Os ministros da Casa Civil, Eliseu Padilha e da Fazenda, Eduardo Guardia, falam sobre acordo celebrado com representantes do movimento dos caminhoneiros.

Em entrevista coletiva hoje (28), o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, reiterou que não haverá aumento da carga tributária para compensar medidas firmadas no acordo com os caminhoneiros. “Estamos sendo neutros”. A categoria está parada desde o dia 21. Entre os pontos negociados, estão a redução do preço diesel em R$ 0,46 nas bombas pelo prazo de 60 dias e a isenção da cobrança de pedágio dos caminhões que trafegarem com eixo suspenso.

Segundo ele, a carga tributária será redistribuída, e o governo promoverá um movimento compensatório na economia. “Não estamos fazendo um aumento de carga [tributária] ou de impostos”, disse Guardia.

O ministro afirmou que o assunto será discutido também com os representantes estaduais. “Sim, contamos com a colaboração dos estados”, disse Guardia, referindo-se ao ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços).

O ministro afirmou ainda que os órgãos responsáveis pelo monitoramento e pela fiscalização utilizarão os instrumentos adequados em caso de abusos. Ele lembrou que o governo está fazendo “um brutal esforço” para que o país volte à normalidade.

(Com informações da Agência Brasil)

1 COMENTÁRIO

  1. O certo é fabricar diesel no Brasil.

    Depois que o Temer e o tucano Parente assumiram a Petrobrás, o Brasil parou de fabricar diesel e gasolina no Brasil desempregando e colocando na miséria os brasileiros e ao mesmo tempo gerando emprego e renda nos EUA.

    O Brasil tem a maior reserva petrolífera do planeta encontrada nos últimos 30 anos e de excelente qualidade, mas que esse governo está dando tudo para os EUA favorecendo a SHELL, A EXXON, A BP, A TOTAL e tirando do Brasileiro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.