Pesquisa revela que mais da metade dos eleitores não denunciaria compra de voto

0

A compra de votos ainda é uma prática comum no Brasil. É o que revela pesquisa divulgada nesta terça-feira pela Associação dos Magistrados Brasileiros, que buscou traçar um perfil do eleitorado nacional.

De acordo com o levantamento, quase metade dos entrevistados conhece casos de políticos que compram ou compraram votos. E 41% conhecem alguém que já votou em troca de algum benefício. No entanto, apenas 13% admitem que votariam em alguém que lhes oferecesse algum tipo de vantagem.

Para o presidente da Associação, Mozart Valadares, os números revelam que o voto ainda não tem sua importância reconhecida por boa parte da população.

“Os números mostram que há uma cumplicidade entre o corruptor e aquele que aceita a corrupção. Então, a gente precisa punir o corruptor, aquele que tenta subornar, e conscientizar aquele que, por algum motivo, está abrindo mão de sua cidadania. É lógico que isso é um trabalho que leva tempo, mas temos que trabalhar nesses dois sentidos como os números mostram, que há uma cumplicidade na fraude, na venda dos votos.”

Quando perguntados sobre os critérios de escolha de um candidato, 53% dos entrevistados afirmaram ser pelas propostas de trabalho; 18% pela experiência; 16% pelos benefícios que sua comunidade pode ter, e 5% pelas vantagem que o eleitor e sua família podem receber.

A pesquisa também revela a baixa credibilidade dos políticos perante a sociedade: 73% dos entrevistados consideram que a política é uma atividade que só beneficia quem a exerce. O presidente da AMB, Mozart Valadares, arrisca uma explicação para esse número.

“A minha crença é de que a impunidade é que faz com que haja essa descrença nas instituições brasileiras.”

O levantamento mostra ainda dificuldades para combater a corrupção eleitoral. Isso porque 53% afirmam que não denunciariam tentativas de compra de voto. Além disso, 14% não sabem onde denunciar.

A pesquisa sobre o perfil do eleitorado brasileiro foi feita pelo Ibope, a pedido da Associação dos Magistrados Brasileiros. Foram entrevistadas 2.002 pessoas, entre 18 e 21 de agosto, em 140 cidades. A ação faz parte da campanha “Eleições Limpas: Não Vendo meu Voto”, lançada pela AMB com o apoio do Tribunal Superior Eleitoral, com o objetivo de conscientizar os eleitores sobre a importância do voto e de seu papel na fiscalização das eleições.

De Brasília, Mônica Montenegro

Rádio Câmara

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Eu Aceito a Política de Privacidade

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.