Manchete dos Jornais nesta sexta-feira, 05 de fevereiro de 2016
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 5th fevereiro 2016

Lula é investigado por suposta venda de MPs
PF apura se petista é vítima ou parte em eventual esquema de medidas provisórias

A Polícia Federal informou à Justiça Federal, em Brasília, que investiga a eventual participação do ex-presidente Lula em um suposto esquema de compra de medidas provisórias. O delegado Marlon Cajado quer identificar se o petista, ex-ministros e servidores estariam associados a criminosos ou se são vítimas deles. Além de Lula, ele cita os ex-ministros Gilberto Carvalho (Secretaria-geral), Erenice Guerra (Casa Civil) e Nelson Machado (Previdência). O documento do delegado tem como objetivo prestar esclarecimentos sobre a investigação….


O Globo

Manchete: Paralisia associada ao zika explode no Rio
Só em janeiro hospital internou 16 pacientes com Guillain-Barré
Antônio Pedro, em Niterói, tinha tratado apenas cinco casos em todo o ano passado
Referência no tratamento da síndrome de Guillain-Barré no estado, o Hospital Universitário Antônio Pedro, em Niterói, recebeu 16 pacientes com a doença neurológica em janeiro. Todos haviam tido zika duas semanas antes de os sintomas da síndrome aparecerem. O estado de seis dos pacientes é grave, relata Ana Lucia Azevedo. Ao longo do ano passado, a unidade recebera apenas cinco casos de Guillain-Barré. (Pág. 3)

Editorial
‘Microcefalia põe o aborto na agenda de debates’ (Pág. 18)

Lula é investigado na Zelotes
O ex-presidente Lula passou de informante a investigado num segundo inquérito já aberto na Operação Zelotes, que apura suposta venda de medidas provisórias. A PF apura se Lula, os ex-ministros Erenice Guerra e Gilberto Carvalho, além de cinco servidores, “foram de fato corrompidos”, segundo ofício da PF à Justiça. (Pág. 4)

Renan é suspeito de corrupção e lavagem
Inquérito no Supremo que era sigiloso até dezembro investiga, entre outros, o presidente do Senado, Renan Calheiros, por indícios de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. (Pág. 6)

Obras discutidas na casa de empreiteiro
Valter Cardeal, diretor afastado da Eletrobras, admitiu à PF que participou de reuniões na casa do presidente da Engevix para discutir obras da usina de Belo Monte, no Pará. (Pág. 8)

Segurança terá corte de 32%
O Estado do Rio anunciou corte de R$ 18,4 bilhões no orçamento de 2016 por causa da queda de receita. A segurança perderá 32%, a educação, 9,3%, e a saúde, 7,6%. (Pág. 12)

Prazo maior para dívidas estaduais
A União pretende negociar um alongamento das dívidas estaduais por dez anos, em troca da redução de gastos com pessoal e Previdência, informa Martha Beck. (Pág. 21)


O Estado de S. Paulo

Manchete: Compra de sítio foi lavrada em escritório de compadre de Lula
Propriedade em Atibaia custou R$ 1,5 milhão, segundo escritura de 2010 -Documento aponta como donos dois sócios de um dos filhos do ex-presidente -Negócio foi formalizado dois dias antes da eleição de Dilma – Imóvel está sob investigação da Lava Jato
A compra do sítio usado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em Atibaia foi formalizada no escritório do advogado Roberto Teixeira, compadre do petista, revelam Ricardo Galhardo e Guilherme Mazieiro. O imóvel custou R$ 1,5 milhão, dos quais R$ 100 mil foram pagos em dinheiro vivo. As informações estão nas escrituras de compra e venda das duas áreas que compõem o imóvel de 173 mil m². Segundo o documento, Fernando Bittar, filho do amigo pessoal de Lula Jacó Bittar, pagou R$ 500 mil por uma parte e Jonas Suassuna arcou com R$ 1 milhão. Ambos são sócios de Fábio Luiz Lula da Silva, filho do ex-presidente. O negócio foi formalizado em 29 de outubro de 2010, dois dias antes da eleição da presidente Dilma Rousseff. O sítio é alvo de investigação da Lava Jato. De acordo com relatos de comerciantes e prestadores de serviço, parte da reforma do local foi bancada pela OAS e Odebrecht. Por meio de assessoria, Teixeira disse que Bittar e Suassuna são clientes antigos do escritório. (Política/ Pág. A4)

Petista é investigado em inquérito de venda de MPs
O delegado da Polícia Federal Marlon Cajado afirmou, em ofício enviado à Justiça Federal de Brasília, que inquérito da Operação Zelotes apura se o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está envolvido em suposto esquema de “venda” de medidas provisórias para favorecer montadoras. O documento cita o secretário executivo do Ministério da Fazenda, Dyogo Oliveira, a ex-ministra da Casa Civil Erenice Guerra e o ex-chefe da gabinete de Lula Gilberto Carvalho. Segundo Cajado,a PF investiga se os servidores e autoridades facilitaram a edição das MPs ou foram vítimas de tráfico de influência. Em janeiro, Lula prestou depoimento como informante. Agora, aparece entre os investigados. Para o advogado Cristiano Zanin Martins, “não faz sentido” o ex-presidente passar de informante a investigado em menos de um mês. Arrolada como testemunha, a presidente Dilma Rousseff alegou desconhecer o esquema. (Política/ Pág. A5)

Reaberta apuração sobre caças
O Ministério Público Federal reabriu investigação sobre supostas irregularidades na compra dos caças suecos Gripen pela Força Aérea Brasileira. (Pág. A5)

Amigos de empresário desconhecem imóvel
Jonas Suassuna Filho é conhecido na sociedade carioca pelo gosto por vinhos, charutos, gastronomia, obras de arte e casa em Angra dos Reis. Mas amigos não sabiam do sítio em Atibaia. (Pág. A4)

Estado pagou R$ 384 mil por obra de ‘máfia da merenda’
Investigada pelo Ministério Público na Operação Alba Branca, que apura esquema de fraude na merenda escolar, a Cooperativa Orgânica Agrícola Familiar fechou com o governo paulista em 2013 contrato de R$ 1,2 milhão para aquisição de caminhões e construção de unidade de processamento em Bebedouro. A obra não foi concluída. O governo pagou R$ 384 mil e agora suspendeu os repasses. (Política/ Pág. A7)

Vacina contra zika causa disputa
Na corrida pela vacina, laboratórios querem que o Brasil libere mais amostras do zika vírus. O governo analisa acordos para garantir benefícios mútuos. (Metrópole/ Pág. A12)

Governo faz nova manobra contábil para pagar pedalada
Levantamento de um grupo de economistas ligados ao Senado mostra que R$ 50 bilhões provenientes do Banco Central foram indispensáveis para o governo fechar as contas e pagar as pedaladas em 2015, informa Alexa Salomão. Por lei, o BC é proibido de emprestar dinheiro ao Tesouro Nacional. O pagamento, porém, não foi feito diretamente, mas numa triangulação, por meio de duas medidas provisórias e quatro portarias. (Economia/ Págs. B1 e B3)

Ignácio de Loyola Brandão
Quero minha cota no tríplex
Foi a palavra cota que me chamou a atenção ao ler sobre o imóvel no Guarujá tristemente célebre. Tristemente porque estou no rol dos lesados. (Caderno 2/ Pág. C8)

Notas & Informações
Uma ousadia de Dilma
Presidente continua exibindo dificuldade para entender a crise e apresentar estratégia de ajuste. (Pág. A3)

A população sabe o que quer
O governo faz que vai para um lado, logo depois aponta para o oposto. Está simplesmente perdido. (Pág. A3)


capa (13)ECOCATARATAS

Revisão de contrato de pedágio resulta em duplicação na BR-277. Duplicação na BR-277 compensará desequilíbrio em contrato de pedágio
CRIME NO TRÂNSITO
STJ nega recurso em que Carli Filho questiona investigação
ACUSADO DE HOMICÍDIO
Defesa de Recalcatti promete ir ao Conselho Nacional do MP contra o Gaeco
INFÂNCIA
Licença-paternidade de 20 dias será facultativa e exclui servidores públicos
PERÍMETRO CEFÁLICO
Pesquisa indica que microcefalia relacionada ao zika é severa em 71% dos casos
ESTRADAS
Carnaval: 170 mil veículos devem deixar Curitiba na sexta e no sábado pelas BRs 277 e 376
SEM CONVERSA
Fim do recesso legislativo indica que crise política está longe de acabar
ANÁLISE
“Parece que vivemos em um labirinto”, diz cientista político sobre crise
OPERAÇÃO ZELOTES
Delegado da Polícia Federal afirma que Lula é investigado na Zelotes
JUSTIÇA ELEITORAL
TSE notifica Dilma a apresentar defesa contra pedido de cassação
CÂMARA
Cunha cria CPI para apurar fraudes no Carf
INVESTIMENTO
Inflação fará de 2016 mais um ano ruim para a poupança

 

 

 


Folha de S. Paulo

Manchete: Lula é investigado por suposta venda de MPs
PF apura se petista é vítima ou parte em eventual esquema de medidas provisórias

A Polícia Federal informou à Justiça Federal, em Brasília, que investiga a eventual participação do ex-presidente Lula em um suposto esquema de compra de medidas provisórias. O delegado Marlon Cajado quer identificar se o petista, ex-ministros e servidores estariam associados a criminosos ou se são vítimas deles. Além de Lula, ele cita os ex-ministros Gilberto Carvalho (Secretaria-geral), Erenice Guerra (Casa Civil) e Nelson Machado (Previdência). O documento do delegado tem como objetivo prestar esclarecimentos sobre a investigação. Advogados de réus o acusaram de conduzir um “inquérito paralelo”, sem informar as defesas. Uma das frentes de investigação da Operação Zelotes apura suspeitas de propina a integrantes do governo para a aprovação de incentivos à indústria automotiva durante os governos Lula e Dilma. Arrolada como testemunha, a petista disse à Justiça ter vetado emendas a um projeto de interesse dos membros do suposto esquema. Em nota, o advogado de Lula Cristiano Zanin Martins afirma que “em nada justifica a conduta do delegado Marlon Cajado ao afirmar que o ex-presidente seria investigado no inquérito”. Gilberto Carvalho e Erenice Guerra negam elo com a suposta venda de medidas provisórias. Nelson Machado não foi localizado. (Poder A4)

Empreiteira diz ter repassado R$ 2,2 mi a filho de chefe do TCU
A empreiteira UTC entregou a investigadores da Lava Jato uma tabela que aponta pagamentos de R$ 2,2 milhões ao advogado Tiago Cedraz, filho do presidente do TCU, Aroldo Cedraz. É apurado se houve ajuda na liberação da licitação de Angra 3, analisada pelo TCU. A assessoria de Cedraz nega os pagamentos. (Poder A6)

Foco do surto de microcefalia tem mães e crianças desamparadas
No epicentro nacional dos casos de microcefalia ligados ao vírus da zika,em Pernambuco, mães sofrem com falta de assistência a crianças com má-formação, relatam os enviados Patrícia Campos Mello e Avener Prado. No sertão, uma mãe levou às pressas seu bebê a um hospital apontado como referência, mas voltou para casa sem nenhum atendimento. Não havia pediatras de plantão. (Especial pág. 1)

Editoriais
Leia “Tragédia industrial”, sobre retração no setor de manufaturados em 2015, e “Papel de pai”, a respeito de ampliação da licença-paternidade. (Opinião A2)


Edição: Equipe Fenatracoop, Sexta-Feira, 05 de Fevereiro de 2016

Compartilhe nossa Matéria