copellogosloganverticalA Copel prorrogou em 30 dias o edital de chamada pública para projetos que promovam a eficiência energética e o combate ao desperdício de energia. Destinada aos consumidores da Companhia, a iniciativa disponibilizará R$ 12 milhões para a implementação das propostas contempladas.

A chamada abrange propostas de melhoria de instalações que contribuam para o uso eficiente e a economia de energia. Podem se inscrever consumidores que não possuam débitos junto à Copel. Os projetos são divididos em duas categorias: consumidores com fins lucrativos e sem fins lucrativos – sendo estes contemplados com recursos a fundo perdido.

A chamada pública integra o Programa de Eficiência Energética (PEE) da Copel e é regulamentada pela Agência Nacional de Energia Elétrica – Aneel. O edital PEE 001/2015 e o manual para elaborar uma proposta estão disponíveis no site da Copel – www.copel.com.

Os recursos disponíveis para a chamada pública estão divididos em dois grupos dentro das categorias aceitas pela Aneel: R$ 6 milhões serão aplicados em propostas de melhoria de instalações industriais e em condomínios residenciais e a outra metade será destinada a projetos de comércio e serviços, poder público, rural, serviços públicos e iluminação pública. Não serão aceitos projetos de gestão energética municipal ou provenientes de consumidores residenciais.

FONTES INCENTIVADAS – Realizadas há uma década de forma pioneira no Brasil, as chamadas públicas para projetos de combate ao desperdício de energia da Copel foram modelo para a atual regulamentação federal sobre o tema.

Em 2014, as chamadas passaram a admitir a inscrição de projetos para instalação de microgeradores de energia a partir de fontes incentivadas, como solar, eólica, hidráulica e biomassa. Nestes casos, as unidades consumidoras também devem incluir no projeto a substituição de equipamentos elétricos poucos eficientes – lâmpadas incandescentes, equipamentos de refrigeração antigos, motores elétricos etc. – quando existirem.

Os investimentos em PEE atendem ao contrato de concessão de distribuição de energia – Lei 9.991/2000 – que obriga à destinação de 0,5% da Receita Operacional Líquida (ROL) a projetos de eficientização no uso final da energia.

INVESTIMENTO – A Copel investiu mais de R$ 200 milhões no programa desde 2000. Uma das iniciativas que melhor ilustram os ganhos com a eficientização no uso de energia foi o projeto implementado nas sedes do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) em 2012. O projeto reduziu em cerca de 20% o consumo mensal de energia da instituição em 41 cidades, com uma economia total de R$ 185 mil desde sua implementação.

Responda

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.