Manchete dos Jornais nesta quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 24th fevereiro 2016

EUA investigam 14 casos suspeitos
Quatorze supostos casos de transmissão sexual de zika são investigados nos EUA. A diretora da OMS, Margaret Chan, chegou ontem ao Brasil…

Programa do PT em defesa de Lula provoca panelaço
Moradores de São Paulo e outras capitais do País protestaram na noite de ontem contra o programa eleitoral do PT em defesa do ex-presidente Lula. Houve panelaços em vários bairros da capital paulista e de Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Curitiba e outras cidades. O pico do protesto foi durante a fala de Lula. Fotos de panelas e vídeos das manifestações também ganharam as redes sociais. No sábado, o partido comemorará com festa e samba no Rio seu aniversário de 36 anos. Lula e a presidente Dilma Rousseff devem participar. Cerca de 3 mil petistas assistirão a show de Diogo Nogueira e da bateria da Portela.


O Globo

Manchete: Lula vai à TV e provoca panelaços pelo país
Conselho do MP mantém promotor à frente de investigação sobre tríplex
Protesto ocorreu em pelo menos 14 capitais durante programa do PT e aumentou quando ex-presidente apareceu
Investigado pela Lava-Jato, pela Operação Zelotes e pelo Ministério Público, o ex-presidente Lula foi defendido ontem pelo PT, em rede nacional de TV, e provocou panelaços e buzinaços em pelo menos 14 capitais, inclusive no Nordeste, além de diversas outras cidades. Os protestos aumentaram quando Lula apareceu, defendendo seu governo e o de Dilma. Mais cedo, o Conselho Nacional do Ministério Público, por unanimidade, manteve o promotor Cássio Conserino à frente das investigações sobre o tríplex que foi de Lula em Guarujá. (Pág. 3)

Com temor do TSE, Dilma busca Temer
Para Planalto, PMDB teria interesse em ajudar a presidente a se livrar de cassação
Com receio de isolamento e de que a prisão do marqueteiro João Santana fortaleça a ação contra a presidente Dilma no TSE, o Planalto agora busca aproximação com o vice Michel Temer — a quem também não interessa a cassação da chapa pela Justiça Eleitoral, já que seria atingido por ela. Ministros ligados a Dilma procurarão Temer para conversar sobre a nomeação do deputado Mauro Lopes (PMDB) para a Secretaria de Aviação Civil. Marqueteiro de campanhas do ex-presidente Lula e das duas de Dilma, Santana e a mulher, Mônica Moura, chegaram ontem ao Brasil, após terem a prisão decretada pelo juiz da Lava-Jato, Sérgio Moro. Santana teria recebido US$ 7,5 milhões ilegalmente no exterior. (Págs. 4 e 5)

Ao tentar esvaziar cofre, executivo é preso na Suíça
Investigado pela Operação Acarajé, o executivo Fernando Migliaccio da Silva, ligado à Odebrecht, foi preso na Suíça quando tentava fechar contas e esvaziar um cofre num banco em Genebra. (Pág. 6)

Oposição cria grupo pró-impeachment
A prisão do marqueteiro das campanhas da presidente Dilma, João Santana, levou partidos de oposição a criarem um comitê pelo impeachment, que organizará manifestações. (Pág. 4)

Merval Pereira
Lula perde blindagem
Panelaços mostram que população voltou a se movimentar contra o PT. (Pág. 4)

Decisão do Supremo leva réus à cadeia
Após STF autorizar prisão por condenação de 2ª instância, MP pede cumprimento de pena de Estevão
Depois da decisão do Supremo de autorizar a prisão de condenados a partir da sentença de 2ª instância, a Procuradoria Geral da República pediu à Justiça a imediata prisão do ex-senador Luiz Estevão e do empresário Fábio Monteiro de Barros Filho — condenados, em 2006, pelo desvio de dinheiro público na construção do fórum trabalhista de São Paulo. Desde então, Estevão, condenado a 30 anos de cadeia, já apresentou 34 recursos e continua solto. A mesma decisão do STF levou a Justiça paulista a decretar a prisão de Gil Rugai, condenado pela morte do pai e da madrasta em 2004. (Pág. 7)

Polícia pede prisão de 6 da Samarco
A Polícia Civil de Minas pediu a prisão preventiva de seis executivos da Samarco pelo rompimento da barragem do Fundão, em novembro, em Mariana. Entre eles, o ex-presidente da empresa Ricardo Vescovi. (Pág. 7)

Leilão de energia terá novas regras
Após recomendação do TCU, a Aneel tornou as regras do próximo leilão de linhas de transmissão mais vantajosas a investidores. Mas custo deve ser repassado às tarifas. (Pág. 22)

EUA investigam 14 casos suspeitos
Quatorze supostos casos de transmissão sexual de zika são investigados nos EUA. A diretora da OMS, Margaret Chan, chegou ontem ao Brasil. (Pág. 16)


O Estado de S. Paulo

Manchete: Lobista pagou a marqueteiro de Dilma durante campanha
Santana recebeu US$ 1,5 milhão na Suíça; PSDB pede que provas sejam anexadas a ação de cassação
A conta na Suíça atribuída pela Lava Jato ao marqueteiro João Santana recebeu três depósitos que totalizaram US$ 1,5 milhão entre julho e novembro de 2014, período em que ele cuidava da campanha da presidente Dilma Rousseff. Os pagamentos foram feitos pela offshore Deep Sea Oil Corp, de Zwi Skornicki. Santana, a mulher, Mônica Moura, e o lobista estão presos em Curitiba. O casal estava na República Dominicana e se apresentou ontem à Polícia Federal. Skornicki é apontado como operador de propinas do esquema de desvios da Petrobrás. O período dos pagamentos enfraquece a defesa de Santana. Segundo o marqueteiro, os valores no exterior tinham relação com serviços prestados fora do Brasil. Em 2014, porém, ele se dedicou prioritariamente à campanha de Dilma. O PSDB pediu ao TSE que os documentos da Operação Acarajé, 23.ª fase da Lava Jato, sejam acrescentados à ação de cassação do mandato de Dilma e do vice Michel Temer. Na Suíça, o executivo Fernando Migliaccio, ligado à Odebrecht, foi preso no dia 17 tentando encerrar contas. (Política/ Págs. A4 a A6)

Delcídio pede licença do Senado
Libertado da prisão na sexta-feira, o senador e ex-líder do governo Delcídio Amaral (PT-MS) apresentou pedido de licença do mandato por 15 dias. Como alegou motivos de saúde, não terá os rendimentos descontados. O pedido de licença ocorreu na véspera de o Conselho de Ética voltar a analisar o caso. (PÁG. A13)

Programa do PT em defesa de Lula provoca panelaço
Moradores de São Paulo e outras capitais do País protestaram na noite de ontem contra o programa eleitoral do PT em defesa do ex-presidente Lula. Houve panelaços em vários bairros da capital paulista e de Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Curitiba e outras cidades. O pico do protesto foi durante a fala de Lula. Fotos de panelas e vídeos das manifestações também ganharam as redes sociais. No sábado, o partido comemorará com festa e samba no Rio seu aniversário de 36 anos. Lula e a presidente Dilma Rousseff devem participar. Cerca de 3 mil petistas assistirão a show de Diogo Nogueira e da bateria da Portela. (Política/ Pág. A12)

Conselho autoriza retomada de investigação sobre tríplex
O Conselho Nacional do Ministério Público decidiu ontem, por unanimidade, manter o promotor Cássio Conserino, de São Paulo, à frente da investigação sobre suposta ocultação de patrimônio do ex-presidente Lula no caso do tríplex no Guarujá. A apuração deve ser retomada hoje. (Política/ Pág. A11)

Estados poderão dar estatais para abater dívida com a União
O Plano de Socorro aos Estados, que o governo enviará ao Congresso como parte da reforma fiscal para reequilibrar contas, abrirá a possibilidade de federalização de estatais estaduais, informam Adriana Fernandes e Lorenna Rodrigues. Elas serão aceitas pela União e depois privatizadas. “Cada Estado vai apresentar a empresa que acreditar que é interessante se desfazer”, disse o secretário do Tesouro Nacional, Otavio Ladeira. Distribuidoras de gás podem entrar na lista. (Economia/ Pág. B1)

Pedida prisão de ex-presidente da Samarco e mais seis
A Polícia Civil de MG pediu a prisão preventiva do ex- diretor-presidente da Samarco Ricardo Vescovi e do ex-diretor de Operações da empresa Kléber Terra pelo rompimento da barragem de Mariana, em 5 de novembro, deixando 17 mortos e dois desaparecidos. Outros quatro executivos da mineradora tiveram prisão preventiva solicitada, além de um engenheiro da prestadora Vogbr. Os sete foram indiciados por homicídio com dolo eventual, inundação e poluição de água potável. (Metrópole/Pág. A21)
Gastos de brasileiros no exterior caem 62% (Economia / Pág. B10)

Casos de dengue em SP sobem 16% em janeiro (Metrópole/ Pág. A18)

Análises
Dora Kramer
A feira do Santana
Marqueteiro foi alcançado pelos efeitos da reincidência de um grupo político que invoca constantemente o preceito constitucional da presunção de inocência, mas que aposta na presunção da impunidade. (Pág. A6)

Eliane Cantanhêde
A pimenta do acarajé
Se Lula e Dilma tentam correr cada um para o seu lado, há mais um entre tantos elos que unem criador e criatura: João Santana, o “Patinhas”, o álcool no fogo do TSE, a pimenta do acarajé. (Pág. A12)

José Nêumanne
O talento nº 1 de João Patinhas
O guardador de dinheiro e o fabricante de sonhos para enganar eleitor têm importância capital na disputa pelo voto do povo. (Espaço Aberto/ Pág. A2)

Celso Ming
O acarajé e as incertezas
O desdobramento da Lava Jato faz aumentar as incertezas. Problemas como desordem das contas públicas e inflação podem se agravar. (Economia/ Pág. B2)

Notas & Informações
O conselheiro da presidente
A prisão do marqueteiro João Santana atinge em cheio o centro do poder em Brasília. (Pág. A3)

A inflação continua solta
Resta apostar na recessão como principal fator anti-inflacionário. Qual a alternativa, quando falha o governo? (Pág. A3)


Folha de S. Paulo

Manchete: Marqueteiro de Dilma vai admitir caixa 2 no exterior
João Santana, que atuou em três campanhas presidenciais do PT, é preso junto com a mulher
O publicitário João Santana vai admitir que recebeu recursos irregulares no exterior, informa Mario Cesar Carvalho. Ele foi o marqueteiro de três campanhas presidenciais do PT: Lula, em 2006, e Dilma, em 2010 e em 2014. Será uma tentativa de se livrar das acusações mais graves que pesam contra ele e sua mulher, a publicitária Mônica Moura. Ambos chegaram da República Dominicana nesta terça (23) e foram presos pela Polícia Federal. Eles são acusados de terem recebido US$ 7,5 milhões ilegalmente no exterior, da Odebrecht e do lobista Zwi Skornicki, segundo o decreto de prisão de Sergio Moro, juiz responsável por processos da Lava Jato. Para Moro,os repasses da Odebrecht a Santana seriam doações eleitorais que constituiriam caixa dois. Santana admitirá isso, mas deslocará a suspeita para outros países em que fez campanha, como a Argentina e El Salvador. Entre 2002 e 2014, firma de Santana recebeu R$ 229 milhões por trabalhos ao PT. Ele dirá que nenhum recebimento em contas fora do país veio desses serviços. Já a Odebrecht diz que colabora com as investigações. (Poder A4)

Promotor de SP é mantido em apuração sobre tríplex
O promotor Cássio Conserino continuará à frente da investigação sobre a posse de um tríplex em Guarujá (SP), atribuída a Lula. A decisão foi tomada pelo Conselho Nacional do Ministério Público, apesar de queixa do deputado Paulo Teixeira (PT-SP). Conserino disse que avaliará data para depoimentos de Lula e Marisa. Advogado do ex-presidente, Cristiano Zanin Martins estuda se vai recorrer à Justiça. (Poder A8)

Polícia Civil pede 7 prisões por ruptura de barragem
A Polícia Civil pediu a prisão preventiva de seis funcionários da Samarco, incluindo o presidente licenciado, Ricardo Vescovi, e um da VogBR, após concluir o primeiro inquérito que apura o rompimento da barragem de Fundão, em Mariana (MG). A maior tragédia ambiental da história do país, em novembro, deixou 19 mortos. Eles foram indiciados sob suspeita de homicídio qualificado com dolo eventual (quando se assume o risco de matar), além de inundação e poluição de água potável. Apenas para homicídio, a pena pode chegar a 30 anos. A Samarco considerou os indiciamentos “equivocados”, e a VogBR lamentou o pedido de prisão. (Cotidiano B4)
EUA apuram 14 casos de infecção por zika em relações sexuais (Cotidiano B3)

Câmbio e recessão aumentam rombo nas contas externas (Mercado A11)

Alexandre Schwartsman
Governo comete nova pedalada ao usar precatórios
Pacote de ajuste federal anunciado na sexta (19) inclui mecanismo para “otimizar” os pagamentos de precatórios e evitar que fiquem ociosos nos bancos. É mais uma pedalada fiscal: tratar empréstimos (sem consentimento dos proprietários do dinheiro) como receita, reduzindo o deficit. (Mercado A17)

Elio Gaspari
Discutir relação de Mirian Dutra com FHC é justificável
A relação de FHC com Mirian Dutra foi privada, mas a dela com a empresa Brasif envolve questões públicas. A concessão de lojas de “duty free” no desembarque de voos internacionais é assunto de natureza pública, além de ser uma jaboticaba. O dono da empresa tinha boas conexões políticas. (Poder A6)

Editorial

Leia “A alma do negócio”, acerca de prisão do publicitário João Santana. (Opinião A2)


Edição: Equipe Fenatracoop, Quarta-Feira 24 de Fevereiro de 2016

Compartilhe nossa Matéria