Manchete dos Jornais desta terça-feira, 16 de junho de 2015
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 16th junho 2015

 

Gaeco (PR) apreende documentos na sede do IAPO
Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) apreendeu documentos na casa do presidente do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) e na sede do órgão. Há suspeita de irregularidades em licenças ambientais..

Adiada votação do reajuste dos servidores (no Paraná)
A falta de consenso voltou a travar a votação do projeto de reajuste para o funcionalismo estadual. A oposição apresentou emenda prevendo reposição de 8,17% e a matéria voltará à Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia…

 


O Globo

Manchete: Aposentadorias – Previdência pode sofrer colapso, diz ministro
O ministro da Previdência, Carlos Gabas, indicou que a presidente Dilma Rousseff não adotará a regra aprovada para flexibilizar o fator previdenciário, que inibe aposentadorias precoces. Segundo ele, a mudança levaria o sistema ao “colapso” nas próximas décadas. (Pág. 1 e 3)

Editorial ‘Idade mínima é a alternativa ao fator previdenciário’ (Pág. 14)

Em SP, Cunha se aproxima de grupos contrários ao PT
Presidente da Câmara se reuniu com empresários e líderes de movimentos anti-Dilma

Grupo é multado em R$ 450 mil por falha em obra do bonde
Consórcio que atua em Santa Teresa já havia sido multado no mês passado em R$ 900 mil

Eduardo da Silva quer se firmar
Atacante rubro-negro celebra boa fase


O Estado de S.Paulo

Manchete: Sem acordo, ministro indica veto a mudança na aposentadoria.
Para ministro, nova regra de aposentadoria é inviável
Fórmula aprovada pelo Congresso geraria despesa trilionária aos cofres públicos, segundo Carlos Gabas. Mesmo com a presidente pressionada por sindicatos e por parlamentares, titular da Previdência, Carlos Gabas, diz que fim do fator previdenciário pode representar um ‘colapso’ para o governo federal, que promete apresentar uma nova alternativa. O ministro da Previdência, Carlos Gabas, indicou nesta segunda-feira, 15, que são remotas as chances de a presidente Dilma Rousseff sancionar a medida provisória aprovada no Congresso com a flexibilização do fator previdenciário, mecanismo criado para adiar as aposentadorias de quem deixa o serviço mais cedo. Em reunião realizada ontem com dirigentes de seis centrais sindicais, ministros disseram que a fórmula 85/95, avalizada pelo Congresso, “quebra a Previdência” e ouviram da CUT, braço sindical do PT, a ameaça de que, se houver veto, a entidade deixará o fórum de negociações com o governo.
Gabas comparou o impacto da aprovação da fórmula 85/95 ao de uma carreta desgovernada, que poderia virar a qualquer momento. “Ou a gente planeja a Previdência do futuro ou teremos que fazer alterações como foram feitas na Itália, na França ou na Espanha. É como mudar o rumo de uma carreta em alta velocidade. Ela capota”, disse. “Se você olhar lá para frente, vê um abismo. Sabendo que você vai estar indo para o abismo, está inviável, não tem perspectiva.”
Na tentativa de evitar mais desgaste político, Dilma pretende apresentar até amanhã, prazo final para sanção ou veto do projeto, uma proposta alternativa à fórmula pela qual o trabalhador pode pedir aposentadoria integral, sem o corte do fator previdenciário, sempre que a soma da idade com o tempo de contribuição atingir 85 anos para mulheres e 95 para homens. A fixação de uma idade mínima para a aposentadoria, com a adoção da fórmula “85/95 progressiva”, que variaria de três em três anos, de acordo com cálculos de expectativa de vida do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), é uma opção em estudo pelo governo.
“Isso é viável”, disse Dilma em entrevista ao Estado publicada no dia 8. O argumento do Planalto para o veto é que o Brasil é um dos únicos países que possui aposentadoria por tempo de contribuição, sem exigência de idade mínima. Pelas projeções apresentadas por Gabas, se a fórmula 85/95 vigorar como foi aprovada pelo Congresso, o gasto adicional do governo, até 2030, será de R$ 135 bilhões e, até 2060, de R$ 3,2 trilhões.
Embora Gabas tenha dito publicamente que Dilma ainda não decidiu se vetará mesmo o projeto, todas as suas declarações foram nesse sentido.
Colapso. “A manutenção da norma pela qual uma pessoa pode se aposentar com pensão integral quando a soma de sua idade e do tempo de contribuição alcançar 85 (mulheres) ou 95 (homens), levará ao colapso e a uma situação insustentável até 2060. A conta não fecha”, insistiu Gabas. Sem esconder a indignação com o governo, o presidente da CUT, Vagner Freitas, disse que Dilma poderia tributar grandes fortunas e bancos como forma de aumentar a arrecadação da Previdência. “O que o governo não pode é vir com a faca no nosso peito”, reagiu Freitas. “O fator, como está hoje, é altamente nocivo para os trabalhadores e, se a presidente vetar o projeto aprovado no Congresso, vamos trabalhar para a derrubada do veto.”
Na reunião de ontem, Gabas disse que Dilma não age sob pressão. “Vocês só dão uma opção para a presidente? Ou é isso ou é nada?”, questionou, quando a CUT ameaçou deixar o fórum de negociações com o governo. “Uma coisa é você discutir uma alternativa no fórum com o sistema relativamente preservado. Outra coisa é com o sistema caminhando para o colapso inevitável”, afirmou o ministro da Previdência.
Gabas negou que o governo tenha assumido o compromisso de sancionar a alternativa ao fator para que o Congresso aprovasse o ajuste fiscal. “Nunca houve isso.” Para o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, o texto que passou no Congresso é “ilusório”. “O sistema entra em colapso com qualquer regra de escape para o fator previdenciário”, disse o ministro Ricardo Berzoini (Comunicações).
Os senadores do PT Paulo Paim (RS) e Walter Pinheiro (BA) vão lançar hoje uma campanha de mobilização contra o veto presidencial. A campanha da dupla também entrará nas redes sociais.
Em maio, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse que, se Dilma não sancionasse o projeto com as novas regras para a aposentadoria, estaria dando uma “pedalada” no aposentado. Era uma referência irônica às manobras feitas pelo Tesouro com dinheiro de bancos públicos federais…

PF abre inquérito para investigar ex-ministro Palocci na Lava Jato
Agentes querem saber se petista pediu dinheiro para campanha de Dilma em 2010. Ex-ministro da Fazenda no governo Lula é investigado por supostamente ter pedido R$ 2 milhões para campanha de Dilma em 2010; defesa nega…

CPI agora não tem pressa em ouvir ‘faz tudo’ de Lula
Comissão aprovou convocação de Okamotto após ‘Estado’ revelar doação de empreiteira…

Aécio fala em ‘não pular etapas’ para eleição de 2018
Durante disputa no diretório estadual de SP, Alckmin foi ‘lançado’ como candidato da sigla para a Presidência…

Senador diz que Venezuela vetou missão de tucanos
Políticos do PSDB iriam visitar opositores ao governo de Nicolás Maduro em Caracas

Ministro sinaliza veto a novo cálculo de aposentadoria; Congresso reage
Mesmo com a presidente pressionada por sindicatos e por parlamentares, titular da Previdência diz que fim do fator previdenciário pode representar um ‘colapso’…

Levy diz que há ‘pouca disposição’ do Congresso em aumentar impostos
Sinalização de ministro da Fazenda ocorre três dias após o ministro da Saúde e membros do PT defenderem a volta da CPMF…

Filho de presidente do TCU pede para saber se foi citado em delação
Tiago Cedraz encaminhou solicitação ao STF e ao procurador-geral da República Rodrigo Janot para se colocar à disposição da Justiça e saber se foi acusado…

CPI da Petrobrás agora não tem pressa em ouvir aliado de Lula
Depois de petista se queixar de convocação de Okamotto, presidente da comissão afirma que marcar depoimento imediatamente seria ‘retaliação’…

Petrobrás negocia a venda de parte da Gaspetro para companhia japonesa
Como parte do plano para reforçar o caixa e reduzir o endividamento, estatal estuda dividir subsidiária de gás e energia e vender área de distribuição para o grupo Mitsui…

Vazamento na plataforma P-40 já foi controlado, afirma estatal
Segundo sindicato dos petroleiros, unidade no campo Marlim Sul foi paralisada domingo por ‘problema no controle automatizado seguido de vazamento de gás’…

GM dá férias coletivas a 6,2 mil metalúrgicos em unidades de SP e RS
Funcionários de São José dos Campos (SP) e Gravataí (RS) se juntam aos 5,5 mil metalúrgicos de São Caetano do Sul (SP), que também foram afastados…

Crise na Grécia e risco de default derrubam bolsas em todo o mundo
Fracasso das últimas negociações do país com credores causou queda; investidores fugiram de títulos de países como a Espanha, com receio de contágio da crise grega…

Endividamento das famílias é o maior em 10 anos, diz Banco Central
Os brasileiros comprometeram quase metade do que ganharam nos últimos 12 meses com o total das dívidas; segmento de imóveis é o responsável pela elevação…

Classe C abre mão de conquistas e recorre a bicos para equilibrar orçamento
Ao longo de 2015, o brasileiro sentiu o ‘susto’ da crise; enquanto a inflação só aumenta – os alimentos subiram 4,56% de janeiro a maio -, a renda vai no sentido contrário…

Proposta de Neeleman pela TAP indica que BNDES pode entrar no consórcio
Segundo a imprensa portuguesa, a possibilidade de apoio do BNDES foi confirmada pelo secretário de Transportes e responsável pelo processo de privatização…

Europa se questiona se Grécia pode enfrentar calote sem saída do euro
Defensores do cenário do calote sem a saída da moeda se dividem: uns acreditam que o premiê grego seria forçado a fechar acordo; outros defendem que a retirada motivaria o caos na Grécia…

Após fracasso nas negociações, Grécia exige fim da ‘pilhagem’ de credores
Grécia vive semana decisiva para evitar calote da dívida, mas o premiê Alexis Tsipras elevou o tom do discurso e manteve exigência por acordo mais brando…

Saldo da balança comercial fica positivo pela primeira vez no ano
Após registrar superávit comercial na segunda semana de junho, a diferença entre exportações e importações no acumulado do ano somou US$ 349 milhões…


Gazeta do Povo

Manchete: Queda de investimento das empresas trava a recuperação econômica
Os investimentos feitos pelas empresas para produzir mais, medidos pela Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF), estão em queda desde o segundo trimestre de 2012. As baixas são explicadas pela perda de credibilidade das políticas do governo federal. De janeiro a março deste ano a FBCF caiu 1,3% em relação ao trimestre anterior e 7,8% na comparação com o mesmo período de 2014. A previsão é que o pessimismo com o futuro e a pouca intenção de investir dos empresários devem contribuir para o já esperado mau desempenho do Produto Interno Bruto (PIB) deste ano
APOSENTADORIA
Regra de aposentadoria gera impasse no governo
Governo e centrais sindicais não conseguiram chegar a um acordo sobre uma alternativa ao fator previdenciário, criado no governo FHC. Sem apresentar proposta, o ministro da Previdência, Carlos Gabas, disse que a manutenção da fórmula aprovada pelo Congresso “inviabilizaria” o sistema previdenciário nacional
OPERAÇÃO SUPERAGÜI
Gaeco apreende documentos na sede do IAPO
Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) apreendeu documentos na casa do presidente do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) e na sede do órgão. Há suspeita de irregularidades em licenças ambientais
ASSEMBLEIA
Adiada votação do reajuste dos servidores
A falta de consenso voltou a travar a votação do projeto de reajuste para o funcionalismo estadual. A oposição apresentou emenda prevendo reposição de 8,17% e a matéria voltará à Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia
AGRONEGÓCIO
Desafio dos preços
Aumento nas vendas antecipadas garante alívio aos produtores de milho em meio a preços baixos. Agricultores avaliam que haverá uma necessidade menor de intervenção do governo para garantir a viabilidade da atividade
EDUCAÇÃO
Aplicativos ajudam na hora do estudo
Smartphones e tablets são opção para reforçar conteúdos de forma divertida ou até como introdução ao aprendizado. Mas é preciso cuidado, dizem especialistas
CADERNO G
Comédias são destaques no Festival Varilux
Os dramas barras-pesadas do cinema francês não estão mais sozinhos. As comédias ganharam seu lugar ao sol, com direito a destaque no festival que começa quinta-feira, em Curitiba


Estado de Minas

Manchete: CELULAR EM EXCESSO FAZ MAL À SAÚDE
Aparelhos podem prejudicar a visão, a audição e a articulação dos polegares O ortopedista Pedro José Pires Neto, eleito presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Mão, explica que o WhatsApp tornou-se um vilão. “As pessoas usam o polegar com mais intensidade para digitar, e ocorre a sobrecarga nessa articulação”, explica. Isso leva a uma inflamação nos tendões batizada pela revista médica The Lancet como “whatsappinite”. Em relação à visão, a tela pequena e segura bem perto dos olhos é o problema. Segundo estudo no Reino Unido, desde o lançamento dos smartphones, em 1997, o número de jovens com miopia cresceu 35%. Já a audição é afetada pelo uso de fones de ouvido, sobretudo em locais em que o som ambiente é alto, levando a um aumento ainda maior do volume do aparelho, como alerta o presidente da Sociedade Mineira de Otorrinolaringologia, Cheng Ping. PÁG 13

Ciência com fronteira no Orçamento
Cortes nos recursos do MEC geram apreensão entre estudantes e professores e ameaçam processo de internacionalização das universidades. Redução de gastos deve afetar política de intercâmbio da UFMG, segunda no ranking de bolsas concedidas. Outras instituições serão atingidas. PÁG 14

Divulgada lista de aprovados na UFMG para o 2º semestre
Universidade foi a mais procurada pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que tem por base o Enem. Foram 176,2 mil inscritos para 2.714 vagas. Letícia Cardoso de Lima (D) comemorou a aprovação em primeiro lugar entre os alunos de escola pública para engenharia ambiental (manhã). Confiraalista completa de aprovados. CADERNO ESPECIAL

Governo sinaliza veto a mudança na aposentadoria
A presidente Dilma tem até amanhã para vetar ou não a fórmula 85/95, aprovada no Congresso, que garante aposentadoria integral quando o tempo de contribuição e a idade somarem 85 anos(mulheres)e 95 (homens). Ontem, apósreunião com centraissindicais, não houve definição. Mas o ministro da Previdência, Carlos Gabas, disse que a mudança levaria o sistema “ao abismo”. PÁG 3

MINERAÇÃO Demora da lei tira R$ 100 mi por mês de MG
Municípios mineradores de Minas preparam nova ofensiva pela aprovação do marco regulatório da atividade, parado há dois anos no Congresso. As prefeituras calculam ter deixado de receber R$ 2,4 bilhões em royalties nos últimos 24 meses. PÁGINA 8

DÍVIDA DAS FAMÍLIAS É A MAIOR EM UMA DÉCADA PÁGINA 9 E EDITORIAL, NA 6

VIAGEM FALHA TÉCNICA AFETA EMISSÃO DE VISTO DOS EUA NO MUNDO
Problema operacional atinge pedidos encaminhados a partir de 8 de junho. Sem previsão de volta à normalidade, entrevistas continuam sendo feitas no Brasil. PÁG 17

VERBAS CORTES EM MINISTÉRIOS AINDA ESTÃO INDEFINIDOS PÁG 3

MAIS PRAZO GOVERNO ADIA PELA 3ª VEZ TROCA DE EXTINTOR VEICULAR PÁG 5

ESTUPRO PASTORAL VAI REVELAR SITUAÇÃO DAS PRESAS PÁG 15

‘No caminho dessa cidade’
Versos do compositor mineiro Fernando Brant, morto na sexta-feira, foram pintados nos degraus de escadaria no Bairro Santo Antônio. A homenagem foi feita pelo Mulambo Coletivo, grupo de jovens grafiteiros da capital. CAPA

Técnicos são alvo no início do Brasileiro
Com apenas sete rodadas, sete já foram demitidos e dois estão na berlinda. Na Série A, apenas Levir Culpi, do Galo, e Eduardo Baptista, do Sport, permanecem no cargo desde o ano passado. CAPA

‘A frase do Luxa dizendo que não é proibido pensar em tricampeonato caiu como uma luva.’ PÁG 2

Mais acusações
Ricardo Teixeira é suspeito de receber 30 milhões de euros para votar no Catar para a Copa de 2022, segundo revista britânica. PÁG 4


Valor Econômico

Manchete: Empresários pedem debate despolitizado sobre BNDES
Empresários, políticos e economistas defenderam, ontem, a despolitização do debate sobre o apoio financeiro do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico Social (BNDES) ás exportações de serviços de engenharia…

Fitch diz que banco fez um ‘QE’ brasileiro
A forma como o governo financiou o BNDES desde 2008 foi, segundo o diretor-executivo da Fitch Ratings no Brasil, Rafael Guedes, uma forma de “quantitative easing” (afrouxamento monetário) á brasileira. “O Tesouro dava recursos para o BNDES e o BNDES dava ao mercado”, disse Guedes ao Valor…

Juro real é o mais alto em quase sete anos
Desde a retomada do ciclo de alta da taxa básica de juros (Selic) promovida pelo Banco Central a partir de outubro, o juro real (acima da inflação) subiu de 5,39% para 7,65%, o maior nível desde dezembro de 2008. Apesar disso, o BC deve seguir elevando a Selic, uma vez que as expectativas de inflação não melhoram…

Metade das montadoras dão férias
Diante do agravamento da crise, 15 das 29 fábricas de veículos do país pararam ou ainda vão parar entre junho e julho por períodos que vão de uma semana a quase um mês. A GM, segunda maior montadora em vendas no mercado brasileiro, não vai fabricar um carro sequer entre esta e a próxima semana.

Abilio Diniz amplia fatia no Carrefour
A península Participações, empresa de investimentos do empresário Abilio Diniz, ampliou de 10% para 12% sua participação no capital da filial brasileira do Carrefour. Quando se tornou sócio do grupo francês, em dezembro, Diniz negociou o direito de aumentar sua fatia neste momento…

O uso de voz no celulares cai mais 16,5%
O uso de minutos de voz nos celulares caiu 16,54% no primeiro trimestre. De modo geral, o menor volume de voz foi compensado por tráfego de dados para as teles. Mais consumidores passaram a aderir a planos diários ou mensais de dados. Dessa forma, o bate-papo se intensificou por mensagens instantâneas de texto ou voz…


Folha de S. Paulo

Manchete: Para TCU, erro em projeções da União levou a ‘pedaladas’
Seguidos erros de projeções econômicas elevaram artificialmente previsões de receita do Orçamento do governo federal e originaram manobras contábeis —chamadas de “pedaladas fiscais”.
É o que consta de relatório obtido pela Folha sobre as contas de 2014, a ser votado pelo Tribunal de Contas da União nesta quarta (17). Em quatro anos, a diferença entre o projetado e o recebido foi de R$ 251 bilhões.
A União esperava arrecadar mais com a estimativa de crescimento contínuo. Como isso não ocorreu, usou manobras como a retenção de repasses a bancos públicos.
O governo errou em R$ 110 bilhões o cálculo no ano passado. Previu R$ 133 trilhão, arrecadou R$ 1,22 trilhão.
O relator do processo, ministro Augusto Nardes, tem sinalizado que recomendará ao Congresso a rejeição das contas da presidente Dilma, com a alegação de omissão de dívidas de R$ 256 bilhões.
Se isso ocorrer, a oposição ganha argumento para pedir impeachment. A reprovação das contas também pode prejudicar a imagem externa do Brasil, ampliando a desconfiança de investidores.

O governo nega ter recorri- do a manobras contábeis para ficar no azul. (Poder A4)

Após impasse, governo estuda plano B para aposentadoria
O govemo estuda criar, via medida provisória ou projeto de lei, regra progressiva de cálculo de aposentadorias. Uma ideia é usar como ponto de partida a fórmula 85/95, aprovada no Congresso e que dá o benefício integral. O Planalto desistiu de apresentar a centrais sindicais proposta em substituição a eventual veto de Dilma à fórmula 85/95. (Pág. 1 e Mercado A13)

Teixeira recebeu relógio de ouro de emir do Qatar
Ricardo Teixeira, então presidente da CBF, e João Havelange, que era presidente de honra da Fifa, além de outros dois dirigentes sul-americanos, ganharam em 2010 relógio de ouro do emir do Qatar em reunião no Rio que selou o apoio à candidatura do país à Copa de 2022. Os EUA investigam a compra de votos na escolha do país árabe. Teixeira não foi localizado. (Pág. 1 e Esporte B10)

Entrevista Jô Soares: Fiz à presidente as perguntas que precisava fazer
Em resposta às críticas sobre o tom de sua entrevista com Dilma, Jô Soares disse ter feito as perguntas necessárias. “Se as respostas não agradaram, o problema é de quem ouviu.” Ele afirmou à Folha ser tachado de tucano ao entrevistar petista, e vice-versa. “Intelectualmente, sou anarquista.” (Pág. 1 e lustrada C1)


Edição: Equipe Fenatracoop, 16 de Junho de 2015 – ás 08: 18

Compartilhe nossa Matéria