Manchete dos Jornais desta segunda-feira, 27 de julho de 2015
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 27th julho 2015

Além da lava-jato: País tem 5,8 mil ações por crimes financeiros
A Operação Lava-Jato, que revelou o grande esquema de corrupção na Petrobras, não é a única a investigar os crimes do colarinho branco no país. Levantamento do GLOBO mostra que tramitam hoje 5.861 processos no Brasil relativos a crimes financeiros, parte deles em 27 varas federais especializadas. São Paulo concentra mais da metade das ações (2.968) de lavagem de dinheiro, desvio de recursos públicos e ocultação de bens, entre outros crimes. Depois vêm Mato Grosso do Sul (613), Ceará (314), Paraná (331) e Rio (302). As varas especializadas ficam em 14 estados e no Distrito Federal. Nos demais, os casos são levados a varas criminais comuns…


O Estado de S. Paulo

Manchete: Dilma busca apoio de Estados para defesa no TCU
Planalto avalia que 17 governadores poderão ser vítimas de ‘efeito cascata’ se contas forem rejeitadas.
Em busca de apoio político à presidente Dilma Rousseff, o Planalto vai buscar aproximação com os governadores. O governo detectou que, assim como a União, os Estados temem que suas contas de 2014 sejam rejeitadas pelo TCU, o que poderia resultar em uma série de processos de impeachment, informam Vera Rosa e João Villaverde. Levantamento do Planalto mostra que ao menos 17 governadores praticaram, em maior ou menor grau, operações semelhantes às manobras conhecidas como “pedaladas fiscais”, atrasando repasses de recursos a bancos públicos para conseguir cumprir programas sociais. A pressão dos governadores sobre o TCU, uma corte com forte vínculo com políticos, seria arma importante para o Planalto, que avaliou incluir em sua defesa a situação dos Estados, mas recuou para evitar desgaste com os governadores. (Política A4)

Conselhos de Ética não agem
Mesmo com 13 senadores e 22 deputados investigados na Operação Lava Jato, os Conselhos de Ética da Câmara e do Senado, que fiscalizam o decoro parlamentar, não abriram processos contra parlamentares. (Pág. A7)

Obras de arte para Graça e Gabrielli
A força-tarefa da Operação Lava Jato afirma que a construtora Odebrecht presenteou ex-dirigentes da Petrobrás com quadros e pinturas “de alto valor”.
Entre os executivos citados estão os ex-presidentes José Sérgio Gabrielli (2005-2012) e Graça Foster (20122015), além de diversos diretores. Segundo o MPF, a “Relação de Brindes Especiais-2010” mostra que os presentes eram obras de artistas como Alfredo Volpi, Cildo Meireles, Armando Romanelli e Oscar Niemeyer. (Pág. A6)

Delegado confirma acordo com PCC na crise de 2006
Depoimento revela que o governo de São Paulo fez acordo com a cúpula do Primeiro Comando da Capital (PCC) para interromper os atentados que ocorreram em 2006,informa Alexandre Hisayasu. Apesar das suspeitas, o governo estadual sempre negou o acordo. A declaração veio do delegado José Luiz Ramos Cavalcanti, durante processo que investigou ligações de advogados com o crime organizado. (Metrópole A11)

Útil por mais 20 anos
Berço da Vale, quadrilátero ferrífero mineiro é a aposta da mineradora para aumentar eficiência e reduzir custos. (Economia B4)

A crise chega aos executivos
Pesquisas de consultorias mostram queda na remuneração de executivos. Em 2015, a renda de um presidente de multinacional, por exemplo, caiu em média 11,2%, fora a inflação. (Pág. B1)

Sucessão contra imposto
Famílias antecipam sucessão para escapar de possível aumento de tributo sobre heranças. (Pág. B6)


O Globo

Manchete: Além da lava-jato: País tem 5,8 mil ações por crimes financeiros
Em todo o Brasil, já existem 27 varas especializadas no assunto.
Suspeitas incluem lavagem de dinheiro, ocultação de bens, corrupção e desvio de verba pública; maioria dos casos está em SP.
A Operação Lava-Jato, que revelou o grande esquema de corrupção na Petrobras, não é a única a investigar os crimes do colarinho branco no país. Levantamento do GLOBO mostra que tramitam hoje 5.861 processos no Brasil relativos a crimes financeiros, parte deles em 27 varas federais especializadas. São Paulo concentra mais da metade das ações (2.968) de lavagem de dinheiro, desvio de recursos públicos e ocultação de bens, entre outros crimes. Depois vêm Mato Grosso do Sul (613), Ceará (314), Paraná (331) e Rio (302). As varas especializadas ficam em 14 estados e no Distrito Federal. Nos demais, os casos são levados a varas criminais comuns. (Pág. 3)

Enquanto isso… Quatro CPIs não acharam nada irregular na Petrobras
Nos últimos 17 anos, o Congresso abriu quatro CPIs para investigar a Petrobras, incluindo a atual, da Câmara. Até agora, no entanto, nenhuma irregularidade foi apontada pelos parlamentares. Já havia suspeita de superfaturamento na Refinaria Abreu e Lima e de pagamento de propinas, mas suspeitos que hoje são réus da Lava-Jato sequer foram ouvidos. Relatórios tinham até elogios à estatal. (Pág. 4)

Eduardo Cunha cria pauta-bomba (Pág. 4)

Vale, Petrobras e siderúrgicas põem US$ 22 bilhões à venda
Com a queda nos preços de petróleo, minérios e outros produtos básicos, as chamadas commodities, empresas brasileiras estão se desfazendo de parte do seu patrimônio para fazer caixa. No total, as vendas até 2016 devem chegar a US$ 22 bilhões, o equivalente a duas hidrelétricas de Belo Monte. Analistas apostam que o lote vai incluir minas de carvão da Vale na Austrália, o terminal de contêineres da CSN em Itaguaí e parte da área de Libra da Petrobras no pré-sal. (Pág.17)

Rio-92 popularizou o debate ambiental
Assunto voltará à tona este ano, em paris. (Pág. 22)


Gazeta do Povo

PRETENSÃO PRESIDENCIAL
Manchete: PMDB alinhava estratégia para disputar o Planalto em 2018
Maior partido da base aliada no Congresso, o PMDB está trabalhando para se descolar do governo e disputar a presidência da República em 2018. Apesar de seu gigantismo, o partido nunca teve expressão nas disputas presidenciais e só chegou ao Planalto por via indireta, com José Sarney e Itamar Franco. A tese da candidatura própria ganhou força entre os peemedebistas com o agravamento da crise econômica e política. Três nomes tentam se viabilizar: o vice-presidente Michel Temer, o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, e o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes.

TECNOLOGIA
Aplicativos como o Uber exigem regulamentação
A polêmica ganhou corpo nas últimas semanas com a fúria de taxistas em São Paulo e no Rio de Janeiro e mostra que há um debate urgente a ser travado: o equilíbrio entre os serviços tradicionais e as plataformas tecnológicas, entre elas a Airbnb, usada pelo advogado Josias Rosa para alugar apartamento.

TRANSPORTE PÚBLICO
Crédito vencido de ônibus fica para empresas
Todo o crédito comprado pelo usuário nas 83 linhas de ônibus não integradas da Região Metropolitana de Curitiba vai para a conta da Associação Metrocard, uma vez vencido. O valor chegaria a R$ 300 mil por mês. A entidade que representa as empresas diz que ele não passa de R$ 1 mil.

FALECIMENTO
Morre aos 65 anos o jornalista paranaense Helio Teixeira

PARALISAÇÃO
Greve prometida por funcionários da Urbs não afetará transporte coletivo

ACIDENTES
O alto risco das quedas. Tão cotidianos que parecem inofensivos, os tombos responderam por 11% das mortes em Curitiba, em 2013. Na maioria, de idosos

BRASILEIRO
Evandro volta a salvar o Coxa
Revelação alviverde empata jogo contra o Corinthians, mas o Coritiba segue na vice-lanterna

TORONTO-2015
Brasil fecha Pan com 41 ouros
Com 141 medalhas, país fica no top-3 e reforça cuidados com saúde dos atletas para as Olimpíadas


Estado de Minas

Manchete: Saída de BH ainda longe de solução
Editais para duplicação do trecho mais perigoso da BR-381, entre a capital eotrevo de Caeté, ficarão para o ano que vem. Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) havia programado a licitação para até este mês. Moradores vizinhos da rodovia esperam há anos visitas de técnicos para vistoriar os imóveis e iniciar a sonhada obra. Pág. 5

Duplicação também fica na promessa
Enquanto aguardam as reformas na MG-050, que liga a Região Metropolitana de BH ao Sul de Minas, moradores e motoristas se arriscam na via estadual com o maior número de acidentes fatais. Curva no ponto crítico da pista, o quilômetro 117, próxima à entrada de Divinópolis, no Centro-Oeste, ganhou um outdoor com alerta para o perigo. Pág. 13

Caem as operações para tapar buracos pelas ruas de BH. Redução é maior nas Regiões Noroeste e Centro-Sul ● Pág. 15

Alerta HPV
faz crescer casos de câncer de cabeça e pescoço, a disseminação do vírus, transmitido sexualmente, está associada a 80% dos tumores. Há uma década, respondia por 25% dos casos. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca) prevê 19 mil diagnósticos da doença este ano. Pág. 18

Apostas
A dúvida é só quanto os juros vão aumentar Depois do afrouxamento na área fiscal, analistas do mercado acreditam que os nove diretores do Comitê de Política Monetária (Copom) decidirão pela alta da taxa básica da economia (Selic), atualmente em 13,75% ao ano. Há expectativa de elevação de 0,25 ou 0,50 ponto percentual. Pág. 9

A nova Biribiri
Trinta dos 33 imóveis do vilarejo tombado pelo Patrimônio Histórico no Vale do Jequitinhonha foram vendidos. Pousada e restaurante já existem lá. Em breve, haverá hotel, vinícola e museu. Pág. 8


Zero Hora

Manchete: MP investiga 18 casos de abuso e maus-tratos
Crianças e adolescentes acolhidos em abrigos da Capital são vítimas de violência em locais que deveriam protegê-los. No total, há 60 suspeitas de irregularidades.

Negligência e superlotação representam metade das denúncias
Seleção de pessoal e treinamento são a receita dos bons exemplos (Págs. 6 a 9)

Ditadura argentina
O repressor que vivia recluso em sítio gaúcho. (Págs. 16 e 17)

Escândalo da Petrobras: Lava-Jato mira no setor elétrico e nos políticos
Documentos da Suíça permitem chegar a contas que podem ter sido usadas em desvios. (Pág. 12)

Enem 2014: O que o exame pode ensinar às escolas
MEC deve divulgar a partir de hoje os resultados da última prova nacional. (Sua Vida 26 e 27)


Folha de S. Paulo

Manchete: SP quer tirar agente federal das rodovias no Estado
Secretário diz que criminalidade cai se polícia paulista cuidar de Dutra e Régis.
Alexandre de Moraes, secretário da Segurança Pública, defende que o Estado assuma o policiamento nas rodovias federais que passam por São Paulo. Segundo o advogado constitucionalista que assumiu a pasta em janeiro deste ano, estatísticas mostram que, Monde o policiamento não depende só de São Paulo, o homicídio é mais elevado. E a Dutra não é nosso policiamento”.
Moraes, na semana passada, divulgou a menor taxa de homicídios da série histórica no Estado, 938 casos por 100 mil habitantes, obtida em junho. Em ritmo de campanha, o governador Geraldo Alckmin anunciou a marca em uma delegacia.
“Eu não diria que o policiamento federal não é eficiente. Eu diria que, se pudermos também pegar isso [rodovias federais], é mais fácil para o nosso planejamento”, declarou Moraes em entrevista à Folha.
Segundo o secretário, as principais vias federais que atravessam o Estado são as mais usadas pelo tráfico de drogas e armas. No caso do roubo de cargas, a rota com mais ocorrências é a Régis Bittencourt. Assumindo-as. o secretário prevê nova queda nos índices de violência.
No primeiro trimestre, o número de mortes por PMs subiu 18%. “Temos que verificar por que estão ocorrendo.” (Entrevista da 2ª, A10)

Alta dos preços faz brasileiro perder a noção de valores; relembre dicas (FolhaInvest A11)

Editoriais
Leia “O trabalho do ajuste”, sobre programa do governo federal de manutenção do emprego, e “Refavela”, acerca de diferentes políticas habitacionais. (Opinião A2)

Vinicius Mota
O trauma da Petrobras estará vivo para impedir a reincidência? (Opinião A2)

Varejo discute com o governo jornada móvel contra a crise
Um grupo de 15 entidades de varejo e serviços discute com o governo a criação da jornada móvel, com uma cota de vagas em que os horários de trabalho seriam definidos pelo aumento do fluxo de clientes. Assim, um bar ou restaurante poderia ter trabalhadores de quinta a domingo ou apenas duas vezes por semana. Sindicatos aceitam discutir sob condições, como o salário não ser inferior ao mínimo. (Folhalnvest A14)

Ministro do TCU é acusado de receber valor desviado
O ex-tesoureiro da Prefeitura de Campina Grande (PB) Rennan Trajano Farias afirma ter feito, em 2010, entregas de dinheiro em espécie a Vital do Rêgo (PMDB-PB), hoje ministro do Tribunal de Contas da União, relata Rubens Valente. À época, o ministro disputou e ganhou uma vaga no Senado. Ele nega a acusação.

No TCU, Vital será um dos nove ministros a analisar as contas de 2014 da presidente Dilma Rousseff. (Poder A4)


Edição: Equipe Fenatracoop, 26 de Julho de 2016, ás 21:05

Compartilhe nossa Matéria