Para Planalto, protestos hoje serão baliza para a Copa – 0 Palácio do Planalto monitora a série de protestos marcados para esta quinta (15) como um termômetro para uma eventual onda de manifestações para a Copa. Movimentos sociais, grupos anti-Mundial e lideranças sindicais organizaram atos simultâneos em ao menos 50 cidades com mais de 100 mil habitantes…

AcesseSaúde: 161 planos têm a venda proibida – Decisão da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) impede que convênios problemáticos — hoje com 1,7 milhão de clientes — atraiam novos consumidores nos próximos três meses…

Torneio de traficantes no Rio repercute no mundo – Um vídeo de bandidos de uma favela carioca com a camisa da Seleção e atirando para o alto durante torneio de futebol foi destaque na imprensa. A questão da segurança no Brasil foi posta novamente em xeque…

Campanha do medo assusta até petistas – A cúpula do governo Dilma Rousseff se dividiu diante da propaganda eleitoral do PT. Nela, o partido lança mão de estratégia que o PSDB empregou contra Lula em 2002 e que se revelou equivocada. Agora, após sucessivas quedas de Dilma nas pesquisas, o marqueteiro João Santana recorre ao episódio “Regina Duarte”, usando atores para disseminar na população menos esclarecida o medo de supostas perdas em caso de vitória da oposição. Uma parte dos ministros, com forte influência nas decisões da presidente, expressou insatisfação. Outro grupo defendeu Santana. “Depois de 12 anos no poder, é isso que o PT tem a oferecer ao país? O medo? A desesperança?”, reagiu o tucano Aécio Neves, Eduardo Campos (PSB) também criticou a peça publicitária…

O Globo

Protestos nesta quinta colocam segurança da Copa em teste
Com a realização dos 17 protestos contrários à Copa do Mundo que foram convocados para acontecer hoje em diversas cidades do país, governos e manifestantes terão o primeiro teste de fogo — ou de forças — relacionado ao evento. De um lado, os descontentes precisarão mostrar capacidade de mobilizar o país e levar às ruas uma nova versão do clamor ouvido no ano passado. Do outro lado, as forças de segurança precisarão provar que estão treinadas e prontas para evitar distúrbios de grande porte.

Segundo convocações feitas pela internet, haverá manifestações em pelo menos dez das 12 cidades-sede. Estão na lista São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, Cuiabá, Salvador, Recife, Porto Alegre, Curitiba e Manaus. Ao que tudo indica, São Paulo será a mais afetada, com cinco protestos, e seus organizadores já alertam para o “maior congestionamento do ano”.

PT usa emprego para rebater críticas à inflação
O filme do PT exibido na TV que estimula o medo de mudanças nas eleições faz parte do movimento iniciado pela presidente Dilma Rousseff em cadeia de rádio e TV no Dia do Trabalhador para testar sua estratégia eleitoral na economia. Para economistas ouvidos pelo Globo, está claro que Dilma terá no emprego o seu principal trunfo para rebater as críticas ao baixo crescimento econômico e à alta da inflação em seu governo. Ela indica que usará o medo do desemprego no lugar da ameaça da inflação, empregada sem sucesso por José Serra (PSDB) em 2002.

No pronunciamento e nos dois encontros que teve com jornalistas nas últimas duas semanas, Dilma repetiu que seu governo não será “o do arrocho salarial”. O mote foi dado pelos próprios adversários, Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB), que falaram em medidas “duras” ou “impopulares” para garantir a estabilidade. A presidente puxou a isca e reagiu. Sobre a proposta de Campos de reduzir a meta de inflação dos atuais 4,5% para 3% até 2019, foi categórica: afirmou que o resultado disso é desemprego.

João Santana dá guinada e adota estilo de confronto
Há sete meses, em entrevista à revista “Época”, o marqueteiro João Santana tripudiava sobre os adversários:

— A Dilma vai ganhar no primeiro turno, em 2014, porque ocorrerá uma antropofagia de anões. Eles vão se comer, lá embaixo, e ela, sobranceira, vai planar no Olimpo.

Hoje, a cinco meses das eleições, o publicitário tornou-se responsável pela abertura da guerra explícita na televisão, levando para os programas do PT a ordem dada pelo ex-presidente Lula de “partir pra cima” e firmar um discurso político do “nós contra eles” e da “elite contra o povo”. O tipo de propaganda, antes restrita às redes sociais, migrou para a televisão na velocidade da queda da popularidade da presidente Dilma Rousseff aferida por seguidas pesquisas de opinião.

Cúpula do PT traçou a ‘estratégia do medo’

Foi em conversas com a alta cúpula petista, que inclui o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o presidente da sigla, Rui Falcão, e o ex-ministro Franklin Martins, que o marqueteiro João Santana teve a ideia do vídeo “Fantasmas do passado”, que gerou polêmica por criar um clima de medo nos eleitores. Falcão conversou com integrantes da direção do PT no encontro nacional do partido, há 15 dias, em São Paulo, entre eles José Américo Dias, secretário nacional de Comunicação, e o deputado José Guimarães (CE), vice-presidente do partido. Eles traçaram as linhas gerais do que pretendiam e as repassaram para Santana, que criou a peça publicitária.

A propaganda foi vista previamente por Rui, Lula e pela presidente Dilma Rousseff. Dirigentes explicam que, apesar da confiança em João Santana, é regra no PT que todas peças sejam aprovadas por esse núcleo.

TCU determina investigação em compra e venda de ativos da Petrobras
O Tribunal de Contas da União (TCU) abriu uma nova frente de investigação dos negócios da Petrobras, desta vez com um pente-fino em todas as compras e vendas de ativos da estatal. O plenário do tribunal, em sessão nesta quarta-feira, determinou que a Secretaria de Controle Externo (Secex) de Estatais, no Rio de Janeiro, faça um levantamento de todas as “aquisições e alienações de ativos promovidas pela Petrobras”. O período a ser levado em conta para a análise caberá à área técnica do TCU, conforme ficou definido em plenário.

O processo, inicialmente, pedia apenas a realização de uma auditoria nos contratos de compra de 50% de duas usinas de biodiesel, em Marialva (PR) e em Passo Fundo (RS), a cargo da Petrobras Biocombustível. O pedido foi feito ao TCU pelo presidente da Comissão de Agricultura da Câmara, deputado Paulo Feijó (PR-RJ). Os ministros concordaram em ampliar o levantamento, envolvendo todas as transações de ativos num período a ser determinado pelos auditores.

Lula: País está preparado, dentro e fora de campo, para realizar uma boa Copa do Mundo
Em artigo publicado no jornal espanhol “El País”, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirma que o país está preparado, dentro e fora do campo, para realizar uma boa Copa do Mundo.

“Quando era presidente da República, trabalhei intensamente para que a Copa do Mundo de 2014 fosse realizada no Brasil. E não o fiz por razões econômicas ou políticas, mas pelo que o futebol representa para todos os povos e, particularmente, para o povo brasileiro. A nossa população apoiou com entusiasmo a ideia, rejeitando o preconceito elitista dos que dizem que um evento desse porte “é coisa de país rico”, diz Lula no artigo intitulado “O mundo se encontra no Brasil”.

O ex-presidente destaca que o Brasil é um país muito diferente daquele que sediou a Copa de 1950.

Correio Braziliense

Manchete: Campanha do medo assusta até petistas

A cúpula do governo Dilma Rousseff se dividiu diante da propaganda eleitoral do PT. Nela, o partido lança mão de estratégia que o PSDB empregou contra Lula em 2002 e que se revelou equivocada. Agora, após sucessivas quedas de Dilma nas pesquisas, o marqueteiro João Santana recorre ao episódio “Regina Duarte”, usando atores para disseminar na população menos esclarecida o medo de supostas perdas em caso de vitória da oposição. Uma parte dos ministros, com forte influência nas decisões da presidente, expressou insatisfação. Outro grupo defendeu Santana. “Depois de 12 anos no poder, é isso que o PT tem a oferecer ao país? O medo? A desesperança?”, reagiu o tucano Aécio Neves, Eduardo Campos (PSB) também criticou a peça publicitária. (Págs. 1 e 3)

Petrobras: Dominada, CPI se torna arma contra a oposição

Governistas assumem a imensa maioria dos cargos da comissão no Senado e, em vez do escândalo da compra de Pasadena pela Petrobras, põem FHC e Eduardo na mira das investigações. (Págs. 1 e 4)

Saúde: 161 planos têm a venda proibida

Decisão da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) impede que convênios problemáticos — hoje com 1,7 milhão de clientes — atraiam novos consumidores nos próximos três meses. (Págs. 1 e 11)

Copa deixará periferia de São Paulo sem água

Especialistas disseram ao Correio que há grave risco de faltar água na capital paulista durante o Mundial. O centro da cidade, onde circularão turistas e autoridades, tem o abastecimento garantido, mas bairros distantes já sofrem um racionamento informal. O governo do estado nega. (Págs. 1 e Superesportes, capa)

Torneio de traficantes no Rio repercute no mundo

Um vídeo de bandidos de uma favela carioca com a camisa da Seleção e atirando para o alto durante torneio de futebol foi destaque na imprensa. A questão da segurança no Brasil foi posta novamente em xeque. (Págs. 1 e 9)

“Superquinta” de protestos testa segurança (Págs. 1 e 5)

Turcos atacam governo após mortes em mina (Págs. 1 e 16)

Sem Dilma, Campos e Aécio aproveitam palanque da Marcha dos Prefeitos

Os dois principais presidenciáveis da oposição, Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB), aproveitaram a ausência da presidente Dilma Rousseff na XVII Marcha a Brasília em defesa dos Municípios para prometer ao prefeitos políticas públicas municipalistas e atacar o governo federal, acusando-o de centralizador. “Um país complexo como o Brasil não pode ser governado de maneira unitária e centralizadora”, disse Aécio. “A história nos mostra que os recursos públicos só ficaram concentrados em Brasília nos momentos em que o país viveu períodos de exceção”, afirmou Campos.

Muito aplaudidos pelos 3 mil prefeitos presentes no evento, tanto o tucano quanto o socialista criticaram a ausência de Dilma no evento. “O problema do país não são os brasileiros, e sim esse governo, que age sem compromisso com o crescimento e sem responsabilidade”, criticou Aécio. “Eu estou aqui em sinal de respeito ao povo que elegeu vocês, em respeito à vontade popular que os conduziu ao cargo para cuidar das necessidades de suas cidades”, disse o presidenciável do PSB. (Págs. 1 e 2)

Mantega assume posto de cabo eleitoral e confronta dados econômicos

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, partiu para o ataque e, em meio à queda da popularidade de Dilma Rousseff nas pesquisas, aderiu ao vale-tudo eleitoral. Um dia após ir ao ar programa partidário do PT na tevê invocando “fantasmas do passado” e pedindo para a população não dar ouvidos a “falsas promessas” da oposição, ele abandonou o costumeiro tom ameno e criticou duramente os resultados econômicos de oito anos de governo Fernando Henrique Cardoso (1995-2002).

Em audiência pública na Câmara, Mantega apresentou a gestão petista como a mais bem-sucedida no controle da inflação, superando inclusive a do PSDB, que deu continuidade ao Plano Real, lançado por FHC há 20 anos. “Não há governo que conseguiu controlar a inflação como o nosso, e sem âncora cambial”, afirmou o ministro a parlamentares.

————————————————————————————

Zero Hora

Manchete: MP vai denunciar pai de Bernardo

Ministério Público deve reafirmar convicção da Polícia Civil de que o médico tramou morte do menino, com madrasta e amiga. (Págs. 1 e Notícias 12 e 13)

R$ 30 bi para dar um alento à indústria

BNDES terá mais recursos para o setor no segundo semestre, o que deve beneficiar empresas do RS. (Págs. 1 e Notícias 6 e 7)

CPI da Petrobras investiga adversário da presidente

Dominada por governistas, comissão inclui obras de Eduardo Campos em Pernambuco entre os alvos dos trabalhos abertos ontem. (Págs. 1 e Notícias 8)

————————————————————————————

Brasil Econômico

Manchete: Aporte no BNDES supera demanda da indústria

O setor de máquinas e equipamentos, termômetro da atividade produtiva, afirma que os R$ 30 bilhões repassados pelo Tesouro ao banco superam a disposição de investir do empresário no cenário atual. No primeiro trimestre, o faturamento caiu 5% em comparação a igual período de 2013. O investimento está condicionado ao resultado das eleições, ao desempenho da economia e à solução para o setor elétrico. Luciano Coutinho, presidente do BNDES, admite que os recursos são suficientes para o ano. (Págs. 1 e 4)

Guido Mantega: Questão da energia não é falta, é preço

Em audiência pública na Câmara, o ministro da Fazenda garantiu que não faltará eletricidade e negou que o governo esteja represando preços para conter a inflação. Ele disse ainda que foi contra a compra da segunda parte de Pasadena. (Págs. 1 e 5)

Corrupção na visão inglesa

O ministro da Justiça do Reino Unido, Chris Grayling, acredita que a lei anticorrupção brasileira foi um excelente passo e abre caminho para a entrada de empresas globais. Em entrevista ao Brasil Econômico, ele fala ainda de combate às drogas e maioridade penal, que lá é a partir dos 10 anos. (Págs. 1, 10 e 11)

Imóveis: Venda sobe, mas está longe de 2013

As negociações em São Paulo subiram 78% de fevereiro para março. Mas, em relação a março do ano passado, a queda é de 50%. (Págs. 1 e 8)

Ações: Investidor estrangeiro sustenta Bolsa

No saldo de negociações na Bovespa em maio, o grupo de não residentes foi o único que comprou mais ações do que vendeu. (Págs. 1, 20 e 21)

Nadja Sampaio: A diabólica mistura de ano de eleição com o de Copa do Mundo (Págs. 1 e 15)

Octávio Costa: Quem tem medo de quem na campanha para presidente? (Págs. 1 e 32)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete: Mantega nega uso de tarifas para controlar inflação

Ministro rebate fala de Mercadante; rivais de Dilma na eleição presidencial criticam modelo econômico do governo.

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, negou ontem que o governo controle preços de combustíveis e tarifas de energia elétrica para segurar a inflação, contradizendo declaração do ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, e acirrando o debate eleitoral sobre a política econômica do governo Dilma Rousseff.

Em entrevista à Folha publicada nesta quarta (14), Mercadante admitiu que o governo tem controlado as tarifas para evitar o impacto que elas teriam na inflação. Críticos da política econômica dizem que esse modelo aumenta os riscos que o próximo governo terá que administrar.

O Planalto tem enfrentado dificuldades para manter a inflação dentro do limite máximo definido pela meta oficial, de 6,5% ao ano, apesar de seguidos aumentos nas taxas de juros pelo Banco Central e mesmo com a atividade econômica em marcha lenta. (Págs. 1 e Poder A4)

Usuários de droga rejeitam ‘cercadinho’ da Prefeitura de SP

Usuários de droga da cracolândia retiraram o “cercadinho” instalado pela Prefeitura de São Paulo. Eles entraram na área para liberar a rua para limpeza e depois retiraram a grade. “Não somos animais para ficar dentro de cerca”, disse um usuário.

0 prefeito Fernando Haddad (PT) disse que as pessoas têm o direito de transitar. “Quando verificarem que é para melhor, vão acolher a sugestão.” (Págs. 1 e Cotidiano C4)

CPI da Petrobras poupa Dilma e coloca o foco na oposição

O TCU (Tribunal de Contas da União) aprovou nesta quarta-feira (14) uma medida que amplia as investigações sobre aquisições e vendas de ativos da Petrobras.

A medida foi aprovada após a votação de um pedido do Congresso Nacional para que fossem investigadas as aquisições, pela estatal, de usinas de biocombustível no Rio Grande do Sul.

Segundo denúncia da Comissão de Agricultura da Câmara, a Petrobras teria pago cerca de 300% a mais que o valor real da usina –que havia sido vendida menos de dois meses antes. (Págs. 1 e Poder A6)

Análise: Gustavo Patu: É visível a mão do governo na contenção da alta dos preços

Guido Mantega talvez não fosse o nome mais indicado para negar a política de controle de tarifas públicas. Foi o próprio ministro da Fazenda quem, no ano passado, pediu ao governador de São Paulo e ao prefeito do Rio que adiassem os reajustes das passagens de transportes. É visível a mão do governo na inflação. Em 2013, os preços administrados subiram 1,5%; os demais, 7,3%. (Págs. 1 e Poder A4)

Sobrevivente: Com 11 m, a última coluna tirada das ruínas do WTC é exposta com mensagens de familiares no museu do 11 de Setembro, que será aberto no dia 21 em Nova York. (Págs. 1 e Mundo A18)

Para Planalto, protestos hoje serão baliza para a Copa

Sem-teto, grupos contrários à realização da Copa e outros movimentos sociais prometem fazer nesta quinta-feira (15) protestos simultâneos em pelo menos 50 grandes cidades do país.

As manifestações terão objetivos diversos, mas têm como ponto em comum a crítica, direta ou indireta, aos gastos públicos para a realização do Mundial no Brasil.

Será, por essa razão, um termômetro do que poderá acontecer durante a competição, avaliam autoridades de segurança do governo federal e especialistas que acompanharam de perto os protestos do ano passado. (Págs. 1 e Poder A10)

Paula Cesarino Costa: Jogo começa hoje, mas vencedores só serão conhecidos em outubro. (Págs. 1 e Opinião A2)

Ex-secretário de Covas diz que não recebeu da Alstom

Secretário da Casa Civil no governo Mário Covas (PSDB), o conselheiro Robson Marinho usou a sessão do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo para atacar a Promotoria e negar que tenha recebido US$ 2,7 milhões (R$ 6 milhões hoje) da Alstom, como apontou tribunal da Suíça. (Págs. 1 e Poder A9)

Procuradoria vai buscar US$ 53 mi atribuídos a Maluf

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Ricardo Lewandowski acatou um pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e autorizou o Ministério Público a buscar US$ 53 milhões (R$ 117 milhões) que estão bloqueados em contas no exterior e que teriam sido desviados por Paulo Maluf (PP-SP) em sua gestão na Prefeitura de São Paulo (1992-1996).

Na decisão, Lewandowski também autoriza o Ministério Público a iniciar procedimentos para tentar tirar da jurisdição da França, Jersey, Luxemburgo e Suíça os processos criminais que correm contra Maluf nesses países.

Para Janot, é preciso que os processos sejam julgados pelo STF, que poderá usar as provas contidas nos autos para esclarecer ações que já tramitam no Brasil. (Págs. 1 e Poder A8)

Editoriais: Leia “Protestos legais”, acerca de respeito à Constituição em manifestações, e “Atrás da curva”, sobre processo de isolamento do país no comércio global. (Págs. 1 e Opinião A2)

Para voltar a receber salário, Vargas reassume seu mandato na Câmara

Suspeito de ter ligações com o doleiro Alberto Youssef, o deputado federal André Vargas (sem partido-PR) reassumiu nesta quarta (14) seu mandato na Câmara, após uma licença de um mês.

A decisão de Vargas, antecipada pela Folha há duas semanas, havia sido submetida a técnicos da Casa –o deputado deixou o PT após seu envolvimento com o doleiro, pivô da Operação Lava Jato da Polícia Federal, vir à tona.

A Folha apurou que Vargas disse a aliados que um dos principais motivos que o levou a reassumir o mandato foi a necessidade de voltar a receber salário –ele se licenciou em 7 de abril.

O salário do parlamentar é de R$ 26.723,13, além de benefícios. Ele também não recebeu a verba indenizatória paga aos congressistas e teve que exonerar todos os servidores do seu gabinete.

Com PM em greve, Força Nacional vai atuar em PE

Após os policiais militares decidirem continuar em greve e com o registro de saques diante da lacuna de policiamento, integrantes da Força Nacional de Segurança e do Exército devem chegar a Pernambuco nesta quinta (15).

O anúncio foi feito pelo governador João Lyra Neto (PSB-PE) à noite. Ele disse ter conversado por telefone com a presidente Dilma Rousseff sobre a situação e que, por questões de segurança, não seria possível informar o efetivo que atuará no Estado.

O ministro José Eduardo Cardozo (Justiça) deve chegar no fim da manhã para acompanhar os trabalhos.

PM suspenderá operações em favelas no Rio

A partir da semana que vem, a PM do Rio interromperá todas as operações em morros e favelas da cidade. A medida vai até a final da Copa, em 13 de julho, e vale para batalhões convencionais e para unidades especiais como o Bope (Batalhão de Operações Especiais).

Com essa espécie de “trégua” não declarada, a PM carioca tenta reduzir os confrontos e minimizar a sensação de insegurança nas ruas da cidade, que vem sendo noticiada com ênfase pela imprensa internacional.

EBC – congressoemfoco

Edição: Equipe Fenatracoop

Portal Cambé, site de informações e serviços de Cambé – PR.

Responda

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.