11_06_10: Material apreendido com a quadrilha, armas de diversos calibres, munição e droga.
11_06_10: Material apreendido com a quadrilha, armas de diversos calibres, munição e droga.

Operação das polícias Civil e Militar prendeu, na noite desta quinta-feira (10), em São José dos Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba (RMC), uma quadrilha acusada de assaltar um banco, em Pinhais, também na RMC, usando fardas da Polícia Militar. Foram detidos, Fabio Mota, 21 anos, Carlos André Mota, 30 (irmãos e ambos com passagem por furto e foragidos do sistema penal), Evelin da Silva Ferreira, 18, e Juliana Rios de Lima Camargo, 20 (sem passagem), e recuperados mais de R$ 57 mil, além de nove armas, motocicletas e veículos.

Outro integrante do grupo, Sidnei Gonçalves da Silva, 28 anos, entrou em confronto armado com os policiais e morreu. Segundo o comandante do Policiamento da Capital, coronel Jorge Costa Filho, a operação só obteve êxito devido à rapidez da ação. “O sucesso desta grande ação se deve ao trabalho minucioso dos policiais que realizaram investigações e levantamentos, além da agilidade com que realizaram a abordagem aos criminosos e a consequente prisão.”

A Polícia Militar estava com parte das informações e a parte estava com a Polícia Civil. Com a junção das duas instituições, foi possível chegar até o grupo e deter os primeiros responsáveis pelo roubo. “Esse tipo de crime não pode continuar acontecendo no estado do Paraná e, por isso, as polícias estão trabalhando em conjunto“, garante o delegado-adjunto do Centro de Operações Especiais (Cope), da Polícia Civil, Rodrigo Brown.

ARMAMENTO – Em coletiva de imprensa, realiza no Quartel do Comando Geral na manhã desta sexta-feira (11), foi apresentado o material apreendido e os presos. Foram encontrados um fuzil Colt calibre 5.56, um revólver Taurus calibre 38, uma pistola Jericó 9 milímetros, uma pistola Taurus 24/7 calibre 40, uma pistola Taurus Milenium calibre 380, duas pistolas Taurus 9 milímetros, além de uma pistola Taurus calibre 7.65. Foram apreendidas também uma motocicleta modelo Biz verde, com placas de Foz do Iguaçu e uma Jog placa AAW 4821, de Curitiba.

Além das motocicletas foram recolhidos três veículos usados pela quadrilha, um GM/Astra, preto com placas de Pinhais, uma Ecosport branca, com placas do estado de São Paulo, e um Gol vermelho com placas sem identificação de local (provavelmente de outro estado). As apreensões foram realizadas em na casa dos acusados, em que a polícia encontrou ainda 109 munições calibre 5.56, 51 munições de pistola 9 milímetros, 67 de pistola ponto 40, 13 de calibre 380, 23 munições de calibre 38, além de carregadores de armas, sendo 5 da pistola Taurus 24/7, 2 carregadores para calibre 380, 6 para 9 milímetros e 1 carregador para fuzil.

AÇÃO – A polícia chegou até o local por denúncia anônima ao 181 Narcodenúncia. As informações eram de que a quadrilha estaria em determinado endereço, no Jardim Ipê, em São José dos Pinhais. A Força Samurai da PM iniciou um trabalho de inteligência e com fotografias fornecidas pelo sistema da Polícia Civil conseguiu identificar um dos suspeitos.

Também havia a informação que o grupo estava fortemente armado e, por isso, foi pedido apoio à Rondas Ostensivas de Natureza Especial (Rone), da Companhia de Polícia de Choque da Polícia Militar, que seguiu até o local para efetuar, juntamente com a Samurai, as prisões. O Centro de Operações Especiais (Cope) da Polícia Civil fez o flagrante do grupo e continua as investigações para recuperar o restante do dinheiro, que segundo o banco, soma R$ 472 mil.

“O próximo passo é chegar até os outros quatro suspeitos de envolvimento no roubo. Além disso, é realizada investigação especial para verificar a procedência dos materiais utilizados no crime, bem como as fardas e os armamentos”, disse o delegado Brow.

CONFRONTO – Segundo as informações da Samurai, o que chamou a atenção no final da tarde, durante o trabalho antes da prisão, foi a intensa movimentação no local e, depois que o primeiro foi reconhecido, a PM entrou na residência e houve resistência do Sidnei, que atirou contra a polícia e morreu no revide. “O Cope também está responsável por investigar se a identidade de Sidnei é verdadeira”, explica o delegado. Dentro da residência foram presas as outras pessoas e encontrados as armas, munições, dinheiro e veículos.

Para o coronel Costa, é fundamental que a população continue confiando na polícia e denunciando crimes pelo 181 Narcodenuncia, informações que auxiliam e muito todo o trabalho de combate ao crime.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.