Estradas desguarnecidas:Policiais rodoviários vão começar greve na quinta. Entre as ações, está prevista a suspensão da pesagem, da aplicação de multas e do uso de radar… – Sindicato ameaça parar o Estado. Grupo que já paralisa a refinaria de Suape fala em suspender obras como transposição e Arena da Copa… – Governo volta a negociar, mas cortará o ponto; Cerca de 80 mil servidores públicos da União vão receber os salários deste mês com os descontos dos dias parados em greve. Apesar da medida, que vai atingir todo o funcionalismo — até mesmo os professores das universidades —, o governo federal … 

O Globo

Manchete: A hora do mensalão – Para enfraquecer procurador, Jefferson agora acusa Lula

‘Não se pode afirmar que o presidente fosse pateta, não soubesse de nada’, diz defensor

Após assegurar, em 2005, que o ex-presidente era inocente e desconhecia o esquema do mensalão, presidente do PTB, que denunciou escândalo, muda de tom e diz que na época não sabia das relações de Lula com o banco BMG

Como O GLOBO antecipou, Luiz Francisco Barbosa, defensor do ex-deputado Roberto Jefferson, usou boa parte dos 40 minutos de defesa no STF para atacar o ex-presidente Lula. Com o objetivo de enfraquecer a denúncia do procurador-geral Roberto Gurgel contra seu cliente, Barbosa disse que Lula é o verdadeiro mandante do mensalão e pediu que ele seja investigado pelo STF. Segundo Barbosa, todos os ministros, inclusive José Dirceu, apontado como chefe da quadrilha, cumpriam ordens de Lula. “Não se pode afirmar que o presidente fosse um pateta, que sob suas barbas, acontecendo as tenebrosas transações, não soubesse de nada. Não só sabia, como ordenou o encadeamento disso tudo.” Jefferson apoiou: “Se eu soubesse disso, jogaria Lula no chão.” (Págs. 1 e 3 a 5)

STJ determina abertura de inquérito contra Marconi Perillo (Págs. 1 e 7)

Mensalão traduzido
Diego W. Arguelhes

Lula em si não importa, não pode mais ser réu. O alvo é a Procuradoria Geral da República. (Págs 1 e 4)

Fatos e visões da realidade
Merval Pereira

Defesas promovem desfile de homens puros acusados injustamente. (Págs. 1 e 4)

Rio, capital olímpica – Governo vai criar o bolsa ouro

Insatisfeito com os resultados do Brasil em Londres, o governo vai criar o Bolsa Ouro. Os atletas com chances de medalha no Rio em 2016 receberão verbas mensais de R$ 5 mil a R$ 15 mil, sem que os recursos passem por entidades esportivas, como o COB. O objetivo é levar o país às dez primeiras posições no ranking de medalhas, o que em Londres equivaleria a subir mais quatro vezes ao alto do pódio. O Brasil ficou em 22º, com três ouros. A Austrália foi o 10º, com sete. (Págs. 1, Caderno Esportes e editorial “Para não repetir a frustração de Londres”, 16)

Fotolegenda: É nossa

A bandeira olímpica original, feita para Seul (1988), é aberta no desembarque do Galeão, ontem, às 16h57m. Guardada numa caixa de madeira, segue hoje para Brasília e volta amanhã para o Rio. Uma réplica será hasteada no Alemão. (Págs 1, 9 e 10)

Orgulho londrino em alta após sucesso dos Jogos (Págs 1 e Caderno de Esportes)

Enquanto isso, o Galeão…

Aeroporto não entra em pacote de concessões de Dilma.(Págs. 1 e 23)

Seca americana afeta inflação

A estiagem encareceu grãos, como soja, milho e trigo, em até 33% desde maio. Como esses preços seguem cotação internacional, ficarão mais caros no Brasil já na inflação de agosto. (Págs. 1 e 19)

Preço de carro no Brasil é criticado

A reportagem “O ridículo Jeep Grand Cherokee brasileiro de US$ 80 mil” da “Forbes”, critica os preços abusivos dos importados. Com o dinheiro, é possível comprar nos EUA três carros iguais. (Págs. 1 e 24)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete: Advogado de Jefferson diz que Lula ordenou mensalão

Segundo Corrêa Barbosa, ex-ministros indiciados seriam apenas auxiliares do então presidente

O advogado Francisco Corrêa Barbosa, que defende o presidente do PTB, Roberto Jefferson, sustentou ontem ao Supremo que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva “ordenou” o mensalão. O advogado do ex-deputado, pivô do escândalo, cobrou a inclusão do nome de Lula no processo e disse que sua não citação é “omissão dolosa”. Lula não comentou a acusação. Para Barbosa, os ex-ministros acusados – José Dirceu, Anderson Adauto e Luiz Gushiken – seriam apenas auxiliares do então presidente. A defesa do ex-deputado e ex-bispo Carlos Rodrigues disse que os recursos recebidos por meio do valerioduto foram usados para pagar dívidas de campanha em apoio a Lula. (Págs. 1 e Nacional A4)

Roberto Jefferson
Réu do mensalão

“Acho que o STF não vai enfrentar a galera, e a galera quer a condenação”

Governo quer R$ 60 bi em 5 anos para transportes

O governo espera atrair investimentos privados de R$ 60 bilhões em cinco anos para melhorar a infraestrutura rodoviária e ferroviária do País. O pacote de medidas, batizado de Plano Nacional de Logística Integrada, tem valor total estimado entre R$ 80 bilhões e R$ 90 bilhões, incluindo as obras em portos e aeroportos. O custo do trem de alta velocidade entre São Paulo e Rio não faz parte do montante. (Págs. 1 e Economia B1)

Infraero pode liderar consórcios

A Infraero poderá ser imposta como sócia majoritária na administração de Galeão (RJ) e Confins (MG). (Págs. 1 e B3)

Dilma negocia salários baixos com sindicatos

A presidente Dilma Rousseff autorizou a realização de reuniões com sindicatos de servidores para dar resposta aos pedidos de reajuste. A ordem é deixar de lado as centrais sindicais e só atender os grupos com salários menores e há muitos anos sem reajuste. A greve dos servidores já prejudica atividades de investigação e controle da corrupção no governo pela Controladoria-Geral da União (CGU). (Págs. 1 e Nacional A12)

Programa de universidades em falhas

Lançado em 2007, o Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni) ampliou em 63% o número de vagas, mas os investimentos não acompanharam essa expansão. Estudantes enfrentam bibliotecas desabastecidas, falta de aulas em laboratórios e salas superlotadas. O MEC reconhece dificuldades. (Págs. 1 e Vida A16)

Aérea só pode cobrar 10% para remarcar passagem (Págs. 1 e Cidades C1)

Diplomata da Síria na ONU deserta (Págs. 1 e Internacional A13)

Solto o último condenado por mortes na Candelária (Págs. 1 e Cidades C3)

Teles não cobrarão nova chamada se ligação cair (Págs. 1 e Economia B10)

Celso Ming

Cabo de guerra

Entre 300 mil e 350 mil servidores públicos estão em greve e o governo Dilma está colhendo o que ele e o de Lula semearam. (Págs. 1 e Economia B2)

Notas & Informações

O difícil resgate da Petrobras

Graça Foster deu ontem mais um passo para reconduzir a empresa a seus objetivos originais. (Págs. 1 e A3)

————————————————————————————

Correio Braziliense

Manchete: Governo volta a negociar, mas cortará o ponto

Cerca de 80 mil servidores públicos da União vão receber os salários deste mês com os descontos dos dias parados em greve. Apesar da medida, que vai atingir todo o funcionalismo — até mesmo os professores das universidades —, o governo federal pretende apresentar, a partir de hoje, propostas de reajustes para alguns sindicatos. Serão privilegiadas as categorias que não recebem aumento há mais tempo. O índice médio de 22% pedido pelos grevistas está totalmente descartado. A paralisação dos serviços em todo o país, a radicalização do movimento e o impasse nas negociações têm desgastado o Palácio do Planalto, que já enfrenta problemas com sua base política. (Págs. 1 e 11 a 13)

Mensalão – Jefferson: Lula sabia e ordenou esquema

Luiz Francisco Barbosa, advogado de Roberto Jefferson, defendeu o cliente com fortes ataques ao ex-presidente e ao procurador-geral, Roberto Gurgel. Ele afirmou que Lula comandou o mensalão e classificou a denúncia do MP de “açodada e midiática”. (Págs. 1, 2 e 3)

Câmara debate o fim dos 14º e 15º salários (Págs. 1 e 6)

Falta exame de toxoplasmose

Obrigatório na lista do pré-natal, o teste não está sendo realizado pela rede pública do DF. Mais de 40 mil gestantes deixaram de ser atendidas este ano. (Págs. 1 e 23)

Campanha para denunciar abuso sexual no futebol (Págs. 1 e 9)

Para ministro do Esporte, rendimento “está dentro do esperado” (Super Esportes, 10 a 15)

————————————————————————————

Valor Econômico

Manchete: Trem-bala será “fatiado” para apressar obras

O governo resolveu “fatiar” a construção do trem de alta velocidade Rio-São Paulo-Campinas em vários lotes diferentes para acelerar suas obras e inaugurar o empreendimento antes de 2020. Segundo Bernardo Figueiredo, presidente da Etav, a estatal criada para entrar no negócio, a ideia é dividir o projeto – que soma 511 quilômetros – em possivelmente dez trechos de cerca de 50 quilômetros. Isso criará frentes de trabalho paralelas e evitará que a obra fique na dependência de um grupo restrito de construtoras.

Na avaliação do governo, a parte mais crítica do projeto são as obras civis. “Se tivermos uma só empreiteira para fazer 500 quilômetros em quatro anos, provavelmente o prazo não será cumprido. Mas se tivermos dez grupos trabalhando ao mesmo tempo, talvez esse não seja um desafio tão grande”, diz Figueiredo. (Págs. 1 e A3)

Galvão fará navios para a Petrobras

O grupo Galvão criou uma joint venture com a norueguesa Odfjell para construção e afretamento de três navios-sonda para a Petrobras. Com isso, a companhia brasileira tira do papel seu projeto voltado ao mercado do petróleo – uma de suas três áreas estratégicas para os próximos anos. A Galvão Odfjell (50% cada grupo) será responsável pela operação dos navios-sonda para a Petrobras durante 15 anos – prazo que pode ser estendido por mais cinco anos. Os contratos têm valor total de US$ 12 bilhões e foram firmados entre a Petrobras e a sociedade composta pela investidora Sete Brasil (80%) e pela Galvão Odfjell (20%). (Págs. 1 e B1)

G-20 avalia alta dos alimentos

A França e os Estados Unidos articulavam ontem uma reunião telefônica a ser feita amanhã para verificar se há necessidade de o G-20 dar uma resposta à alta de preços dos alimentos causada pela pior seca nos últimos 50 anos nos EUA. A ideia é convocar o primeiro encontro do Foro de Reação Rápida – instância criada em 2011 para oferecer uma contrapartida em caso de forte tensão nos mercados e prevenir uma crise alimentar mundial.

O Valor apurou que o plano é evitar, de um lado, que produtores agrícolas restrinjam as exportações e, de outro, que importadores se apressem em acumular enormes estoques de cereais. Nos dois casos haveria uma explosão de preços com capacidade de deflagrar uma nova crise alimentar mundial. (Págs. 1 e B14)

Olimpíada frustra hotéis de Londres

A Olimpíada de Londres frustrou a expectativa de hotéis, restaurantes e do comércio do Reino Unido. Segundo a AP, pesquisa com 250 operadoras mostrou que o número de turistas caiu de 10% a 30% em comparação com o mesmo período do ano passado. Teria ocorrido em Londres o que já se verificou em outras Olimpíadas ou em Copas do Mundo. Os turistas tradicionais evitaram o Reino Unido e o número de turistas olímpicos não foi suficiente para compensar essa perda. Dados oficiais, porém, só serão divulgados em setembro. (Págs. 1 e B8)

No conflito sírio, cristãos vivem sob fogo cruzado

Poucos lugares são tão centrais como a Síria na longa história do cristianismo. Mas as comunidades cristãs na Síria estão sendo severamente testadas pela revolta que angustia o país há mais de um ano. Elas relembram o ano de 636, quando o imperador bizantino cristão Heráclio viu seu exército ser derrotado pelas forças muçulmanas ao sul da atual Damasco. Não poucos cristãos na moderna Síria temem que a atual crise possa terminar da mesma maneira, para eles, se Bashar al-Assad e seu regime forem derrotados pela insurgência rebelde.

Desde o início do atual conflito, história e religião têm desempenhado um papel fundamental no fomento das paixões em ambos os campos na Síria. E isso ficou mais pronunciado à medida que o conflito foi se arrastando, tornando-se mais sangrento e perverso. Muitos cristãos temem que um governo que venha a substituir o regime de Assad possa ser dominado por grupos como a Irmandade Muçulmana, que poderiam devolvê-los à condição de cidadãos de segunda classe. Também temem que suas comunidades possam ser devastadas pelo fogo cruzado entre a insurgência predominantemente muçulmana sunita síria e o bem armado regime alauita. (Págs. 1 e A14)

Preço irrisório da gasolina na Venezuela estimula desperdício e contrabando (Págs. 1 e A11)

Títulos de dívida de empresas viram febre nos Estados Unidos (Págs. 1 e B11)

Imóveis atraem estrangeiros

Investidores estrangeiros estão despejando bilhões de libras na compra de escritórios, lojas e prédios industriais no Reino Unido, podendo já deter 23% dos imóveis comerciais no país. (Págs. 1 e A11)

Orientação para portos

Um estudo da Booz&Co a pedido do BNDES serve de base para orientar discussões sobre os portos. O trabalho faz sugestões que, se adotadas, reforçarão o poder de planejamento do governo no setor. (Págs. 1 e B4)

Mudanças na FNQ

A Fundação Nacional da Qualidade (FNQ), criada há 20 anos para melhorar a gestão das empresas, está mudando sua estratégia para arrecadar mais recursos. A meta é ampliar a receita para R$ 12,4 milhões. (Págs. 1 e B4)

Latam investe na frota

A Latam Airlines, holding da LAN e da TAM Linhas Aéreas, planeja investir US$ 7,8 bilhões em aumento e renovação de frota entre 2012 e 2014. Nesse período, a quantidade de aviões vai crescer 12,5%, informou a companhia. (Págs. 1 e B4)

O Brasil visto pelo mercado

O momento do Brasil nos mercados é como o de um namoro em uma fase ruim, mas que não necessariamente deve culminar em separação. A comparação é de Mauro Leos, analista de risco da América Latina da agência Moody’s e um dos responsáveis pela nota soberana do Brasil. (Págs. 1 e C3)

O banco dos Brics

A primeira reunião para a criação do banco de desenvolvimento dos Brics — Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul — ocorrerá hoje no Rio de Janeiro, trazendo na agenda a proposta de capital inicial da instituição. (Págs. 1 e C12)

Ideias

Antonio Delfim Netto

Para continuar a crescer com estabilidade, não se pode transigir com aumentos “exigidos” pelo funcionalismo sindical. (Págs. 1 e A2)

Yoshiaki Nakano

Não adianta o câmbio ser momentaneamente competitivo se os empresários não acreditarem na sua sustentação. (Págs. 1 e A13)

————————————————————————————

Estado de Minas

Manchete: Afinal, quem manda na rua?

Flanelinhas continuam à vontade

Mesmo depois da denúncia publicada no domingo pelo Estado de Minas, mostrando que os tomadores de conta de carro, licenciados ou não, privatizam o espaço público e extorquem dinheiro dos motoristas, a Prefeitura de BH não tomou providência e informou que nada pretende fazer. A PM também não tinha qualquer operação programada contra a ação ilegal dos flanelinhas. Ontem, uma equipe do jornal percorreu quarteirões onde funcionam esquemas que chegam a render R$6mil por mês para os achacadores e eles agiam sem ser perturbados. (Págs. 1 e Gerais, Capa)

Campeões dos cálculos

Coimbra, Dores do Turvo e Senador Firmino, na Zona da Mata, têm juntas pouco mais de 18 mil habitantes. Mas é dessas cidades mineiras a elite dos estudantes que predominam no pódio das Olimpíadas Brasileiras de Matemática das Escolas Públicas, com 57 medalhas nos últimos sete anos. Aline Mafra, de 14 anos, e André Ázar, de 13, acumulam vitórias em suas categorias e se preparam para a segunda etapa de provas da competição deste ano. Os campeões serão anunciados em novembro. (Págs. 1 e 31)

Mensalão: Advogado de Jefferson acusa Lula

Defensor do ex-deputado federal Roberto Jefferson sustentou no oitavo dia de julgamento no STF que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva “não só sabia, como ordenou”o suposto esquema de corrupção. Fala do advogado recebeu críticas da base aliada do governo e alimentou ataques da oposição no Congresso Nacional. (Págs. 1, 3 e 4)

Aviação: Taxa para remarcar voos não poderá superar 10%

Decisão da Justiça Federal prevê multa de R$ 100 mil caso TAM, Gol, Cruiser, Taf e Total não respeitem o limite nos pedidos de cancelamento ou troca de datas das passagens. (Págs. 1 e 20)

Greve deixa 3,4 mil sem passaportes em Minas (Págs. 1 e 26)

Pacote: Investimento a conta-gotas no transporte

Conjunto de medidas com concessões de rodovias e ferrovias à iniciativa privada começa a ser divulgado amanhã pelo governo federal. Primeira leva inclui trechos da BR-040 e da BR-116, em Minas. Planalto anunciará ainda a redução do custo da energia elétrica para indústrias. (Págs. 1, 17 e Editorial, 8)

Voto reforçado

MG tem 13 cidades com mais eleitores do que habitantes. (Págs. 1 e 5)

————————————————————————————

Jornal do Commercio

Manchete: Canos novos em 16 bairros

Compesa vai substituir 160 Km de tubulação no Recife, para evitar vazamentos. Outro serviço vai deixar sem água, por três dias, a partir de amanhã, 30 localidades da capital, dez de Jaboatão e oito de Camaragibe. São Lourenço terá rodízio. (Págs. 1 e Cidades 1)

Sindicato ameaça parar o Estado

Grupo que já paralisa a refinaria de Suape fala em suspender obras como transposição e Arena da Copa. (Págs. 1 e Economia 1)

Defesa de Jefferson acusa Lula

Advogado do presidente do PTB disse que o ex-presidente Lula foi mandante do mensalão. (Págs. 1 e 3)

Brasil sem miséria investe no sorriso

Ministério da Saúde vai distribuir unidades odontológicas móveis em 47 cidades de todas as regiões do Estado. (Págs. 1 e Cidades 2)

Poluição visual

Oficiais de Justiça recolheram 46 cavaletes de campanha expostos em locais proibidos. (Págs. 1 e 4)

Fotolegenda: Olimpíada

Autoridades e atletas trouxeram a bandeira olímpica para o Rio, oficializando a cidade como sede dos Jogos. (Págs. 1 e Esportes 5)

————————————————————————————

Zero Hora

Manchete: Polo naval leva Estado a triplicar os negócios do setor em três anos

Plano de incentivo à indústria nacional, anunciado ontem, deve favorecer um segmento inexistente até 2007, que hoje emprega 5 mil pessoas e deve chegar a 14 mil até 2015. (Págs. 1 e 18)

Estradas desguarnecidas: Policiais rodoviários vão começar greve na quinta

Entre as ações, está prevista a suspensão da pesagem, da aplicação de multas e do uso de radar. (Págs. 1 e 28)

————————————————————————————

Brasil Econômico

Manchete: OHL e PanAmericano entram na fila para o fechamento de capital

Com a queda do mercado e a perda de valor patrimonial, empresas reavaliam o custo de manter ações em poder do público. Diante da baixa rentabilidade, 23 delas já decidiram sair da bolsa. O número é 44% maior do que em todo o ano passado. (Págs. 1 e 30)

Chrysler quer liderar em carros premium

Montadora americana elege o Brasil como mercado preferencial para avançar e até 2015 pretende superar marcas como BMW, Audi Mercedes, Volvo e Land Rover. (Págs. 1 e 17)

Importações de carro do México aumentam 77%

Novo acordo automotivo bilateral está em vigor há apenas 4 meses, mas as vendas de veículos para o Brasil já somam US$ 908 milhões, ou 68% do total previsto. (Págs. 1 e 6)

Comerciário vai ter a profissão regulamentada

Projeto de lei de autoria do senador Paulo Paim (PT-RS) está prestes a ser votado. E tem base no entendimento entre a categoria e empresários. (Págs. 1 e 10)

Aeroportos e portos ficam de fora do pacote

A presidente Dilma anuncia amanhã o plano para eliminar os gargalos logísticos do país. Na primeira fase, haverá concessões para rodovias e ferrovias. (Págs. 1, 4 e 5)

GE deve pagar R$ 400 milhões para Transbrasil

Em processo que se arrasta há mais de dez anos, TJSP condena a multinacional por cobrança indevida de notas promissórias que já haviam sido quitadas. (Págs. 1 e 14)

Aliados pedem a Merkel rigor com a Grécia

Parlamentares ligados à chanceler são contrários a ajuda ao governo grego, caso não sejam aplicados ajustes rigorosos. Sem o socorro, país pode quebrar em semanas. (Págs. 1 e 36)

Clipping Radiobrás

Edição: Equipe Fenatracoop

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.