Manchete dos Jornais deste sábado, 20 de junho de 2015
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 20th junho 2015

Planalto e PT veem cerco se fechando
A prisão dos executivos levou preocupação ao Palácio do Planalto. Avaliação de petistas é de que, mirando em Lula, a Lava Jato pode desestabilizar o governo Dilma…


O Globo

Manchete: Lava-Jato chega no topo das empreiteiras
Presidentes da Odebrecht e da Andrade Gutierrez são presos pela PF
Procuradores dizem ter provas de que executivos das duas maiores construtoras do país sabiam do esquema de propina em troca de contratos. Pagamentos, em contas secretas no exterior, são estimados em R$ 720 milhões
A Lava-Jato prendeu ontem os presidentes da Odebrecht, Marcelo Odebrecht, e da Andrade Gutierrez, Otávio Azevedo, as duas maiores construtoras do país. Outros dez executivos também foram presos e levados para Curitiba, na 14a fase da operação, batizada de Erga Omnes, termo em latim usado para dizer que a lei vale para todos. Eles são suspeitos de envolvimento no pagamento de R$ 720 milhões em propina em troca de contratos, não só com a Petrobras. Para os procuradores, que grampearam e-mails e dizem ter provas de pagamentos em contas secretas na Suíça, os acusados sabiam do esquema de corrupção. Informações de delatores, entre eles o ex-presidente da Camargo Corrêa Dalton Avancini, também embasaram as prisões. O juiz Sérgio Moro determinou o bloqueio de até R$ 20 milhões de cada executivo. As empresas negam as acusações. (Págs. 3 a 9)

MERVAL PEREIRA
A prisão dos dois prova que o país está mudando (Pág. 4)

MÍRIAM LEITÃO
Moro e Ministério Público enfrentam a batalha mais difícil (Pág. 26)

JORGE BASTOS MORENO
Delação de Ricardo Pessoa, da UTC, teria contribuído para as prisões (Pág. 3)

Luiz Inácio falou: ‘Dilma e eu estamos no volume morto. O PT está abaixo do volume morto’
Num encontro com religiosos no Instituto Lula, em SP, o ex-presidente criticou duramente a presidente Dilma e fez um diagnóstico: “Dilma está no volume morto, o PT está abaixo do volume morto, e eu estou no volume morto”, disse ele, relatam Tatiana Farah e Julianna Granjeia. Para Lula, a segunda gestão de Dilma parece “um governo de mudos”. E não poupou a equipe dela: “Aquele gabinete (presidencial) é uma desgraça. Não entra ninguém para dar notícia boa”. Os religiosos criticaram o governo, Lula e o PT, cobrando uma aproximação com os pobres. (Pág. 10)

Pior que o previsto: Economia dá sinais de alarme

País fecha 115 mil vagas com carteira (Pág. 25)

Inflação é a maior em quase 20 anos (Pág. 25)

Desembolsos do BNDES recuam 20% (Pág. 26)

Suspeita de lavagem: PF quer investigar governador de MG (Pág. 11)

Fora do Mercosul: Oposição tentará excluir Venezuela
Senadores hostilizados em Caracas querem tirar país do Mercosul. Itamaraty protestou contra incidentes. (Págs. 34 e 35)


Gazeta do Povo

Manchete: Dirigentes das maiores empreiteiras do Brasil ficam presos em Curitiba
A Polícia Federal prendeu ontem os presidentes da Odebrecht, Marcelo Odebrecht, e da Andrade Gutierrez , Otávio Marques de Azevedo, na 14.ª fase da Operação Lava Jato. As duas maiores empreiteras do país são acusadas de participar do esquema criminoso de cartel, fraude a licitações e pagamento de propinas em contratos da Petrobras. Os dois executivos foram transferidos para a sede da Polícia Federal em Curitiba ontem à noite

OPERAÇÃO PUBLICANO
Inquérito sobre a Receita tem 112 indiciados
Após quase 15 meses de investigação, o inquérito final da Operação que investiga desvios da Receita Estadual que será enviado à Justiça tem 608 páginas e levou ao indiciamento de 112 envolvidos em crimes por formação de organização criminosa, corrupção tributária ativa e passiva e concussão

TEMPO GELADO
Fim de semana com frio e feiras de inverno
O sábado começa com baixas temperaturas em praticamente todo o estado. Amanhã, a previsão é que o dia fique um pouco mais quente. Para quem está em Curitiba, uma opção é visitar as feiras de inverno nas praças Santos Andrade e Osório

CAGED
País corta 116 mil vagas de trabalho em maio
Cerca de 116 mil vagas de trabalho com carteira assinada foram fechadas no Brasil em maio, no pior desempenho do mercado de trabalho formal para o mês desde 1992. Cortes atingiram quase todos os setores, exceto a agropecuária. O Índice de Atividade Econômica do Banco Central iniciou o segundo trimestre com contração pior do que o esperado, de 0,84%, em abril sobre março

HISTÓRIA
A vinda dos imigrantes europeus e o ápice do ciclo da erva-mate foram decisivos para a indústria do Paraná

CRISE DIPLOMÁTICA
Oposição pede Venezuela fora do Mercosul

ESPORTIVA
Nas vésperas do clássico, cartolas de Atlético e Coritiba reforçam união extracampo, mas ações dirigidas aos torcedores ainda são tímidas

TECNOLOGIA
Fundador fala sobre o futuro da Wikipedia


Zero Hora

Manchete: Gigantes sob suspeita
Na 14a fase da Operação Lava-Jato, 59 mandados foram cumpridos pela Polícia Federal em quatro Estados, levando à prisão 12 executivos, incluindo os presidentes de duas das maiores empresas do país. Justiça bloqueou R$ 20 milhões de investigados.

Empresa gaúcha é apontada por simular contratos (Págs. 6 a 8, 24 e 25)

ROSANE DE OLIVEIRA
“Sinais claros de que o ex-presidente Lula está na mira” (Pág. 10)

MARTA SFREDO
“Uma reiteração de que todos são iguais perante a lei” (Pág. 23)

115 mil vagas a menos
Emprego teve o pior maio em 23 anos (Pág. 21)


Estado de Minas

Manchete: PF prende cúpula de grandes empreiteiras
Operação Lava-Jato põe na cadeia executivos e os presidentes de Odebrecht e Andrade Gutierrez. Os investigadores estimam que as construtoras,duas das maiores do país,tenham pago R$ 710 milhões de propina em contratos coma Petrobras e afirmam que os presidentes da Odebrecht, Marcelo Odebrecht, e da Andrade Gutierrez,Otávio Marques de Azevedo, tinham conhecimento e participavam do esquema de suborno. Eles responderãopor corrupção,formaçãode cartel e fraude emlicitações, entreoutros crimes. Foram cumpridos 59mandados judiciais emMinas,Rio, SãoPauloe RioGrandedoSul. Dos 38 mandados de busca e apreensão,dois ocorreram em BH,na sede da Andrade Gutierrez,no Bairro Cidade Jardim,Região Centro-Sul. Jáos 12 executivos presos foram levados para a carceragem da Polícia Federal em Curitiba.A Justiçam andou ainda bloquear até R$ 20 milhões das contas de cada um dos acusados.Os contratos das duas construtoras coma Petrobras analisados somam mais de R$ 41 bilhões, conforme consta no despacho do juiz federal Sérgio Moro,que conduz as investigações. Pág 3,4E10

CRISE DIPLOMÁTICA
Oposição quer tirar Venezuela do Mercosul
Senadores da oposição, entre os quais os oito hostilizados nas ruas de Caracas e impedidos de visitar presos políticos quinta-feira, defenderam a exclusão do país vizinho do Mercosul e pretendem discutir os incidentes na OEA. Eles acusam o governo brasileiro de respaldar a gestão de Nicolás Maduro, contra o qual prometem atuar. Pág 2 e ed.6

UFMG
Aprovados no SISU farão matrícula só pela internet
Os 2.714 selecionados em primeira chamada têm até as 23h59 do dia 23 para se matricular, exclusivamente de forma on-line, devido à greve dos funcionários administrativos das universidades federais. Pág 15

Confronto em protesto
Dezenas de pessoas ficaram feridas e 28 foram presas em protesto na MG-010 de moradores de terrenos ocupados na Mata do Isidoro, Região Norte de BH. Confusão começou quando manifestantes desrespeitaram ultimato da Polícia Militar para liberar a passagem de veículos no sentido Confins. O Batalhão de Choque usou bombas de gás lacrimogêneo e balas de borracha para desbloquear a rodovia. Uma hora depois, um ônibus foi incendiado no Bairro Jaqueline (acima) e dois, depredados. Segundo a PM, a reintegração dos terrenos pode ocorrer a partir de segunda-feira. Em nota, o governo estadual informou que não vai tolerar interdição de vias. Pág 13 E 14

Congresso projeto sobre terrorismo exclui movimentos sociais pág. 5
Emprego formal país fecha 115 mil vagas em Maio. e Minas, 10 mil pág. 9
Feira Hippie morte de mais de 40 cães apreendidos é investigada Pág. 17


O Estado de S. Paulo

Manchete: Lava Jato prende presidentes de Odebrecht e Andrade Gutierrez
– Outros dez executivos das duas maiores empreiteiras do País também foram detidos
– Segundo procurador, pagamentos de propina no esquema de corrupção da Petrobrás motivaram as prisões
– Justiça bloqueou R$ 20 milhões em contas dos acusados
Em nova etapa da Operação Lava Jato, a Polícia Federal prendeu a cúpula das duas maiores empreiteiras do País. Foram detidos preventivamente Marcelo Odebrecht, presidente da Odebrecht, e Otávio Marques de Azevedo, presidente da Andrade Gutierrez, além de mais dez executivos das construtoras. Batizada de Erga Omnes (que significa que a decisão valerá para todos), a 14a fase da Lava Jato mantém o cerco ao braço empresarial do esquema de corrupção na Petrobrás. Segundo o procurador da República Carlos Fernando Lima, as prisões foram motivadas por pagamentos de propina no exterior via offshores. As duas empresas foram citadas em delação premiada por Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás, e Pedro Barusco, ex-gerente da estatal. Bernardo Freiburghaus, que mora na Suíça e é considerado foragido, foi apontado como operador da Odebrecht. A força-tarefa estimou em R$ 200 milhões o valor de propinas pagas pela Andrade Gutierrez e R$ 510 milhões o da Odebrecht. A Justiça bloqueou R$ 20 milhões dos presidentes e executivos das duas empreiteiras. (Págs. A4 a A13)

Empreiteiras contestam prisões
Para a Odebrecht, as prisões foram “absolutamente desnecessárias e ilegais”. A Andrade Gutierrez disse prestar apoio a seus executivos e colaborar com as investigações. (Pág. A5)

Delator acusa Eduardo Campos
O executivo Dalton Avancini disse que a Camargo Corrêa pagou R$ 8,7 milhões de propina para a campanha de Eduardo Campos (PE), morto em 2014. O PSB nega. (Pág. A4)

Planalto e PT veem cerco se fechando
A prisão dos executivos levou preocupação ao Palácio do Planalto. Avaliação de petistas é de que, mirando em Lula, a Lava Jato pode desestabilizar o governo Dilma. (Pág. A6)

ALBERTO BOMBIG
Fase mais ‘politizada’
A nova leva de prisões tem potencial para ser a etapa mais “politizada” da Lava Jato. Marcelo Odebrecht é o executivo de empreiteira mais próximo do ex-presidente Lula. (Pág. A6)

STJ recebe inquérito para investigar Pimentel
O Superior Tribunal de Justiça recebeu inquérito que apura suposto envolvimento do governador de Minas, Fernando Pimentel (PT), em esquema de lavagem de dinheiro. O caso veio à tona em maio com a Operação Acrônimo, que também teve como alvo a mulher de Pimentel. (Pág. A19)

Brasil faz cobrança à Venezuela
Pressionado pela oposição, o Itamaraty vai cobrar explicações da embaixadora da Venezuela e da chanceler do país sobre o episódio envolvendo senadores. (Pág. A16)

Federais têm 47% do investimento cortado (Pág. E1)

Desemprego de maio é o maior em 23 anos
Puxado pelos juros altos e pelo ajuste fiscal, que elevaram custos das empresas, mês teve resultado negativo de 115.599 vagas, segundo dados do Ministério do Trabalho. (Págs. B1 e B4)

CELSO MING
A economia fraqueja
Há muito tempo não se via sexta-feira com essa concentração de notícias ruins na economia. É tudo consequência do primeiro governo Dilma. (Pág. B2)

MARCELO RUBENS PAIVA
PT e PSDB: pó do mesmo giz
Entre o partido do operário e o do professor, que combateram juntos a ditadura militar, já rolou churrasco com champanhe. (Pág. C10)

NOTAS & INFORMAÇÕES
Uma provocação bem-sucedida
A ida dos senadores a Caracas expôs a truculência do regime chavista e a tibieza do governo brasileiro. (Pág. A3)


Folha de S. Paulo

Manchete: PF prende presidentes da Odebrecht e da Andrade Gutierrez na Lava Jato
– EXECUTIVOS DAS MAIORES EMPREITEIRAS BRASILEIRAS SÃO ACUSADOS DE CORRUPÇÃO NA PETROBRAS
– PARA PROCURADORES, ELES SABIAM DE TUDO
– ENVOLVIDOS NEGAM CRIMES
Na 14a etapa da Lava Jato, que apura corrupção na Petrobras, a Polícia Federal prendeu ontem os presidentes da Odebrecht, Marcelo Odebrecht, 46, e da Andrade Gutierrez, Otávio Marques de Azevedo, 63, e mais dez executivos e operadores acusados de ligação com o esquema. Odebrecht comanda a maior empreiteira do Brasil, e Azevedo, a segunda maior. Detidos em São Paulo, eles foram transferidos para a sede da PF em Curitiba.
A polícia diz que documentos comprovam a atuação deles nas negociações que levaram à formação de cartel e ao direcionamento de licitações na estatal. Segundo delações premiadas, a propina paga pelas duas empreiteiras a dirigentes da Petrobras e operadores de partidos políticos alcançaria aproximadamente RS 106 milhões. Para procuradores, os executivos sabiam “de tudo o que acontecia”. Os acusados negam os crimes.
Evitar interferência nas investigações e “interromper o ciclo delitivo” foram as justificativas do juiz federal Sérgio Moro, responsável pelas ações penais da Lava Jato, para as detenções dos executivos. Ele também ordenou bloqueio de contas dos presos, em até R$ 20 milhões, “para privá-los do produto das atividades criminosas”. As prisões preocupam o PT devido à proximidade do ex-presidente Lula com a Odebrecht. (Poder A4)

Outro lado
Empreiteiras afirmam não haver provas de corrupção e que prisões são injustificadas (Poder A11)
Ex-presidente

Lula afirma a aliados que será próximo alvo e critica inércia do governo sobre operação (Poder A7)

MÔNICA BERGAMO
Juiz Sergio Moro evita investigar políticos para manter a jurisdição, disse Marcelo Odebrecht (Ilustrada C2)

IGOR GIELOW
Ponto de inflexão no caso, nova fase pode implicar governo petista e oposição tucana (Opinião A2)

Editoriais
Leia “Ecologia da libertação”, sobre encíclica acerca de mudança climática, e “Afronta em Caracas”, a respeito de visita de senadores à Venezuela. (Opinião A2)

Caracas avalia visita de senadores como ‘manobra direitista’
A Venezuela classifica de “manobra midiática da direita” a missão frustrada de senadores brasileiros ao país. Caracas nega impedimento do pouso de avião da comitiva, bloqueio intencional em estrada ou risco à integridade dos políticos, que tentavam visitar opositores presos. (Mundo A20)

Ex-secretário do Tesouro assume ‘pedaladas’ do governo Dilma
Arno Augustin, secretário do Tesouro Nacional da primeira gestão Dilma, assinou nota técnica em que se responsabiliza pelas manobras condenadas pelo Tribunal de Contas da União. As chamadas “pedaladas” servem para maquiar contas públicas. O texto pode livrar a presidente de ser responsabilizada pelo TCU e de eventual impeachment. (Poder A16)

EBC


Edição: Equipe Fenatracoop, 20 de Junho de 2015, ás 07: 57

Compartilhe nossa Matéria