Manchete dos Jornais nesta quinta-feira, 03 de Setembro de 2015
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 3rd setembro 2015

Temer sentiu que é grande a chance de ser o novo Itamar
Os últimos atos de Dilma foram de um amadorismo quase que obsceno. Enquanto ela abusa do direito de errar, o PMDB começou a jogar contra, pois Temer sentiu que há uma grande chance de virar um novo Itamar. .


O Globo

Manchete : Brasileiro já reduz até gastos com alimentos
Setor encolhe 6,2% em julho e leva indústria a uma queda de 1,5%
Produção de açúcar , leite em pó e carne sofre com piora no emprego e na renda. Devido à retração na economia, BC mantém juros em 14,25%, após sete altas seguidas. Incerteza política leva dólar a R$ 3,762
A crise econômica já afeta a produção de alimentos. Os brasileiros cortaram seus gastos à mesa, e o setor de alimentação sofreu queda de 6,2% em julho, frente a junho, com produção menor de itens como açúcar, carne e leite em pó. A fabricação de alimentos foi a principal responsável pelo recuo de 1,5% da indústria. Em meio à retração, o BC manteve os juros básicos em 14,25% ao ano. As crises econômica e política levaram o dólar a R$ 3,762. (Págs. 19, 21 e 22)

Orçamento deve ter adendo com mais impostos
Após anunciar que desistira de tentar recriar a CPMF, a presidente Dilma admitiu ontem a possibilidade de acrescentar ao Orçamento proposta de mais impostos. (Pág. 3)

Ministério brinca na crise
Em meio à alta do desemprego, o Ministério do Trabalho usou redes sociais para pregar o “deboísmo”: ficar de boa. (Pág. 20)

‘Operador do operador’ negocia delação
Personagem central para explicar conexões políticas da Lava-Jato, o lobista Jorge Luz negocia delação premiada, informa CHICO OTAVIO. Ele é mentor do operador Fernando Baiano e decano de negócios suspeitos envolvendo o PMDB na Petrobras. (Pág. 7)

Doleiro detalha esquema no exterior
O doleiro Leonardo Meirelles afirmou ao juiz Sérgio Moro que emprestou contas para a Odebrecht depositar propina no exterior. (Pág. 8)

Para atacar a burocracia
O Senado instalou comissão, formada por juristas, para discutir e propor projetos que reduzam a burocracia na administração pública. (Pág. 6)

Arma falsa passa no Santos Dumont
Secretário de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame causou surpresa ontem ao exibir, no Congresso, pistola de brinquedo de assessor que passara pelo Santos Dumont. (Pág. 11)

Símbolo de uma tragédia
Policial carrega o corpo do menino sírio Aylan Kurdi, de 3 anos, encontrado numa praia turca. As fotos do corpo da criança na areia chocara m o mundo, chamando ainda mais a atenção para a tragédia da crise de imigração ilegal que assola a Europa. (Págs. 27 e 28)


O Estado de S. Paulo

Manchete : Dilma prepara novo tributo e promete rever Orçamento
Plano é remodelar CPMF, enviá-la por projeto de lei ao Congresso e usá-la para abater déficit de R$ 30,5 bilhões
Após desistir de incluir a nova CPMF no Orçamento, o governo estuda nos bastidores a criação de novo tributo. A estratégia é que um parlamentar governista apresente projeto de lei para ressuscitar uma espécie de CPMF, mas associe a ela alguma “bondade” – estuda-se, por exemplo, abatimento no Imposto de Renda para quem tiver o imposto descontado. No Planalto, a presidente Dilma Rousseff disse ontem que, apesar de “não gostar da CPMF, não afasta a necessidade de criar fonte de receita”. Também avisou que enviará adendo ao Congresso para alterar a peça orçamentária de 2016, que prevê déficit de R$ 30,5 bilhões. “Não fugiremos às nossas responsabilidades”, afirmou Dilma, que havia sido cobrada pelos presidentes do Senado, Renan Calheiros, e da Câmara, Eduardo Cunha. O plano do governo é propor um imposto temporário e repartir a arrecadação com Estados e municípios. (Política/ Pág. A4)

Temer diz não à articulação
A presidente Dilma Rousseff fez ontem novo apelo para que o vice Michel Temer reassuma a articulação política do governo e faça a “ponte” com o Congresso, mas ouviu um “não” como resposta. (Pág. A6)

Em meio à recessão, BC mantém juro em 14,25%
Em decisão unânime, o Copom manteve a Selic em 14,25% ao ano, interrompendo o ciclo de elevação de juros iniciado há mais de dois anos – ainda assim, a taxa é a mais elevada desde agosto de 2006. O movimento do Banco Central era esperado por analistas depois que o PIB do segundo trimestre revelou recessão ainda mais grave do que a estimada pelo governo e pelo setor privado. (Economia / Pág. B4)

Senadores proíbem doação eleitoral de empresas
O plenário do Senado aprovou ontem projeto de reforma política que proíbe doação de empresas tanto para candidatos quanto para partidos políticos. A posição dos senadores difere da aprovada no primeiro semestre pela Câmara, quando a maioria dos deputados votou pela legalização das contribuições financeiras de pessoas jurídicas às campanhas eleitorais. (Política / Pág. A8)

Janot pede mais tempo para investigar Renan
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao STF mais 60 dias para investigar nove políticos envolvidos na Operação Lava Jato. Entre eles estão o presidente do Senado, Renan Calheiros, e o ex-ministro e senador Edison Lobão. (Política / Pág. A13)

Unimed Paulistana terá de transferir beneficiários
A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) determinou que a Unimed Paulistana transfira, em 30 dias, seus 744 mil beneficiários para outros planos de saúde. De acordo com a agência, a determinação teve como motivação problemas econômico-financeiros, além de “anormalidades assistenciais e administrativas graves”. (Metrópole / Pág. A17)

PM antecipa policiamento no câmpus da USP
Um dia após estudante ser baleado na Cidade Universitária, o secretário Alexandre de Moraes (Segurança Pública) anunciou o início do policiamento comunitário para segunda-feira, além de curso defensivo contra assédio para alunas. (Metrópole/Pág. A21)

MEC avaliará diretor de escola pública (Metrópole/Pág. A18)

Eugênio Bucci
Publicidade e imprensa
A imprensa não deve depender de governos em termos legais ou institucionais, mas também não deve depender deles em termos econômicos (Espaço Aberto/Pág. A2)

Veríssimo
Definições
Como distinguir quem é de esquerda de quem é de direita? A divisão pode se estender a qualquer tipo de gosto ou de costume (Caderno2/Pág. C8)

Notas&Informações
Sem rumo e sem liderança : A recusa do Congresso de consertar a proposta de Orçamento é mais um fiasco para a coleção de Dilma (Pág. A3)

Suserania e vassalagem : Marcelo Odebrecht estava se sentindo em casa durante depoimento prestado a CPI da Petrobras (Pág. A3)


Estado de Minas

Manchete: Sem emprego nem esperança. Pág. 8
Sem aula. Pág.13
Sem vida. Pág.11

Déficit
Dilma ainda não descarta a volta da CPMF. Pág.5

CPI da Petrobrás
Ex-diretor acusa delator de mentiroso. Pág.2

Juízes contra a efetivação de cartórios sem concurso. Pág.4


Gazeta do Povo

LAVA JATO
Manchete: Nova fase de delação premiada ameaça políticos e autoridades
Novos acordos de delação premiada que estão sendo negociados por envolvidos na Lava Jato têm potencial para comprometer ainda mais os políticos já citados e revelar novos nomes de autoridades com ligação ao escândalo. Fontes confirmam que o conteúdo dos depoimentos é “bombástico”. Na lista dos que já fecharam ou estão negociando colaborações estão os ex-deputados Pedro Corrêa, André Vargas e Luiz Argôlo, além do ex-vereador Alexandre Romano

REFORMA POLÍTICA
Senado proíbe financiamento de empresas nas eleições
O Senado aprovou o fim das doações de empresas para partidos e candidatos. A proposta compõe a reforma política e será enviada de volta à Câmara, onde pode ser mantida ou derrubada

ORÇAMENTO
Relator prevê déficit maior no orçamento
O deputado paranaense Ricardo Barros, relator da proposta de orçamento do governo federal, costura um acordo que eleva de R$ 30,5 bilhões para R$ 72,9 bilhões o rombo nas contas públicas

TURBULÊNCIA GLOBAL
BC interrompe série de altas na taxa de juros
Depois de sete aumentos consecutivos nos juros básicos da economia brasileira, o Banco Central decidiu ontem colocar o pé no freio e manteve a taxa Selic estável em 14,25% ao ano

CRISE NA EUROPA
A face cruel da migração
A foto de uma criança síria encontrada morta em uma praia da Turquia chocou o mundo. O menino estava em um barco de refugiados que afundou ao tentar chegar à ilha de Kos, na Grécia


Zero Hora

Manchete : Após sete altas seguidas, juro básico para de subir
Pressionado entre inflação alta e recessão, Banco Central decide manter taxa em 14,25%, mas terá de enfrentar efeito do dólar nos preços

Dilma diz não gostar de CPMF, mas não descarta novas fontes de receita
(Notícias|10,16 e 19)


Folha de S. Paulo

Manchete : Sem apoio, Levy coloca a permanência em dúvida
Em defesa pública, Dilma diz que ministro ‘não está isolado’
O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, procurou a presidente Dilma Rousseff (PT) e o vice Michel Temer (PMDB) para reclamar de isolamento e da falta de apoio dentro do governo. Ele sinalizou, inclusive, que poderá deixar o cargo. Ele tem travado seguidos embates sobre a política econômica do governo, especialmente com Nelson Barbosa (Planejamento). Na maioria deles, saiu derrotado. O último foi sobre o envio do Orçamento de 2016 com déficit de R$ 30,5 bilhões. Levy defendia cortes drásticos, enquanto Barbosa preferia o que chamou de Orçamento realista. Dilma arbitrou em favor do último, mas, após críticas do Congresso, enviará adendos ao texto e assumiu a responsabilidade de resolver a questão. A presidente fez um desagravo público a Levy e disse que ele “não está desgastado” nem “isolado”. Para o senador Aécio Neves (PSDB), a defesa fragiliza “ainda mais o ministro”. (Poder a4)

Vinicius Torres Freire
Incerteza faz mercado elevar juros reais. (Mercado a16)

Por Orçamento, Executivo deve subir impostos ainda neste ano
O governo deve subir até o fim do ano alíquotas de impostos para tentar cobrir parte do déficit previsto no Orçamento do próximo ano. O Planalto cogita elevar a Cide, que incide sobre combustíveis, o IPI e o IOF —nesses tributos, não precisa obter aprovação do Congresso. A presidente Dilma também não descartou criar imposto semelhante à CPMF, descartada depois de repercussão negativa. (Poder a8)

Sem recursos, governo congela bolsas do Ciência sem Fronteiras
Por falta de recursos, o Planalto vai congelar a oferta de novas bolsas de estudo do Ciência sem Fronteiras em 2016, informam Valdo Cruz e Flávia Foreque. O orçamento de R$ 2,1 bilhões definido pela equipe econômica para o programa, lançado em 2011 e uma das bandeiras de Dilma para a educação, só é suficiente para manter os alunos que já estão no exterior. (Ciência b5)

PF pede para manter investigação sobre senador Anastasia
A Polícia Federal pediu ao Supremo para continuar a apurar suposta ligação do senador Antonio Anastasia (PSDB-MG) com o petrolão. O procurador-geral, Rodrigo Janot, havia pedido o arquivamento do inquérito. A PF diz ter recebido novas informações. A assessoria do tucano não comentou. (Poder a9)

Unimed Paulistana perde carteira com 744 mil segurados
Por decisão da agência reguladora do setor, a Unimed Paulistana terá que transferir seus 744 mil clientes a outros planos de saúde em 30 dias em razão de problemas financeiros. A operadora disse que dará apoio aos beneficiários. (Cotidiano b3)

Após assalto, PM e USP vão antecipar polícia comunitária
A USP e a Polícia Militar decidiram antecipar para a próxima segunda-feira (7) a implantação da polícia comunitária, sem aval da comunidade acadêmica. A decisão foi tomada após uma tentativa de assalto que deixou um estudante da universidade baleado. (Cotidiano b1)

Rogério Gentile
Temer sentiu que é grande a chance de ser o novo Itamar
Os últimos atos de Dilma foram de um amadorismo quase que obsceno. Enquanto ela abusa do direito de errar, o PMDB começou a jogar contra, pois Temer sentiu que há uma grande chance de virar um novo Itamar. (Opinião a2)

Mônica Bergamo
Acidentes caem com a redução de velocidade em SP
Um balanço inédito da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) mostra que, nas seis primeiras semanas de implantação da redução de velocidade nas marginais, em São Paulo, o número de acidentes com vítimas caiu 27% na comparação com igual período de 2014. (Ilustrada C2)

Editoriais
Leia “Concorrência líquida”, sobre mudanças em licitações de rodovias, e “Olhares sobre Francisco”, acerca de perdão a quem tenha abortado (Opinião A2)


Edição: Equipe Fenatracoop, 03 de Setembro de 2015, ás 05:24

Compartilhe nossa Matéria