Considerando as determinações legais dos artigos 113 a 126 da Lei Municipal nº 1.718/2003 e o grande número de servidores municipais que geram a necessidade de adoção de políticas de segurança e saúde do trabalhador na prevenção e tratamento dos riscos e doenças ocupacionais, os vereadores Cecílio Araújo, Conrado Scheller, Mario Som, Zezinho da Ração, Irineu Defende e Alzira da Farmácia encaminharam pedido de informações ao executivo municipal. O pedido foi aprovado por unanimidade na sessão do dia 26 de setembro.

Os vereadores querem saber como é composto o Serviço de Medicina do Trabalho do Município; qual é sua estrutura funcional e se é integrado por Médico do Trabalho, Enfermeiro do Trabalho, Engenheiro do Trabalho e Técnico de Segurança do Trabalho.

Além disso, fazem parte dos questionamentos, se existe em vigor um Plano de Prevenção de Riscos Ambientais – PPRA e um Plano de Controle Médico de Saúde Ocupacional- PCMSO; quem são os profissionais responsáveis pelos mesmos; se existe contratação de terceiros para a realização das perícias médicas oficiais; quem é o prestador dos serviços;  quais são os valores  e a situação de execução do contrato administrativo; quantas licenças médicas foram concedidas nos anos de 2010 e 2011, especificamente;  quantas perícias médicas oficiais foram feitas; quantos servidores se encontram atualmente e gozo do benefício com ou sem a realização de perícia oficial e se existe algum servidor que mesmo após ter comprovado estar doente e impedido de exercer sua função, lhe tenha sido negado a concessão da licença para tratamento médico.

 

Responda

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.