovias regionais

A base aliada pretende usar a Medida Provisória 576, que cria a Empresa de Planejamento e Logística, para inflar o pacote de concessões de ferrovias e rodovias lançado na semana passada pela presidente Dilma Rousseff. O presidente da EPL, Bernardo Figueiredo, e a ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, se reuniram ontem com líderes de partidos aliados para apresentar o plano de concessões. O líder do PMDB na Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN), aproveitou e pediu que fosse incluída a duplicação da BR-304, que liga Natal a Mossoró. Segundo ele, o trecho tem 350 km e deverá custar até R$ 450 milhões. O líder do PTB na Câmara, Jovair Arantes, quer que o projeto englobe um Veículo Leve sobre Trilhos em Goiânia, orçado em R$ 1 bilhão. O prazo para emendas termina hoje. (Págs. 1 e Economia B1)

Novo pacote mira aeroporto

A presidente Dilma vai editar decreto permitindo que aeroportos privados sejam transformados em pistas de pouso de jato executivo. (Págs. 1 e B3)

Julgamento do mensalão opõe, hoje, Barbosa e Lewandowski

Relator e revisor do processo do mensalão iniciam hoje o embate que ministros do STF projetaram desde o início do julgamento. Joaquim Barbosa condena os réus que estão em julgamento nesta primeira parte, à exceção do ex-ministro Luiz Gushiken. Ricardo Lewandowski deve divergir em pontos que poderão resultar em absolvições. (Págs. 1 e Nacional A4)

Britto: Peluso terá de pedir antecipação

O presidente do STF, Carlos Ayres Britto, disse que caberá a Cezar Peluso solicitar antecipação de seu voto. Peluso se aposentará em 3 de outubro. (Págs. 1 e A4)

Brasil é o 4º país mais desigual da AL, diz ONU

Estudo da ONU mostra que o Brasil é o quarto país mais desigual da América Latina, atrás apenas de Guatemala, Honduras e Colômbia. De acordo com o relatório, um quarto dos latino-americanos é pobre, ou seja, vive com menos de US$ 2 por dia. No Brasil, 28% da população vive em favelas. A média da América Latina é de 25%. (Págs. 1 e Cidades C3)

MEC troca prova para avaliar o ensino médio

Após números do índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de 2011 apontarem estagnação na qualidade do ensino médio na rede pública, o MEC deve adotar o Enem como avaliação. Especialista diz que a troca é um equívoco. (Págs 1 e Vida A18)

Militares farão segurança de grandes eventos

A presidente Dilma Rousseff decidiu privilegiar o papel das Forças Armadas no comando da segurança de grandes eventos, como a Copa. Segundo fontes, ela tomou a decisão após a greve de agentes da Polícia Federal e a tentativa de paralisação durante a Rio+20. (Págs. 1 e Nacional A9)

Permissão de trabalho a estrangeiro sobe 24% (Págs. 1 e Economia B6)

Governo sírio fala pela 1ª vez em saída de Assad (Págs. 1 e Internacional A14)

Celso Ming

Piso para o câmbio

Se a política de juros fosse suficiente para manter afastados os especuladores e segurar o dólar em R$ 2, o BC não precisaria intervir. Mas interveio. (Págs. 1 e Economia B2)

Dora Kramer

Meia-volta no salão

O PT estava tão autoconfiante que deixou um réu, João Paulo Cunha, em Osasco, ser candidato no curso do julgamento do mensalão. (Págs. 1 e Nacional A6)

Notas & Informações

A qualidade de um voto

Joaquim Barbosa fez a lição de casa com distinção e louvor, para não dizer à exaustão. (Págs. 1 e A3)

————————————————————————————

Correio Braziliense

Manchete: Dilma culpa grevistas de “sangue azul” por impasse

Governo aponta elite do funcionalismo, com salário acima de R$ 10 mil, como a principal responsável por radicalizar o movimento e travar as negociações

A presidente considera inconcebível que, no meio de uma crise mundial, esses servidores — os mais beneficiados por reajustes no governo Lula — se recusem a aceitar a atual proposta de correção de 15,8%, divididos em três anos. Integrantes de carreiras de Estado, esses funcionários teriam sido chamados por ela de “sangues azuis”. Entre eles, estão funcionários do Banco Central, da Receita, da Agência Brasileira de Inteligência e da Polícia Federal, que ontem fizeram uma fogueira em frente ao Palácio do Planalto. Essas categorias pedem reajustes entre 35,53% e 151,27%. No governo, a avaliação é de que não há a menor possibilidade de Dilma atender ao pleito.

Na Via Dutra, no Rio, uma afronta

Policiais rodoviários federais em greve debocharam da população, no Rio de Janeiro, ao afixar faixas em postos da PRF, como essa acima em Penedo (RJ), dizendo que o tráfico de drogas e de armas estava liberado no estado.

Na UnB, briga antecede eleição

Numa tentativa de adiar a escolha do novo reitor, professores e estudantes que defendem a retomada da greve na UnB invadiram a associação dos docentes. Houve até agressões físicas. Mas o pleito, que ocorre hoje e amanhã, foi mantido. (Págs. 1, 9, 10, 11, 23, 24 e Visão do Correio, 16)

América Latina: Brasil tem a quarta pior distribuição de renda do continente

O contraste entre populações com alto poder aquisitivo e outras muito pobres colocou o Brasil entre os países com maior desigualdade social, atrás de Guatemala, Honduras e Colômbia, segundo relatório da ONU. Entre as cidades, Brasília é a quinta — Goiânia, Fortaleza, Bogotá e Belo Horizonte estão à frente. (Págs. 1, 18 e 19)

Mensalão: Voto de peluso divide Supremo

Aposentadoria do ministro em 3 de setembro abre debate sobre se ele pode ou não antecipar o voto. Tudo depende da interpretação do artigo 135 do regimento interno da Corte. (Págs. 1, 2, 3 e Nas Entrelinhas, 4)

Comissão vota fim de mordomia dos deputados

Projeto que extingue 14º e 15º salários será apreciado pela Comissão de Finanças da Câmara. Se passar, segue para a CCJ, antes de ir à votação no plenário da Casa. (Págs. 1 e 5)

Cachoeira ainda atua e ameaça, diz procuradora (Págs. 1 e 4)

Copa dá chance a 22 mil voluntários

Serão 7 mil vagas para o torneio das Confederações, em 2013, e mais 15 mil para o Mundial, em 2014. As inscrições já podem ser feitas pelo site da Fifa. (Págs. 1 e Super Esportes, 11)

GOL e TAM vão reajustar o preço das passagens (Págs. 1 e 15)

 

————————————————————————————

Valor Econômico

 

Manchete: Disputas fiscais ameaçam levar R$ 342 bi da União

Se a União perdesse hoje as 20 maiores disputas tributárias e previdenciárias que aguardam desfecho nos tribunais superiores teria um prejuízo de R$ 342 bilhões. O impacto econômico desses litígios consta na Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2013, sancionada pela presidente Dilma Rousseff. Entre as disputas, 15 estão no Supremo Tribunal Federal (STF) e o restante no Superior Tribunal de Justiça (STJ). Nenhuma tem previsão de término.

A inclusão do ICMS na base de cálculo do PIS e da Cofins é a pendência que tem o maior potencial destrutivo para os cofres públicos. Estão em jogo R$ 89,4 bilhões referentes apenas ao período de 2003 a 2008. “Em caso de perda, é possível e provável que o Executivo busque outra fonte de receita”, diz Fabrício Da Soller, procurador-geral-adjunto da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional. Os ganhos para as companhias são igualmente relevantes. “Estamos falando de um percentual de 18% ou 25% em uma contribuição de quase 10%, o que afeta consideravelmente grandes, médias e pequenas empresas”, diz o advogado Júlio de Oliveira. (Págs. 1, E1 e A4)

Copel negocia 30% de usina da Neoenergia

Copel deve adquirir 30% de participação na construção e operação da hidrelétrica Baixo Iguaçu, de 350,2 megawatts, no Paraná, cujo contrato de concessão foi assinado ontem pelo Ministério de Minas e Energia. O empreendimento, orçado em R$ 1,6 bilhão, pertence integralmente à Neoenergia. O presidente em exercício da estatal paranaense, Jaime de Oliveira Kuhn, confirma o interesse. “Estamos definindo a participação da Copel na usina, que está situada na base territorial da companhia”, afirmou.

Inicialmente, a hidrelétrica deveria entrar em operação em 2013, mas pelo contrato assinado ontem com o governo federal esse prazo foi postergado para 2016. (Págs. 1 e B1)

Voos para o interior podem ter subsídios

O governo estuda dar subsídios a companhias aéreas dispostas a fazer novos voos regulares ligando pequenas cidades do interior. A medida pode entrar no pacote de infraestrutura que a presidente Dilma pretende anunciar em setembro. A intenção no Planalto é fazer os anúncios no dia 5, incluindo medidas para reduzir as tarifas de energia elétrica.

Para os aeroportos, Dilma trabalha em três eixos diferentes. A parte mais avançada é o decreto presidencial que autorizará a construção de aeroportos privados voltados exclusivamente para a aviação executiva, com a possibilidade — hoje inexistente — de que eles sejam explorados comercialmente. (Págs. 1 e A3)

Aposta no novo

A Basf, que vai investir € 500 milhões nos próximos cinco anos no Brasil, está aumentando os gastos globais com inovação sustentável. Andreas Kreimeyer, responsável pela área de P&D, diz que nos últimos anos o portfólio do grupo mudou nessa direção, considerada estratégica. (Págs. 1 e B1)

Petrobras passa Google na preferência de jovens

Salários e benefícios diferenciados voltaram a frequentar a lista de prioridades dos jovens na hora de se candidatar a um emprego, à frente do desenvolvimento e da realização profissional. O fator remuneração levou a Petrobras a ser a preferida na pesquisa “Empresas dos sonhos dos jovens”. A estatal voltou a ocupar um lugar que havia perdido para o Google em 2010 e 2011. A pesquisa foi feita com 45 mil brasileiros recém-formados pela Cia. de Talentos e NextView People. Google e Vale ocupam o segundo e terceiro lugares no ranking.

Estudar em outros países, ter mobilidade interna e experiência em diferentes mercados ou áreas podem fazer um jovem permanecer na mesma empresa por mais de 20 anos. “As companhias que querem reter seus talentos devem criar programas voltados ao desenvolvimento pessoal e não só profissional”, diz Maíra Habimorad, sócia da Cia de Talentos. Segundo ela, a possibilidade de assumir “diversas funções dentro da mesma companhia” alimenta o anseio dos jovens de estar em constante movimento. (Págs. 1 e D3)

Dinheiro ainda impera como forma de pagamento

O crescimento acelerado no uso de cartões de crédito e débito nos últimos anos ainda está longe de roubar o papel do dinheiro em espécie no pagamento de compras pelos brasileiros. Dinheiro vivo continua sendo a forma preferida de pagamento. A expansão dos cartões foi muito grande. Em dezembro de 2011, 29,8% das vendas do comércio foram pagas com cartões. Em janeiro de 2004, a fatia era de 16,5%, segundo cálculos da Tendências Consultoria.

Estudo do Banco Central mostra que em 2010 o gasto médio mensal da população com o pagamento de contas e compra de produtos foi de R$ 807,93. Desse total, 59% foi pago em dinheiro, 36% com cartões e 2% em cheque. Em 2007, o gasto médio de R$ 577 era pago 77% com dinheiro, 19% com cartões e 2% em cheque. “A participação absoluta dos cartões ainda é muito pequena, há espaço para a migração para os cartões”, diz Ruben Osta, diretor-geral da Visa. “Nosso concorrente principal é o dinheiro”. (Págs. 1 e C1)

Crise do cacau deixa herança pesada

Mais de 20 anos após o início da decadência da cacauicultura na Bahia, motivada principalmente pela ocorrência da vassoura-de-bruxa e pelos preços baixos no mercado externo, os produtores ainda buscam renegociar a dívida acumulada ao longo desse período – estimada entre R$ 800 milhões e R$ 900 milhões. Alguns pedem sua anulação e querem ainda indenização do governo.

Milhares de produtores aguardam a renegociação dos débitos. Há estimativas de que metade dos contratos já foram renegociados, pouco mais de seis mil. Entre os que defendem a anulação da dívida e indenização, como o produtor Sérgio Luz, o argumento é um só: “A dívida tem origem injusta”, diz. O produtor, que vem de uma família de plantadores de cacau, pondera que a região do sul da Bahia, a maior produtora nacional da amêndoa, viveu e continua sob situação de calamidade. (Págs. 1 e B14)

Madri tenta usar crise para reduzir autonomia de governos locais (Págs. 1 e A16)

Reforma da Previdência

O governo pretende enviar ao Congresso, após as eleições, proposta de Emenda Constitucional que extingue o fator previdenciário, mas também a aposentadoria por tempo de contribuição. (Págs. 1 e A4)

Argentina encara batalhas na OMC

Após denunciar a União Europeia por bloquear suas exportações de biodiesel, a Argentina foi formalmente acusada pelos EUA e Japão de uso indiscriminado de licenças não automáticas de importação. (Págs. 1 e A13)

Greve da Anvisa afeta área de Saúde

Hospitais e laboratórios de diagnósticos já se ressentem da greve na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), iniciada em 16 de julho. Os estoques de insumos médicos, quase todos importados, estão no limite ou até se esgotaram em alguns casos. (Págs. 1 e B4)

Aeroportos para aviação executiva

A falta de espaço para estacionar aviões executivos em São Paulo e as restrições de horários para pousos e decolagens dessas aeronaves atraem a iniciativa privada para a construção de aeroportos privados voltados à aviação executiva. (Págs. 1 e B6)

Medicamentos

No Brasil, aproximadamente 34% dos preços dos remédios referem-se a 86 tributos que incidem sobre esses produtos. “Os governos arrecadam R$ 14,6 bilhões com os medicamentos, pouco mais do que gastam com as compras nessa área”, diz Antônio Britto, presidente-executivo da Interfarma. (Págs. 1 e Caderno especial)

Cargill fará biodiesel no país

Maior empresa de agronegócios do mundo e segunda maior exportadora do setor no Brasil, a Cargill inicia neste mês a produção de biodiesel em escala comercial no país, em uma nova unidade em Três Lagoas (MS). (Págs. 1 e B13)

Cenário de alta para carne bovina

O frigorífico Minerva espera um “Natal da carne bovina”, que deve ganhar espaço com a alta dos preços das aves e suínos, devido às cotações elevadas dos grãos. Apesar disso, a empresa prevê aumento expressivo da carne bovina no quarto trimestre. (Págs. 1 e B14)

Avanço da previdência privada

O setor de previdência privada cresceu 32% no primeiro semestre, com captação de R$ 33 bilhões, segundo a Fenaprevi. A previsão é que o total de ativos chegue a R$ 330 bilhões até o fim do ano. (Págs. 1 e C5)

Ideias

Cristiano Romero

Até agora, não há razão para duvidar da eficácia do modelo de concessão dos aeroportos, criticado pelas ‘viúvas do estatismo’. (Págs. 1 e A2)

José E. R. Vieira Filho
Restrição à compra por estrangeiros pode inviabilizar investimentos no setor agropecuário nacional. (Págs. 1 e A14)

————————————————————————————

Estado de Minas

Manchete: Mineiro é o que mais compra em shopping

Pesquisa mostra que o tempo médio de permanência do belo-horizontino em cada visita aos centros de comércio é de 65 minutos, contra 73 minutos da média nacional. Mas, mesmo sendo mais breves, 54% dos consumidores que vão aos shoppings em BH efetivam as compras, índice bem maior do que o da média geral, de 48%. O levantamento, da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), aponta ainda que as mulheres são 55% dos frequentadores. A classe B lidera a participação com 54%, enquanto a classe A aparece com 26%. O valor médio da compra na capital mineira é de R$ 144, pouco menor do que o nacional, de R$ 148. (Págs. 1 e 11)

Greve mantida

Professores da Universidade Federal de Minas Gerais decidiram ontem em assembleia continuar a paralisação da categoria, que completa hoje 65 dias. No país, oito instituições federais já retomaram as aulas. Com os servidores também em greve, o esvaziamento do câmpus Pampulha preocupa os estudantes. Reitoria prevê múltiplos calendários de reposição. (Págs. 1 e 22)

Latinos são mais urbanos e desiguais

Pesquisa da Organização das Nações Unidas (ONU) revela que a América Latina é a região com maior parcela da população vivendo em cidades. Paralelamente, 20% dos mais ricos têm, em média, renda per capita quase 20 vezes superior aos ganhos dos 20% mais pobres. (Págs. 1 e 17)

Vereador: Projeto veta salário em 89% das câmaras

Proposta de Emenda à Constituição (PEC) extingue a remuneração a parlamentares de cidades com até 50 mil habitantes, que são 89,41% do total no Brasil. Em Minas, vereadores de 787 (92,7%) dos 853 municípios deixariam de receber. (Págs. 1 e 6)

Tráfico: Tolerância com menores cria polêmica

Súmula do STJ orientando juízes a não punir adolescentes pegos pela primeira vez por tráfico de drogas é vista com reservas pelos especialistas. Em BH, sete menores são apreendidos por dia pelo delito e há déficit de 200 vagas para internação. (Págs. 1 e 19)

Medida provisória

Participação nos lucros com isenção de Imposto na gaveta. (Págs. 1 e 13)

————————————————————————————

Jornal do Commercio

Manchete: Crescem as queixas contra plano de saúde

Segundo a ANS, reclamações contra operadoras avançam a cada mês, principalmente por causa dos prazos de atendimento. Desde novembro, já foram registradas mais de 27 mil ocorrências. (Págs. 1 e Economia 1 e 2)

Fotolegenda: Cartaz de grevistas da PRF causa revolta e polêmica

Governo promete identificar e punir responsáveis por faixa como a colocada em porto policial em Penedo-RJ. Em Pernambuco, servidores das universidades federais decidiram manter a greve. (Págs. 1, Capa Dois e Cidades 3)

Obra de refinaria volta à normalidade em Suape

Após início das demissões, segunda, empresas calculam que 75% dos empregados retornaram ao trabalho. Comprometimento do cronograma preocupa. (Págs. 1 e Economia 6)

ONU revela um Brasil frágil na América Latina

Apesar dos avanços, estudo mostra que desigualdade do País é grande, atrás apenas de Guatemala, Honduras e Colômbia. (Págs. 1 e 7)

Mutirão julga recursos contra impugnações

Sessão de hoje do TER não tem fora para terminar. Objetivo é julgar mais de 500 processos de políticos do Estado. (Págs. 1 e 3)

Candidatos a vereador abrem o guia eleitoral (Págs. 1 e 3)

————————————————————————————

Zero Hora

Manchete: Reação – Detran propõe 10 ações para frear descontrole

Para conter furto de peças em veículos nos depósitos, órgão sugere registro fotográfico de carros no local da ocorrência e no acesso ao pátio. Algumas medidas exigem aprovação do Cetran. (Págs. 1 e 24)

Infraestrutura: O desafio de desencalhar as hidrovias

Novo polo naval, ao longo do Rio Jacuí, aumenta a necessidade de se retomar o transporte fluvial no Estado. (Págs. 1, 4 e 5)

Alerta: ONU aponta desigualdade brasileira

País tem a quarta pior distribuição de renda da América Latina. (Págs. 1 e 22)

Transparência: Divulgação de salários é lenta em prefeituras

Nenhuma das cinco cidades mais populosas do Interior publica valores. (Págs. 1 e 6)

————————————————————————————

Brasil Econômico

Manchete: Governo torna mais ágil processo contra importações predatórias

Projeto de lei prevê a aplicação de sobretaxa aos produtos com preços artificiais após seis meses de abertura da investigação. Hoje, ações das empresas nacionais contra competidores que praticam dumping levam quase dois anos até a conclusão. (Págs. 1 e 6)
Queda no crédito traz folga maior ao capital dos bancos

Com volume de financiamento menor, instituições conseguem ganhar uma folga em relação ao nível exigido pelo acordo da Basileia. De 25 bancos comerciais, apenas três estão com capital abaixo do recomendável. (Págs. 1 e 31)

BCE pode comprar títulos europeus

Sinalização foi dada ontem pelo mercado, que aceitou títulos espanhóis de 12 a 18 meses com juros menores que os da última emissão no mês passado. (Págs. 1 e 36)

Classe C desafia a previdência privada

Empresas do segmento estudam como reter esses investidores que se caracterizam pela volatilidade e por saques ao primeiro sinal de dificuldade. (Págs. 1 e 30)

Petrobras diz que combustível não subirá de novo

Graças Foster nega qualquer negociação para reajuste, apesar do prejuízo no último trimestre. (Págs. 1 e 15)

As marcas mais lembradas não são as mais admiradas

Em telefonia, Vivo é a campeã em preferência, mas Tim, após punição, foi a mais citada. (Págs. 1 e 4)

Novas funções

Ex-Cade, Gesner de Oliveira diz que órgão antitruste terá que entender melhor os setores da economia. (Págs. 1 e 26)

Clipping Radiobrás

Edição: Equipe Fenatracoop

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.