Manchete dos Jornais neste domingo, 18 de setembro de 2016
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 18th setembro 2016

Em 2.512 cidades, só brancos
Eles são dois terços dos candidatos a prefeito, embora sua parcela na composição da população seja de 48%, segundo o Censo 2010…


O Globo

Manchete: Empresas driblam lei para doar a políticos
Proibidas de contribuir com campanhas eleitorais, elas se valem de seus dirigentes
Pesquisa revela que quatro candidatos a prefeito do Rio receberam doações individuais acima de R$ 30 mil de 59 pessoas físicas, sendo que 58 têm altos cargos nessas companhias, sobretudo de construção e engenharia
Mesmo proibidas de fazer doações eleitorais nestas eleições, as empresas encontraram uma forma de manter sua influência na campanha, por meio de seus dirigentes, como diretores e presidentes. Pesquisa da FGV-Dapp constatou que, das 59 pessoas físicas que contribuíram individualmente com mais de R$ 30 mil para quatro candidatos a prefeito do Rio, 58 têm altos cargos nessas companhias, sobretudo de construção e engenharia, revela ALESSANDRA DUARTE. Pedro Paulo (PMDB) recebeu R$ 4,1 milhões, que equivalem a 95% do dinheiro oriundo desse conjunto de doações. (Pág. 3)

Sem dinheiro, estados optam por demitir
Em crise financeira, governos estaduais começam a recorrer a uma medida austera: o corte de pessoal. Depois das demissões de comissionados, governadores olham agora para celetistas de empresas públicas. O objetivo é cumprir o limite de gastos com pessoal (49% da receita) previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal. No Estado do Rio, as secretarias de Casa Civil e Ambiente adotaram a mesma medida.(Pág. 31)

Renan busca eleger prefeito de Maceió e consolidar seu poder (Mara Bergamaschi, Pág. 6)

Crise do Rio prejudica ações contra chuvas (Pág. 14)

Colunistas
ANTONIO TABET
Todos podem ter razão na discussão sobre o golpe. (Pág. 11)

MERVAL PEREIRA
Proposta que criminaliza caixa dois deve ser apresentada amanhã (Pág. 4)

LAURO JARDIM
Planalto é informado sobre estranhas negociações na Saúde. (Pág. 2)

MÍRIAM LEITÃO
Nem Lula nem o governo Temer podem parar a Lava-Jato. (Pág. 32)

ANCELMO GOIS
Arresto de verba para o Estado do Rio ameaça recuperação da Baía. (Pág. 16)

FERNANDO GABEIRA
O governo precisa parar de dizer bobagens. (Segundo Caderno)

Editorial
‘Não há via legal para antecipação de eleições’ (Pág. 20)


O Estado de S. Paulo

Manchete: Receita cobra R$ 10 bi de investigados na Operação Lava Jato
Empreiteiras, políticos e funcionários públicos estão entre os principais alvos
A Receita Federal vai cobrar mais de R$ 10 bilhões dos investigados na Operação Lava Jato. São 28 empreiteiras, além de políticos, funcionários públicos e executivos acusados de terem sonegado impostos entre 2010 e 2014. Apanhados nas investigações do esquema de corrupção na Petrobrás, também viraram alvo das 480 ações fiscais que estão em andamento, informam Ricardo Brandt e Fábio Serapião. As primeiras autuações já foram aplicadas e totalizaram cerca de R$ 1,5 bilhão até o início do ano. “Tínhamos a previsão de que os lançamentos atingiriam R$ 1 bilhão. Mas, em apenas um ano, isso já foi superado”, afirma o coordenador-geral do setor de investigação da Receita, Gerson D’Argord Schaan. “Temos pela frente praticamente mais quatro anos de grande trabalho.” A Receita tem 75 auditores destacados para a Lava Jato. (Política/Pág. A4)

Mais próximos nas pesquisas, candidatos debatem hoje
A 15 dias da eleição, os principais candidatos à Prefeitura de São Paulo participam hoje, às 18h30, do debate promovido pelo Estado, TV Gazeta e Twitter, num cenário de forte disputa pelo segundo lugar. Pesquisa Ibope aponta queda na vantagem de Celso Russomanno (PRB) e empate técnico entre Marta Suplicy (PMDB) e João Doria (PSDB). (Política/Pág. A9)

Em 2.512 cidades, só brancos
Eles são dois terços dos candidatos a prefeito, embora sua parcela na composição da população seja de 48%, segundo o Censo 2010. (Pág. A10)

Siderúrgicas brasileiras tentam barrar fábrica chinesa
Em meio à maior crise da história, o setor siderúrgico se articula para barrar a instalação de fábrica da empresa chinesa CBSteel na cidade de Bacabeira, no Maranhão. A projeção do Instituto Aço Brasil, que representa o setor, é acabar 2016 com uma produção nacional de aço 6,8% menor e o consumo encolhendo 14,4%, para o patamar de dez anos atrás. (Economia/Págs. B1 e B3)

‘Será difícil Moreira Franco ficar’
Eduardo Cunha acusa Moreira Franco, do Programa de Parcerias de Investimentos, de estar por trás de irregularidades no financiamento de obras do Porto Maravilha, no Rio. “Na hora em que as investigações avançarem, ficará difícil a permanência do Moreira em qualquer governo”, disse a Vera Rosa, na 1.ª entrevista após perder o mandato. (Política/Pág. A6)

Troca de remédio cresce na web
Dezenas de grupos de Facebook têm funcionado como balcão de troca e doação de medicamentos. Muitos são de alto custo e eram de alguém que morreu. (Metrópole/Pág. A18)

Crise chega aos Estados após receita recorde (Economia/B4)

Acesso a creches ainda é gargalo
Debatida em toda campanha, a universalização do acesso à educação ainda é desafio: na capital, pelo menos 103 mil crianças estão fora da creche por falta de vaga. (Política/Pág. A8)

Colunistas
Dora Kramer
O truque do Lula fortão e fraquinho surgiu há dez anos e ainda hoje há quem se deixe iludir. (Política/Pág. A6)

Mario Vargas Llosa
O acordo de paz na Colômbia funcionará? Único meio de saber é pondo-o em marcha. (Internacional/Pág. A16)

Notas & Informações
Código Florestal em risco
Enganosamente, alguns tacham a disputa no STF de duelo entre ambientalistas e ruralistas. (Pág. A3)

Os 14 contêineres de Lula
É de interesse público que seja investigado o conteúdo exato do que consta nesse acervo. (Pág. A3)


Folha de S. Paulo

Manchete : Denúncia contra Lula usa dados de delação cancelada
A denúncia da força-tarefa da Lava Jato contra o ex-presidente Lula, apresentada na quarta (14), contém informação que só aparece no esboço da delação de Léo Pinheiro, sócio da OAS, informa Mario Cesar Carvalho.

O acordo havia sido cancelado pela Procuradoria-Geral da República antes de ser firmado — sob a justificativa de quebra de confidencialidade das negociações.
Foi Pinheiro quem disse que a OAS descontava os repasses que fez para o tríplex em Guarujá de uma espécie de conta que mantinha com o PT, usada para pagar propina de obras da Petrobras.

Os procuradores afirmam que Lula e a mulher, Marisa Letícia, receberam parte dos R$ 87,7 milhões que a OAS teria pago por desvios relacionados a dois contratos da empresa com a Petrobras.

A defesa do petista nega acusação. O elo entre suposta vantagem indevida e contratos da Petrobras é essencial para caracterizar o crime de corrupção, dizem advogados ouvidos pela Folha. Mas o uso da informação pode dar margem a contestações.

Cabe ao juiz Sergio Moro decidir se aceita a denúncia dos procuradores. Procurada, a força-tarefa não quis comentar o assunto. (Poder A4)

Municipal está insustentável’, diz Neschling
Demitido da direção artística do Theatro Municipal, o maestro John Neschling afirma ser vítima de “bandidos” e que faltou caráter ao prefeito Fernando Haddad (PT) ao afastá-lo. Suspeito de favorecer agentes, ele diz que a instituição tem rombo de R$ 20 milhões e pode fechar. “E insustentável.” (Ilustrada C2)

Eleições 2016
Resultado do pleito paulistano vai definir rumos de PT, PSDB e PMDB para 2018 (Pág.1)

Demora na entrega de papelada ameaça acordos de leniência
Cinco empresas que negociam acordos de leniência (delação para pessoas jurídicas) têm até esta segunda (19) para entregar ao Ministério da Transparência documentos faltantes e não serem declaradas inidôneas. Ê pegar ou largar, disse à Folha o ministro Torquato Jardim. (Mercado pág.2)

Editoriais
Leia “Freio de arrumação”, sobre definição de prioridades do governo Temer, e “Menos distorção”, a respeito de proposta de reforma política.(Pág.A2)


Edição: Equipe Fenatracoop, Domingo, 18 de Setembro de 2016

Compartilhe nossa Matéria