GOZAÇÃO NACIONAL

Fazia muito tempo que Cambé não aparecia na mídia nacional. Na última semana apareceu com tudo. Só que em forma de piada e chacota. Algumas perguntas que faziam parte da prova do concurso público da Prefeitura, realizado no último dia 25, para a função de gari ganharam destaque na mídia nacional e até em programas de humor. Questões sobre atualidades que enfocavam música sertaneja, novelas, bordões humorísticos, entre outras coisas, se tornaram motivos de sátira em todo o Brasil, mostrando Cambé como um Município onde cultura e conhecimento passam muito longe de sua gente. É uma pena e uma falta de respeito muito grande com a população que vai carregar nas costas por muitos anos a fama do culto ao brega e ao lixo cultural que é imposto pelas emissoras de TV e outros veículos. E olha que esta cidade já revelou muitos talentos em todos os níveis profissionais e intelectuais que muito contribuem para o desenvolvimento da cidade, do Paraná e do Brasil. Este instituto responsável pela elaboração de toda essa cretinice deveria responder pelos atos que denegriram a imagem de Cambé e de seus moradores. Para a administração municipal fica a lição de que nem sempre o mais barato é a melhor solução. Para os participantes do concurso cabe questionar a experiência e a competência para realizar um concurso dessa amplitude. Para a comunidade cabe cobrar a garantia de que todo o processo foi feito com a lisura e seriedade que a questão merece.

“BULLYING”

Muitos cambeenses que trabalham nas cidades vizinhas fizeram contato com este jornal para manifestar a indignação com relação ao concurso público. A maioria afirma que foram vítimas de muita gozação entre os colegas de trabalho. Alguns disseramque estavam muito envergonhados pelo acontecimento e que jamais imaginavam sofrer “bullying” por morar em Cambé.

INFERNO ASTRAL

Se a astrologia revela os momentos da vida de uma pessoa parece que todos os astros neste momento estão conspirando contra a administração do prefeito João Pavinato. A posição astral neste mês de abril tem se apresentado muito perversa para ele. O inferno astral está marcando uma presença muito forte na sua rotina e acompanhando seus passos. Espanta isso prefeito… Diga xô… Ah! Veja se não tem ninguém muito próximo a você que está atraindo todos esses maus fluidos. E diga mais uma vez… xô..

RESGATAR O ORGULHO É NECESSÁRIO

Se um dia já fomos orgulhosos por sermos cidadãos cambeenses pelas grandes conquistas da Cidade no esporte, saúde, educação, tecnologia, programas públicos inovadores, entre tantas outras questões que destacavam Cambé no cenário nacional, não podemos jamais nos abater por um fato isolado. É hora da comunidade se unir e buscar forças para resgatar esse orgulho que por muito tempo foi presente na vida de todos nós. Cambé é muito grande, tem um povo trabalhador, é uma cidade próspera que oferece muitas oportunidades. Por tudo isso e muito mais é chegada a hora de reverter essas situações, colocar a cidade novamente nos trilhos, buscar o desenvolvimento econômico, social, cultural, esportivo, etc., que todos nós merecemos e temos o direito e o dever de participar. Repensar Cambé é necessário. Participar das decisões sobre nosso presente e futuro é a única forma de garantirmos a vontade e os anseios de todos nós. Os destinos de toda uma população jamais podem ser decididos entre quatro paredes por cinco ou seis pessoas que se julgam superiores e se denominam como “sábios”. A cidade pertence a seus moradores que devem ser informados e ouvidos sobre qualquer tipo de ação do poder público, pois quem paga a conta de tudo o que é feito no município e os salários desses administradores é a população. Portanto, respeito é fundamental. Quando falta isso, o troco é certo e a troca dos detentores do poder impossível de se evitar.

PCCS DOS SERVIDORES É QUESTIONADO

A revolta entre os servidores públicos municipais sobre o Plano de Cargos, Carreira e Salários (PCCS) apresentada pelo poder executivo é muito grande. Algumas questões decididas em assembleia juntamente com o Sindserv e aceitas pela administração municipal foram alteradas no projeto de Lei enviado para a aprovação da Câmara de Vereadores, segundo servidores. A principal é com relação ao reajuste que algumas categorias receberiam na sua integralidade já a partir do mês de abril. Essa garantia foi dada pela administração, segundo o presidente do sindicato, que relatou o fato tanto na assembleia, como em uma reunião feita com os vereadores. Estranhamente, no projeto constava apenas o reajuste de 50% para abril e o restante para o mês de outubro, dependendo do fluxo de arrecadação do Município. Agora, o que causa espanto, é porque isso não foi discutido abertamente entre as partes. Todos sabem que o Município tem o limite de gasto com pessoal fixado em 54% do total de sua arrecadação. Se ultrapassar esse limite o prefeito responde por improbidade administrativa que pode levar até a cassação do mandato. O que não dá para admitir é que por medo de uma greve, o prefeito propõe uma coisa que não pode cumprir e simplesmente faz as mudanças como se ninguém fosse perceber que foi enganado. Outra questão que merece explicação é o fato de tudo ter sido preparado às vésperas do prazo de aprovação e o projeto entregue à Câmara na data anterior a votação, não dando oportunidade aos vereadores de ao menos estudarem o projeto. Tanto funcionários públicos, como vereadores, foram pegos de surpresa. Para a Câmara, por causa dos prazos, restou simplesmente aprovar o projeto para não causar ainda mais prejuízos aos servidores. Para o prefeito, um projeto que poderia trazer muitos benefícios políticos se transformou em um verdadeiro tiro no pé. O assunto ainda vai render muita discussão.

PERGUNTINHAS:

– Por que será que em Cambé tem vereador sendo chamado de total flex?

– Será que quem coloca um pé em cada barco não corre o risco de molhar a bunda?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.