Manchete dos Jornais desta sexta-feira, 27 de novembro de 2015
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 27th novembro 2015

Á beira do caos
Empresas de ônibus de Curitiba dizem que não vão pagar o 13º salário e ameaçam demitir cerca de 2 mil motorista e cobradores. Categoria faz assembléia hoje para decidir se entram em greve. Prefeitura afirma que os pagamentos estão em dia….
PF indicia 19 em inquérito que apura compra de MPs
A Polícia Federal indiciou 19 pessoas por suspeita de envolvimento no esquema de compra de medidas provisórias nas gestões Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, investigado na Operação Zelotes. Envolvidos são acusados de associação criminosa, corrupção e lavagem de dinheiro…


O Globo

Manchete: Prisão de Delcídio pode paralisar o governo
Com votação de meta fiscal adiada, máquina corre o risco de parar
Na segunda-feira, vence prazo para o Executivo apresentar o último decreto de receitas e despesas do ano. Para não sofrer sanções do TCU, opção é fazer corte de R$ 107 bi e suspender gastos não obrigatórios
O agravamento da crise política, com a prisão do senador Delcídio Amaral (PT), líder do governo no Senado, pode levar à paralisação da máquina pública. Após a prisão de Delcídio, anteontem, a votação da nova meta fiscal de 2015 foi adiada. O governo, porém, só tem até segunda-feira para editar decreto sobre suas receitas e despesas neste ano. Se optar por meta ainda não aprovada pelo Congresso, o governo ficará sujeito a sanções do TCU. Mas, se adotar a meta antiga, terá de cortar R$ 107 bilhões, suspendendo todos os gastos não obrigatórios. Ao depor ontem na PF, onde está preso, Delcídio negou ter tentado obstruir investigações da Lava-Jato. (Págs. 4 e 29)

Banqueiro é levado para Bangu 8
Por ordem do STF, o banqueiro André Esteves, sócio do BTG preso anteontem acusado de tentar obstruir investigações da Lava-Jato, foi transferido da sede da PF no Rio para o Presídio Ary Franco e, depois, para Bangu 8. O BTG montou uma “operação de guerra” para lidar com a crise. (Págs. 7, 27 e 28)

PT agora fala em expulsão
Após defender e aplaudir o ex-tesoureiro Vaccari e o ex-ministro José Dirceu, presos, o PT fala em expulsar Delcídio. (Pág. 3)

Na cadeia, senador receberá salário (Pág. 4)

MP vai apurar citação a conta de Romário (Pág. 8)

Zelotes indicia 19; CPI poupa políticos (Pág. 8)

José Paulo Kupfer
Prisões agravam efeitos da Lava-Jato. (Pág. 17)

Desigualdade de renda aumenta
Após 15 anos seguidos de queda, a desigualdade de renda no mercado de trabalho voltou a subir este ano, segundo cálculos do economista Sergei Soares, do Ipea. A recessão e o aumento do desemprego explicam a piora na distribuição de renda entre os trabalhadores, informa Cássia Almeida. (Pág. 32)

SP tem 2 casos de microcefalia
Malformação, suspeita de ser provocada pelo zika, foi confirmada em dois bebês em São Paulo. Síndrome rara também está sendo associada ao vírus. Exército vai atuar no combate ao Aedes. (Pág. 35)

Cárcere agoniza à espera de decisão
A Justiça vai decidir o destino dos 37 internos do mais antigo manicômio judiciário da América Latina, o Heitor Carrilho, no Centro do Rio. Pacientes vivem ali há mais de 20 anos, revela Dandara Tinoco. (Pág. 14)

Repúdio geral a morte de opositor
Países e organismos internacionais condenaram o assassinato, durante comício na Venezuela, de um opositor do governo Maduro. (Pág. 37)

ABI recorre ao STF contra lei (Pág. 13)

Del Nero põe filho de Sarney na Fifa (Pág. 42)

Burocracia impediu embargo de barragem
Quatro meses antes da tragédia em Mariana, o Ibama ordenou o embargo da barragem de Fundão, após comprovar que a Samarco desmatara além do permitido. Mas a burocracia impediu o embargo: faltou notificação à mineradora, informa Vinícius Sassine. O prazo para a Samarco depositar R$ 500 milhões para recuperação de danos acabou ontem. A empresa diz que parte do dinheiro foi bloqueada pela Justiça. (Pág. 12)

Ancelmo Gois
Inca divulga hoje estimativa de novos casos de câncer em 2016: 596 mil no Brasil. (Pág. 24)


O Estado de S. Paulo

Manchete: ‘Foi questão humanitária’, diz Delcídio sobre oferta a Cerveró
Ex-líder do governo no Senado nega à PF ter procurado ministros do Supremo para tentar obter habeas corpus
O senador Delcídio Amaral (PT-MS) disse ontem que pretendia “ajudar” o ex-diretor da Petrobrás Nestor Cerveró a sair da prisão “por uma questão humanitária”. Em depoimento à Polícia Federal em Brasília, onde está preso desde anteontem, o ex-líder do governo afirmou que na conversa com Bernardo Cerveró, filho do ex-diretor da Petrobrás Nestor Cerveró, seu intuito foi “dar uma palavra de esperança e conforto para o familiar de um réu preso”. Ele negou, porém, ter falado com ministros do STF sobre o assunto – na gravação, Delcídio promete interceder no Supremo Tribunal Federal para conseguir habeas corpus para Cerveró. O tratamento dado pela direção do PT ao senador, ameaçado de expulsão do partido, desencadeou crise com as bancadas do partido. (Política, págs. A4 a A12)

Lula critica senador
Ex-presidente classificou ato de Delcídio Amaral como “grande burrada”. (Pág. A4)

STF manda banqueiro para presídio
O ministro do STF Teori Zavascki negou pedido de revogação da prisão feito pela defesa de André Esteves e determinou a transferência do banqueiro para o presídio Ary Franco, no Rio. Segundo o advogado, Esteves passou a primeira noite na prisão “constrangido e perplexo”. À Polícia Federal, admitiu encontros com o senador Delcídio Amaral. Na tentativa de passar tranquilidade a clientes, o presidente interino do BTG Pactuai, Pérsio Arida, disse que Esteves sempre foi “figura emblemática do banco”, mas a instituição vai além dele. (Págs. A6 e A8 e Economia, pág. B5)

Entrevista: Joaquim Levy, ministro da Fazenda

Em vez de nova meta, mais cortes
O ministro Joaquim Levy disse, ao Estado, que o governo vai cumprir determinação do TCU e anunciar, segunda-feira, corte de recursos para não incorrer em infração no fechamento das contas. O governo terá de contingenciar R§ 107,1 bilhões, porque o Congresso não votou a nova meta fiscal. Levy conta com a CPMF para a Previdência e quer idade mínima para aposentadoria. (Economia, pág. B1)

PF indicia 19 em inquérito que apura compra de MPs
A Polícia Federal indiciou 19 pessoas por suspeita de envolvimento no esquema de compra de medidas provisórias nas gestões Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, investigado na Operação Zelotes. Envolvidos são acusados de associação criminosa, corrupção e lavagem de dinheiro. (Política, pág. A13)

Político de oposição da Venezuela é morto após comício
O assassinato do opositor venezuelano Luís Díaz após comício no país acirrou o temor de violência a dez dias das eleições parlamentares em que o chavismo, pela primeira vez desde a chegada ao poder de Hugo Chávez, em 1998, não é favorito. (Internacional, pág. A18)

Desmate na Amazônia sobe 16% em um ano
Às vésperas da Conferência do Clima, o governo anunciou que foram desmatados 5.831 km2 da Amazônia entre agosto de 2014 e julho deste ano, uma alta de 16%. (Metrópole, pág. A31)

Eliane Cantanhêde: Filme de terror
A prisão de Delcídio Amaral reaviva Pasadena e é nova ameaça a Dilma Rousseff. Os nervos andam à flor da pele no Planalto e arredores. (Política, pág. A6)

Ignácio de Loyola Brandão: Sonhos de uma noite de verão
Num país em que professores são ameaçados, agredidos, processados por pais de alunos reprovados, muitos desistem de lecionar. (Caderno 2, pág. C12)

HIV triplica em SP entre homens de 15 a 19 anos (Metrópole, pág. A29)

Escolas correm risco de desativação gradual
Fora da lista da reorganização escolar de Geraldo Alckmin, pelo menos seis colégios da capital podem ter desativação progressiva – em 2016, não terão matrícula em série inicial. (Metrópole, pág. A26)

Notas & Informações
República de bandidos
Ministra Cármen Lúcia sintetizou toda a trajetória dos petistas que caçoam da Justiça.

O risco de juros mais altos
Será muito difícil evitar, nos próximos meses, uma nova alta da Selic, apesar dos efeitos penosos, (Pág. A3)


Gazeta do Povo

Manchete: Á beira do caos
Empresas de ônibus de Curitiba dizem que não vão pagar o 13º salário e ameaçam demitir cerca de 2 mil motorista e cobradores. Categoria faz assembléia hoje para decidir se entram em greve. Prefeitura afirma que os pagamentos estão em dia.
ESCÂNDALO DE CORRUPÇÃO
Prisão de Delcídio gera atrito entre STF e Congresso
ESCÂNDALO DE CORRUPÇÃO
Oposição cobra ação contra Delcídio
ELEIÇÕES
Após derrubada do veto, Dilma confirma voto impresso
TEMPO REAL
TC rejeita “pedalada” e aprova contas de Richa por 5 votos a 1
LAVA JATO
De defensor a procurado pela Interpol: as polêmicas do advogado de Cerveró
LAVA JATO
Teori nega soltar banqueiro e determina transferência para presídio
ZELOTES
PF indicia 19 por ‘venda’ de medidas provisórias
LAVA JATO
‘Coisa de imbecil’ e ‘que idiota’, diz Lula sobre Delcídio, preso na Lava Jato
LAVA JATO
Investigada na Lava Jato, Gleisi diz que não votou pela absolvição de Delcídio, mas para que a regra fosse cumprida


Zero Hora

Manchete: Prisão de Delcídio e atraso em votações assustam Planalto
Flagrante do líder do governo no Senado tentando barrar Lava-Jato dificulta aprovação de pauta econômica e traz de volta ameaça de impeachment.
Senador diz ter oferecido ajuda por uma “questão humanitária” / Detenção de banqueiro tem força para contagiar mercado (págs. 8 a 16)
Vagas suspensas
Em clima de apreensão, mais de 800 trabalhadores da GM de Gravataí aceitaram a suspensão de contratos por cinco meses. Queda na produção levou empresa a interromper terceiro turno. (Pág. 22)

Plataformas garantidas
Contrato prevê 2 mil vagas em Rio Grande. (Marta Sfredo, pág. 25)


Folha de S. Paulo

Manchete: Dilma ignorará regra que manda cortar Orçamento
Crise política adia votação no Congresso sobre meta fiscal
Acrise gerada pelas prisões do senador petista Delcídio do Amaral e dobanqueiro André Esteves inviabilizou o plano do Planalto de aprovar nesta semana no Congressos ua proposta de mudança da meta fiscal.
Mesmo com o prazo expirado, o governo Dilma não fará um corte adicional no Orçamento deste ano para cumprir a meta em vigor, o que exigiria, por lei, bloqueio de R$ 105 bilhões. A votação ficou para terça (1º).
A decisão pode dar mais munição para a oposição pleitear o impeachment da presidente. Além disso, aliados de Dilma avaliam que a situação política fragiliza ainda mais o poder de ação do Planalto no Congresso.
O ex-presidente Lula disse que Delcídio, então líder do governo no Senado, fez uma “coisa de imbecil”, e o PT deve expulsá-lo. O PSDB almeja a cassação do senador, acusado de tentar obstruir a Lava Jato. (Poder A4)

Banqueiro diz que só falou com senador sobre a situação do país
O banqueiro André Esteves, que passou a noite em uma cela da PF, disse que só conversava sobre a situação do país com o senador Delcídio do Amaral (PT), também preso. A defesa do executivo disse que a Procuradoria usou dois pesos e duas medidas no caso. (Poder A9)

PF vai investigar o vazamento de delação de Cerveró (Poder A5)

Exame oficial paulista atinge sua adesão mais baixa em 9 anos
Em meio à onda de ocupação de escolas em protesto contra mudanças na rede estadual paulista, o Saresp (exame oficial) teve a menor participação de alunos desde ao menos 2007. Neste ano, a presença foi de 80,5%. A gestão Alckmin (PSDB) anunciou que cortará o bônus de professores de 174 colégios tomados por manifestantes nos dias da aplicação — hoje já são 182. O sindicato deve entrar na Justiça contra a medida. (Cotidiano B1)

Governo enviará cônsul a eleição na Venezuela
O Brasil destacou seu cônsul-geral em Washington, Antonino Mena Gonçalves, para a missão que acompanhará a eleição parlamentar na Venezuela, no dia 6. A escolha de um embaixador é vista com ceticismo pela oposição, que teme fraudes.
A tensão no país se acirrou com a morte de opositor do governo Maduro, que nega crime político. (Mundo A14)
Aliados de Cristina votam projetos que endividam a gestão do novo presidente (Mundo A17)

ABI questiona no Supremo a Lei do Direito de Resposta (Poder A13)

Editoriais
Leia “Mais um passo”, acerca da prisão do senador Delcídio do Amaral, e “Resposta necessária”, sobre ação da ABI contra a Lei do Direito de Resposta. (Opinião A2)

Hélio Schwartsman
Com prisão, STF quis mostrar que não é influenciável (Opinião A2)


Edição: Equipe Fenatracoop, 27 de Novembro de 2015

 

Compartilhe nossa Matéria