Na foto, PR 280 - Pato Branco a Palmas. Foto: Jorge Woll.A agricultora Analicia Perin afirma que está mais seguro percorrer a PR-509, que liga Colombo a Almirante Tamandaré, na Região Metropolitana de Curitiba. A estrada está sendo totalmente restaurada pelo Governo do Paraná. Diariamente, ela vai de Colombo ao Ceasa, em Curitiba, levando a sua produção.

A PR-509 faz parte do pacote de melhorias em rodovias estaduais, que está recuperando mais de 12 mil quilômetros de estradas. “Faz dois anos, que as pistas estão lisinhas, com isto não sofro mais com buracos, que prejudicavam o ajuste do meu caminhão ou destruíam minhas rodas”, elogia a agricultora.

Recente pesquisa da Confederação Nacional de Transporte (CNT) aponta que o Paraná tem as melhores estradas do Sul do Brasil e a terceira melhor malha rodoviária do País, atrás de São Paulo e Rio de Janeiro. A CNT classificou que 62,8% das rodovias estão em boas e ótimas condições e 21,9% regulares.

“O Paraná investiu pesado nos últimos três anos para recuperar a malha rodoviária estadual, que estava muito danificada. Com isso, está diminuindo o custo Brasil, reduzindo a manutenção do setor de transporte”, disse o secretário de Infraestrutura e Logística José Richa Filho.

Em três anos, o Governo do Paraná investiu mais de R$ 1,5 bilhão em recursos próprios na conservação e ampliação das rodovias estaduais, fez com que as concessionárias investissem mais R$ 1,5 bilhão e tem outros R$ 800 milhões em recursos que serão aplicados em parceria com a iniciativa privada.

“Ao longo destes anos, são quase R$ 4 bilhões aplicados na melhoria das rodovias paranaenses, seja na malha estadual ou na malha municipal. O Estado está preocupado em melhorar a segurança nas rodovias e também ajudar o escoamento da produção paranaense da agricultura e indústria, saindo da porteira ao porto”, disse o diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná, Nelson Leal Junior.

RECUPERADAS – Da mesma forma que a agricultora Analicia Perin, tem mais motoristas beneficiados com as obras em rodovias estaduais. Todos os dias, cerca de 2 mil homens trabalham ao longo de 12 mil quilômetros de rodovias estaduais. O investimento, somente no biênio 2013/2014, soma R$ 840 milhões.

Uma das rodovias recuperadas é a PR-438, no distrito de Guaragi, em Ponta Grossa, nos Campos Gerais. Nesta rodovia, o DER já retirou o asfalto antigo, colocou novo pavimento, sinalização e ampliou o acostamento. “Agora ficou muito mais seguro”, disse o Sérgio Zaguobisnki.

A mesma segurança sente a floricultora Thais Regina Elias, que vive em Honório Serpa e trafega pela PR-562. “Antes para ir para Coronel Vivida ou outro município, levava quase duas horas, por causa das condições da rodovia. Agora, levo meia hora no máximo”, disse.

DUPLICAÇÕES – A pesquisa da CNT aponta que a PR-445, perto de Londrina, tem ótimas condições de trafegabilidade. Nesta região, o Estado está duplicando o trecho entre o distrito de Três Marcos, em Londrina, até Cambé. São 17 quilômetros, em que o Estado está investindo R$ 95 milhões na duplicação, construção de 11 viadutos e trincheiras, além de seis passarelas.

Outra rodovia que também foi classificada como bom pavimento foi a PR-323, entre Maringá e Guaíra. Nesta rodovia, o DER está investindo cerca de R$ 45 milhões em obras de melhorias. No trecho, entre Maringá e Paiçandu, são duplicados quatro quilômetros, com três viadutos, instalação de ciclovias, quatro passarelas e três trincheiras. O investimento nesta obra é de R$ 33 milhões.

Além disto, estão sendo construídos 50 quilômetros de acostamento, entre Umuarama e Iporã e a nova trincheira do Trevo do Cedro, em Perobal. Estas obras serão entregues no início de 2014. Esta rodovia também tem estudo de parceria público-privada (PPP), que prevê a duplicação entre Maringá e Paiçandu, cujos estudos estão em fase final, antes da divulgação da licitação da empresa que fará a obra.

Outra rodovia que recebeu boa avaliação da pesquisa CNT é a da BR-277, na região de Foz do Iguaçu, onde o governo está construindo o viaduto com a Avenida Paraná. O viaduto na BR-277 terá 40 metros sobre a Avenida Paraná, próximo à Vila A. O Governo do Paraná está investindo R$ 8 milhões na obra, beneficiando mais de 260 mil paranaenses. A previsão é que seja finalizada em abril de 2014.

CONCESSÕES – As rodovias concessionadas também receberam boas notas. O Anel de Integração, que tem 2.495 quilômetros, teve aprovação boa em todas as avaliações feitas pela CNT. Nas rodovias concessionadas, o Governo do Paraná tem avançado já somando R$ 1,5 bilhão em investimentos, com as retomadas das obras.

São obras como o Contorno de Campo Largo; a duplicação entre Guarapuava e Relógio, iniciada recentemente; as duplicações entre Medianeira e Matelândia e Jandaia do Sul/Apucarana; e o contorno de Mandaguari. Sem falar nas terceiras faixas em Cornélio Procópio e na duplicação entre Cambé e o distrito de Warta. Em novembro, começa a construção do viaduto de Morretes, cujas obras estavam programadas para daqui seis anos.

Para garantir a qualidade das rodovias concessionadas, o governo aumentou a fiscalização e aplica mensalmente duas mil notificações por falhas na conservação, o que não ocorria antes de 2010.

PARCERIAS – A parceria do Governo do Paraná e a iniciativa privada está injetando cerca de R$ 800 milhões em obras de infraestrutura no Estado. São mais de 100 quilômetros de novas rodovias, recuperação de mais de 3 mil quilômetros de estradas rurais, além da construção de 154 pontes, 49 trincheiras e a aquisição de três balsas. No mesmo pacote de obras tem também a contratação de quatro patrulhas do campo, com 40 equipamentos.

Desde o início deste ano, o Paraná já formalizou três parcerias com as empresas Votorantim e Klabin e também com 25 usinas do setor sucroalcooleiro, ligadas a Alcopar – Associação dos Produtores de Bioenergia do Estado do Paraná. Há também parceria na elaboração de projeto do novo Contorno de Castro, com as empresas Cargill, Cooperativa Castrolanda e Evonik.

Juntos serão investidos R$ 781 milhões, sendo R$ 190 milhões da Votorantim, R$ 200 milhões da Klabin e R$ 360 milhões do programa Caminhos do Desenvolvimento – Sucroalcooleiro, em parceria com a Alcopar. Há também investimento R$ 1,2 milhão no projeto do Contorno de Castro, que vai resultar na aplicação de R$ 30 milhões nesta obra.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.