A população do Jardim Silvino e região ficaram sabendo a uma semana atrás que o Ponto de Cultura localizado na Rua Domingos Jorge Velho estaria prestes a fechar.

Segundo informações colhidas no local, os boatos do possível fechamento foram repassados pelos próprios colaboradores do local. O que chamou mais a atenção da comunidade é que o material utilizado para as aulas estavam amontoados e o contrato de aluguel não tinha sido renovado.

Elisângela Barros Queiroz, mãe de dois filhos que são atendidos pelo projeto, disse ao Portal Cambé que, “o projeto é vida e não aceita que ele acabe”.

O Ponto de Cultura começou em 2006 quando tinha 10 oficinas diferentes e já chegou atender 350 crianças, mas esse número reduziu drasticamente.

“A Cultura é importante para a comunidade e vamos lutar para que as atividades retornem e pedir apoio de lideranças comunitárias, parceiros e lideranças políticas para que esse projeto continue e a comunidade possa ser beneficiada”, informou Jorge Augusto Teodoro, Presidente da Associação de Moradores, ao Portal Cambé.

Atualmente o local atende apenas 40 crianças e adolescentes que participam de oficinas de dança e desenho.

Bianca Miyuki de 15 anos, aluna de dança a três anos, disse que ficou sabendo da notícia a dois dias atrás, e que devido ao encerramento de algumas atividades, muitos alunos foram desistindo e não participando mais do projeto.

Ainda no local foi relatado que no mês de Outubro passado, o Secretário Municipal da Cultura, Leonel Bacinello, havia informado que o Ponto da Cultura não seria fechado.

“O encaixotamento é porque iremos fazer a pintura, o contrato vai ser renovado e iremos ampliar o espaço o ano que vem”, disse Leonel Bacinelo ao Portal Cambé.

O Secretário também afirmou que a revitalização do local, incluindo pintura, manutenção e a ampliação será já no início do ano e que em breve estará funcionando normalmente.

“Diminuímos a quantidade de oficineiros a pedido do Ministério Público, mas no ano que vem vamos tentar colocar um número maior de professores e voluntários”, relatou ainda o Secretário.

Já o Vereador Paulo Soares pediu para que o prefeito busque alternativas e que dê garantias como a renovação do contrato que segundo ele, não consta no Portal de Transparência, bem como o quadro efetivo de pessoal que foi reduzido.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.