Manchete dos Jornais nesta terça-feira, 26 de maio de 2015

75

Aliados de Richa divergem sobre reajuste e querem votar 8,17%
Com novas categorias de servidores estaduais aderindo à greve dia após dia, a base aliada na Assembleia Legislativa do Paraná decidiu oficialmente que só aceita votar o reajuste do funcionalismo se ele for de 8,17%. A decisão será levada hoje ao governo, na tentativa de se chegar a um consenso em torno do tema

————————————————————————————

O Globo

Manchete : Planalto desiste de unir PT e monta tropa pró-ajuste

Em semana decisiva para o governo, Levy avisa que dinheiro acabou

Depois de divergências entre ministros da área econômica, Dilma tenta unificar discurso em torno do pacote fiscal e corre contra o tempo; ministro da Fazenda reclamou que receita prevista no Orçamento era irreal

Na última semana para a aprovação das medidas provisórias do ajuste fiscal, a presidente Dilma convocou ontem nove ministros para pedir empenho na votação, no Congresso, das propostas que alteram regras de seguro-desemprego e pensões. O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, fez um apelo pela aprovação, afirmou que é hora de reorganizar o financiamento público de longo prazo e avisou que “acabou o dinheiro”. Sobre os cortes no Orçamento, afirmou que eles foram necessários porque a receita prevista era irreal. O PMDB e o Planalto pressionam, mas a bancada do PT no Senado desistiu de fechar questão em torno do ajuste e deve ter pelo menos três votos contra. (Pág. 3)

Cunha atropela comissão

Depois de quatro meses de discussão, a comissão especial da reforma política foi concluída ontem sem a votação do relatório final, por pressão do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB). No plenário, o relator será o deputado Rodrigo Maia (DEM), no lugar de Marcelo Castro (PMDB), que foi destituído. (Pág. 4)

Da cadeia para o casório

Delator do mensalão e recém-saído da prisão, Roberto Jefferson se casará sexta. Ele se diz lobo mau e a noiva, chapeuzinho vermelho. O casório custará R$ 100 mil. (Pág. 6)

Tribunais de Contas – Nomeações entre amigos no Rio

Enquanto José de Moraes levou para seu gabinete no TCM dez integrantes do clube do qual é comodoro, Domingos Brazão nomeou seu advogado no TCE, informa RUBEN BERTA. (Pág. 8)

Cerco de Correa à mídia – Jornal multado por ignorar ato oficial

O jornal “La Hora” recebeu multa do governo do Equador por não noticiar ato de uma prefeitura. O número de sanções à mídia subiu de 20 para 300 desde 2008. (Pág. 2)

Ilimar Franco

Distritão ou cláusula de barreira

As pequenas siglas estão sendo ameaçadas com a adoção da cláusula de barre ir a caso não deem apoio ao distritão. Eles somam 98 votos. Com a cláusula, esses 17 partidos terão de fazer 1% ou 2% dos votos nacionais para ter em direito ao horário na TV e ao Fundo Partidário. Os defensores do distritão têm ainda acordo informal com parcela do PSDB. Estes dariam apoio à proposta após marcar posição votando no distrital misto. (Pág. 2)

Merval Pereira

Crise petista

Em meio à crise política que envolve o governo petista, coube a Marco Aurélio Garcia, assessor especial do Palácio do Planalto, fazer a mais realista análise sobre o momento político negativo por que passa o Partido dos Trabalhadores, que ajudou a fundar há 35 anos. (Pág. 4)

Míriam Leitão

Um ponto de discórdia

Os ministros Joaquim Levy e Nelson Barbosa concordam em vários pontos, mas discordam sobre a mudança introduzida pelo Congresso nas regras da aposentadoria. Interlocutores dos dois ministros têm ouvido avaliações diferentes. É uma das principais preocupações de Levy no momento; para Nelson Barbosa, a decisão parlamentar apenas apressa a apresentação de uma proposta. (Pág. 20)

Editorial

Levy sob pressão do PT e da omissão de Dilma

Diante de um Planalto que não crê em ajustes e um PT em conspiração contra sua permanência no governo, o ministro se firma como o fiador da estabilidade (Pág. 16)

————————————————————————————

O Estado de S.Paulo

Manchete: Planalto reafirma aval a Levy e tenta acalmar mercado

Nova regra para eleger deputados será 1º item de reforma a ser votado
Após Cunha ignorar comissão, Câmara deve começar a votar propostas da reforma política nesta terça-feira
Roubos a bancos sobem em SP; homicídios caem
Segundo a Secretaria de Segurança Pública, foram 81 assassinatos no mês, 13 a menos que abril de 2014
Saiba quais são os bairros mais violentos de São Paulo
Pesquise dados por tipo de ocorrência em cada região da capital
‘Estadão’ estreia campanha sobre os 140 anos do jornal
Filme com texto de Washington Olivetto vai ao ar no intervalo da novela ‘Babilônia’, da TV Globo; assista
‘Não houve divergência, estava gripado’, diz Levy
Ministro da Fazenda justificou sua ausência no anúncio do contingenciamento na sexta-feira
Votação da reforma política começa nesta terça pelo sistema eleitoral
Plenário também apreciará financiamento de campanha, fim ou não da reeleição e o tempo e a coincidência dos mandatos; discussão deve se estender por semanas
Líderes descartam relatório de comissão e decidem votar reforma política no plenário
O relator Marcelo Castro (PMDB-PI) sequer foi avisado por Cunha da decisão
‘Fizemos papel de bobo na comissão’, diz relator da reforma política na Câmara
Senado vai compreender e aprovar medidas do ajuste fiscal, diz Temer
Em semana decisiva para o governo no Congresso, vice-presidente e articulador político afirma que Planalto ‘vai até o fim’ pelas propostas feitas pela equipe econômica
Brasil e México assinam nesta terça-feira acordo para investimentos
Documento sinaliza uma mudança na postura internacional do governo, na direção de maior abertura ao comércio exterior, segundo o Itamaraty.
Ministro diz que receita do Orçamento não reflete realidade da arrecadação
Levy disse que o corte do Orçamento foi ‘adequado’, mas mostrou preocupação com as receitas do governo; contingenciamento ficou em R$ 69,9 bilhões
PT quer novas taxas sobre lucro e fortuna
No seu congresso, em junho, partido vai propor que governo adote impostos para compensar as medidas do ajuste fiscal que afetam os benefícios trabalhistas
Dólar tem 3ª sessão de alta seguida, mas termina abaixo de R$ 3,10
Alta foi impulsionada por preocupação com o futuro do ajuste fiscal após a ausência de Joaquim Levy no anúncio do corte do Orçamento, mas justificativa do ministro acalmou os ânimos; Ibovespa subiu
Mercedes-Benz confirma demissões de 500 trabalhadores por telegramas
Grupo de funcionários estava em regime de lay-off (contratos suspensos) há um ano e deveria retornar à fábrica da montadora alemã no dia 15
‘Estadão’ estreia na TV campanha sobre os 140 anos do jornal
Filme de dois minutos, criado pela WMcCann, de Washington Olivetto, resume os fatos históricos retratados pelo jornal ao longo de sua história
Dívida pública sobe 0,42% e fecha abril em R$ 2,45 trilhões, diz Tesouro
Segundo dados do Tesouro Nacional, o custo médio da dívida ficou em 13,60% ao ano; estrangeiros aumentaram a aquisição de títulos e tiveram participação de 20,49%
Brasil é o 3º país com mais exigências de conteúdo local, diz OCDE
No topo da lista aparecem os EUA, com 23 medidas, seguidos da Indonésia, com 18 ações protecionistas; Brasil tinha 17 ações desse tipo entre 2009 e 2013
Endividadas e com estoque de imovéis, companhias tentam estancar perdas
Enquanto aguardam um pacote para destravar o crédito imobiliário, incorporadoras tentam reduzir devoluções de imóveis com proposta de troca de unidades

————————————————————————————

Gazeta do Povo

Manchete: Número de mortes no trânsito em Curitiba no 1.º trimestre é o menor dos últimos 5 anos
Nos primeiros três meses de 2015 foram registradas em Curitiba 41 mortes em acidentes de trânsito, contra 59 no mesmo período do ano anterior. Até então, o trimestre com menor quantidade de óbitos havia sido o terceiro de 2014, com 51 casos. A cidade já chegou a ter 87 mortes em um período de três meses (entre novembro e dezembro de 2010). O número ainda é alto, mas é o primeiro indicativo de que a capital paranaense pode alcançar a meta de diminuir em 50% os óbitos em acidentes automobilísticos até 2020. Para isso, será necessário chegar ao fim da década com no máximo 160 mortes no trânsito no ano – em 2010, foram 320 óbitos
FUNCIONALISMO
Aliados de Richa divergem sobre reajuste e querem votar 8,17%
Com novas categorias de servidores estaduais aderindo à greve dia após dia, a base aliada na Assembleia Legislativa do Paraná decidiu oficialmente que só aceita votar o reajuste do funcionalismo se ele for de 8,17%. A decisão será levada hoje ao governo, na tentativa de se chegar a um consenso em torno do tema
LEGISLAÇÃO
Câmara ignora trabalho de comissão e vota reforma política
O plenário da Câmara Federal começa a votar hoje a reforma política. O sistema eleitoral para deputados e vereadores, tema que mais interessa aos 513 membros da Casa, será o primeiro da lista. Formada em fevereiro para elaborar uma proposta mais madura, a comissão que debatia o tema foi encerrada ontem sem a aprovação de um relatório final
THE NEW YORK TIMES
“Ermitão” guarda cidade fantasma na Amazônia
Shigeru Nakayama deixou o Japão com seus pais e irmãos em meados dos anos 60 rumo ao Brasil. Hoje, com 66 anos, ele vive para proteger Airão Velho, uma cidade na floresta amazônica que teve seu apogeu no século 19 e início do 20, com o ciclo da borracha, e depois foi abandonada
EDUCAÇÃO
Para achar um curso ‘nota 10’
Entenda como o conceito que o MEC dá às graduações pode ajudar na escolha da faculdade certa
CONTAS PÚBLICAS
Planalto corre contra o tempo para ver aprovadas no Senado medidas provisórias do ajuste fiscal
FALHA NO SISTEMA
Auditoria da CGU descobre alunos já mortos e de alta renda como beneficiários das bolsas do Prouni

————————————————————————————

Zero Hora

Manchete : “Não adianta inventar impostos”, afirma Levy

Ausente em anúncio na sexta-feira, ministro reapareceu para desfazer rumores de que poderia deixar cargo por divergências. Para ele, não há soluções fáceis para a economia. (Notícias | 15 e 19)

Acolhida improvisada

Imigrantes haitianos e senegaleses, como Thierno Syll, chegam ao sul do país, onde são recebidos em meio à falta de coordenação entre governos. Cerca de 300 pessoas devem desembarcar em Porto Alegre até quinta-feira. (Notícias | 6 e 7)

Transgênicos – Precisa ou não de selo?

Site do Senado faz consulta sobre uso do símbolo que Câmara quer extinguir (Sua Vida | 22 e 23)

————————————————————————————

Brasil Econômico

Manchete : Balanço da Petrobras é aprovado com a rejeição de acionistas

Em assembleia realizada ontem, as demonstrações contábeis com o expurgo das perdas com fraudes foram aprovadas por 55% dos detentores de ações ordinárias da estatal, da qual o governo tem 50%. A maioria dos acionistas restantes se absteve e 5% votaram contra. Os investidores reclamaram da metodologia adotada pela empresa para calcular os efeitos da Lava Jato e do preço do petróleo, além da não distribuição de dividendos. (Pág. 11)

Foi gripe. Não birra

O ministro Joaquim Levy garantiu que não foi divergência sobre o corte do orçamento que o fez não participar de entrevista na sexta-feira, e sim uma gripe ou resfriado. Ele afirmou que o valor está adequado e negou ter pensado em sair do governo. (Págs. 4 e 5)

Brasil deve emitir bônus em dólar

O Tesouro Nacional avalia a possibilidade de voltar a emitir bônus soberanos em dólar e poderá em breve fazer uma nova captação externa. A última emissão foi realizada em setembro de 2014, com a captação de US$ 1 bilhão nos EUA e na Europa. (Pág. 5)

China reduz taxação de importados

O governo chinês cortou tarifas sobre bens de consumo como cosméticos, sapatos e roupas. O objetivo é estimular o consumo interno para diminuir a dependência das exportações e dos investimentos em infraestrutura. (Pág. 26)

MP 665 vai a votação hoje sob protestos

Senadores querem compromisso do Palácio do Planalto de vetar mudanças no artigo que trata da questão do abono salarial, mas governo não dá sinais positivos. (Pág. 3)

Olhar do Planalto José Negreiros

CONVERSA DE SURDOS

Por meio de um assessor, o ministro Levy mandou um recado objetivo ao mercado: salvo fato novo, que mude o cenário de forma radical, não pensa em demissão, não interrompeu sua rotina de trabalho, há muito a fazer ainda. Sua preocupação é decifrar os códigos políticos do governo do PT, para minimizar riscos de erros que minem seu alvo e compliquem o êxito de sua receita. (Pág. 2)

Relatório D.C. Rogerio Studart

A AGENDA POSITIVA

Nestes últimos anos, diversos países tentaram receitas distintas para enfrentar a crise. (…) No Brasil, tentou-se um política creditícia e fiscal expansionista, que permitiu uma reação inicial espetacular à crise. Na época, o mundo nos mostrava como um Cristo Redentor decolando como um foguete no espaço. (Pág. 7)

Ponto Final Octávio Costa

“DIGA NÃO À CORRUPÇÃO”

Na disputa para a prefeitura de São Paulo em 1985, o ex-presidente Jânio Quadros fez uma campanha na TV diferente de tudo, bem ao seu estilo histriônico. (…) O ex-presidente, que foi eleito prefeito, morreu em 1992, mas o que diria ele se soubesse que a Controladoria Geral da União identificou 47 beneficiários mortos, entre os bolsistas do Programa Universidade para Todos (ProUni)? (Pág. 32)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete : Governo tenta tranquilizar o mercado com ação pró-Levy

Rumor de saída do ministro afeta Bolsa e dólar, mas operação acalma investidor

Depois da ausência do ministro Joaquim Levy (Fazenda) no anúncio do corte de R$ 69,9 bilhões no Orçamento, gerando especulações sobre o seu futuro no cargo, o governo Dilma tentou acalmar o mercado. A estratégia incluiu entrevistas do ministro, uma delas ao lado do colega Aloizio Mercadante (Casa Civil), e contatos de integrantes do governo com analistas para garantir que Levy ainda tem o apoio da presidente e não pretende deixar o ministério. Na abertura dos negócios, o mercado financeiro foi influenciado pelos rumores da saída, mas as cotações se ajustaram no final do dia, após a operação do governo. (…) Pela manhã, Levy afirmou que o “contingenciamento foi no valor adequado”, apoiando o corte que ficou abaixo do que ele defendia, de até R$ 80 bilhões. Mais tarde, o ministro participou da reunião de coordenação política com Dilma. Seu colega Nelson Barbosa (Planejamento) não foi. Os dois divergiram em relação ao tamanho do bloqueio. Levy pediu agilidade ao Senado para votar o pacote fiscal. “Delonga não favorece o crescimento.” (Mercado a12)

Comando da Câmara intervém para votar reforma política hoje

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), descartou o trabalho da comissão que debateu a reforma política, deixando-a sem votar relatório, e levará o tema ao plenário. Os focos serão aprovar novo modelo de votação e manter as doações privadas nas eleições. (Poder a4)

Lula pede R$ 8 bi ao Planalto para promover Haddad

O ex-presidente Lula defendeu, em encontro com Dilma Rousseff, a liberação de R$ 8 bilhões do PAC para a gestão Fernando Haddad. Essa verba serviria para criar uma “marca na periferia”, o que fortaleceria a candidatura à reeleição do prefeito de São Paulo em 2016. (Poder a5)

Desgastados, Dilma e colega mexicano buscam tirar do foco problemas internos (Mundo A9)

Expansão do metrô mantém ritmo lento nas gestões tucanas

Nas gestões do PSDB, desde 1995, o ritmo de expansão do metrô de São Paulo, de 2 km por ano, tem sido tão lento quanto o de governos anteriores. O metrô de Seul (Coreia do Sul), também inaugurado em 1974, cresceu 8 km por ano. A gestão Alckmin diz ter investido na melhoria da rede da CPTM (trens metropolitanos). (Cotidiano B1)

Janio de Freitas

Autoritário, Cunha pode levar à piora da democracia do país

Eduardo Cunha não opina: manda na maioria. Desprezou relatório da reforma política por desejo pessoal. E sob seu comando, a votação do tema na Câmara pode degradar a democracia. (Poder a4)

Editoriais

Leia “O PT se esvazia”, a respeito de enfraquecimento do partido, e “Sigilo perene no BNDES”, sobre acesso a relatórios de operações do banco. (Opinião A2)

————————————————————————————

EBC



Portal Cambé, site de informações e serviços de Cambé – PR.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *