A safra paranaense de grãos de verão 2012/13 poderá atingir um volume de 22,7 milhões de toneladas, se forem confirmadas as previsões de clima dos principais institutos de meteorologia do País para este final de ano e início do próximo. Confirmada essa estimativa, a safra será 26% maior do que a do verão passado, que somou 18 milhões de toneladas. A previsão anterior, divulgada em setembro, era de uma colheita de 22,62 milhões de toneladas.

A previsão consta do relatório mensal de acompanhamento da safra para o mês de outubro, divulgado nesta sexta-feira (26/10) pelo Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento (Seab). A pesquisa aponta que o clima vem favorecendo o avanço do plantio da safra 2012/13, principalmente do milho e feijão da primeira safra.

O diretor do Deral, Francisco Carlos Simioni, diz que o produtor está vivendo um bom momento, com clima favorável e preços em alta para os principais grãos e culturas cultivados no Estado. “Essa combinação anima os produtores, que apostam na tecnologia para obter bons resultados em produtividade e elevar o volume de produção”, diz ele.

SOJA – Somente a soja encontra-se com o plantio um pouco atrasado, por causa da falta de chuvas, principalmente nas regiões de Londrina e Maringá. Os levantamentos realizados nesta semana apontam que cerca de 46% da área prevista se encontra plantada. No mesmo período do ano passado, 51% da área já estava semeada. O economista Marcelo Garrido, do Deral, acredita na recuperação do plantio com a normalização das chuvas a partir desta semana.

O relatório de outubro apresenta mais uma pequena revisão para a área plantada de soja, que avançou de 4,58 milhões de hectares previstos em setembro para 4,6 milhões de hectares previstos neste mês. Com isso, o plantio de soja este ano vai ocupar 81% do total de área plantada com todos os grãos de verão.

Segundo Garrido, o ajuste este mês foi pequeno, mas nos últimos dois meses a previsão de aumento na área plantada já avançou de 4% para 5% em relação à do ano passado, que atingiu 4,4 milhões de hectares. Esse acúmulo na revisão corresponde a um adicional de 200 mil hectares de soja plantados este ano no Estado.

AUMENTO DE PRODUÇÃO – As revisões de área também alteraram as estimativas de produção. A previsão atual aponta para uma safra de 15,2 milhões de toneladas de soja, que corresponde a um aumento de 40% na produção em relação ao ano passado, quando foram colhidas 10,83 milhões de toneladas. Em relação às expectativas anteriores, o volume de produção aumentou quase 200 mil toneladas.

Do total previsto para a produção de soja, 34% do volume já foi vendido, contra 19% de venda antecipada ocorrida em 2011. Os produtores continuam entusiasmados com a elevação nas cotações do grão devido à escassez dos estoques mundiais, provocada pela quebra da safra norte-americana de grãos.

MILHO – O plantio de milho também teve uma pequena revisão na área plantada, mas se mantém inferior ao do ano passado. Os produtores optaram em ampliar a safra de soja no período do verão para plantar mais milho na segunda safra. Com isso, o plantio de milho na primeira safra deverá ocupar uma área de 849.203 hectares, 13% inferior à área ocupada em igual período da safra 2011/12, quando foram cultivados 977.539 hectares.

Se forem mantidas as condições normais de clima, com chuvas regulares, a produção de milho deve atingir 6,94 milhões de toneladas, um aumento de 6% em relação ao volume colhido no mesmo período da safra anterior, que foi de 6,58 milhões de toneladas. Segundo a engenheira agrônoma Juliana Tieme Yagushi, do Deral, também está havendo venda antecipada de milho por causa do aquecimento das exportações do grão. Já foram vendidos 11% da safra de milho que está sendo plantado, segundo o levantamento do Deral.

FEIJÃO – O plantio do feijão da primeira safra está com 83% da área prevista plantada. A previsão é de atingir um total de 218.022 hectares, 12% menor que no ano passado. O volume de produção deverá alcançar 376 mil toneladas, um aumento de 7% sobre a produção no mesmo período do ano passado. Os preços do feijão se mantêm firmes no mercado – em torno de R$ 125 a saca para o feijão de cor e R$ 102 para o feijão preto.

O engenheiro agrônomo Carlos Alberto Salvador chama a atenção para a evolução do plantio de feijão. Cerca de 20% da área plantada não está em boas condições, em função das baixas temperaturas que predominaram no início da primavera. Segundo ele, a oferta de feijão está abaixo da demanda, uma indicação de que os preços não devem cair no curto prazo.

Para as demais culturas – como mandioca, café, batata, cebola e tomate –, o produtor vem enfrentando dificuldades em conseguir mão de obra, o que pode comprometer o desempenho de sua produção, alerta o técnico Methódio Groxco.

Em relação às culturas de inverno, a colheita de trigo começa a se intensificar na região Sul do Estado. Já estão colhidos 78% do volume esperado. A safra de trigo do Paraná de 2012 deve atingir 2,1 milhões de toneladas. De acordo com o engenheiro agrônomo Carlos Hugo Godinho, responsável pela cultura no Deral, a colheita vinha num ritmo acelerado, suspenso por causa das recentes chuvas. Com isso, o produtor começa a se preocupar com a qualidade do produto que ainda está em campo.

Os preços estão se mantendo estáveis – em torno de R$ 33 a saca – e a comercialização está adiantada. Este ano 26% do volume a ser colhido já foi vendido, contra 22% no ano passado, observou o técnico.

A Podologia Cambé esta instalada no Centro Comercial Canadá Localizado na Rua Holanda, 263 esquina com a Av Canada, Sala 311 no centro de Cambé, telefone: (43) 3254-7433 e WhatsApp: (43) 9.9918-7889
A Podologia Cambé esta instalada no Centro Comercial Canadá Localizado na Rua Holanda, 263 esquina com a Av Canada, Sala 311 no centro de Cambé, telefone: (43) 3254-7433 e WhatsApp: (43) 9.9918-7889

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.