O secretário-chefe da Casa Civil do Paraná, Durval Amaral, afirmou que a duplicação da PR-445 vai ser iniciada e que não há a previsão de pedagiar a rodovia para financiar as obras.
A rodovia é considerada a mais perigosa da região pela 2ª Companhia de Polícia Rodoviária. Os acidentes são constantes, o último com morte foi registrado na quarta-feira (24), entre uma caminhonete com trabalhadores rurais e um caminhão com verduras.

O número de acidentes de 2011, 472, quase se iguala à quantidade registrada durante todo o ano de 2010, de 476. No ano passado, 18 pessoas morreram na rodovia. Este ano, o índice já é quase 40% mais alto, somando 25 pessoas que faleceram em acidentes, segundo dados da TV Tarobá.
O governo do Estado já está com o projeto de duplicação pronto e deve iniciar o processo licitatório para cumprir a primeira parte da obra, que terá três fases, em breve. “Nós vamos duplicar um trecho da PR-445, no perímetro urbano entre o viaduto que está sendo construído no Jamile Dequech até o entroncamento da PR-445 com a BR-369, na divisa com Cambé”, explicou Amaral.

A duplicação deve abranger cerca de 15 km em um área de grande fluxo de veículos, entre os municípios de Londrina e Cambé (a 16 km).

O secretário-chefe da Casa Civil ainda disse que está descartada a possibilidade de pedagiar a rodovia. Segundo ele, não há previsão contratual de dar à executora do trecho a possibilidade de explorar a passagem após terminada a obra.

Com informações da TV Tarobá.

Faça um passeio virtual pela PR 445

Exibir mapa ampliado

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.