Na diplomacia, o Brasil de 2014 é pior que o Brasil de 2010

A posição relativa do Brasil no mundo em 2014 é pior do que a de 2010. Pela primeira vez em 20 anos, um governo recém-eleito não pegará o país em trajetória internacional ascendente…

Gênero – País cai nove posições em ranking

A reduzida presença de mulheres no Congresso e a diferença salarial dão ao país o 71º lugar entre 142 nações em igualdade de gênero…

Planalto admite que BC poderá aumentar juros ainda neste ano

Na primeira reunião após a reeleição de Dilma, o Comitê de Política Monetária do Banco Central deve manter nesta quarta (29) os juros em 11% ao ano, mas assessores presidenciais não descartam alta em dezembro, no último encontro do ano. Para o Planalto, o dólar alto e as contas públicas no vermelho podem pressionar a inflação e demandar a antecipação do aperto monetário para este ano…

O Globo

Manchete : Câmara derrota Dilma e veta conselhos populares

Pressionada, presidente recua sobre plebiscito para reforma política

PMDB se uniu à oposição e comandou com mão de ferro a reação que derrubou o decreto presidencial que tiraria poder do Congresso; apenas PT , PSOL e PCdoB votaram com o Palácio do Planalto

Em seu primeiro dia de trabalho após as eleições, a Câmara dos Deputados impôs ontem derrota à presidente Dilma e derrubou o decreto dela de criação de conselhos populares. O PMDB se uniu à oposição em votação comandada pelo presidente da Casa, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), que perdeu a eleição no Rio Grande do Norte. Só votaram com o governo o PT, o PSOL e o PCdoB. A derrubada do decreto da presidente ter á de ser votada no Senado. A votação aconteceu em meio à forte reação do Congresso, especialmente do PMDB, à proposta de Dilma de fazer um plebiscito sobre a re forma política. Pressionada, a presidente ontem recuou e admitiu que, em vez de plebiscito, poderá ser feito um referendo, como querem os presidentes do Senado e da Câmara, no qual a população só seria consultada depois de o Congresso aprovar a reforma. (Págs. 8, 9 e 10)

‘Não fugi, salvei minha vida ’, diz Pizzolato

Itália nega extradição e liberta ex-diretor do BB condenado pelo mensalão; Dirceu vai cumprir pena em casa

A Justiça italiana negou o pedido do Brasil de extradição do ex-diretor de Marketing do BB Henrique Pizzolato, que fugiu para lá após ser condenado a12 anos de prisão pelo mensalão. O Brasil vai recorrer. Pizzolato, que foi solto na Itália após a negativa de extradição por causa das péssimas condições das prisões brasileiras, disse: “Não fugi, salvei minha vida.” Também ontem, o ministro Luís Roberto Barroso concedeu ao ex-ministro José Dirceu o direito de cumprir o restante da pena do mensalão em casa. Outros cinco mensaleiros já estão for a da cadeia. (Págs. 3 a 5 e Merval Pereira)

Bolsa sobe 3,6% e recupera perdas

A expectativa de que a presidente Dilma escolha um nome mais alinhado com o mercado para a Fazenda animou a Bolsa, que recuperou as perdas da véspera e subiu 3,62% ontem. Hoje os mais cotados para o cargo são o governador da Bahia, Jaques Wagner, e o presidente da Vale, Murilo Ferreira, além do economista Nelson Barbosa e de Aloizio Mercadante. (Págs. 23 e 24)

Abreu e Lima: PF adiou investigação

Apesar de aberto em fevereiro de 2011, inquérito para apurar superfaturamento nas obras da Abreu e Lima ficou parado por três anos porque a PF alegou que o caso não era de sua competência. (Pág. 6)

Disputa pelo comando da Alerj

Eleito, Jorge Picciani chega à Alerj disposto a brigar pelo comando do Legislativo no Rio. Ex-presidente da Casa e nome forte do PMDB, ele entra na disputa com Paulo Melo, que hoje ocupa o cargo. (Pág. 13)

Gênero – País cai nove posições em ranking

A reduzida presença de mulheres no Congresso e a diferença salarial dão ao país o 71º lugar entre 142 nações em igualdade de gênero. (Pág. 30)

Ilimar Franco

Oposição pode apoiar PMDB

A prioridade da oposição na primeira batalha de 2015, a eleição para a presidência da Câmara, é derrotar o governo Dilma. Seus líderes se re uniram ontem e concordaram que isso é mais importante do que lançar um candidato para marcar posição. Os tucanos apostam na disputa entre o PT e o PMDB, e na voracidade petista. O candidato pode ser da base aliada do governo, desde que ele se comprometa a não ser subalterno ao Planalto. (Pág. 2)

Merval Pereira

Luva de pelica

A decisão da Corte de Apelação de Bolonha, na Itália, de não extraditar o ex-diretor de marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato, for agido depois de condenado a 12 anos e 7 meses no processo do mensalão por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e peculato , foi um tapa de luva de pelica (ainda se usa isso?) no governo brasileiro, que em 2009 se recusou a extraditar o ex -terrorista italiano Cesare Battisti, for agido há 26 anos , que foi um dos chefes da organização de extrema-esquerda PAC (Proletários Armados pelo Comunismo). Ele foi condenado à prisão perpétua na Itália por quatro assassinatos . (Pág. 4)

Míriam Leitão

Planalto contrata: vagas na economia. (Pág. 24)

————————————————————————————

Zero Hora

Manchete : Pizzolato livre, Dirceu em casa

Na Itália, o ex-diretor do BB foi libertado pela Justiça. No Brasil, o ex-ministro recebeu direito à progressão de regime e cumprirá o resto da pena em prisão domiciliar. (Notícias | 15)

Os desafios de Dilma para reconquistar Congresso e mercado. (Notícias | 8 a 12)

Reeleita há dois dias, presidente sofre derrota na Câmara

————————————————————————————

Valor

– Eleição faz crescer 20% o investimento público

Depois de três anos praticamente parados, os investimentos públicos federais ganharam fôlego neste ano e subiram 19,7% entre janeiro e agosto, para R$ 41,2 bilhões, na comparação com igual período do ano anterior, descontada a inflação.

– Estudo aprova gasolina com 27,5% de etanol

O governo se prepara para dar uma boa notícia ao segmento sucroalcooleiro, de quem enfrentou forte oposição nas eleições. Em meados de novembro, o Palácio do Planalto deverá divulgar que um estudo técnico conduzido pela Petrobras comprovou ser possível elevar a proporção de etanol anidro na gasolina vendida para 27,5%, medida considerada fundamental para amenizar a crise que afeta as usinas.

– Dólar já ajuda nacionalização de automóveis

A desvalorização do real nos últimos meses já começou a incentivar as montadoras a lançarem novos projetos de carros no país e a antecipar a nacionalização da produção. Durante o Salão do Automóvel, que abriu ontem para a imprensa, em São Paulo, a Honda confirmou a produção de um utilitário esportivo compacto, o HR-V, em Sumaré (SP). A Audi também anunciou a decisão de montar motores em São Carlos (SP) a partir do ano que vem. A General Motors avisou que seu novo carro popular, em desenvolvimento para os mercados emergentes, se aprovado pela matriz, será feito no Brasil. E a Nissan decidiu antecipar em um ano a meta de elevar seu índice de conteúdo nacional de 66% para 80%.

– Fracasso em SP leva a disputa dentro do PT  

O pior resultado eleitoral em 20 anos deve fazer o PT paulista entrar em um processo de luta interna pelo poder. Sob reserva, dirigentes do partido afirmam que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva terá mais dificuldades para impor um candidato ao partido como fez com o ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha nas eleições deste ano.

– Petrobras tenta evitar multa da SEC 

Embora a Petrobras tenha citado a lei americana anticorrupção no exterior ao informar a contratação de dois assessores externos para ajudar nas investigações sobre as denúncias do ex-diretor de abastecimento à Polícia Federal, especialistas ouvidos pelo Valor entendem que, pelo que se sabe até agora, é improvável que o processo resulte em multa para a estatal. Na verdade, a empresa promove a investigação exatamente para tentar se livrar de uma punição.

Brasil Econômico

Manchete : Seca no Paraíba do Sul põe Rio sob risco de racionamento

Os reservatórios da bacia que abastece a região metropolitana do Rio de Janeiro atingiram o seu pior nível histórico. O comitê gestor afirma que as autoridades já deveriam ter adotado alguma medida de contenção de consumo, que será inevitável caso não volte a chover. A decisão só será tomada no fim de novembro. Na Cantareira, em São Paulo, o nível dos reservatórios permanece em queda, mesmo com bônus pela economia de água. (Pág. 4 e 5)

Mercado dá ‘voto de confiança’

As especulações sobre o nome do novo ministro da Fazenda foram apontadas como o motivo do bom-humor do mercado, que fechou com dólar em queda e bolsa em alta. Luiz Sergio Guimarães, entretanto, adverte: volatilidade não se controla e só para com sinais claros de mudança. (Págs. 20 e 21)

Mais crianças pobres em países ricos

A crise econômica mundial de 2008 levou 2,6 milhões de crianças à situação de pobreza nos países mais prósperos do planeta, mostra relatório da Unicef. As crianças da Irlanda, da Letônia e da Grécia foram as mais atingidas. (Pág. 27)

Ala do PMDB quer romper acordo para presidir Câmara

O peemedebista Eduardo Cunha pleitea a manutenção de seu partido no cargo, enquanto petistas reivindicam respeito a documento assinado em 2010 e que prega a alternância entre as duas legendas no comando da Casa. (Pág. 3)

Petrobras avalia adiar obras das Refinarias I e II

Segundo fonte próxima da estatal, desaceleração da demanda por combustíveis deve motivar retirada dos projetos no Maranhão e Ceará. (Pág. 10)

Mosaico Político

Gilberto Nascimento

SUICÍDIO DE REPUTAÇÃO

Secretário Nacional de Justiça no governo Lula, o ex-delegado Romeu Tuma Júnior mostrou empenho nos últimos dias antes da eleição na divulgação de comentários contra o PT e a reeleição da presidenta Dilma. (Pág. 2)

O mercado como ele é…

Luiz Sérgio Guimarães

COPOM DARÁ SINAL DE “MUDANÇA”?

A calmaria dos mercados financeiros ontem foi interpretada como um “voto de confiança” na “nova Dilma”, a que pretende, com maior disposição ao diálogo, promover mudanças na política econômica para fazer o Brasil crescer. Não é bem assim. (Pág. 21)

Ponto Final

Octávio Costa

SAI MANTEGA E ENTRA…

Quem esteve com Guido Mantega nos últimos dias ficou espantado com a disposição do ministro da Fazenda. Nem de longe ele passa a impressão de que está deixando o cargo. Ao contrário, defende a política econômica do governo Dilma Rousseff com unhas e dentes e afirma que tudo está correndo às mil maravilhas.(Pág. 32)

————————————————————————————

O Estado de S.Paulo

– Pizzolato fica livre na Itália; Dirceu vai cumprir pena em casa

– Doleiro pagou dívida da Petrobrás, diz empresário

– Dilma já admite trocar plebiscito por referendo sobre reforma

– PMDB e oposição derrubam conselhos populares

– Teoria da evolução está certa, diz papa

Folha de S. Paulo

Manchete : Justiça nega extradição, e Pizzolato é solto na Itália

No Brasil, ministro do STF autoriza Dirceu a cumprir resto da pena em casa

A Justiça italiana decidiu nesta terça (28) não extraditar o ex-diretor do Banco do Brasil li gado ao PT Henrique Pizzolato e soltou o condenado no julgamento do mensalão, que fugiu do país em setembro do ano passado. Depois de ser solto, Pizzolato deu entrevista de cerca de dez minutos: “Eu não fugi, eu salvei minha vida”. O ex-diretor estava detido desde fevereiro. Liberado, não poderá sair da Itália. O Brasil deve recorrer da decisão. No mesmo dia da decisão italiana sobre Pizzolato, o ministro do Supremo Tribunal Federal Luís Roberto Barroso aceitou o pedido da defesa do ex-ministro José Dirceu e o autorizou a cumprir o resto da pena em casa. Dirceu deve sair do presídio na próxima semana depois de audiência que costuma ocorrer às terças-feiras. Por ter trabalhado e estudado na cadeia, o petista antecipou o cumprimento de um sexto da sentença. (Poder a8)

Planalto admite que BC poderá aumentar juros ainda neste ano

Na primeira reunião após a reeleição de Dilma, o Comitê de Política Monetária do Banco Central deve manter nesta quarta (29) os juros em 11% ao ano, mas assessores presidenciais não descartam alta em dezembro, no último encontro do ano. Para o Planalto, o dólar alto e as contas públicas no vermelho podem pressionar a inflação e demandar a antecipação do aperto monetário para este ano. (Mercado B1)

Lula quer mais voz no governo e decide disputar eleição de 2018

O ex-presidente Lula (2003-10) disse recentemente a interlocutores que será candidato ao Planalto em 2018, quando terá 73 anos. Foi a primeira vez que o petista expôs a intenção de voltar ao cargo, relatam Natuza Nery e Andréia Sadi. No segundo mandato de Dilma, Lula espera influir mais no governo, para pavimentar sua candidatura, que já é tratada como oficial internamente no PT. (Poder a4)

Alexandre Schwartsman

Se não mudar, Dilma terá, de novo, de culpar a realidade

Sem mudar para recuperar a estabilidade macroeconômica e elevar a produtividade, estaremos condenados à mediocridade da primeira gestão Dilma. E a realidade levará a culpa. (Mercado B8)

Matias Spektor

Na diplomacia, o Brasil de 2014 é pior que o Brasil de 2010

A posição relativa do Brasil no mundo em 2014 é pior do que a de 2010. Pela primeira vez em 20 anos, um governo recém-eleito não pegará o país em trajetória internacional ascendente. (Mundo a15)

Editoriais

Leia “Logros e roubos”, sobre dados da criminalidade em SP, e “Esperança da primavera”, a respeito de resultado da eleição parlamentar na Tunísia. (Opinião A2)

EBC

Edição: Equipe Fenatracoop

Portal Cambé, site de informações e serviços de Cambé – PR.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.