A obrigatoriedade da instalação de portas giratórias nas entradas das casas lotéricas de Cambé, exigidas por lei de autoria do vereador Zezinho da Ração, não está sendo cumprida no Município.

A denúncia é do próprio vereador que alega que todos os prazos para que essa exigência seja colocada em prática já se expiraram. “Recentemente mais um estabelecimento desse gênero foi assaltado na cidade, colocando em risco a vida de moradores”, disse o vereador, acrescentando que “talvez esse equipamento não resolva definitivamente a incidência dos roubos, mas amenizaria o problema e daria mais segurança aos usuários”.

Outra lei que não está sendo cumprida, também aprovada pela Câmara Municipal, é a da implantação de um canil público no Município. Segundo o vereador “são inúmeros os problemas causados pelos cães abandonados que perambulam pelas ruas cidade. “Esse é um caso que pode ser considerado até de saúde pública, já que esses animais sem os cuidados necessários, além de serem vítimas de maus tratos, podem contrair doenças e transmiti-las para os moradores”, disse. Zezinho afirmou ainda que ficou indignado com um telefonema que recebeu recentemente de um funcionário municipal perguntando se ele podia recolher um cão doente em uma determinada rua. “Eu já cuido de vários animais por conta própria e essa responsabilidade é do poder público, sendo que já existe lei específica para resolver o problema. É só cumpri-la”, disse.
Veja o pronunciamento do Vereador:

1 COMENTÁRIO

  1. Parabenizo o vereador Zezinho e acredito que as suas reivindicações são importantes. Em relação a criação de um canil municipal, penso que a prioridade são as pessoas, ou seja, no município de Cambé não há albergues com estrutura que possam recolher e atender moradores de rua, bem como encaminhá-los para tratamento da dependência química ou o retorno às suas famílias pois, na maioria dos casos esses “cidadão” vivem nas ruas devido a dependência do álcool, considerado lícito e que está alcançando nossos jovens (outra discussão importante) e outras drogas (ilícitas). Os munícipes que precisam deste tipo de atendimento são recolhidos pela Irmã Jardini (que não sabe mais como fazer pela falta de estrutura e acaba realizando o impossível), parabéns Irmã Jardini. Quando precisamos atender este público em Cambé, a assistência tem que recorrer aos municípios vizinhos, o que deixa explícita a falta de interesse dos nossos representantes políticos em resolver esta situação, sendo que este é um problema de há vários anos. Antes de nos preocuparmos com o cães, vamos nos preocupar com as pessoas, cidadãos cambeenses, em nome da tão citada democracia, cujos princípios são: igualdade, justiça social, equidade, etc.
    Obrigada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.