Manchete dos Jornais neste domingo, 16 de outubro de 2016
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 16th outubro 2016

Ministro do STJ votou a favor da Odebrecht; filho recebeu R$11 mi
Laudo da Polícia Federal na Lava Jato revela que o escritório do advogado Marcos Meira, filho do ex-ministro do Superior Tribunal de Justiça José de Castro Meira,recebeu R$ 11,2 milhões da Odebrecht de 2008 a 2014.
Em 2010, o então ministro votou pela prescrição de dívida da Braskem, braço da empreiteira. O advogado nega irregularidades nos pagamentos e na decisão…


O Globo

Manchete: Rombo de R$ 101 bi ameaça estados
Déficit das previdências regionais crescerá 57% até 2020 se não houver mudança de regras
Governadores querem ser incluídos na reforma previdenciária federal e pedem que a União acabe com o regime especial de aposentadoria de PMs e bombeiros, que já consome R$ 28,8 bilhões ao ano
O rombo das previdências estaduais, que chegou a R$ 64,26 bilhões no ano passado, alcançará R$ 101,5 bilhões em quatro anos, numa expansão de 57%, segundo cálculos de um estudo contratado por um grupo de governadores que inclui Rio e São Paulo, informa GERALDA DOCA. Diante da gravidade da situação, os governadores pediram ao governo federal que os estados sejam incluídos na reforma da Previdência. Além do aumento da contribuição, eles querem que a Uni- ão acabe com os regimes especiais de policiais militares e bombeiros, que hoje representam quase um quarto das despesas com servidores estaduais inativos. (Pág. 33)

Em livro, Crivella atacou catolicismo ‘demoníaco’ e o ‘terrível mal’ gay
Candidato pede perdão por possíveis ofensas cometidas em publicação, que faz relato de sua missão na África
No livro em que descreve o tempo em que viveu como missionário na África, editado em 2002 e raramente encontrado, o candidato a prefeito Marcelo Crivella (PRB) diz que a Igreja Católica e outras religiões “pregam doutrinas demoníacas” e classifica a homossexualidade de “terrível mal” , revela FERNANDO MOLICA. Crivella pede perdão por possíveis ofensas e diz que as referências foram feitas por um “jovem missionário”. Ele tinha 42 anos. (Págs. 3 e 4)

Freixo não explica como bancará promessas
O candidato do PSOL a prefeito, Marcelo Freixo, lista propostas ambiciosas, como ampliar o VLT, implantar uma linha de ônibus com tarifa zero, elevar o orçamento da Cultura e criar empresas públicas, relata MIGUEL CABALLERO. Mas diz vagamente que os recursos virão do corte de cargos comissionados e que tomará medidas “em acordo com a estrutura orçamentária do município”, cuja previsão é de queda de 4,2% das receitas em 2017. (Pág. 5)

Vereadores do Rio: 67% das propostas foram irrelevantes (Págs. 25 e 26)

Auditoria na campanha de Dilma acha gasto de R$ 431 mil com entrevista
A auditoria nas contas da chapa PT-PMDB, na eleição presidencial de 2014, encontrou valores que intrigaram os peritos, como R$ 431 mil na organização de uma entrevista coletiva de Dilma Rousseff em Brasília, ou R$ 416 mil para um caminhada de 1.300 metros da candidata no Recife, informa JOSÉ CASADO. O TSE também só comprovou a regularidade de 21% das despesas das gráficas contratadas. (Pág. 12)

Colunistas
AURO JARDIM
Odebrecht: a ajuda a Gleisi (Pág. 2)

ELIO GASPARI
O juiz Moro e Savonarola, o frade. (Pág. 16)

ANTONIO TABET
Modelos para um candidato. (Pág. 7)

MERVAL PEREIRA
Políticos vivem em mundo paralelo. (Pág. 4)

FERNANDO GABEIRA
O caminho até o fundo do poço. (Segundo Caderno)

JOSÉ PADILHA
Ceticismo com o momento do país. (Pág. 11)


O Estado de S. Paulo

Manchete: Dezoito ex-ministros de Lula e Dilma são alvo de investigação por desvios
Apurações indicam que eles movimentaram pelo menos R$ 1,25 bi ilegalmente
Investigações que tramitam no Supre mo Tribunal Federal (STF) indicam que ministros dos governos Lula (2003-2010) e Dilma Rousseff (2011- 2016) são suspeitos de movimentar pelo menos R$ 1,25 bilhão de forma ilegal, incluindo uso irregular do dinheiro público e propinas pagas por empresas durante o exercício do cargo. Levantamento feito pelo Estado mostra que há 18 ministros na mira de apurações de desvio de recursos nas gestões petistas – quatro no período Lula, dez no de Dilma e outros quatro comuns aos dois governos. Foram considerados os já condenados (um), réus (dois) e investiga dos (quinze). O caso dos investigados engloba os processos na Corte e os re metidos a outras instâncias pelo STF. Foram pesquisados os 168 ex-ministros nas duas gestões. Os números tendem a crescer com o decorrer da Operação Lava Jato. O presidente Michel Temer, no cargo desde maio, nomeou seis ministros com inquéritos no STF. Três já deixaram o governo. (POLÍTICA / PÁGS. A4 a A6)

Para Fux, julgamentos do STF são ‘enfadonhos
O ministro Luiz Fux, do STF, considera “enfadonho” o modo como são feitos os julgamentos na Corte. Para acabar com as sessões longas e chatas, ele propõe limitar a fala de cada ministro a 15 minutos, o mesmo tempo que cabe aos advogados. Além disso, Fux defende uma aproximação entre os ministros. “Aqui, debaixo de cada toga, bate um coração”, diz Fux. (POLÍTICA/ PÁG. A10)

Uma reforma para garantir o futuro
Com rombo recorde, Previdência se tornou o maior problema fiscal do País e tem de passar por mudanças
A Previdência precisou chegar à beira do colapso para que, enfim, entrasse na agenda de Brasília. O rombo do Regime Geral de Previdência Social, sistema que atende os trabalhadores do setor privado e os celetistas do setor público, deverá alcançar R$ 149 bilhões neste ano. No Regime Próprio de Previdência Social, que atende os funcionários públicos, o déficit deverá roçar os R$ 80 bilhões. No total, serão quase R$ 230 bilhões, o equivalente a 10% do Produto Interno Bruto (PIB). “Não podemos mais agir como o avestruz. Temos de encarar esse desafio”, afirma o economista Fabio Giambiagi. (POLÍTICA / PÁGS. A12 e A1)

Maçonaria se revela na eleição
Desde a década de 1930, a maçonaria brasileira mantinha uma postura discreta no jogo político-eleitoral. Nestas eleições municipais, porém, ela apoiou 27 candidatos a prefeito no Estado de SP. Dez foram eleitos, entre eles João Doria (PSDB), na capital. (POLÍTICA / PÁG. A8)

Crise amplia tensão nas fronteiras da Venezuela
Com a economia da Venezuela em ruínas, população sofre com a escassez de produtos e busca vida melhor nos vizinhos Brasil e Colômbia, informam Felipe Corazza e Luiz Raatz. Em Pacaraima (Roraima), o imigrante venezuelano José Guerra dorme sobre papelão na rodoviária. Em San Cristóbal, fronteira colombiana, as filas lotam os postos de gasolina. (INTERNACIONAL / PÁGS. A16 e A18)

No Brasil, falta de recursos
A penúria do Conselho Tutelar de Pacaraima dificulta o apoio a menores venezuelanos nas ruas da cidade. (PÁG. A16)

Gasto com remédio sem aval aumenta 220 vezes (Metrópole/ A22)

Eliane Cantanhêde
Enquanto a Câmara avança contra a corrupção, o Senado recua a favor. (POLÍTICA / PÁG. A8)

Notas & Informações
Eletrobrás, BNDES e Lava Jato
Relatório da propina da Eletrobrás e corte do BNDES a empresas da Lava Jato são caso assustador. (PÁG. A3)

Judicialização e política
A Justiça precisa ser muito aperfeiçoada, mas não é ela que vai tirar o País do buraco. É a política. (PÁG. A3)


Folha de S. Paulo

Manchete : ‘Bolsa Empresário* resiste ao ajuste fiscal em 2017
Subsídios financeiros e desonerações tributárias para o setor produtivo — apelidados de “Bolsa Empresário”— resistem ao ajuste fiscal adotado pelo governo Temer. Os programas somarão R$ 224 bilhões em 2017, ou cerca de 3,4% do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil.

Segundo análise feita pela Folha na proposta de Orçamento, as principais ações de apoio à indústria devem consumir recursos equivalentes aos gastos efetuados no governo Dilma Rousseff, mais a correção pela inflação. A política, impulsionada pela petista, sofreu duras criticas.

Para partidos aliados do governo Temer, esse apoio bilionário é uma das raízes do descontrole nas contas públicas. Caso o teto de gastos públicos seja aprovado pelo Congresso, será preciso reduzir programas, como esse de incentivos, para gastar mais em saúde e educação.

0 governo reavalia políticas tentando evitar quebra de contratos e mais desemprego, diz Mansueto Almeida, secretário de Política Econômica da Fazenda. Para entidades empresariais, a carga tributária pode crescer. (Mercado pág. 7)

Ministro do STJ votou a favor da Odebrecht; filho recebeu R$11 mi
Laudo da Polícia Federal na Lava Jato revela que o escritório do advogado Marcos Meira, filho do ex-ministro do Superior Tribunal de Justiça José de Castro Meira,recebeu R$ 11,2 milhões da Odebrecht de 2008 a 2014.
Em 2010, o então ministro votou pela prescrição de dívida da Braskem, braço da empreiteira. O advogado nega irregularidades nos pagamentos e na decisão. (Poder A4)

Acordo global cortará gás usado em geladeiras. (mundo A19)

Aliança entre PSDB e PMDB para 2018 é incerta, diz Temer
O presidente Michel Temer disse que não há “nenhuma previsão” de aliança entre PMDB e PSDB para a eleição presidencial de 2018, relata a enviada ao Estado indiano de

Goa, Isabel Fleck.
Neste sábado (15), Temer participou de um almoço com empresários no âmbito da cúpula dos Brics. (Poder A7)

Marcos Lisboa
Política pública ruma nos Estados para o colapso. (Opinião A2)

Editoriais
Brasil em reformas”, a respeito de programa de mudanças do governo que altera pactos sociais e reverte tendência de expansão do Estado.(Opinião A2)


Edição: Equipe Fenatracoop, Domingo, 16 de Outubro de 2016

Compartilhe nossa Matéria