No Distrito Federal (DF), as autoridades de saúde fazem um apelo para que as gestantes tomem a vacina contra a gripe. Em 2011, somente 51% das grávidas foram imunizadas na capital federal.

Juntamente com idosos a partir de 60 anos, crianças de 6 meses a 2 anos, trabalhadores de saúde e indígenas, as gestantes fazem parte do público-alvo da campanha, que começou hoje (5) e vai até o dia 25 de maio em todo o país. Esses grupos foram escolhidos por apresentar maior risco de contrair doenças respiratórias. A dose protege contra os três tipos de vírus que mais circulam no Hemisfério Sul, incluindo o Influenza H1N1.

“Fazemos um apelo para que elas [as grávidas] compareçam e se vacinem porque é o grupo que tem incidência maior do H1N1”, disse o secretário de Saúde do DF, Rafael de Aguiar Barbosa.

As grávidas podem tomar a vacina em qualquer período da gestação. A diretora de Vigilância Epidemiológica do DF, Sônia Geraldes, assegura que não há risco de o feto contrair gripe. “A vacina é segura porque é vírus morto. Não vai dar nada no bebê. Precisamos lembrar que tivemos casos graves em gestantes quando tivemos a epidemia de H1N1”.

Grávida de dois meses e meio do segundo filho, a enfermeira Camila Coaracy foi uma das primeiras gestantes a se vacinar no Posto de Saúde nº 1, no Guará, cidade do DF. “É mais uma proteção para mim e para o bebê”, disse.

No início da manhã, o maior movimento no Centro de Saúde era de idosos e crianças. Maria Furtado Frazão, 84 anos, e Maria de Fátima Frazão, 65 anos, mãe e filha, tomam a vacina juntas todos os anos. Nem mesmo o leve desconforto na hora da aplicação da dose, que é injetável, desanima Maria Furtado: “Vale a pena. Não sei mais o que é gripe”. “Eu até esqueci [a última vez que tive gripe]”, reforçou a filha Maria de Fátima.

O oficial da reserva da Marinha, Luciano Gama, 67 anos, não perde uma campanha. “Tomo desde que completei 60 anos. Chamo as pessoas que não tomam para vir”.

Vestido de Batman, o pequeno Davi Zerbato, 2 anos e 6 meses, já sabia por que tinha que tomar a vacina. “É para ficar forte”, disse o garoto, que sofre de bronquite e, por isso, foi imunizado apesar de estar acima da idade do público-alvo infantil.

A meta da secretaria é vacinar 258.020 pessoas no DF, correspondentes a 80% da população-alvo da campanha. O maior grupo é o de idosos – 158 mil, seguido pelas crianças – 52 mil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.