Sanepar recebe tubulação para duplicar Sistema Tibagi em Londrina

0

A Sanepar começou a receber os materiais que serão usados na ampliação do Sistema Tibagi, que garantirá o abastecimento de Londrina e Cambé, nos próximos 20 anos. A produção será aumentada dos atuais 1.200 para 2.400 litros de água por segundo. A previsão é que sejam necessários 331 caminhões para transportar 12 quilômetros de tubos em ferro dúctil, adquiridos por R$ 12,3 milhões, com recursos do PAC/Caixa Econômica Federal. A obra, orçada em R$ 73 milhões, será executada em duas etapas, a partir de 2011, e irá gerar mais de 10.500 empregos diretos e indiretos.

A tubulação que irá interligar o ponto de captação até a estação de tratamento de água está sendo estocada nos terrenos das duas unidades que ficam na estrada do Limoeiro, na região Leste de Londrina. “A previsão é utilizar este material nos próximos três anos. Com esta obra concluída, teremos tranquilidade para atender Londrina e região metropolitana”, destaca o gerente geral da Região Metropolitana de Londrina, Sérgio Bahls.

Alguns caminhões já fizeram a entrega na semana passada. A empresa fornecedora tem até o final de agosto para entregar o restante. O primeiro lote das obras pode ser licitado ainda este ano.

HISTÓRIA – Há cerca de 25 anos, a Sanepar iniciou o estudo sobre o local onde seria implantado o Sistema Tibagi, em Londrina. O desafio inicial era passar pelo Ribeirão Três Bocas e por uma área de mata fechada. Depois da estrada de acesso concluída, foi preciso desenhar o traçado da adutora que deveria passar pelo centro da cidade.

Na época, Londrina sofria com falta d’água, situação que só seria resolvida com a construção do Sistema Tibagi. Cambé também poderia ser prejudicada, estudos revelavam que os poços que atendiam a cidade não seriam suficientes para atender a população em crescimento.

PRODUÇÃO – O Sistema Tibagi entrou em operação no final de 1991. Atualmente ele é responsável por 54% do abastecimento de Londrina e Cambé. Diariamente são produzidos 80 milhões de litros de água. “Até a conclusão desta obra, teremos o abastecimento garantido com o incremento dos poços do Guarani”, comenta Bahls. Segundo ele, a obra de operacionalização dos poços foi retomada e devem ser concluídas no início de 2011. Os poços estão localizados na região Norte de Londrina, próximo ao Ribeirão Jacutinga.

O ponto de captação de água no Tibagi foi definido por ter um barramento natural com aproximadamente 14 metros de profundidade. De acordo com Bahls, a condição do local garante, mesmo em época de estiagem, vazão suficiente para manter produção normal. “Podemos dizer que a quantidade de água represada neste ponto abasteceria até 10 milhões de pessoas. É um ponto estratégico em relação à qualidade, quantidade e regularidade do abastecimento”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Eu Aceito a Política de Privacidade

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.