Manchete dos Jornais nesta Segunda-feira, 10 de Julho de 2017

149

Temer já espera parecer a favor de denúncia na CCJ
Relatório de Sérgio Zveiter será lido hoje na comissão; presidente se reuniu com Maia, Eunício e líderes da base
O Palácio do Planalto e seus aliados dão como certo que o relator Sérgio Zveiter (PMDB-RJ) apresente parecer favorável à denúncia contra o presidente Michel Temer por crime de corrupção passiva. O relatório será lido hoje na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara. “Quem vai dar a solução para o problema e para a população é o plenário”, afirmou Zveiter ontem, reiterando que seu voto será “totalmente isento”.
Mais de 100 mil pacientes salvos
Transplantes
A Central de Transplantes de São Paulo, que comemora 20 anos, já ajudou a salvar mais de 100 mil pacientes. O número total de transplantes por ano cresceu 890%, mas ainda é baixo. No caso de Luiza, 10 meses, o doador foi seu pai.

——————————————————————-

O Globo

Manchete : Aliados avaliam ser difícil vitória de Temer na CCJ
Parecer de Sergio Zveiter pela aceitação da denúncia é tido como certo
Expectativa é por relatório técnico, sem juízo político, duro de ser contestado na votação. Tucanos acham que posição favorável à investigação seria a senha para sair do governo. Temer se reúne com líderes para evitar derrota
Caciques do PMDB e aliados do governo dão como certo que o deputado Sergio Zveiter (PMDB-RJ) apresentará hoje, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), parecer favorável à aceitação da denúncia contra o presidente Michel Temer, por corrupção passiva.
A expectativa de políticos do entorno do presidente é que o relatório de Zveiter tenha caráter técnico e fortes argumentos jurídicos, sem juízo político da conduta de Temer, tornando difícil que os integrantes da CCJ votem contra o parecer.
A cúpula do PSDB se reúne hoje para decidir a postura em relação ao governo e avalia que a aceitação da denúncia pode ser a gota d’água para deixar a base. Temer passou o domingo em reuniões no Jaburu e no Alvorada montando uma estratégia para evitar a derrota. (Págs. 3 a 5)

Ricardo Noblat
Temer ‘pedalou’ a moral. (Pág. 2)

Cais do Valongo é patrimônio mundial
A Unesco tornou o Cais do Valongo, na Gamboa, Patrimônio Mundial Cultural. Com a medida, autoridades brasileiras se comprometem a preservar o lugar, onde dois milhões de escravos vindos da África aportaram no século XIX. Paisagem da cidade já tem o título. (Págs. 6 A 8)

Rio terá aportes de R$ 8,2 bi
De olho na recuperação da indústria do petróleo, empresas privadas programam investir mais R$ 8,2 bilhões em projetos na Região dos Lagos e no Norte Fluminense. Enquanto isso, Itaboraí já vive a expectativa de retomada do Comperj. (Págs. 15 e 16)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete : Temer já espera parecer a favor de denúncia na CCJ
Relatório de Sérgio Zveiter será lido hoje na comissão; presidente se reuniu com Maia, Eunício e líderes da base
O Palácio do Planalto e seus aliados dão como certo que o relator Sérgio Zveiter (PMDB-RJ) apresente parecer favorável à denúncia contra o presidente Michel Temer por crime de corrupção passiva. O relatório será lido hoje na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara. “Quem vai dar a solução para o problema e para a população é o plenário”, afirmou Zveiter ontem, reiterando que seu voto será “totalmente isento”.
Em articulações para assegurar os votos necessários na CCJ e no plenário, Temer recebeu ontem os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), líderes governistas e ministros. O líder do governo no Congresso, deputado André Moura (PSC-SE), afirma que Temer terá mais de 40 votos na CCJ – são necessários 34. Enquanto isso, a oposição tenta atrasar o cronograma e forçar o desgaste do governo. (Política / Pág. A4)

Saída da base é questão de semanas, diz Alckmin
O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, afirmou ontem não ver motivo para o PSDB permanecer no governo Temer após a votação das reformas. “Depois disso, eu vejo que não há nenhuma razão para o PSDB participar do governo. É questão de semanas”, disse. Hoje, lideranças tucanas se reúnem para discutir o possível desembarque. A votação da reforma trabalhista está prevista para amanhã no Senado. (Política / Pág. A6)

Trabalhador paga por má gestão e desvio em fundos
Cerca de 142 mil funcionários e aposentados da Caixa e dos Correios têm descontos no contracheque para cobrir rombos dos fundos de previdência complementar Funcef e Postalis. Para reduzir o déficit da Petros, 77 mil trabalhadores da Petrobrás passarão a contribuir. Maria Augusta dos Santos, de 86 anos, é uma das que pagam a conta por má gestão e desvios. “Não tenho culpa que houve roubo”, lamenta a ex-funcionária da Caixa. (Economia / Pág. B4)

Unesp investiga cor de alunos cotistas
A Unesp vai averiguar se alunos cotistas acusados de fraudes são realmente pretos ou pardos como declararam. (Metrópole / Pág. A11)

Cida Damasco
A economia tem um longo caminho até se ajustar.
Com Temer ou com Rodrigo Maia. (Economia / Pág. B6)

Mais de 100 mil pacientes salvos
Transplantes
A Central de Transplantes de São Paulo, que comemora 20 anos, já ajudou a salvar mais de 100 mil pacientes. O número total de transplantes por ano cresceu 890%, mas ainda é baixo. No caso de Luiza, 10 meses, o doador foi seu pai. (Metrópole / Pág. A12)

Saneamento pode atrair até R$ 35 bi (Economia / Págs. B1 e B3)

PGR quer ‘cérebro’ da Lava Jato suíça (Política / Pág. A8)

Unesco. Cais do Valongo, no Rio, é declarado patrimônio mundial. (Pág. A12)

NOTAS & INFORMAÇOES
O necessário prumo
Os únicos que não podem se queixar da instabilidade do governo são justamente os tucanos, pois são eles também responsáveis por tal situação.(Pág. A3)

A lógica torpe do petismo
O PT mostra que não aprendeu nada com os erros cometidos quando esteve no poder. (Pág. A3)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete : Perda dos poupadores será paga com desconto
Acordo no STF não incluirá todos os prejudicados por planos econômicos
Um acordo definitivo para a reposição de perdas das cadernetas de poupança provocadas por planos econômicos deverá estar fechado até o início de agosto.
Conduzida no âmbito do Supremo Tribunal Federal, a negociação não incluirá todos os prejudicados pelos pacotes de combate à inflação lançados pelo governo nas décadas de 1980 e 1990.
Nos cálculos da equipe econômica, os bancos teriam de desembolsar cerca de R$ 50 bilhões se tivessem de indenizar todos os afetados, que somam 1,1 milhão.
O acordo tende a envolver, basicamente, os poupadores cobertos por ações coletivas, reduzindo a disputa a R$ 11 bilhões. Mesmo sobre esse montante, haverá descontos e parcelamentos.
Não estão definidos os índices para o abatimento dos valores a serem pagos. Em ações julgadas pelo Superior Tribunal de Justiça, as taxas chegaram a 65% sobre os juros acumulados. No STF, porém, o acerto pode ter condições diferentes.
Cerca de 70% dos desembolsos estarão a cargo da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil, estatais. A pedido da CEF, a Advocacia-Geral da União encarregou-se da mediação dos entendimentos a partir de setembro do ano passado. Com a esperada homologação do acordo, centenas de ações públicas serão automaticamente canceladas.

A iniciativa contou também com o apoio do Ministério da Fazenda e do Banco Central. Folhainvest Pág. 1

Maia não garante que denúncia seja votada neste mês
O presidente Michel Temer (PMDB) não obteve garantias de que a acusação de corrupção apresentada pela Procuradoria-Geral da República vá ser votada pela Câmara dos Deputados antes do recesso de julho.
Durante encontro no Palácio do Jaburu, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), não se comprometeu a acelerar a tramitação da denúncia. (Poder A4)

Ninguém mais aguenta as turbulências desse governo
ENTREVISTA DA 2a :; RENAN CALHE1R0S
Apeado há pouco da liderança do PMDB no Senado, Renan Calheiros (AL) diz haver um “sentimento de que o governo já foi”. Ele considera que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), ê alternativa para uma “inevitável travessia”. Alvo de investigações e denúncia na Lava Jato, o senador afirma que faltam provas contra ele. (Pág. A20)

Falta de dados dificulta políticas públicas para o crack em capitais (Cotidiano B1)

Editoriais
“Dissonância na equipe”, sobre declarações do presidente do BNDES, e “Venezuela em transe”, acerca de escalada de violência no país. (Opinião A2)

————————————————————————————




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *