Aposentadoria prevista; Este é Guilherme, 23 anos, estudante de Relações Públicas. Ele está prestes a entrar no mercado de trabalho. Neste momento, governo e Congresso debatem uma proposta que pode mudar o futuro dele e o de milhões de outros jovens… – Greve trava aeroportos e estradas; Agentes das polícias Federal e Rodoviária Federal fizeram operação padrão em BRs e aeroportos do país, no segundo dia de paralisação. Em Confins, vistoria de todos os passageiros, inclusive com cães, formou longa fila no embarque… – “Justiça não vai decolar em menos de dez anos”; Às vésperas do término de seu mandato no CNJ, Eliana Calmon diz ao BRASIL ECONÔMICO que a corrupção impede que o Poder Judiciário seja mais ágil e eficiente…

O Globo

Manchete: A hora do mensalão – Defesa do Banco Rural culpa executivo morto

Direção tenta se isentar por empréstimos

Repasses foram feitos ao PT e a empresas de Valério; advogado e ex-ministro Márcio Thomaz Bastos pede cuidado: ‘É um julgamento de bala de prata, feito de uma vez só!

Numa estratégia unificada, os advogados dos réus José Roberto Salgado, Vinicius Samarane e Ayanna Tenório, executivos do Banco Rural, responsabilizaram pelas operações de crédito ao PT e às empresas de Marcos Valério o vice-presidente do banco em 2003, José Augusto Dumont, já falecido. A defesa do deputado João Paulo Cunha, único réu que disputa cargo eletivo este ano, disse que ele usou o dinheiro de Valério para pagar pesquisas eleitorais e que não há irregularidade, por isso mandou sua mulher fazer o saque. O ex-presidente Lula ligou para o advogado Márcio Thomaz Bastos, defensor de Salgado, para saber do julgamento. (Págs. 1 e 3 a 6)

Merval Pereira: Cenários fictícios (Págs. 1 e 4)

Sardenberg: Nada de mais? (Págs. 1 e 20)

Inferno na Ponte e nas barcas

Bastaram 90 minutos de operação-padrão de policiais rodoviários federais, seguida de um incêndio num ônibus, para transformar em inferno, que durou a tarde e invadiu a noite, a vida de quem atravessou a Ponte. As barcas superlotaram. (Págs. 1 e 13)

Enquanto isso…

Policiais tomam Esplanada. (Págs. 1 e 30)

Reajuste puxa ação da Petrobras

Com a notícia de que o governo vai autorizar alta dos combustíveis este ano, as ações da Petrobras subiram até 5,43%, levando a Bovespa a ter a maior valorização do mundo. O ministro Edison Lobão defendeu o aumento da gasolina. (Págs. 1 e 23)

Inflação da meta supera previsão

As chuvas fizeram do tomate o grande vilão da inflação oficial em julho: o produto subiu 50% e puxou o IPCA, que registrou 0,43%, segundo o IBGE. Em junho, a taxa tinha sido de apenas 0,08%. A previsão é que feche em 5,3% no ano. (Págs. 1 e 24)

Horto: TCU vota a favor de parque

Relator do processo no TCU que avalia a invasão de área do Jardim Botânico, o ministro Valmir Campelo votou pela reintegração de posse ao parque. Seu voto foi acompanhado por outro ministro, mas um terceiro pediu vista. (Págs. 1 e 14)

Proteção a rios fica ameaçada

Os ruralistas impuseram outra derrota ao governo, na Comissão Mista que analisa o novo Código Florestal, e derrubaram o trecho que mantinha áreas de preservação nas margens de rios intermitentes. (Págs. 1 e 8)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete: Pressão de servidores faz governo negociar reajuste

Após série de protestos pelo País, ministra Míriam Belchior diz estar fazendo contas para atender às reivindicações

Pressionado por parte do funcionalismo federal em greve, o governo desencadeou operação para esvaziar o movimento, que ontem se espalhou por vários Estados e expôs o ministro Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral da Presidência) a vaias. Após um dia de manifestações pelo País e promessas de mais paralisações, o governo sinalizou que vai atender, pelo menos em parte, os servidores em greve. A ministra Miriam Belchior (Planejamento) disse que o governo está finalizando as contas para saber que tipo de reajuste será possível apresentar aos funcionários federais que estão em operação padrão ou de braços cruzados. Segundo sindicalistas, cerca de 350 mil servidores de 26 categorias aderiram à greve. Protesto de policiais rodoviários federais provocou 10 quilômetros de congestionamento na Via Dutra. (Págs. 1 e Nacional A11 e A12)

Gilberto Carvalho
Ministro

“Lamento profundamente e espero que as centrais sindicais chamem a atenção desse setor que se nega ao diálogo”

Luiz Cláudio Coimbra
Sindicalista

“Existem postos (rodoviários) sendo fechados por todo o País. Precisamos de uma reestruturação urgente”

Por superávit, Dilma deve adiar corte de imposto

A preocupação em atingir a meta de superávit fiscal em 2012 e 2013 e as incertezas quanto à arrecadação de impostos devem levar a presidente Dilma Rousseff a adiar a ampliação dos cortes de impostos para as empresas, informam as repórteres Adriana Fernandes e Renata Veríssimo. A primeira ação será vetar parcialmente as desonerações incluídas por parlamentares na votação da medida provisória que ampliou o Plano Brasil Maior. (Págs. 1 e Economia B1)

Mantega cobra bancos

O ministro Guido Mantega (Fazenda) cobrou de nove dos maiores banqueiros do País aumento dos volumes oferecidos nos empréstimos. O principal foco é financiamento de veículos. (Págs. 1 e B3)

Thomaz Bastos vê ‘construção mental’em denúncia

O advogado Márcio Thomaz Bastos, defensor de um ex-dirigente do banco Rural no julgamento do mensalão, questionou ontem no Supremo Tribunal Federal uma das bases da acusação do procurador-geral, Roberto Gurgel. Segundo o advogado, os empréstimos bancários tomados pela direção do PT e por empresas de Marcos Valério não eram de fachada. “É uma construção mental que não tem sentido”, disse. (Págs. 1 e Nacional A4)

Nova Lei das Cotas já deve valer neste ano (Págs. 1 e Vida A22)

Ministro egípcio da Inteligência é afastado (Págs. 1 e Internacional A17)

PM que matar menos, terá gratificação maior (Págs. 1 e Cidades C1)

Celso Ming

Choque de alimentos

Agora parece inevitável que se acentue a transferência da alta dos alimentos para o custo de vida. E há ainda a previsão de aumento dos combustíveis. (Págs. 1 e Economia B2)

Eugênio Bucci

Sobre a palavra mensalão

Para nossa sorte, a língua é algo que o poder não consegue controlar, não consegue sequer administrar, por mais que tente e siga tentando. (Págs. 1 e Espaço Aberto A2)

Notas & Informações

O que as cotas mascaram

A imposição de índice único é uma gritante ruptura do princípio da autonomia universitária. (Págs. 1 e A3)

————————————————————————————

Correio Braziliense

Manchete: Servidores e governo medem força. O país paga

No dia em que o movimento por aumento salarial ganhou a adesão de 26 carreiras de Estado, os protestos se multiplicaram país afora. E, enquanto governo e sindicalistas não se entendem, é a população quem mais sofre as consequências: universidades paradas, rodovias fechadas, serviços públicos interrompidos. Até o abastecimento de alimentos e remédios começa a ser afetado. Em Brasília, ontem, os ânimos se exaltaram quando manifestantes e policiais militares entraram em confronto na Praça dos Três Poderes. O Planalto já dá sinais de que pode atender parte das reivindicações dos grevistas. (Págs. 1, 10, 11 e Visão do Correio, 16)

Fotolegenda: Brasília

Exaltados, manifestantes avançaram sobre grades de bloqueio na Praça dos Três Poderes e acabaram entrando em confronto com policiais militares, que reagiram lançando spray de pimenta nos grevistas.

Fotolegenda: Foz de Iguaçu

Agentes da PRF fizeram operação padrão e causaram Foz ao Iguaçu engarrafamento perto da fronteira com o Paraguai.

Fotolegenda: Rio de Janeiro

Os policiais também bloquearam a Ponte Rio – Niterói para vistoriar veículos e complicar o trânsito.

Fotolegenda: São Paulo

Servidores cercam a superintendência da PF: a emissão de passaportes caiu à metade depois de três dias de paralisação.

Os desafios para o futuro reitor da UnB

O próximo comando da instituição, que será eleito este mês, terá pela frente graves problemas. O principal é a queda acentuada da qualidade de ensino. (Págs. 1 e 25)

Novo sistema de cotas deve valer em 2013

O projeto que destina 50% das vagas nas universidades para alunos da rede pública terá um veto: o governo vai privilegiar o Enem e o vestibular. (Págs. 1 e 8)

PAC dos desastres: O melhor é prevenir

Ladeada pelo governador Eduardo Campos e pelo senador José Sarney, Dilma ouve a ministra Miriam Belchior em solenidade na qual anunciou programa que destina R$ 18,8 bilhões para ações contra seca e enchentes. (Págs. 1 e 7)

Mensalão 2: Tese de caixa 2 já foi rejeitada pelo Supremo

Decisão foi tomada por unanimidade, em 2007, quando o STF aceitou a denúncia contra os réus. Para garantir o voto de Peluso no julgamento, ministros do Supremo estudam permitir que ele se pronuncie logo após o relator. (Págs. 1 e 2 a 4)

Aposentado vai receber 13° até 10 de setembro (Págs. 1 e 12)

————————————————————————————

Valor Econômico

Manchete: Dilma endurece com grevistas

O governo está disposto a endurecer na negociação com os funcionários públicos federais, muitos em greve há mais de cinquenta dias. A presidente Dilma Rousseff autorizou a assinatura dos primeiros convênios com São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná a fim de substituir servidores federais em greve por funcionários estaduais e municipais assemelhados, conforme permite decreto baixado por ela no fim de julho.

Segundo o secretário geral da Presidência da República, ministro Gilberto Carvalho, a prioridade do governo é “usar o espaço fiscal para cuidar do emprego daqueles que não têm estabilidade”. Mas para ele o diálogo com os grevistas não está fechado: “Temos, ao longo de agosto, possibilidade de vir a discutir e apresentar propostas, o que faremos”. (Págs. 1 e A4)

No Supremo, defesa faz seu maior ataque

Marcio Thomaz Bastos, ex-ministro da Justiça do primeiro mandato do governo Lula, fez ontem aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) um dos ataques mais fortes contra a denúncia do mensalão. Principal articulador da defesa desde que o escândalo estourou, em 2005, Bastos chamou o caso de “fantasia”, disse que a acusação é “desprovida de senso de realidade” e criticou ponto a ponto as alegações feitas pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel. Aos ministros, pediu cuidado, pois eles estão julgando pessoas que não vão ter direito a recurso em outro tribunal. “É um julgamento com bala de prata, de uma vez só”. (Págs. 1 e A5)

Pistas privadas para aviões executivos

O governo vai baixar nos próximos dias um decreto que autoriza empresas privadas a construir aeroportos para pouso e decolagem de jatinhos, aviões de pequeno porte e helicópteros. As empresas poderão explorá-los comercialmente, algo que as dezenas de pequenos aeroportos já existentes não podem fazer.

O objetivo do governo é estimular a construção de aeroportos de aviação executiva para desafogar os aeroportos regulares durante grandes eventos, como a Copa do Mundo de 2014 e a Olimpíada do Rio, em 2016. A frota nacional é de cerca de 12,3 mil aviões particulares. (Págs. 1 e A3)

Para AGU, taxas de mineração são legais

A Advocacia-Geral da União deu um parecer favorável à cobrança da taxa de mineração pelo Estado de Minas Gerais. O tributo, instituído por lei no ano passado e cobrado desde abril, é contestado no Supremo Tribunal Federal pela Confederação Nacional das Indústrias. Além de Minas, a entidade questiona por meio de ações diretas de inconstitucionalidade taxas semelhantes instituídas pelo Pará e Amapá. A nova cobrança significará uma arrecadação em torno de R$ 500 milhões ao ano para Minas, R$ 800 milhões ao Pará e R$ 150 milhões para o Amapá.

O parecer do advogado-geral Luís Inácio Adams defende a constitucionalidade da lei mineira, com exceção apenas do artigo 7, que prevê isenção para os minérios destinados à industrialização no Estado. Adams afirma que a Constituição autoriza os Estados a fiscalizar concessões de direitos de pesquisa e exploração de recursos hídricos e minerais situados em seus territórios, a participar no resultado da exploração ou a receber compensação financeira por essa exploração, como forma de indenização pelos danos decorrentes das atividades. (Págs. 1 e A2)

DSM compra a Tortuga por € 465 milhões

O grupo holandês de alimentos e produtos químicos DSM fechou ontem a compra por € 465 milhões da Tortuga, a maior companhia brasileira de nutrição animal e a última grande empresa de capital nacional do setor.

Fundada em 1954 pelo imigrante italiano Fabiano Fabiani, a Tortuga, com sede em Mairinque (SP), é líder do mercado de suplementos minerais e ração para bovinos, que movimenta cerca de R$ 5 bilhões por ano. Com um faturamento de R$ 939,22 milhões em 2011, cerca de 1.200 funcionários e três fábricas, a empresa alçou a DSM à liderança global de nutrição animal para ruminantes. (Págs. 1 e B14)

Fundo propõe desconto aos credores do Cruzeiro do Sul

O Fundo Garantidor de Créditos vai propor aos credores do Cruzeiro do Sul um desconto em suas dívidas como forma de encontrar uma saída para o banco, sob intervenção desde o dia 4 de junho.

Com a descoberta de indícios de fraudes, o ativo do Cruzeiro do Sul mostrou-se menor do que o registrado em balanço, de R$ 12 bilhões. Ou seja, o ativo corrigido após as auditorias é menor do que o passivo, que corresponde às obrigações que a instituição precisa pagar, como investidores de Certificados de Depósitos Bancários, de bônus no exterior e depósitos a prazo com garantia especial. (Págs. 1 e C1)

TCU vê irregularidades em refinaria de PE

O Tribunal de Contas da União encontrou indícios de irregularidades em seis contratos que somam R$ 1,54 bilhão e que foram assinados entre a Petrobras e alguns consórcios responsáveis por parte das obras da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, a mais cara em construção no país, orçada em US$ 20,1 bilhões. Procurada, a Petrobras não se manifestou até o fechamento desta edição.

Além desses problemas e do atraso e encarecimento das obras, a refinaria enfrenta manifestações dos trabalhadores. Ontem, sete ônibus foram incendiados num protesto por causa de uma negociação salarial mal resolvida. Trabalham na obra 44 mil operários. (Págs. 1 e B9)

Paranapanema investe e retoma produção na Bahia, diz Monteiro (Págs. 1 e B9)

Petróleo com inovação

Será lançado na segunda-feira o programa Inova Petro, com disponibilidade inicial de R$ 3 bilhões a serem desembolsados pela Finep e pelo BNDES para estimular a inovação na área de petróleo. (Págs. 1 e A3)

Mais voos no Brasil

O volume de passageiros embarcados e desembarcados em voos domésticos e internacionais nos aeroportos da Infraero acumula crescimento de 7,94% no primeiro semestre, na comparação anual. Em números absolutos, foram 93 milhões. (Págs. 1 e B5)

Odebrecht na Flórida

O grupo Odebrecht está negociando investimentos em um projeto de US$ 500 milhões em tomo do aeroporto de Miami, na Flórida, apesar das dificuldades criadas pela lei anti-Cuba. (Págs. 1 e B8)

R$ 1 bilhão em borracha

A Cautex Florestal lançará hoje em Cassilândia (MS) a pedra fundamental dó que promete ser o mais ambicioso complexo de borracha natural do país. Segundo Getulio Ferreira Junior, diretor da empresa, o empreendimento demandará um investimento total de R$ 1 bilhão. (Págs. 1 e B14)

Valora em petróleo

A gestora de recursos Valora Investimentos concluiu captação de recursos para um fundo de “private equity” voltado ao setor de petróleo e gás. Foram levantados R$ 500 milhões. (Págs. 1 e C14)

Auditoria linguística

Com o objetivo de “medir” o real conhecimento de idiomas de candidatos e funcionários, muitas companhias estão investindo em processos internos de investigação e avaliação de profissionais por meio da chamada auditoria linguística. (Págs. 1 e D1)

Petrobras sem multa

O Conselho Administrativo de Recursos Fiscais livrou a Petrobras de autuação pelo não recolhimento de contribuição previdenciária sobre serviços prestados por médicos que atendiam via plano de saúde corporativo. A multa era de R$ 470 milhões. (Págs. 1 e E1)

Ideias

Ribamar Oliveira

A chamada guerra fiscal entrou em nova etapa, muito mais danosa, pois agora está travando os investimentos no país. (Págs. 1 e A2)

Marcus André Melo

O pluralismo na composição do STF vem se reduzindo ao mesmo tempo em que seu papel social vem aumentando. (Págs. 1 e A11)

————————————————————————————

Estado de Minas

Manchete: Universidades federais – Cotas da discórdia

A reserva de 50% das vagas para estudantes que cursaram todo o ensino médio em escolas públicas, aprovada pelo Senado e à espera da sanção da presidente Dilma, vai acirrar a disputa na faixa de livre concorrência. Mas facilitará o ingresso de estudantes menos favorecidos. Em Minas são 30.003 cadeiras em 606 cursos de 11 instituições. Na cota reservada de 15 mil vagas, metade deverá ser destinada a candidatos de famílias com renda per capita de até 1,5 salário mínimo e 53,6% para os autodeclarados negros, pardos ou indígenas. As universidades terão quatro anos para se adaptar às novas regras. Os contrários à medida acreditam que deveria prevalecer o mérito acadêmico na seleção e prevêem queda no nível de ensino das federais. Os favoráveis ressaltam o cunho social do mecanismo. (Págs. 1, 21 e 22)

Greve trava aeroportos e estradas

Agentes das polícias Federal e Rodoviária Federal fizeram operação padrão em BRs e aeroportos do país, no segundo dia de paralisação. Em Confins, vistoria de todos os passageiros, inclusive com cães, formou longa fila no embarque. (Págs. 11, 24, 25 e Editorial, 6)

Privatização de Confins deve ser anunciada na terça-feira (Págs. 1 e 12)

Telefonia: CPI do Caladão ganha força na Câmara

Depois das denúncias de quedas propositais nas ligações da TIM, deputados federais protocolaram requerimento que pede a criação de comissão parlamentar de inquérito para investigar o setor de telefonia no Brasil. Iniciativa tem apoio do presidente da Casa, Marco Maia (PT-RS). (Págs. 1 e 14)

Mensalão: Defesa diz que operações bancárias foram legais

Advogados de ex-dirigentes de banco afirmam que não houve transações irregulares. (Págs. 1 e 8)

Trabalho: Brasil perto de regulamentar a terceirização

Projeto na Câmara dos Deputados que pode acabar com a polêmica em torno desse tipo de contratação deve ser apresentado à Comissão de Constituição e Justiça até o fim deste mês. No meio jurídico, nova legislação é defendida para se adequar à realidade do mercado de trabalho brasileiro. (Págs. 1 e 10)

————————————————————————————

Jornal do Commercio

Manchete: A guerra em Suape

O que era uma briga sindical virou tumulto generalizado, com ônibus queimados, quebra-quebra, embate com a polícia e prisão de dois grevistas na Refinaria Abreu e Lima e PetroquímicaSuape, onde trabalham 51 mil. (Págs. 1 e Economia 2, JC Negócios 4 e 5)

Fotolegenda: A destruição

O que se via na manhã de ontem foi correria e confronto entre trabalhadores e o Batalhão de Choque. Sete ônibus foram queimados. Confusão começou após diretoria do Sintepav-PE ler sentença do TRT que decorreu greve ilegal. Sindicalistas saíram escoltados pela PM.

Fotolegenda: O conflito

PM usou balas de borracha e bombas de efeito moral. Houve desmaios e gente ferida. Muitos trabalhadores apresentavam sinais de embriaguez. Disputa entre entidades sindicais teria causado tumulto, já que a categoria teve reajuste acima da média nacional.

Operação da PRF para a Zona Oeste

Abdias, BR-101 e 232 ficaram congestionadas com a fiscalização dos policiais rodoviários em frente ao Comando Militar do Nordeste. Movimento ocorreu em várias capitais. (Págs. 1 e Cidades 6)

————————————————————————————

Zero Hora

Manchete: Aposentadoria prevista

Este é Guilherme, 23 anos, estudante de Relações Públicas. Ele está prestes a entrar no mercado de trabalho. Neste momento, governo e Congresso debatem uma proposta que pode mudar o futuro dele e o de milhões de outros jovens. (Págs. 1, 4 e 5)

Polêmica: RS deve ter prisão só para usuários de drogas

Governo anuncia hoje a intenção de construir a cadeia, que deve ocupar terreno em Canoas. (Págs. 1 e 38)

Do outro lado: Policiais bloqueiam estradas em oito Estados

No RS, os protestos tumultuaram o trânsito na ponte do Guaíba e na BR-392, em Pelotas. (Págs. 1 e 35)

————————————————————————————

Brasil Econômico

Manchete: Mais crédito e menos juros, pede Mantega aos bancos mais uma vez

Decidido a acelerar a taxa de crescimento da economia no segundo semestre, o ministro da Fazenda se reúne com os maiores banqueiros do país e cobra deles aumento na concessão de empréstimos e custos mais baixos para os tomadores. (Págs. 1 e 30)

“Justiça não vai decolar em menos de dez anos”

Às vésperas do término de seu mandato no CNJ, Eliana Calmon diz ao BRASIL ECONÔMICO que a corrupção impede que o Poder Judiciário seja mais ágil e eficiente. (Págs. 1 e 10)

Planalto quer incentivar as obras conjuntas de estados com a União

Ministros Fernando Pimentel e Fernando Bezerra levam aos governadores os benefícios da maior integração. (Págs. 1 e 6)

Governo destina R$ 18,8 bilhões ao combate a desastres da natureza

Maior parte dos recursos será investida na drenagem e contenção de encostas, no total de 821 municípios. (Págs. 1 e 7)

Toyota anuncia investimentos de R$ 1 bilhão em novas fábricas

Montadora vai construir duas unidades para fabricação de motores em São Paulo, diz o CEO global, Akio Toyoda. (Págs. 1 e 19)

Indústrias trocam rodovias por trens, navios e aviões (Págs. 1 e 4)

Produção congelada

Greve de fiscais leva fabricantes de alimentos com o BRF Foods e Aurora a reduzir e até suspender operação. (Págs. 1 e 18)

Clipping Radiobrás

Edição: Equipe Fenatracoop

Portal Cambé, site de informações e serviços de Cambé – PR.

Responda

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.