Manchete dos Jornais nesta quinta-feira, 23 de junho de 2016
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 23rd junho 2016

Autoridades contra o jornalismo
Investidas contra o direito do cidadão de se informar estão a cada dia mais ameaçadoras. A que tenta anular delação é perversamente escarnecedora…

Foragido de operação da PF é achado morto
Alvo da Operação Turbulência, Paulo César de Barros Morato foi achado morto em motel de Olinda.A PF o apontou como “testa de ferro” de esquema de lavagem de dinheiro descoberto a partir do acidente de Eduardo Campos…

De volta ao século 21
Após 13 anos de atraso, Brasil começa a voltar ao jogo da globalização e dos acordos comerciais…

Morte de onça é só mais um mico da Rio-2016
O país pagou mais um mico internacional, com a morte de uma onça que participou do revezamento da tocha. De resto, a Rio-2016 já está micada há tempos, com sua baía poluída e suas obras mal resolvidas…


O Globo

Manchete: Decisão do STF aumenta chance de cassação de Cunha
Por 11 a 0, ministros aceitam denúncia por ocultação de contas na Suíça
Com resultado, deputado dificilmente salvará mandato na Câmara, que analisa se ele mentiu ao negar ser dono do dinheiro; no Supremo, ele responderá por corrupção, lavagem, evasão e fraude eleitoral
Por 11 votos a 0, o STF tornou réu pela segunda vez o presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha, por manter contas não declaradas na Suíça. Os ministros rejeitaram a tese da defesa, de que Cunha era apenas beneficiário de trusts (instrumentos para a gestão de bens), e concordaram que as provas colhidas revelam que o deputado é dono dos valores. A decisão reduz suas chances de evitar a cassação na Câmara, que analisa se ele mentiu ao dizer que não possui as contas. (Pág. 3)

MERVAL PEREIRA
STF mostra que Cunha não tem mais como escapar. (Pág. 4)

ANCELMO GOIS
Petrobras será coautora de ação contra Odebrecht. (Pág. 12)

Achaque em CPI seria de R$ 1 milhão, diz deputado
O deputado da CPI do Carf que tentou achacar um empresário lhe pediu R$ 1 milhão para distribuir a colegas, diz Hildo Rocha, integrante da comissão. (Pág. 6)

MP quer explicações sobre obra do Maracanã
O MP quer a devolução de R$ 93 milhões que teriam sido pagos indevidamente ao consórcio do Maracanã. Segundo delator, houve propina. (Pág. 6)

Oi pode ter alívio de R$ 7,15 bi
A Oi deve ter um alívio de R$ 7,15 bilhões com novas regras que estão sendo aceleradas pelo governo. Imóveis que seriam devolvidos à União irão para o patrimônio da empresa, que terá de investir em banda larga. A Oi apressou a recuperação judicial porque foi alvo de “fundos abutres”. (Págs. 19 a 21)

Dornelles deve vender Cedae
Única empresa pública do Rio, a Cedae pode ser vendida pelo estado para abater a dívida de R$ 67 bilhões com a União. O Planalto aceita receber ativos em troca dos débitos. (Pág. 8)

MÍRIAM LEITÃO
Ajuda traz alívio, mas problema do Rio é estrutural. (Pág. 20)

Rio remanejará verba para metrô
Como o repasse de R$ 2,9 bilhões da União é vinculado à Segurança, o estado deve remanejar recursos do orçamento da pasta para acabar a Linha 4 do metrô. (Pág. 11)

Farc anunciam fim da guerrilha
Após mais de 50 anos, as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia e o governo do país anunciam hoje em Havana um cessar-fogo definitivo. (Pág. 27)


O Estado de S. Paulo

Manchete: Plano taxa agricultura para bancar Previdência
A proposta de reforma da Previdência em estudo pelo governo se concentra em cinco grandes temas: idade média de aposentadoria, diferença de regime entre homens e mulheres, pensão por morte, servidores públicos e tributação extra do agronegócio. Um dos planos é cobrar INSS de empresas exportadoras do agronegócio, o que atualmente não ocorre. Quando a venda é para o mercado interno, elas pagam alíquota de 2,6% sobre o faturamento. Assim como outros pontos do pacote, a medida já causa polêmica. “Isso é nonsense”, disse Roberto Brant, consultor da Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária. “É começar a reforma pelo lado errado, o das receitas, em vez de atacar despesas.” Com déficit que deve chegar a R$ 133,6 bilhões neste ano, a Previdência é hoje o maior problema nas contas públicas. Na próxima semana, um “esqueleto” da reforma será apresentado a sindicalistas. (ECONOMIA/ PÁGS. B1 e B3)

Legislação trabalhista na mira
Michel Temer pretende encaminhar propostas também para reforma trabalhista. Terceirização e acordos coletivos são dois pontos polêmicos. (Pág. B3)

Cunha vira réu pela 2ª vez por contas na Suíça
O STF acolheu, por unanimidade, nova denúncia contra o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que passa à condição de réu da Lava Jato em 2.ª ação penal. Cunha é acusado de manter contas secretas na Suíça com dinheiro da Petrobrás. (POLÍTICA/PÁG. A4)

Foragido de operação da PF é achado morto
Alvo da Operação Turbulência, Paulo César de Barros Morato foi achado morto em motel de Olinda.A PF o apontou como “testa de ferro” de esquema de lavagem de dinheiro descoberto a partir do acidente de Eduardo Campos.(POLÍTICA/PÁG. A6)

Foto-legenda: Reino Unido define hoje se fica na UE
Britânicos a favor da permanência do Reino Unido na União Europeia homenageiam a deputada Jo Cox, assassinada na semana passada. Hoje, 46,5 milhões de eleitores decidirão se o país será o primeiro a abandonar o bloco. O resultado do referendo é incerto. (INTERNACIONAL/PÁGS. A14 e A15)

Coluna do Estadão
Deputados aproveitaram a presença na Câmara de Deltan Dallagnol, coordenador da Lava Jato, para pedir que o MPF tenha mais “cautela” para fechar delação premiada. (PÁG. A4)

Tenda tem baixa procura
Abrigo de emergência montado pela Prefeitura para moradores de rua atraiu 232 pessoas no primeiro dia de funcionamento, menos da metade da capacidade. (METRÓPOLE/PÁG. A17)

Colômbia e Farc põem fim a guerra
O governo colombiano e as Farc assinam hoje acordo de cessar-fogo definitivo. Guerra civil de mais de 50 anos já deixou 220 mil mortos e 45 mil desaparecidos. (INTERNACIONAL/PÁG. A12)

Governo facilitará importação de feijão (ECONOMIA/PÁG. B5)

Eugênio Bucci
Autoridades contra o jornalismo
Investidas contra o direito do cidadão de se informar estão a cada dia mais ameaçadoras. A que tenta anular delação é perversamente escarnecedora. (ESPAÇO ABERTO/PÁG. A2)

Notas & Informações
De volta ao século 21
Após 13 anos de atraso, Brasil começa a voltar ao jogo da globalização e dos acordos comerciais. (PÁG. A3)

A verdade só quando convém
Eduardo Cunha acredita que, apesar do juramento solene, não é obrigado a dizer a verdade o tempo todo. (PÁG. A3)


Folha de S. Paulo

Manchete: Pela 2ª vez, Cunha se torna réu na Lava Jato
Decisão do Supremo agrava situação do deputado, que diz confiar na absolvição
O Supremo Tribunal Federal tornou réu pela segunda vez na Lava Jato o presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB). Ele é acusado de corrupção, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e falsidade ideológica para fins eleitorais.
Os ministros do STF aceitaram por unanimidade denúncia da Procuradoria-Geral da República, que acusa Cunha de abastecer contas secretas no exterior com dinheiro desviado de contrato da Petrobras. O valor da propina seria de R$ 5,2 milhões.
O relator da Lava Jato, Teori Zavascki, disse haver elementos “robustos” de que Cunha recebeu propina por viabilizar aquisição de campo de petróleo na África pela estatal e por garantir a manutenção de esquema ilícito em diretoria da estatal.
O novo processo agrava a situação do deputado, cuja cassação foi aprovada pelo Conselho de Ética da Câmara. Se o plenário avalizar, ele perde o foro privilegiado e será julgado por Sergio Moro. Cunha nega ilicitudes e diz crer na absolvição. (Poder A4)

Temer manterá vetos a políticos em nomeações para estatais
O presidente interino, Michel Temer, não vai vetar nenhum ponto considerado essencial do projeto que proíbe a nomeação de políticos para diretoria e conselho de estatais, aprovado na terça-feira (21) pelo Senado. A equipe dele começou a entrar em contato com partidos aliados para avisar que podem ter que trocar indicações feitas para diretorias de empresas públicas. O Planalto entende que as regras valem apenas para novas nomeações. (Poder A5)

Feijão ostentação
Para tentar reduzir o preço do quilo do feijão, que já custa de R$ 14 a R$ 18 nos supermercados, o governo Temer elevará a importação. A medida, entretanto, deve surtir pouco efeito, já que o feijão-carioca, que subiu 59% em um ano e é o preferido dos brasileiros, praticamente não é encontrado em outros países. (Mercado A19)

Marcos A. Canônico
Morte de onça é só mais um mico da Rio-2016
O país pagou mais um mico internacional, com a morte de uma onça que participou do revezamento da tocha. De resto, a Rio-2016 já está micada há tempos, com sua baía poluída e suas obras mal resolvidas. (Opinião A2)

Editoriais
Leia “Permissão para gastar”, sobre renegociação da dívida dos Estados, e “Epidemia de cesarianas”, acerca de normas para realização de partos. (Opinião A2)


Edição: Equipe Fenatracoop, Quinta-Feira, 23 de Junho de 2016

Compartilhe nossa Matéria