Prefeitura celebra o Dia D com curso de Libras e vagas de emprego para pessoas com deficiência

0
A Podologia Cambé esta instalada no Centro Comercial Canadá Localizado na Rua Holanda, 263 esquina com a Av Canada, Sala 311 no centro de Cambé, telefone: (43) 3254-7433 e WhatsApp: (43) 9.9918-7889
A Podologia Cambé esta instalada no Centro Comercial Canadá Localizado na Rua Holanda, 263 esquina com a Av Canada, Sala 311 no centro de Cambé, telefone: (43) 3254-7433 e WhatsApp: (43) 9.9918-7889

A Prefeitura de Cambé, por meio da Secretaria de Obras, lançou nesta terça-feira, dia 21 de setembro, o curso de ensino básico na Língua Brasileira de Sinais (Libras) em comemoração ao Dia D, visando promover a inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho. A data foi escolhida por ser o Dia Nacional da Luta das Pessoas com Deficiência, que foi oficializado em 2005. O curso é gratuito e aberto para toda a população, mas, em especial, busca capacitar os servidores públicos do município para que atendam de forma humana e adequada às pessoas com deficiência. As pré-inscrições já estão abertas e podem ser feitas diretamente na Agência do Trabalhador ou pelo telefone 3174-0443. As aulas estão previstas para começar presencialmente na segunda quinzena de outubro e as turmas e horários vão depender da quantidade de alunos interessados.

José Aparecido Rolim, secretário de Trabalho, explica que o Dia D é uma data celebrada há alguns anos no Paraná, mas que em 2021 a ideia foi trazer algo novo para a cidade. “Por isso que nós aproveitamos para lançar esse curso de Libras justamente em um dia tão importante para as pessoas com deficiência e para toda a sociedade”, destaca. Além do lançamento do curso, representantes de empresas do município estavam no local com vagas exclusivas para pessoas com deficiência. As entrevistas estavam sendo feitas com tradução simultânea de um profissional. “Para as pessoas que não compareceram, as vagas seguem abertas e é só nos procurar para fazermos os devidos encaminhamentos”, esclarece Rolim. O curso faz parte do Programa Capacita Cambé, que já promove outros cursos na cidade, como de panificação e maquiagem.

O prefeito Conrado Scheller destacou que a iniciativa mostra bem o que é a filosofia da administração municipal, cujo lema é “Um governo para todos”. “Estamos em uma nova era de inclusão e ela só é boa quando acontece de verdade. Nós só podemos entregar um serviço público de qualidade com a inclusão de todos. O nosso governo não é para a maioria e nem para a minoria, ele é para todos”, frisa Scheller. O prefeito ainda destacou a importância da parceria entre a sociedade e o poder público. “Nós, os vereadores, os representantes de bairros fomos eleitos para resolver os problemas, nós não conseguimos mudar do dia para a noite, mas precisamos começar a agir”, finaliza.

Aminadabe Martins, presidente da Associação dos Deficientes Físicos de Cambé, destaca que a organização, que tem parceria com todas as secretarias da Prefeitura de Cambé, está completando 40 anos este ano e atende mais de 10 mil pessoas na cidade. “O curso é uma referência para que as pessoas notem que há um segmento esquecido na cidade. Além do mais, o Dia D resgata a importância de falarmos sobre a empregabilidade das pessoas com deficiência, que ainda são excluídas pela sociedade”, pontua. De acordo com ele, é importante que esse curso seja apenas o ‘pontapé’ inicial de ações como essa na cidade.

Esmeralda da Silva é mãe de Gislaine Pereira da Silva, deficiente auditiva desde o nascimento, e explica que a filha já trabalhou com carteira registrada, mas que está desempregada desde o ano passado. “Eu vejo muita dificuldade das empresas em contratarem pessoas com alguma deficiência. Esses dias ela fez uma entrevista, mas não tinha um intérprete de Libras no local e não me deixaram entrar com ela, provavelmente ela perdeu a vaga por conta disso, já que tinha todos os requisitos para a vaga”, lamenta a mãe. Segundo ela, a filha não é aposentada e não recebe nenhum auxílio, as duas vivem apenas com o dinheiro que a mãe recebe de pensão. “Nós estamos aqui para tentar uma vaga de emprego para ela, as empresas precisam olhar para essas pessoas”, finaliza Esmeralda da Silva.

Claudinei de Jesus é um dos professores que vão ministrar as aulas de Libras e conta que aprendeu a linguagem por sentir amor pela língua. “Eu comecei a praticar quando trabalhava em um local que empregava 13 pessoas surdas. A partir de então, me especializei e comecei a dar aulas”, explica.

Ele conta que trazer esse curso para a cidade é um desejo antigo. “Esse é um sentimento novo e esperamos que as pessoas possam aderir ao curso. Nós queremos pessoas capacitadas para que os deficientes auditivos possam ir aos postos de saúde, aos supermercados sozinhos e que também possam encontrar uma oportunidade de emprego”, finaliza.

Via: Assessoria de Imprensa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.