Manchete dos Jornais nesta quarta-feira, 04 de maio de 2016
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 4th maio 2016

Janot denuncia Lula e afirma que ex-presidente viabilizou petrolão
Ao STF procurador-geral descreve esquema para impedir delação de Cerveró; ex-presidente critica suposições sem prova
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, denunciou o ex-presidente Lula ao Supremo Tribunal Federal sob acusação de obstrução de Justiça. A Lava Jato investiga esquema para evitar delação de Nestor Cerveró. Para Janot, há provas da negociação do silêncio do ex-diretor da Petrobras, além da delação do senador Delcídio do Amaral (ex-PT-MS). O procurador pediu ainda a inclusão de Lula e outros 29 no principal inquérito no STF. Janot declarou que o petrolão “jamais poderia ter funcionado por tantos anos e de uma forma tão ampla e agressiva no âmbito do governo federal sem que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva dela participasse”. Em nota, o Instituto Lula disse que a peça da Procuradoria- Geral da República indica suposições sem prova. “Trata-se de uma antecipação de juízo, ofensiva e inaceitável” e de nova “devassa” contra o ex-presidente. Em outro pedido de abertura de inquérito, Janot afirmou que Eduardo Cunha (PMDB-RJ), presidente da Câmara, é um dos líderes de uma das células de grande organização criminosa que teria atuado em Furnas. Segundo o procurador, há elementos que reforçam a delação de Delcídio, base do pedido. Cunha é acusado de alterar a legislação do setor energético em benefício próprio. Ele nega ter cometido qualquer crime.


O Globo

Manchete : Lula é denunciado ao STF
Depois de Aécio, Dilma deve ser investigada
‘Organização criminosa jamais poderia ter funcionado sem que o ex-presidente Lula participasse’, afirma procurador-geral
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, denunciou o ex-presidente Lula ao STF pela suspeita de ter participado da tentativa de compra do silêncio do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró. Se a denúncia for aceita, Lula passa de investigado a réu da Lava-Jato. O ex-presidente é acusado pelo senador Delcídio Amaral, agora delator, de ordenar repasse de recursos a Cerveró. Em outra frente, Janot determinou que Lula e outras 29 pessoas sejam incluídas no maior inquérito da Lava-Jato. Para Janot, a “organização criminosa jamais poderia ter funcionado sem que o ex-presidente Lula dela participasse”. O procurador- geral decidiu ainda investigar a presidente Dilma, sob suspeita de nomear Lula para evitar que ele fosse julgado pelo juiz Sérgio Moro, um dia depois de pedir abertura de inquérito sobre Aécio Neves (PSDB). (Págs. 3 a 5)

Janot: Cunha chefiou crime em Furnas
No pedido de abertura de novo inquérito sobre o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o procurador- geral da República, Rodrigo Janot, o classificou como um dos chefes da “célula criminosa” em Furnas. O pedido, feito com base na delação do senador Delcídio Amaral, pode levar Cunha a ser investigado no STF também por desvio em contratos da estatal. Nesse caso, as acusações contra Cunha, que já é réu em outro processo, são de falsidade ideológica e corrupção passiva. Ontem um grupo de deputados foi ao Supremo pedir o afastamento de Cunha do cargo. (Pág. 6)

Conselho de Ética aprova cassar Delcídio
Por 13 votos a favor e uma abstenção, o Conselho de Ética do Senado aprovou a cassação do mandato do senador Delcídio Amaral (sem partido-MS), que cumpre prisão domiciliar por envolvimento no escândalo de corrupção na Petrobras. Caso a decisão seja confirmada pelo plenário, Delcídio, delator da Lava-Jato, perderá o mandato. (Pág. 4)

Algoz de Collor defende Dilma no Senado
Um dos responsáveis pela denúncia que levou ao impeachment de Fernando Collor, o ex-presidente da OAB Marcello Lavenère disse na comissão especial do Senado que não há crime que justifique o processo contra a presidente Dilma. Em evento com agricultores, a petista afirmou que não renunciará, pois isso varreria o “golpe” para debaixo do tapete. (Pág. 9)

Para acomodar aliados, Temer já cogita cortar só três ministérios
Vice-presidente defende nomeação de alvos da Lava-Jato em seu governo
O vice Michel Temer admitiu a LAURO JARDIM E GUILHERME AMADO que, na engenharia para acomodar aliados, pode acabar cortando apenas três ministérios caso assuma o governo. Afirmou, porém, que a escolha do próximo presidente da Petrobras será dele. Temer se negou a opinar sobre pedido de afastamento do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, e defendeu a nomeação de investigados, como Romero Jucá: “Se esperar ele ser inocentado, o governo termina.” (Pág. 8)

Socorro às estatais
Em entrevista ao GLOBO, Arminio Fraga, ex-presidente do BC, diz que estatais podem precisar de apoio da União. (Pág. 21)

Rio 2016 – Começa a maratona da tocha
A 94 dias da abertura dos Jogos, a chama olímpica chegou ontem ao Brasil. Após o desembarque às 7h26m, em Brasília, foi levada ao Palácio do Planalto, onde a presidente Dilma acendeu a tocha. Da rampa do Planalto, seguiu pelas mãos de Fabiana, da seleção de vôlei, pelas ruas da capital, atraiu protestos políticos, enfrentou atrasos e, sobretudo, emocionou os 143 condutores. Em Taguatinga, a tocha apagou e foi substituída. Hoje, estará em Goiás. Até o começo das Olimpíadas do Rio, em 5 de agosto, a chama percorrerá 328 cidades. (Págs. 31 e 32)

Destruição sem fim em Mariana
Seis meses após o desastre da Samarco, moradores da área rural de Mariana vivem em meio a destroços e temem não receber indenizações, conta ANA
LUCIA AZEVEDO. (Págs. 10 e 11)

WhatsApp faz ofensiva no Brasil (Pág. 25)

Colunistas
MERVAL PEREIRA – Janot teve as condições políticas para denunciar Lula como chefe da organização (Pág. 4)

MÍRIAM LEITÃO – Defensores do governo desconhecem a história econômica do país (Pág. 22)

ELIO GASPARI – Proposta de subir renda para acesso ao Fies é fim de feira e favorece empresários (Pág. 18)

ANCELMO GOIS – Meirelles teme criação de falsas expectativas sobre o governo Temer (Pág. 14)

ZUENIR VENTURA – Dilma e Temer disputam num país com duas cabeças, mas acéfalo (Pág. 19)

ROBERTO DAMATTA – Brasileiros não podem culpar fatores externos pela crise, diz professor (Pág. 19)


O Estado de S. Paulo

Manchete : Janot denuncia Lula na Lava Jato e pede investigação contra Dilma
Presidente e ex-presidente são acusados de tentar atrapalhar operação
Delação de Delcídio e nomeação de Lula para Casa Civil serviram de base
Procurador quer inquérito também para ministro Cardozo e mais 29 pessoas

PGR não vê indícios contra Temer
A Procuradoria-Geral da República (PGR) denunciou o ex-presidente Lula ao Supremo Tribunal Federal por tramar a compra do silêncio do ex-diretor da Petrobrás Nestor Cerveró.Também solicitou autorização para investigar a presidente Dilma Rousseff sob acusação de tentar obstruir a Lava Jato. A delação do senador Delcídio Amaral e a nomeação de Lula para a Casa Civil serviram como base. Os ministros José Eduardo Cardozo, Jaques Wagner e Ricardo Berzoini também estão entre os alvos da PGR, assim como outras 27 pessoas. Autorizações do STF são necessárias porque todos têm foro privilegiado. O ministro Teori Zavascki vai analisar a denúncia contra Lula. Se for aceita, o ex-presidente vira réu. Ele também pode ser investigado no inquérito–mãe que apura corrupção na Petrobrás, o “quadrilhão”. Lula nega crime e vê perseguição. Apesar das citações a Michel Temer feitas por delatores, o procurador Rodrigo Janot não viu indícios contra o vice. Ontem, o STF enviou ao juiz Sérgio Moro depoimento de Delcídio que diz que a compra da Refinaria de Okinawa seguiu o “modelo” da de Pasadena, com propinas. (Política A4 a A8)

Análises
João Domingos – Pior revés de quem foi mito
A inclusão do nome de Lula na Lava Jato e o argumento de que o petrolão só existiu com ele marcarão sua biografia. (Pág. A5)

Dora Kramer – Senta, o leão é manso
Mestre em ameaçar fazer, o PT não tem tido o mesmo êxito no tocante à eficácia de suas (más) intenções. (Pág. A6)

PSDB deve ficar com Cidades, AGU e Itamaraty
O PSDB deve ocupar o Ministério das Cidades e indicou o deputado Bruno Araújo, segundo aliados de Michel Temer. O secretário Alexandre de Moraes pode ir para a Advocacia-Geral da União, com apoio de Geraldo Alckmin, e o senador José Serra é cotado para o Itamaraty. (Política A11)

Partidos pedem ao STF que afaste Cunha (Política A10)

Ex-presidente da OAB critica impeachment (Política A12)

Foto-legenda : Fogo Olímpico
Dilma Rousseff usou a cerimônia de acendimento da tocha olímpica, no Planalto, para pedir “união do País”. Ela reconheceu que o momento “é verdadeiramente crítico”, mas disse que o País será capaz de receber bem atletas e visitantes. Manifestantes aglomeraram-se diante do palácio, a maioria contra o impeachment. (Esportes A24)

Prejuízo leva ao fim do bloqueio do WhatsApp (Economia B12)

Dilma deixa ‘bomba fiscal’ de R$10 bi
A presidente Dilma contratou um aumento de R$ 10 bilhões de despesas que ampliam o rombo das contas públicas em 2016 e 2017 e afetarão o provável governo Michel Temer. (Economia B1)

Alunos invadem Assembleia de SP
Cerca de 70 estudantes do ensino médio e técnico invadiram o plenário da Assembleia Legislativa para pedir uma CPI sobre desvio de recursos da merenda. (Metrópole A18)

Monica De Bolle
Malaise – Enquanto o Brasil discute coisas da política e a insensatez de nossa governante, o sofrimento do povo é desnudado pelos indicadores econômicos (Economia B4)

Notas&Informações
Malícia ou civismo – Os tucanos fazem cálculos eleitoreiros no momento em que é urgente a união das forças políticas (A3)

Uma chance contra o populismo – A provável transição do governo é oportunidade para que o País rediscuta o escopo dos programas sociais (A3)


Folha de S. Paulo

Manchete : Janot denuncia Lula e afirma que ex-presidente viabilizou petrolão
Ao STF procurador-geral descreve esquema para impedir delação de Cerveró; ex-presidente critica suposições sem prova
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, denunciou o ex-presidente Lula ao Supremo Tribunal Federal sob acusação de obstrução de Justiça. A Lava Jato investiga esquema para evitar delação de Nestor Cerveró. Para Janot, há provas da negociação do silêncio do ex-diretor da Petrobras, além da delação do senador Delcídio do Amaral (ex-PT-MS). O procurador pediu ainda a inclusão de Lula e outros 29 no principal inquérito no STF. Janot declarou que o petrolão “jamais poderia ter funcionado por tantos anos e de uma forma tão ampla e agressiva no âmbito do governo federal sem que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva dela participasse”. Em nota, o Instituto Lula disse que a peça da Procuradoria- Geral da República indica suposições sem prova. “Trata-se de uma antecipação de juízo, ofensiva e inaceitável” e de nova “devassa” contra o ex-presidente. Em outro pedido de abertura de inquérito, Janot afirmou que Eduardo Cunha (PMDB-RJ), presidente da Câmara, é um dos líderes de uma das células de grande organização criminosa que teria atuado em Furnas. Segundo o procurador, há elementos que reforçam a delação de Delcídio, base do pedido. Cunha é acusado de alterar a legislação do setor energético em benefício próprio. Ele nega ter cometido qualquer crime. (Poder a4)

Ministério de Temer causa insatisfação em aliados
A equipe ministerial esboçada por Michel Temer, que assumirá a Presidência se Dilma Rousseff for afastada pelo Senado, causa insatisfação em partidos aliados. PDSB, DEM e PSB reprovam nomes sondados pelo peemedebista, e há preocupação com a repetição da distribuição de cargos do governo petista. (Poder a8)

Vice vai defender aéreas com 100% de capital externo
O possível governo Temer apoiará no Congresso que empresas estrangeiras possam controlar 100% das companhias aéreas nacionais sem que seus países ofereçam o mesmo ao Brasil. A ideia é incluir a proposta em medida provisória já enviada por Dilma. (Mercado a13)

Para reverter ‘caos social’, juiz libera uso do WhatsApp
O aplicativo de mensagens WhatsApp voltou ao ar no Brasil na tarde desta terça (3), após 25 horas de bloqueio por determinação judicial. A liberação foi autorizada por desembargador de Sergipe que disse que o corte gerou “caos social”. A suspensão, que seria de 72 horas, foi aplicada sob o argumento de que a empresa não passou dados a investigação policial. (Mercado a17)

Recessão mina o lucro de Bradesco, Itaú e Santander no 1º trimestre (Mercado A15)

Foto-legenda : Clima quente
A presidente Dilma acende a tocha olímpica em Brasília; manifestantes a favor e contra o impeachment estiveram perto de condutores do símbolo no 1º dia do revezamento, que irá até o início dos Jogos do Rio, em agosto (Esporte B7)

Marcelo Coelho
Poucos conseguem discutir pedaladas com base e clareza
Foi kafkiano. Especialistas contrários ao impeachment de Dilma fizeram exposições extremamente técnicas no Senado. Para eles, a assinatura de decretos não pode ser considerada uma “ação” no sentido do direito penal, mas apenas uma “ação neutra”. Decretos não autorizados e pedaladas continuam a complicar o debate, com poucos capazes de ter opinião clara e embasada. (Poder a6)

Editoriais
Leia “Gastar bem”, sobre a necessidade de rever despesas obrigatórias no Orçamento, e “Justiça virtual”, acerca de bloqueio do aplicativo WhatsApp (Opinião A2)


Edição: Equipe Fenatracoop, Quarta-Feira, 04 de Maio de 2016

Compartilhe nossa Matéria