Governo federal expulsou 2,1 mil
Entre 2013 e março deste ano, 2.154 servidores foram expulsos pelo governo federal. A justificativa mais comum foi a de valer-se do cargo “para lograr proveito pessoal ou de outrem, em detrimento da dignidade da função pública”…
Brasileiros ‘fabricam’ bitcoins no Paraguai
Rocelo Lopez, que se diz um milionário da bitcoin, foi um dos brasileiros que se mudaram para o Paraguai para emitir a moeda virtual, um processo industrial ainda não regulamentado; a escolha do país vizinho, relata o enviado especial Renato Jakitas, se deve ao menor custo da energia elétrica, intensamente usada nas fábricas.
30% das uniões terminam em divórcio no País
Quarenta anos após a introdução do divórcio na legislação brasileira, quase 30% dos casamentos são desfeitos no País. A partir de 2011, o número passou pela primeira vez de 300 mil por ano e se estabilizou, segundo o IBGE. Divorciada desde 2014, Cleo Lagemann cuidou do ex-sogro no Natal. “Continua sendo minha família”, diz. …
———————————————————————–

O Globo

Manchete : No primeiro ano, Crivella cumpriu apenas 9 de 54 promessas
38,8% das propostas foram abandonados ou prazo expirou
No caso de outras 24, ainda é cedo para fazer avaliação
Fazenda diz que agiu para enfrentar problemas de caixa

No primeiro ano de sua gestão, o prefeito Marcelo Crivella (PRB) conseguiu executar completamente apenas nove de 54 projetos para a cidade do Rio de Janeiro, ou 16,6% do total, bem distante das promessas de campanha anunciadas por ele e por sua equipe. Em relação a outros 21 (38,8%), os programas foram abandonados ou o prazo previsto para seu cumprimento acabou. Entre as promessas não realizadas, estão a blindagem das escolas, a implementação de um plano de carreira baseado na meritocracia para os servidores da saúde, a racionalização do sistema de ônibus e a fiscalização das vans. A Secretaria municipal de Fazenda informa que foram tomadas medidas para reduzir custos e aumentar receitas, a fim de enfrentar problemas de caixa. Especialistas reconhecem as dificuldades financeiras, mas apontam também problemas de planejamento e gestão. (PÁGINAS 7, 8 e 9)

Acordo de céus abertos pode reduzir tarifas
Apesar do forte fluxo de turistas, EUA e Argentina não têm acordo de céus abertos com o Brasil. Segundo as companhias aéreas, a medida, que põe fim ao limite de voos, poderia reduzir as tarifas em até 15%. Mas a concorrência com as americanas preocupa. Dos 24 acordos assinados pelo Brasil, apenas dois estão em vigor: com Chile e Quênia. (PÁGINA 23)

Colunistas
MÍRIAM LEITÃO
Os brasileiros que têm projetos e sonham. (PÁGINA 22)

MERVAL PEREIRA
A recuperação econômica e a eleição de 2018. (PÁGINA 4)

ANCELMO GOIS
Fux: o caminho não pode ser o aeroporto. (PÁGINA 17)

ELIO GASPARI
Delação de Barata seria uma boa-nova em 2018. (PÁGINA 5)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete : Três servidores públicos são presos por semana no País
Levantamento obtido pelo Estado mostra ainda que número de detidos pela PF cresceu 57% após Lava Jato
Pelo menos três funcionários públicos são presos por semana no País, em média, sob a acusação de envolvimento com organizações criminosas responsáveis por desvios de verbas públicas, crimes fazendários, delitos ambientais e até tráfico internacional de drogas. Os números estão em levantamento inédito obtido pelo Estado na Divisão de Investigação e Combate ao Crime Organizado, da Polícia Federal, e englobam os resultados de 2.325 operações entre janeiro de 2013 e março de 2017, com 783 funcionários públicos federais, estaduais e municipais presos, informam Marcelo Godoy e Daniel Bramatti. A análise dos dados, obtidos por meio da Lei de Acesso à Informação, mostra ainda que o total de agentes públicos detidos cresceu 57% nos 24 meses após a deflagração da Operação Lava Jato, em 2014, na comparação com os dois anos anteriores (469 contra 298). (POLÍTICA / PÁG. A4)

Governo federal expulsou 2,1 mil
Entre 2013 e março deste ano, 2.154 servidores foram expulsos pelo governo federal. A justificativa mais comum foi a de valer-se do cargo “para lograr proveito pessoal ou de outrem, em detrimento da dignidade da função pública”. (PÁG. A4)

‘Corrupção só acaba sem Estado na economia’
Entrevista – Rubens Ometto, EMPRESÁRIO
Fundador do grupo Cosan, Rubens Ometto Silveira Mello diz que o País pode deixar de crescer se a reforma da Previdência não for aprovada. O empresário fez duras críticas à gestão petista. “Enquanto não tirar o governo da economia, a corrupção não acaba”, diz. (ECONOMIA / PÁG. B4)

Quando a política imita a ficção
A política brasileira tem passado por situações que parecem saídas de roteiros de ficção. A descoberta de R$ 51 milhões em um apartamento de Geddel Vieira Lima bem poderia estar em um episódio da série Stranger Things. Resta saber que tipo de enredo 2018 nos reserva. (POLÍTICA / PÁG. A6)

Com militares na rua, crimes continuam no RN (METRÓPOLE / PÁG. A10)

30% das uniões terminam em divórcio no País
Quarenta anos após a introdução do divórcio na legislação brasileira, quase 30% dos casamentos são desfeitos no País. A partir de 2011, o número passou pela primeira vez de 300 mil por ano e se estabilizou, segundo o IBGE. Divorciada desde 2014, Cleo Lagemann cuidou do ex-sogro no Natal. “Continua sendo minha família”, diz. (METRÓPOLE / PÁG. A9)

Brasileiros ‘fabricam’ bitcoins no Paraguai
Rocelo Lopez, que se diz um milionário da bitcoin, foi um dos brasileiros que se mudaram para o Paraguai para emitir a moeda virtual, um processo industrial ainda não regulamentado; a escolha do país vizinho, relata o enviado especial Renato Jakitas, se deve ao menor custo da energia elétrica, intensamente usada nas fábricas. (ECONOMIA / PÁGS. B1 e B3)

Eliane Cantanhêde
O ano da foto
Nada marca tanto 2017 quanto a foto dos R$ 51 milhões e o vídeo de Rocha Loures. (POLÍTICA / PÁG. A5)

Vera Magalhães
Dezoito
A eleição será o epílogo do período em que tudo foi influenciado pelos ecos de Curitiba. (POLÍTICA / PÁG. A6)

Celso Ming
O custo do crédito
Novos limites para depósitos compulsórios terão impacto na vida do brasileiro. (ECONOMIA / PÁG. B2)

Notas&Informações
Um voto decisivo
O momento do País exige clareza no discurso político, para que o eleitor saiba exatamente o que virá depois da votação em 2018. (PÁG. A3)

A neutralidade da rede
Pelos próprios valores que representa, a neutralidade da rede deve permanecer intocada no Brasil. (PÁG. A3)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete : 70% das novas indústrias no Paraguai vêm do Brasil
País vizinho atrai com custos trabalhistas, conta de luz e impostos menores
Vítimas da perda de competitividade no Brasil, empresários têm buscado o Paraguai como alternativa, informa Mariana Carneiro.
Sete de cada dez indústrias que se instalaram no país vizinho nos últimos cinco anos são de brasileiros, segundo o governo paraguaio. Os atrativos são custos trabalhistas, conta de energia e impostos menores.
Na embaixada brasileira em Assunção, o número de indústrias que pediram informações sobre como operar no Paraguai subiu 64% em 2017. Foram 445 consultas, contra 272 em 2016.
Só em novembro passado, duas têxteis e uma metalúrgica habilitaram-se para o chamado regime de maquila, em que 100% da produção ê exportada e, com isso, paga-se menos imposto.
Em relação à energia, a conta chega a ser atê 50% mais barata que no Brasil. O custo da mão de obra ê outra vantagem. Encargos trabalhistas e impostos são mais baixos — cerca de 30% do salário do empregado.
Além disso, os contratos de trabalho são mais flexíveis, mesmo com a reforma trabalhista aprovada no governo Temer. (Mercado A15)

Renunciar seria declaração de culpa, diz Temer em retrospectiva
Em balanço sobre 2017, Michel Temer diz que optar pela renúncia no auge da crise pós-delação da JBS significaria se declarar culpado: “Não seria um caminho mais fácil, seria incriminador”. Ele diz querer passar a faixa para quem apoia sua agenda e arrisca um slogan: “O Brasil reformista não pode parar”. (Poder A4)

Tribunal julga Lula com velocidade de ações mais simples
O tribunal que deve julgar o caso de Lula em 24 de janeiro analisou neste ano 1.326 ações em período similar ao do caso do ex-presidente — cerca de 150 dias. Só duas, porém, têm relação com corrupção. Processos na corte pelos crimes imputados ao petista costumam levar mais tempo. (Poder A4)

Jânio de Freitas
Cúpula da Justiça mais se divide do que se recompõe (Poder A7)

Escola pobre de SE atrai alunos da rede privada
No Enem 2016, a escola estadual Dr. Milton Dortas, em Simão Dias (Sergipe), teve o melhor desempenho entre as com perfil similar no país: alunos pobres e muitas matrículas. Os bons resultados se repetem há três anos e têm atraído estudantes da rede particular. (Cotidiano B1)

Editoriais
“Sobreviventes em 2017”, sobre saldo desolador do ano político, e “Desafios do emprego”, a respeito da melhora lenta do mercado de trabalho. (Opinião A2)

————————————————————————————

Responda

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.