Segundo a polícia, a vítima brincava rotineiramente com os suspeitos do crime. (Foto: Arquivo pessoal)
Segundo a polícia, a vítima brincava rotineiramente com os suspeitos do crime. (Foto: Arquivo pessoal)
Segundo a polícia, a vítima brincava rotineiramente
com os suspeitos do crime. (Foto: Arquivo pessoal)

O menino Matheus Henrique Iwamura, de 9 anos, foi morto e jogado em um riacho no bairro Jardim Bela Vista II, em Paiçandu, no norte do Paraná, segundo a Polícia Civil. O corpo dele foi encontrado por volta das 16h30 desta quinta-feira (20), pouco mais de um dia depois de sumir em frente de casa, que fica no mesmo bairro. Um jovem de 19 anos foi preso e dois adolescentes, de 13 e 17 anos, foram apreendidos, suspeitos de terem cometido o crime.

De acordo com o o delegado de Paiçandu, Gustavo de Pinho Alves, os três jovens moravam no mesmo bairro que o garoto. Eles disseram à polícia que se irritaram com o menino, que tinha problemas mentais e ocasionalmente os provocava. O três confessaram ter usado drogas antes de matarem a criança.

O menino foi levado para o riacho pelos rapazes, onde foi estrangulado e depois afogado, afirma a polícia. “Eram todos amigos de bairro. Tomavam tereré juntos. Mas, segundo os jovens, o menino os atormentava, mexia, invadia as casas. Hoje, depois de terem usado droga, um deles deu a ideia de matá-lo”, conta Alves. A polícia não soube informar que droga foi consumida.

“Eu não consigo falar nada. Não tenho força. A única coisa que tenho pra dizer é: cuide dos seus filhos. Cuidem muito bem deles. A gente nunca sabe quem está do lado, o que eles estão fazendo. A gente não pode fazer mais nada. Agora, temos que divulgar para evitar que outros crimes parecidos aconteçam”, afirmou o padrasto do garoto, Paulo de Oliveira Cândido, enquanto tentava conter o choro.

Quando encontrado, o corpo da vítima estava coberto por pedras e lajotas, em um ponto raso no riacho, segundo o Corpo de Bombeiros. Para o delegado, os criminosos usaram os pedaços de rocha para que o corpo não boiasse.

Até as 20h30 desta quinta-feira, os bombeiros ainda aguardavam a perícia para retirar o corpo da água. Os três suspeitos permaneciam detidos na Delegacia Paiçandu, onde devem prestar mais depoimentos ainda durante esta noite.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.