Horistas: Bares e restaurantes pedem a flexibilização da CLT  – Governo economiza R$ 1,7 bilhão com cortes de salários irregulares – Em alta: Leite já está 8% mais caro na prateleira – Consumidor: Grandes empresas tentam se antecipar ao Procon  – Mais médicos estrangeiros – Começam a faltar produtos na Argentina -Saúde: Droga contra diabetes vira arma anticâncer – Dívidas fazem aumentar o número de usinas à venda …

Saúde: Droga contra diabetes vira arma anticâncer

O Globo

Manchete: Principais obras do PAC têm atrasos de até quatro anos

Projetos bilionários de infraestrutura com prazos de entrega revistos

Problemas ambientais, de fiscalização, greves e gastos questionados pelo TCU levam as maiores obras de infraestrutura do Programa Nacional de Aceleração (PAC) a atrasos de até quatro anos e meio. A Ferrovia Norte-Sul, que se arrasta desde o governo Sarney, e o eixo leste da transposição do Rio São Francisco estão na lista. Promessa de campanha do então presidente Lula, a Nova TransNordestina, uma obra de R$ 5,3 bilhões, será entregue quatro anos depois da previsão inicial. O levantamento feito pelo GLOBO mostra ainda que em dez chamadas megaobras, que somam R$ 171 bilhões, todas tiveram seus prazos revistos. Os entraves acabam atrasando os investimentos: recursos são reservados, mas ficam sem aplicação efetiva. O governo promete fiscalizar mais de perto as obras. (Págs. 1 e 3)

Foto-legenda: Rebeldes da Síria terão salários

Partidários de Bashar al-Assad participam de um protesto, em Istambul, contra a decisão do grupo “Amigos da Síria” de reconhecer os rebeldes e lhes conceder um salário. (Págs. 1 e 23)

Rocinha tem a oitava morte em 50 dias

Um homem foi executado ontem na Rocinha. É a 8ª morte em 50 dias na comunidade. A Secretaria de Segurança confirmou que investiga denúncias de que PMs estariam recebendo suborno de traficantes da favela. (Págs. 1 e 11)

DEM já fala em expulsar Demóstenes

O destino político do senador Demóstenes Torres (DEM-GO), envolvido com o bicheiro Carlinhos Cachoeira, começa a ser definido. O DEM deu prazo até amanhã para que ele se explique. Do contrário, partirá para a expulsão. O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ophir Cavalcante, pediu a renúncia. (Págs. 1, Ricardo Noblat e 3)

BC reduz juro, mas bancos ganham mais

Apesar da queda na taxa básica de juros, a Selic, nos últimos anos, os bancos estão aumentando suas margens de lucro nas operações de crédito. Levantamento da consultoria Austin Rating mostra que o ganho já chega a 33%. (Págs. 1 e 19)

Cruzamento de dados já gira US$ 70 bi

Tecnologia que combina cruzamento com análise avançada de dados – a chamada Big Data – vem ganhando espaço em empresas e governo. No Brasil, ela está no mapeamento do pré-sal. (Págs. 1 e 17)

Malvinas: mais perto do Brasil

O governador das Malvinas, o inglês Nigel Haywood, afirma que a Argentina atrapalha as relações do Reino Unido com o Brasil, que poderiam ser ainda melhores, e que seu país não tem interesse em elevar a tensão na região. Segundo ele, o povo das Malvinas deve ter direito à autodeterminação. (Págs. 1 e 24)
————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete: Dilma vai anunciar mais R$ 18 bilhões de incentivos à indústria

Financiamentos terão juros menores, prazos maiores e mais setores beneficiados

A presidente Dilma Rousseff vai anunciar amanhã uma reformulação nas linhas de financiamento para investimento e capital de giro do BNDES com redução nas taxas de juro, ampliação do prazo de pagamento e mais setores beneficiados. O governo aumentará em R$ 18 bilhões os recursos com taxas subsidiadas pelo Tesouro, que chegarão a R$ 227 bilhões, informa Renata Veríssimo. Será criada uma nova linha para projetos estratégicos de R$ 8 bilhões, com juros de 5% ao ano. Haverá ainda redução de juros para ônibus e caminhões e bens de capital. O financiamento para exportação sobe para 100% com prazo de 36 meses. (Págs. 1 e Economia B1)

Direto da Fonte Especial

À espera do embate decisivo

Em entrevista a Sonia Racy e Paula Bonelli, José Serra e Fernando Haddad revelam suas inspirações e aspirações à prefeitura de São Paulo e comentam a volta de Lula a um cenário de campanha que promete aprofundar a polarização entre PSDB e PT. (Págs. 1 e Caderno 2, D2 e D3)

José Serra

“Lula apoiou a Marta em 2004 e 2008, perdeu. Apoiou o Mercadante em 2010, perdeu. A tradição do Lula é não ganhar em São Paulo”

Fernando Haddad

“Estou muito confiante na recuperação do presidente. O tumor desapareceu. Ele vai se recuperar muito rapidamente agora”

Demóstenes avalia renunciar ao mandato

Em um esforço para evitar a cassação – e a consequente perda dos direitos políticos -, o senador Demóstenes Torres (DEM-GO) convocou uma reunião com o seu advogado, Antonio Carlos Castro, para avaliar a possibilidade de renunciar ao mandato. A renúncia imediata foi cobrada ontem pelo presidente da OAB, Ophir Cavalcante: “É uma medida extrema, pessoal, mas o teor das conversas telefônicas mantidas com o empresário (Carlinhos Cachoeira) evidenciam uma situação mortal para qualquer político”. (Págs. 1 e Nacional A4)

Saída de líder chinês expõe divisão do PC

Um dos favoritos ao grupo dos nove do Comitê Permanente do Politburo, Bo Xilai foi afastado do cargo de líder do Partido Comunista em Chongqing, centro industrial da China. O expurgo põe em xeque os métodos de Bo contra o crime organizado, que lembram os anos de terror no país. (Págs. 1 e Internacional A10)

Maior rigor para turistas espanhóis começa hoje (Págs. 1 e Cidades C1)

Dívidas fazem aumentar o número de usinas à venda (Págs. 1 e Economia B6)

TAM e Gol reduzem frota e elevam preços (Págs. 1 e Negócios N1)

Carlos A. Sardenberg

Brics, a agenda furada

Por que a reunião dos cinco principais emergentes envereda por propostas vagas e distantes? Porque é só aí que tem algum acordo. (Págs. 1 e Economia B2)

Notas & Informações

A crise que não existe

A cena política evidencia que o presidencialismo de coalizão caminha para a exaustão. (Págs. 1 e A3)

Lan Bremmer e David Gordon

Contra a hidra da Al Qaeda

Embora os extremistas sunitas tenham afastado seu foco dos EUA, o desafio que representam para a política externa amerciana aumentou. (Págs. 1 e Visão Global A12)

————————————————————————————

Correio Braziliense

Manchete: Bancos elevam tarifas em 78% e ampliam lucro

Com os juros dos títulos públicos em baixa, as instituições pesam a mão nas taxas cobradas aos clientes para garantir a lucratividade. O aumento nos últimos dois anos está bem acima da inflação medida no período, de 17,65%. No acumulado de 2011, a renda com tarifas bancárias e cartões de crédito somou R$ 39,1 bilhões, o equivalente a 66% do lucro obtido do setor. A Associação Brasileira de Defesa do Consumidor alerta que o brasileiro também tem sido punido com a cobrança de anuidades elevadas do cartão. (Págs. 1 e 7)

Número de motos em Brasília cresce 320% em 10 anos

O aumento foi quatro vezes maior que o da frota de carros no período. Os índices vêm acompanhados de uma outra estatística preocupante: a cada 10 acidentes envolvendo motociclistas, em média sete condutores precisam de cuidados médicos. No caso dos motoristas, em apenas três colisões há ferimentos mais graves.

Faixa repaginada

Novos pontos de travessia de pedestres, motivo de orgulho para os brasilienses, estão em fase de teste em cinco locais do DF. Inspirados em modelo londrino, eles têm cores e tamanhos diferenciados. Se for comprovada a eficácia, a nova faixa poderá ser adotada em outros estados brasileiros. (Págs. 1, 17 e 18)

Educação abre portas da indústria para jovens

Cada vez mais, os cursos profissionalizantes atraem moças e rapazes para a sala de aula. Nos últimos dois anos, o total de alunos matriculados no Senai-DF cresceu 9,7%. Em 2011, 27.193 estudantes apostaram na força do ensino técnico, em 20 diferentes áreas, como trampolim para conseguir um bom emprego. (Págs. 1 e 21)

Presidente da OAB cobra a renúncia de Demóstenes (Págs. 1 e 4)

Saúde: Droga contra diabetes vira arma anticâncer

A metformina, substância indicada para diminuir a quantidade de açúcar no sangue, tem se revelado um importante agente de combate a tumores. (Págs. 1 e 15)

Oriente Médio: 83 países vão bancar ação de rebeldes sírios

A comunidade internacional reconhece oposição ao regime de Bashar Al-Assad como principal interlocutora e cria fundo para pagar salário de insurgentes. (Págs. 1 e 12)
————————————————————————————

Valor Econômico

Manchete: Múltis promovem o Brasil na rede global da inovação

As grandes companhias de tecnologia da informação e comunicação estão desenvolvendo no Brasil sistemas e produtos que são usados e vendidos globalmente. O software para impressão a distância da Hewlett-Packard, o sistema de prevenção de enchentes da IBM e o programa de monitoramento de caixas eletrônicos da americana Diebold são exemplos de bens e serviços com DNA brasileiro. “Fomos promovidos de liga”, brinca Paulo Iudicibus, diretor de novas tecnologias e inovação da Microsoft.

É difícil saber o volume de recursos aplicados em pesquisa pelas empresas multinacionais, que em geral mantêm os valores em sigilo. Entre 13 grandes companhias ouvidas pelo Valor, os aportes variam de R$ 35 milhões a R$ 3 bilhões, dependendo do período de investimento. Mas há outros indicadores que tornam evidente a atenção despertada. É o caso do número de pesquisadores contratados. Somados, os times próprios e os profissionais de universidades envolvidos nos projetos das 13 companhias chegam a 2,7 mil pessoas. (Págs. 1 e B3)

Começam a faltar produtos na Argentina

As barreiras criadas pelo governo argentino para dificultar a entrada de produtos importados começam a provocar desabastecimento no país. Faltam roupas, eletrodomésticos (principalmente liquidificadores), brinquedos e até alimentos. Em vitrinas das lojas da capital, manequins ainda ostentam roupas leves, de verão, enquanto nas ruas as pessoas já usam agasalhos.

Segundo o diretor de relações institucionais da Câmara de Importadores da Argentina, Miguel Ponce, das 164 mil declarações de importação apresentadas desde 1º de fevereiro, 51 mil ainda não foram liberadas. A barreira motivou queixa contra a Argentina na OMC por parte da União Europeia, dos Estados Unidos e de outros 14 países. (Págs. 1 e A13)

País agora atrai bancos chineses

Os bancos estatais da China, os maiores do mundo, rondam o mercado brasileiro. O Industrial and Commercial Bank of China (ICBC), o maior deles, espera desde o ano passado o sinal verde para poder atuar no país e já está com contrato de locação assinado para ocupar um escritório no coração financeiro de São Paulo. O China Construction Bank (CCB) sonda há meses possibilidades de entrada por meio de aquisições de bancos de pequeno ou médio portes e teria de US$ 500 milhões a US$ 600 milhões para a empreitada. O Bank of China, menor que os outros dois, opera como banco múltiplo desde 2009 e começará agora a atuar mais intensamente. Juntos, os três têm valor de mercado próximo de US$ 570 bilhões. (Págs. 1 e C1)

Foto-legenda: Frete mais caro

Maersk Line, maior transportadora de contêineres do mundo, está reajustando os fretes na tentativa de reverter os prejuízos do ano passado, quando registrou perda global de US$ 602 milhões. O aumento depende da rota e dos clientes, mas está em torno de 30%. (Págs. 1 e B7)

Novatas na bolsa mudam após fusões

Quem comprou ações da Abyara em sua estreia na bolsa em julho de 2006, três anos depois passou a ser acionista não só da companhia, mas também da Klabin Segall e da Agra, que se uniram na Agre Empreendimentos Imobiliários. Passados oito meses, esse mesmo investidor se tornou sócio da PDG depois que esta empresa comprou a Agre.

De uma lista de 147 empresas que, de 2004 a 2011, chegaram à bolsa, 57 (39% do total) não existem mais na forma como entraram no mercado. Nesse período, elas se engajaram em algum tipo de consolidação; lideraram ou foram alvos de fusões e aquisições. (Págs. 1 e B1)

Em 2011, companhias abertas lucraram menos

A desaceleração da economia na segunda metade do ano e a pressão de custos e despesas afetaram os balanços das empresas brasileiras de capital de aberto em 2011, segundo Levantamento feito pelo Valor Data com base no banco de dados da consultoria Economática. Os números de 209 empresas não financeiras mostram que as receitas líquidas cresceram 14,5% em relação a 2010, ritmo bem menor que o avanço do ano anterior (20%). O lucro operacional (antes de impostos e do resultado financeiro) caiu 5,1% em 2011 e a margem operacional recuou de 19% para 15,7%. Já o lucro líquido encolheu 23%.

Os empresários iniciaram 2011 com expectativas positivas, que se confirmaram na primeira metade do ano. Mas o agravamento da crise europeia, a piora da inflação e os efeitos retardados dos aumentos da taxa de juros promovidos pelo Banco Central enfraqueceram o ritmo de atividade dali em diante. (Págs. 1 e B2)

Produtividade cai e pressiona indústria

Entre 2008 e 2011, a produtividade “perdeu” a corrida para os salários, ampliando o custo do aumento real pago aos trabalhadores da indústria no período. Enquanto os salários, em reais, cresceram 12,4%, os ganhos de eficiência obtidos pela indústria de transformação foram de apenas 4,7% na mesma comparação. Números da Universidade da Pensilvânia indicam que o trabalhador brasileiro produziu, em 2008, o equivalente a US$ 17,9 mil por ano, enquanto a produção do americano equivaleu a US$ 84,7 mil, e a do chinês, a US$ 11,9 mil.

Para economistas, a baixa produtividade – que vem tanto da baixa qualificação, como do pequeno investimento em inovação e de ineficiências na gestão – torna o custo salarial mais pesado para a indústria brasileira. Uma pesquisa da KPMG indica que o custo de produção industrial no Brasil é o quinto maior entre 14 países, mas a maior culpa não é da folha de pagamentos. O Brasil tem a maior carga tributária sobre lucro, mas quatro países possuem custo salarial menor. (Págs. 1, A2 e A3)

Plano do PT é avançar nas grandes cidades

Mais do que ultrapassar o PMDB em número de cidades governadas, o que o PT pretende é aumentar sua fatia no conjunto dos 118 municípios com mais de 150 mil eleitores. Esse colégio eleitoral equivale a 41% do total do país. O partido avalia que é mais importante avançar nos municípios maiores, que têm poder de irradiação política, do que governar um grande número de pequenas cidades.

O PT já é a agremiação mais bem representada nesse colégio eleitoral, com 33 municípios. Levantamento feito pela direção do partido, e obtido com exclusividade pelo Valor , mostra que o PT já está organizado para disputar, com candidatura própria, as prefeituras de 75 dessas 118 cidades, sendo que em 20 delas são prefeitos petistas que buscam a reeleição. (Págs. 1 e A6)

Indústria reduz investimentos

Pesquisa da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo mostra que o setor deve investir neste ano R$ 167,1 bilhões, uma redução de 3,4% em relação a 2011, quando os investimentos já tiveram queda de 4,7% em relação ao ano anterior. (Págs. 1 e A2)

Governo tenta desencalhar ZPEs

Mesmo com 23 Zonas de Processamento de Exportação (ZPE) no país e a 24ª a caminho, nenhuma delas existe efetivamente. Agora, o governo definiu seis com maior potencial e tentara tirá-las do papel. (Págs. 1 e A4)

Mais médicos estrangeiros

Governo quer facilitar a entrada de médicos estrangeiros para trabalhar no país. A Casa Civil e o Ministério da Saúde preparam mudanças nas exigências para homologação de diplomas internacionais. (Págs. 1 e A16)

Tractebel investe em usina solar

A Tractebel planeja investimento de R$ 56,3 milhões na segunda usina de energia solar do país – a única em funcionamento pertence à MPX. O início da operação está previsto para o fim do próximo ano. (Págs. 1 e B6)

‘Caldeirão elétrico’

O Estádio do Pituaçu, do Esporte Clube Bahia, será a primeira arena autossuficiente em eletricidade da América latina, por meio da instalação de painéis de energia solar. A geração excedente será utilizada por repartições públicas. (Págs. 1 e B6)

Bolognesi compra a Multiner

O grupo Bolognesi, originalmente do ramo imobiliário, anuncia hoje a compra do controle acionário da Multiner Energia, que possui concessões para construir e operar 1.305 MW em usinas termelétricas a óleo e usinas eólicas. (Págs. 1 e B7)

Clima ameaça o café

O volume da próxima safra brasileira de café, que ajudou a derrubar os preços em Nova York nos últimos meses, poderá não ser tão grande quanto as estimativas iniciais. Em Minas, maior produtor, a estiagem deve reduzir a colheita em 2 milhões de sacas. (Págs. 1 e B15)

Girassol se consolida no MT

Alternativa rentável para a entressafra da soja e do milho no Mato Grosso, a produção de girassol no Estado deve alcançar 94,6 mil toneladas no ciclo 2011/12, com aumento de 24%. (Págs. 1 e B16)

Ideias

Sergio Leo

Presidente Dilma Rousseff levará ao colega Barack Obama, na próxima semana, posição dos Brics em defesa do Irã. (Págs. 1 e A2)

Ideias

Gustavo Loyola

Uma política de restrições às importações não pode ser considerada parte da solução dos problemas da indústria. (Págs. 1 e A15)
————————————————————————————

Estado de Minas

Manchete: Crack se espalha por BH

Depois de serem praticamente expulsos da cracolândia, na Lagoinha, os usuários da chamada “pedra do mal” se alastram por regiões de belo Horizonte e estão cada vez mais visíveis aos olhos da população. Sob o efeito da droga, eles assustam moradores de várias regiões da cidade. Na movimentada Avenida Antônio Carlos, os novos viadutos estão sendo ocupados por grupos de usuários, que invadem os gramados e escadas das construções recentes. Eles também circulam, dia e noite, pelo Centro da cidade, e especial nas proximidades da Estação Lagoinha do metrô, ao longo da Avenida dos Andradas, até chegar embaixo do Viaduto Santa Tereza. (Págs. 1, 17 e 18)

Eleições: Deputados na hora da retribuição

Prefeitos do interior cobram agora dos parlamentares que ajudaram o apoio nas eleições de 2012. Pelo menos 24 deputados estaduais e 11 federais vão disputar prefeituras. (Págs. 1 e 4)

Consumidor: Grandes empresas tentam se antecipar ao Procon (Págs. 1, 12 e 13)

Horistas: Bares e restaurantes pedem a flexibilização da CLT (Págs. 1 e 10)

————————————————————————————

Jornal do Commercio

Manchete: Santa vence e é vice-líder (Págs. 1 e Esportes 4 a 6)

Espanhóis terão regra dura para entrar no Brasil

Todos que chegam ao País a partir de hoje, serão submetidos a exigências semelhantes às adotadas pela Espanha com os brasileiros. (Págs. 1 e 4)

Governo lança amanhã pacote de recuperação da indústria nacional (Págs. 1 e 8)

Argentinos nas ruas para marcar os 30 anos da Guerra das Malvinas (Págs. 1, Capa Dois e 7)

IFPE vai abrir concurso para 85 vagas

Seleção pretende contratar 64 professores, além de outros 12 profissionais de nível superior e nove de nível médio. (Págs. 1 e 10)
————————————————————————————

Zero Hora

Manchete: Para estancar a crise – DEM dá ultimato a Demóstenes

Partido tenta, já na manhã de hoje, forçar a desfiliação e a renúncia do senador goiano. Envolvido em esquema com um bicheiro, político que era defensor da moralidade mostrou outra face.

“O Ético
Não se admite que os destinos da nação possam ser geridos por representantes que não possuem conduta adequada à dignidade das relevantes funções públicas”

Frase de Demóstenes, relator da Lei da Ficha Limpa, no prefácio do livro Ficha Limpa: a Vitória da Sociedade, de autoria do presidente da OAB, Ophir Cavalcanti

“O amigão
Fala, professor … Ó, é o seguinte: tem uma notícia ruim. Tem que demitir aqui (…) Tão aqui nos gabinetes procurando servidores fantasmas (…) No futuro, a gente volta a resolver isso aí, falou?”

Em maio de 2009, ao telefone com o bicheiro Carlinhos Cachoeira, combinando um dos muitos temas que os dois costumavam tratar. (Págs. 1, 4, 5, Letícia Duarte, 8 e Carolina Bahia, 13)

Pacote: Governo quer juro menor ao consumidor

Medidas prometidas para amanhã pretendem fazer a taxa bancária cair tanto quanto a Selic. (Págs. 1 e 10)

Benefício: Ajuda extra a juízes volta a ser debatido

Assembleia fará audiência sobre auxílio-moradia que garantirá R$ 820 mil a cada magistrado gaúcho. (Págs. 1 e 6)

Em alta: Leite já está 8% mais caro na prateleira

Seca afetou pastagens e reduziu produção. Preço não cai, mesmo com o retorno da chuva. (Págs. 1 e 19)
————————————————————————————

Brasil Econômico

anchete: Governo economiza R$ 1,7 bilhão com cortes de salários irregulares

O “pente-fino” na folha do funcionalismo, com o corte de salários de servidores mortos, gera boa economia, garante a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, em entrevista ao BRASIL ECONÔMICO. De 36 mil casos analisados, 23 mil estavam irregulares. (Págs. 1 e 4)

O alto preço dos pequenos partidos

Na hora da montagem dos palanques regionais é que os partidos médios, como PSB e PSD, se valorizam e fazem muitas exigências para fechar alianças. (Págs. 1 e 8)

Camargo Corrêa avança ao exterior

O grupo fez uma proposta de compra do controle da Cimpor, a maior cimenteira de Portugal. A aquisição das ações pode chegar a € 2,4 bilhões. (Págs. 1 e 18)

Petrobras perde R$ 15 bi com subsídio

Defasagem de preços da gasolina amplia prejuízo da companhia. (Págs. 1 e 11)

Chamex planeja entrar no papelão

Companhia tem interesse no setor de embalagens e busca empresa brasileira para fazer parceria. (Págs. 1 e 19)

Londres vai ter antidoping inédito

Laboratório será capaz de analisar 400 amostras por dia e vai servir de exemplo para Jogos do Rio. (Págs. 1 e 26)

Em busca dos estrangeiros

Denise Pavarina, do Bradesco: “Queremos ser os melhores gestores da América Latina”. (Págs. 1 e 30)
Clipping Radiobrás

Edição: Equipe Fenatracoop

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.