Manchete dos Jornais nesta terça-feira, 18 de agosto de 2015
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 18th agosto 2015

Ajuste com mais impostos deixa Paraná no azul
O ajuste fiscal do governo do Paraná custou caro ao contribuinte, que está pagando mais IPVA e ICMS neste ano. Apesar do desgaste político na aprovação do pacote, as medidas tiveram efeito positivo no caixa do governo, que arrecadou de janeiro a julho R$ 22,3 bilhões e gastou R$ 21,6 bilhões….


O Globo

Manchete : FH surpreende, sugere renúncia e revolta o PT
‘O sentimento é que o governo é ilegítimo’, diz ex-presidente na internet
Petistas no Congresso atacaram declarações do tucano, que vinha adotando discurso conciliador; ministro pediu fim da intolerância nas manifestações de rua e otimismo aos brasileiros descontentes
No dia seguinte aos protestos contra o governo Dilma, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso surpreendeu ao abandonar o tom conciliador e sugerir, numa rede social, que a presidente renuncie ou admita seus erros como “gesto de grandeza”. FH disse que as manifestações revelam “o sentimento popular de que o governo, embora legal, é ilegítimo”. A afirmação revoltou petistas. “Será que ele está girando bem?”, questionou o líder do governo na Câmara, José Guimarães (PTCE). O Planalto não comentou as declarações. Sobre as manifestações, o ministro Edinho Silva (Comunicação Social) pediu o fim da intolerância e otimismo. O PT, por sua vez, convocou a militância a participar de atos pró-governo nesta quinta-feira. (Pág. 3)

Lava-Jato: Moro condena Cerveró e delator de Cunha
O juiz Sérgio Moro condenou a penas de 12 a 16 anos o lobista Fernando Baiano, o ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró e o empresário Júlio Camargo por fraude na compra de navios-sonda. Camargo disse ter dado US$ 5 milhões ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha. Alvo da Lava-Jato, o presidente do Senado, Renan Calheiros, encontrou-se com o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que o investiga. Depois de acusar o Planalto de estar por trás de seu inquérito, Renan reduziu o tom dos ataques e se aproximou do governo Dilma. (Págs. 6 e 7)

Foto-legenda : ‘Lula desinflado’
Sucesso no protesto de Brasília, o “Lula Inflado” acabou murchando: com um furo no peito, o boneco de 12 metros de altura, fabricado no Distrito Federal, passará por manutenção antes de iniciar uma turnê pelo país. (Pág. 4)

Consumidor vai assumir risco de hidrelétricas
O governo deve transferir para o consumidor o chamado “risco hidrológico”, que tem forçado as hidrelétricas a comprarem energia no mercado de curto prazo, mais cara, diante da falta de chuvas. Com isso, os custos extras poderão ser repassados para as tarifas. (Pág. 19)

Cresce atraso nas contas do dia a dia
A inadimplência subiu 19% frente ao ano passado. O consumidor atrasa tarifas de telefone, condomínio e até mensalidade escolar. (Pág. 17)

Brasileira não será expulsa
A Justiça do Equador anulou a expulsão da jornalista Manuela Picq do país. (Pág. 24)
Alunos do Pronatec, hoje em crise, brilham em prova mundial (Pág. 22)

Ilimar Franco
O desfecho do “Fora, Dilma” está com o PMDB (Pág. 2)
Merval Pereira
Boneco de Lula como presidiário marca o fim de uma era (Pág. 4)
José Casado
Dilma e Temer loteiam cargos para dificultar impeachment (Pág. 15)
Míriam Leitão
Ninguém pode subestimar três grandes protestos em cinco meses (Pág. 18)


O Estado de S. Paulo

Manchete : Após protesto, PSDB eleva pressão por saída de Dilma
FHC pede renúncia, Aloysio diz que partido votará por impeachment e Aécio fala em ‘convergência’
Um dia depois de integrantes da cúpula tucana terem participado das manifestações contra a presidente Dilma Rousseff, líderes do PSDB aumentaram ontem a pressão. Numa rede social, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afirmou que a renúncia de Dilma seria um gesto de “grandeza”. No Senado, Aloysio Nunes Ferreira disse que o partido apoiará o impeachment se ele for pedido na Câmara. Para Aécio Neves, o PSDB agora está em “convergência” com a vontade expressa nas ruas. “Se a própria presidente não for capaz do gesto de grandeza -renúncia ou a voz franca de que errou e sabe apontar os caminhos da recuperação nacional -, assistiremos à desarticulação crescente do governo e do Congresso, a golpes de Lava Jato”, escreveu FHC, que, para se proteger de acusações de “golpismo” por parte de petistas, disse que o governo Dilma, “embora legal, é ilegítimo” por ter perdido o apoio popular. O Planalto não se manifestou sobre as declarações. (Política / Pág. A4)

Movimentos focarão TCU
O Vem Pra Rua e o Movimento Brasil Livre decidiram focar as próximas manifestações contra o governo no julgamento das contas de 2014 da presidente Dilma Rousseff pelo Tribunal de Contas da União. (Pág. A7)

Governo vê ‘intolerância política’ e cobra otimismo

O Palácio do Planalto procurou na manhã de ontem tratar as manifestações de domingo “como fatos naturais” de um regime democrático e cobrou otimismo da população e de empresários para retomar o crescimento e a geração de empregos no País. Para o ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência, Edinho Silva, o Brasil, no entanto, vive um momento de “intolerância política, um momento difícil”. (Política / Pág. A4)

Moro condena lobista e delator que citou Cunha
O juiz Sérgio Moro condenou o ex-diretor da Petrobrás Nestor Cerveró, os lobistas Fernando “Baiano” Soares, ligado ao PMDB, e Julio Camargo, delator que acusou o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), de pressioná-lo para pagar propina de US$ 5 milhões, em 2011- Cunha não é réu na ação. Moro impôs a Cerveró 12 anos, três meses e dez dias de reclusão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Esta é a segunda condenação de Cerveró. Baiano pegou 16 anos, um mês e dez dias de prisão. Condenado a 14 anos de reclusão, Julio Camargo foi beneficiado pela colaboração prestada à Operação Lava Jato e teve a pena reduzida para cinco anos em regime aberto. (Política / Pág. A8)

Mais um petista é citado
Suspeito de ter atuado como operador de propinas, o ex-vereador pelo PT Alexandre Romano disse à Polícia Federal que o ex-tesoureiro do partido Paulo Ferreira foi beneficiário de repasses. Ferreira nega. (Pág. A8)

Propostas de Renan são alvo de ato contra impeachment
A Agenda Brasil apresentada pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e o ajuste fiscal serão alvos dos movimentos sociais que protestarão no dia 20 contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff. Segundo organizadores, embora tenha como objetivo se contrapor à “pauta conservadora”, a ideia não é “passar a mão na cabeça” do governo. O ato está programado para ocorrer em pelo menos 12 Estados. (Política / Pág. A6)

Foto-legenda : Conversa pré-sabatina
Investigado na Lava Jato, Renan Calheiros (PMDB-AL) recebeu o procurador-geral Rodrigo Janot. Janot será sabatinado pelo Senado no dia 26 (Pág. A9)

Detran vai filmar exames para CNH
Os carros usados em provas para obtenção da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) terão câmeras para registrar os alunos e os funcionários do Detran que avaliam os futuros motoristas. Os veículos também deverão ter sistema de telemetria para comparar o resultado do teste com o que realmente aconteceu na prova. O objetivo é combater fraudes. (Metrópole / Pág. A13)

Foto-legenda: R$ 50 mil por pistas
Fachada do bar em Osasco onde dez pessoas foram baleadas na quinta-feira. O governo do Estado oferece recompensa de até R$ 50 mil por informações que levem à prisão de suspeitos da chacina que deixou 18 mortos. Trata-se da maior oferta já feita para tentar solucionar um crime no Estado. Os ataques teriam sido executados por no mínimo dez pessoas (Metrópole/Pág. A15)

Modesto Carvalhosa
A dependência da corrupção
Numa barbaridade legislativa, projeto de lei permite que empreiteiras voltem a contratar com a Petrobras e demais órgãos governamentais (Espaço Aberto/Pág. A2)

José Paulo Kupfer
Excessos em questão
A regra de que as reservas formam um colchão de segurança que jamais deve ser usado é um tabu – e , como todo tabu, existe para ser quebrado (Economia/Pág. B6)

Notas&Informações
Um mito que se esvai
A evidência do processo de desconstrução do mito Lula foi uma marca dos protestos de rua (Pág. A3)


Estado de Minas

Manchete: Torneiras secas no interior de Minas Gerais
Enquanto a Grande BH escapou de cortes no fornecimento de água este ano, o racionamento já é realidade em nove cidades mineiras e outras estão ameaçadas.
O alívio garantido pela Copasa à capital e sua região metropolitana não contempla outras regiões do estado. A Agência Reguladora dos Serviços de Água e Esgotamento Sanitário de Minas Gerais (Arsae-MG)foi comunicada sobre a adoção de medidas de restrição ao abastecimento por seis cidades sob sua fiscalização, quatro delas atendidas pela Copasa (Medina, Ubá, Mato Verde e Catuti) e duas com serviços próprios (Juiz de Fora e Itabira). O EM identificou outros três municípios não regulados pela Arsae que também já estão sob racionamento (Viçosa, Pará de Minas e Francisco Sá). E mais um, Astolfo Dutra, avisou que fará o mesmo. A direção da agência alerta que a situação vai piorar se o próximo período de chuvas não for generoso, já que 104 municípios mineiros decretaram estado de emergência desde o início do ano devido à seca. Pág. 13, 14

A vida de Lalá é o CTI
Desabafo de Adriana Furtado sobre a rotina da filha de um ano e dois meses, Lavínia, que sofre com rara doença intestinal, motivou mobilização para arrecadar doações que permitam transplante nos EUA. Drama em Betim se assemelha ao do garoto Pedrinho, que morreu dias antes de embarcar para a cirurgia, após família obter liminar na Justiça obrigando o governo brasileiro a pagar o tratamento. Pág. 16

‘Pauta-bomba’ cunha garante que câmara vota hoje reajuste do FGTS Pág. 2

 Chacina no triângulo polícia investiga onda de violência em Uberlândia. Pág. 15

 Atentado na Tailândia explosão mata pelo menos 19 em centro comercial Pág 11


Gazeta do Povo

CRISE POLÍTICA
Votação de reajuste do FGTS será teste para Dilma após protestos
O impacto da terceira onda de protestos contra a presidente Dilma Rousseff e o PT vai ser medido na votação da proposta que vincula o reajuste do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) ao rendimento da poupança. A proposta é um dos itens da chamada “pauta-bomba”. Na visão do governo, a vinculação prejudica a retomada da economia. Apadrinhado pelo presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB), o texto deve entrar hoje na pauta do plenário.

PATRIMÔNIO
Adeus “Walfrido”?
O ex-jogador de futebol Máximo dos Reis, o “Maçã”, exibe foto histórica do Bacacheri A.C. Pressão imobiliária e descaso dos setores de Patrimônio reduzem cada vez mais o número de times e estádios que marcaram vida dos bairros de Curitiba.

FINANÇAS PÚBLICAS
Ajuste com mais impostos deixa Paraná no azul
O ajuste fiscal do governo do Paraná custou caro ao contribuinte, que está pagando mais IPVA e ICMS neste ano. Apesar do desgaste político na aprovação do pacote, as medidas tiveram efeito positivo no caixa do governo, que arrecadou de janeiro a julho R$ 22,3 bilhões e gastou R$ 21,6 bilhões.

CONTAS PÚBLICAS
Orçamento de 2016 vai ampliar corte de gastos
Pela primeira vez, economistas passaram a prever retração da economia em 2016 – Relatório de Mercado Focus indicou uma queda de 2,01% no PIB em 2015 e de 0,15% em 2016. Com as previsões ruins, o projeto de Orçamento que será encaminhado ao Congresso vai apostar em mais aperto.


Zero Hora

Manchete : Parcelamento e pacote unem servidores do RS
Pela primeira vez, categorias fazem assembleia única para discutir paralisação por período determinado, contra atraso de salário e medidas que serão votadas por deputados. (Notícias | 6 e 7)

FHC sugere a Dilma “ato de grandeza”
Fernando Henrique diz que presidente deve “reconhecer erros ou renunciar ao cargo” (Notícias | 5, 8, 17 e 19)

Justiça condena três por corrupção
Nestor Cerveró, Fernando Baiano e Julio Camargo são ligados a núcleo do PMDB na Lava-Jato (Notícias | 10)

MP denuncia deputado
Basegio é suspeito de desviar até R$ 2,5 milhões na Assembleia (Notícias | 9)


Folha de S. Paulo

Manchete : Renúncia de Dilma seria um ‘gesto de grandeza’, diz FHC
Para ex-presidente, manifestações demonstram que governo é ilegítimo; Planalto quer quebrar ‘clima de pessimismo’ no país
Um dia depois de manifestantes pedirem o impeachment de Dilma Rousseff, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) publicou texto em que afirma que a renúncia da petista poderia ser um gesto de “grandeza”. A declaração na internet foi avaliada como uma tentativa de unificar o discurso do partido e aproximá-lo do sentimento antigoverno. Após criticar acordo entre Planalto e senadores que atenuou a crise por ora, o ex-presidente se reuniu com o senador Aécio Neves e o governador Geraldo Alckmin. Ele pregou aos dois cotados à eleição de 2018 que defendam estratégias em comum contra Dilma. Em seguida, um aliado do mineiro sinalizou um recuo na defesa de novas eleições. O governo decidiu adotar tom cauteloso sobre os protestos ocorridos em ao menos 169 cidades. Para o ministro Edinho Silva (Comunicação Social), é preciso quebrar o “clima de pessimismo”. Manifestantes já planejam atos contra a petista no 7 de Setembro. (Poder a4)

Marcelo Freixo
Dilma abraça agenda que representa retrocesso histórico nos direitos sociais. (Opinião a2)

Presidente indica para o STJ juiz com aval de Renan
Na semana seguinte ao governo costurar um acordo com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), para reformas na economia, Dilma Rousseff indicou Marcelo Navarro para o cargo de ministro do Superior Tribunal de Justiça que estava vago desde 2014. Na lista elaborada pela corte para a presidente, o mais votado era Joel Paciornik, porém o escolhido foi Navarro, o preferido de Renan e de Francisco Falcão, presidente do STJ. (Poder a6)

Para economistas, PIB será negativo também em 2016
A desaceleração nos gastos do governo, de 37% neste ano em relação ao mesmo período de 2014, e do setor privado deve contribuir para que a economia brasileira tenha dois anos seguidos de retração, algo que não ocorre desde 1930 e 1931. Economistas consultados pelo Banco Central na pesquisa Focus projetam que o PIB (Produto Interno Bruto) do país caia 2,01% neste ano e 0,15% em 2016. (Mercado a13)

Itamaraty atrasa o aluguel de carros usados em viagem de Dilma aos EUA (Mundo A12)

Haddad troca subprefeitos de São Paulo a cada 20 dias
Por pressão de indicações de vereadores, o prefeito Fernando Haddad (PT) tem trocado os subprefeitos, em média, a cada 20 dias. Para entidades de bairro, a alta rotatividade interrompe projetos em andamento e dificulta o diálogo. A prefeitura afirma que o número de trocas não está acima da média do serviço público. (Cotidiano B1)

Com piora da seca, região de Campinas usará menos água
Empresas de saneamento, indústrias e agricultores terão de captar menos água da bacia do rio Camanducaia, na região de Campinas, devido ao agravamento da seca. A medida afetará oito municípios; dois deles já prevêem racionamento. (Cotidiano B6)

Ex-presidente da Colômbia Álvaro Uribe mantém seu poder via internet (Mundo A12)

Renan Calheiros
É reducionismo tratar a agenda como ato político

É um reducionismo impróprio confundir a Agenda Brasil com movimentos políticos. Não sou governista nem oposicionista. Essa proposta é uma tentativa não de aproximação política, mas de afastamento da crise. Governos têm prazo de validade. A nação é perene. (opinião a3)

Editoriais
Leia “Cisternas e pipas”, sobre seca que atinge o semiárido nordestino, e “Retrocesso no Egito”, a respeito de trajetória política do país nos últimos anos. (Opinião A2)


Edição: Equipe Fenatracoop, 18 de Agosto de 2015, ás 06:30

Compartilhe nossa Matéria