Manchete dos Jornais nesta quarta-feira, 16 de março de 2016
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 16th março 2016

Lula hesita em assumir ministério; dólar sobe 3,1%
O ex-presidente Lula disse à presidente Dilma Rousseff, ontem, que precisa amarrar todas as pontas com o PMDB antes de decidir se assume ou não a Secretaria de Governo. Ele contou ter sido informado por peemedebistas de que sua presença no ministério não daria “governabilidade plena” a Dilma nem teria o condão de evitar o impeachment. Com a crise política, o dólar avançou 3,11% e o Ibovespa recuou 3,56%…


O Globo

Manchete : Janot vai pedir investigação de Lula, Temer, Mercadante e Aécio
Delcídio diz que foi ‘escalado’ por Dilma e ex-presidente para barrar Lava-Jato
Colaboração de ex-líder do governo inclui gravação de conversa de Mercadante com assessor que indicaria uma tentativa de impedir acordo com a Justiça, com oferta de ajuda política e financeira. Presidente diz que iniciativa foi ‘ação pessoal’
Ainda às voltas com os ecos das manifestações de domingo, o governo se viu ontem diante de outra crise de grandes proporções: a homologação da delação do senador Delcídio Amaral, que deixou ontem o PT. Em 21 sessões de depoimentos, ele fez denúncias contra governo e oposição. O MP Federal já decidiu pedir ao STF autorização para investigar o ministro Aloizio Mercadante (Educação), o ex-presidente Lula, o vice-presidente Michel Temer e o senador Aécio Neves (PSDB-MG). O ex-líder do governo acusou Mercadante de tentar obstruir as investigações da Lava-Jato ao procurar convencê-lo de não colaborar com a Justiça. Em conversa gravada por um assessor do senador, o ministro teria oferecido ajuda financeira e política para evitar a delação. A presidente Dilma chamou de “ação pessoal” a atitude de Mercadante. A Lauro Jardim, Delcídio disse ontem que foi “escalado” por Dilma e por Lula para barrar a Lava-Jato. (Págs. 3 a 7)

O que o procurador quer apurar
Lula: Acusação de livrar filho e mandar calar Cerveró
Entre as revelações da delação de Delcídio estão a de que Lula teria mandado comprar o silêncio do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró e a de que teria livrado o filho da CPI do Carf

Mercadante: Tentativa de deter colaboração de Delcídio
O ministro da Educação, um dos assessores mais próximos da presidente, será investigado por suspeita de ter feito gestões no Senado e no Supremo para evitar a colaboração do ex-líder

Temer: Apadrinhamento de operador da Lava-Jato
O senador afirma que Temer era “muito ligado” a João Augusto Henriques, apontado pelos investigadores como o grande operador do PMDB no esquema de desvios da Petrobras

Aécio: Atuação para poupar tucanos na CPI dos Correios
O tucano é acusado na delação de ter agido para maquiar dados do Banco Rural obtidos pela CPI que investigou o mensalão para não comprometer correligionários; suposta propina em Furnas não será investigada

Marcos Valério: Suborno para livrar Lula do mensalão
O lobista teria recebido no exterior até R$ 220 milhões para não incriminar o ex-presidente; Valério, que está preso, será chamado para confirmar a acusação, e o caso do mensalão pode ser reaberto

Dilma: Apuração de influência no STJ ainda não foi decidida
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, estuda se pedirá ao STF apuração sobre a conduta da presidente Dilma na nomeação de Marcelo Navarro ao STJ. Segundo Delcídio, ele teria a missão de soltar réus da Lava-Jato

Temor de guinada na economia faz dólar subir
Bolsa cai 3,56% com rumor sobre ida de Lula para ministério
Os rumores de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva poderia assumir um ministério no governo Dilma fizeram o dólar subir 3,06%, para R$ 3,764. A Bolsa caiu 3,56%, e as ações de estatais despencaram. O temor de analistas é de uma guinada à esquerda na economia. Esse cenário se tornou mais provável diante do agravamento da crise política, apesar da resistência do Ministério da Fazenda. A proposta de uso de reservas internacionais para abater a dívida pública, defendida por ala do PT, é criticada por economistas. (Págs. 21 a 23)

Colunistas
Merval Pereira – Tentativa de fugir de Moro com nomeação é abraço de afogados entre Lula e Dilma (Pág. 4)
Elio Gaspari – Quem criminalizou a política foram os criminosos, e o PT se meteu nesse jogo (Pág. 18)
Zuenir Ventura – Rejeição à política traz risco de salvador da pátria (Pág. 19)
Míriam Leitão – Propina é a razão por trás da usina de Belo Monte (Pág. 22)


O Estado de S. Paulo

Manchete : STF aceita delação de Delcídio e Dilma pode ser investigada
Ex-líder do governo no Senado diz que negociou indicação de ministro para o STJ para ajudar empreiteiro

Senador cita ex-presidente Lula, vice Michel Temer e líder do PSDB, Aécio Neves

Aloizio Mercadante aparece em gravação negociando com assessor de Delcídio
A homologação e a divulgação pelo STF da delação do senador Delcídio Amaral (PT-MS) arrastaram ainda mais o governo e Dilma Rousseff para o centro da crise e da Lava Jato. A Procuradoria- Geral da República (PGR) avalia abertura de investigação para apurar as citações à presidente no depoimento do ex- líder do governo no Senado. O ponto que mais chama a atenção dos procuradores é a afirmação de Delcídio de que negociou com Dilma a nomeação de Marcelo Navarro para o STJ com a missão de tirar da prisão o empreiteiro Marcelo Odebrecht. Ela nega. Delcídio também cita supostas irregularidades envolvendo o ex- presidente Lula, o senador Aécio Neves (PSDB-MG), o vice Michel Temer (PMDB) e o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, aparece em gravação negociando com assessor de Delcídio e fala em “encontrar uma saída” para evitar que o senador fizesse delação. Mercadante diz que agiu de forma “pessoal”. (Política A4 a A9)

Marcelo de Moraes
Dilma Rousseff fala em “iniciativa pessoal” de Mercadante. A mensagem é clara: não tem nada a ver com isso. Não é bem assim. Mercadante sempre foi o político mais próximo a ela. (Pág. A4)

Entrevista – Delcídio Amaral : Vem muita confusão por aí
Em entrevista ao Estado, o senador Delcídio Amaral disse que na próxima semana vai retomar as atividades parlamentares. Não faz ideia de como será recebido – “É uma incógnita” – e diz que é “uma loucura” Lula no Ministério. “Vem tanta coisa aí, tanta confusão. Daqui a pouco já vem outra agenda… não dá tempo para respirar.” (Pág. A9)

Delator liga Aécio a propina de esquema em Furnas
Delcídio Amaral disse na delação que, “sem dúvida”, o presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves, recebeu propina em esquema de corrupção na estatal de energia Furnas, semelhante ao da Petrobrás. Segundo o delator, o tucano agiu para alterar dados do Banco Rural que poderiam “atingir em cheio” Aécio e aliados. Em nota, o senador afirmou que as citações a seu nome são “todas elas falsas”. (Pág. A6)

Lula hesita em assumir ministério; dólar sobe 3,1%
O ex-presidente Lula disse à presidente Dilma Rousseff, ontem, que precisa amarrar todas as pontas com o PMDB antes de decidir se assume ou não a Secretaria de Governo. Ele contou ter sido informado por peemedebistas de que sua presença no ministério não daria “governabilidade plena” a Dilma nem teria o condão de evitar o impeachment. Com a crise política, o dólar avançou 3,11% e o Ibovespa recuou 3,56%. (Política A11 e Economia B3)

Temer é citado no caso Petrobrás
O vice Michel Temer foi citado por Delcídio Amaral como responsável pela indicação de diretor da BR Distribuidora que fez aquisições de etanol de forma ilícita. Temer nega. (Pág.A7)

Mudança no Fies derruba acesso a faculdades
O número de novos alunos nas faculdades particulares do Estado de São Paulo caiu 15,2% neste ano (74 mil vagas a menos), em comparação a 2015. A queda reflete a crise e a mudança no Fies, que limitou vagas e elevou juros. (Metrópole A14)

Sete Brasil provoca perda de R$ 2,6 bi (Economia B1)

Lei de responsabilidade das estatais avança (Economia B14)

Socorro a Estados terá impacto de R$ 9,6 bi (Economia B13)

Colunas
Dora Kramer – Além de Lula não reunir condições objetivas para tirar Dilma Rousseff da rota do desastre, a gravação de Aloizio Mercadante é um tiro no peito do Planalto.

Eliane Cantanhêde – Para Dilma e o PT, é como se Lula, num passe de mágica, tivesse poderes para acabar com a crise e se eleger nos braços do povo em 2018. (Pág. A8)

Roberto Romano – A política do fingimento – Todos mostram que a igualdade democrática não existe e nunca existiu entre nós.O imaginário imperial desgraça a vida brasileira. (Espaço Aberto A2)

Notas&Informações
Nova afronta aos brasileiros – Com nomeação de Lula, Dilma desmascara o apreço que o lulopetismo alega ter pela “voz das ruas”. (A3)
Ruína moral – Todos os dias surgem evidências de que a corrupção e a desfaçatez atingiram seu estado da arte. (A3)


Folha de S. Paulo

Manchete : Dilma usou Mercadante para tentar sabotar a Lava Jato, acusa Delcídio
Procuradoria avalia se investigará a presidente e o ministro; ambos negam as acusações do ex-líder do governo no Senado
Em delação homologada no Supremo, o senador Delcídio do Amaral, ex-líder do governo, acusa a presidente Dilma de tentar sabotar a Lava Jato por meio de Aloizio Mercadante (Educação). O delator, que pediu desfiliação do PT, entregou gravações de diálogos entre um assessor seu e Mercadante, que oferece ajuda financeira e política para a soltura de Delcídio, então na cadeia. Segundo a delação, Dilma atuou em cortes superiores para tentar soltar réus da Lava Jato, inclusive nomeando ministro do Superior Tribunal de Justiça incumbido de evitar a punição de empreiteiros. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, avalia se pedirá para investigar a presidente Dilma Rousseff por tentativa de obstruir a Justiça. Aloizio Mercadante deve ser alvo de inquérito. Dilma repudiou com “indignação a tentativa de envolvimento do seu nome na iniciativa pessoal” de Mercadante. Ele eximiu a presidente no caso e negou que tenha tentado impedir a delação. A negociação para o ex-presidente Lula tornar-se ministro elevou o dólar e derrubou a Bolsa. Investidores preveem que, caso haja nomeação, será alterada a política econômica. (Poder e Mercado)

Ele é amigo da onça, diz delator sobre ministro
O senador Delcídio do Amaral ironizou fala do ministro Aloizio Mercadante (Educação), que disse ter oferecido ajuda por amizade, não para impedir a delação. “Amigo? Ele é amigo da onça! Onde ele era meu amigo?” Em entrevista à Folha, Delcídio, que se diz “profeta do caos”, também mira o ministro Edinho Silva (Comunicação Social), ex-tesoureiro da campanha de Dilma. “Esse aí não aguenta um empurrão”, declarou. (Poder a6)

Operação mira Aécio após ele ser citado em delação
O senador tucano Aécio Neves (MG) deve ser investigado pela Lava Jato, com abertura de inquérito, após ter sido acusado, na delação de Delcídio do Amaral, de receber propina de Furnas, subsidiária da Eletrobras. Delcídio também relatou que o presidente do PSDB atuou para “maquiar” dados do banco Rural a serem enviados à CPI dos Correios, que investigou o mensalão. Aécio diz que as citações são falsas e mentirosas. (Poder a8)

Acordo envolve nomes de pelo menos 39 políticos
Em sua delação premiada, o senador Delcídio do Amaral relatou irregularidades envolvendo pelo menos 39 políticos, entre eles deputados federais, senadores e ministros dos governos FHC, Lula e Dilma Rousseff. Delcídio citou também empresários, advogados, lobistas, diretores da Petrobras e ministros do STJ (Superior Tribunal de Justiça), do STF (Supremo Tribunal Federal) e do TCU (Tribunal de Contas da União). (Poder a7)

Mulher e filha de Eduardo Cunha serão investigadas por Sergio Moro (Poder A10)

Risco de microcefalia causada por zika é de 1%, afirma estudo (Ciência B5)

Médico do INSS deixará de ter exclusividade nas perícias
Os médicos do INSS vão deixar de ter exclusividade nas perícias para benefícios como auxílio-doença. Em alguns casos, o trabalhador pode passar pelo SUS para ter o direito. Para renová-lo, também será aceito atestado de médico particular. Na greve do setor, entre setembro e janeiro, mais de 1,3 milhão de perícias não foram feitas. (Mercado a19)

Elio Gaspari
PT entrou no jogo da criminalização política porque quis – O PT não percebeu que o juiz Moro está prendendo criminosos que se meteram em transações políticas para atacar a bolsa da Viúva. Quem criminalizou a política foram os criminosos. O PT se meteu no jogo porque quis. (Poder a9)

Alexandre Schwartsman
Palpiteiros sugerem ideia cretina de usar dinheiro em caixa – A proposta de usar as reservas hoje no Banco Central para aumentar o gasto teria efeitos desastrosos. Como as reservas foram constituídas por meio de endividamento, usá-las significaria ter menos recursos para pagar o que deve. (Mercado a20)

Editoriais
Leia “Avalanche”, acerca de delação do senador Delcídio do Amaral, e “Interromper a barbárie”, sobre violações dos direitos humanos no Sudão do Sul. (Opinião A2)


Edição: Equipe Fenatracoop, Quarta-Feira, 16 de Março de 2016

Compartilhe nossa Matéria