Quatro pessoas com idade entre 29 e 37 anos, suspeitas de integrar uma associação criminosa voltada a falsa venda de máquinas hospitalares, celulares, entre outros produtos, foram presas na manhã desta segunda-feira (06) durante a Operação “Evangelium”, desencadeada pela Delegacia de Estelionato (DE) em Curitiba e Região Metropolitana (RMC). Na foto, o o delegado titular da especializada, Wallace de Oliveira Brito. Curitiba, 06/03/2017. Foto: Divulgação SESP
Quatro pessoas com idade entre 29 e 37 anos, suspeitas de integrar uma associação criminosa voltada a falsa venda de máquinas hospitalares, celulares, entre outros produtos, foram presas na manhã desta segunda-feira (06) durante a Operação “Evangelium”, desencadeada pela Delegacia de Estelionato (DE) em Curitiba e Região Metropolitana (RMC). Na foto, o o delegado titular da especializada, Wallace de Oliveira Brito.
Curitiba, 06/03/2017.
Foto: Divulgação SESP

Quatro pessoas com idade entre 29 e 37 anos, suspeitas de integrar uma associação criminosa voltada a falsa venda de máquinas hospitalares, celulares, entre outros produtos, foram presas na manhã desta segunda-feira (06) durante a Operação “Evangelium”, desencadeada pela Delegacia de Estelionato (DE) em Curitiba e Região Metropolitana (RMC).

Onze mandados judiciais foram cumpridos durante a ação, sendo quatro de prisão e sete de busca e apreensão. A operação foi realizada nos bairros Portão, Água Verde, Novo Mundo, Fazendinha, Cajuru, bem como no município de Colombo. Segundo o que foi apurado durante as investigações, as principais vítimas da quadrilha eram médicos e proprietários de clínicas radiológicas.

“Essas pessoas chegaram a ser lesadas em mais de R$1 milhão”, afirma o delegado titular da especializada, Wallace de Oliveira Brito. De acordo com a polícia, o grupo era liderado por Cleverson Cavalheiro dos Santos, 37 anos, que ‘vendia’ supostas mercadorias junto com sua esposa Rafaele Carvalho Ignachewski, 29 anos, e com outro casal identificado como Emílio Cristiano Marcondes, 36 anos e sua esposa Fernanda Hortência Natel Camargo, 34 anos.

Os suspeitos comercializavam as falsas mercadorias importadas com um preço atraente, prometendo agilidade na entrega dos equipamentos e produtos negociados, porém esses produtos sequer existiam.

Santos e Rafaelle são donos de uma escola particular chamada Evangelium, situada no bairro Água Verde, e utilizavam de sua boa influência para lesar as vítimas. Investigações apuraram que o colégio era utilizado para lavagem de parte do dinheiro que os suspeitos conseguiram nas fraudes.

“Nenhuma pessoa recebeu a mercadoria. Eles utilizavam a fama que tinham no mercado por serem donos de um colégio e cometiam as fraudes. Todos os envolvidos no esquema criminoso foram presos durante os cumprimentos de mandado judicial”, relata o delegado.

Todos responderão pelos crimes de estelionato, falsidade ideológica, documental, lavagem de dinheiro e associação criminosa. Os suspeitos permanecem presos à disposição da Justiça.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.