Envolvimento com Mundial é baixo, aponta Ibope – À medida que a Copa foi se aproximando, o envolvimento foi diminuindo,  informa José Roberto de Toledo. Ao Ibope, 39% dos brasileiros disseram que se fosse possível medir em graus seu envolvimento, a temperatura estaria entre “fria” e “gelada”. Só 30% disseram que estaria entre “quente” e “fervendo”. O restante está “morno”…

Executivos gastam tempo no trabalho com tarefas inúteis – Pesquisa realizada pela consultora Betania Tanure com 528 profissionais de alto escalão no país mostra que mais da metade considera que até 30% de seu expediente é gasto com atividades improdutivas, tempo que, somado, representa cerca de um dia por semana jogado fora…

Cuidado, seu rosto pode estar nos arquivos dos EUA – Novas denúncias feitas por Edward Snowden, o ex-analista da Agência de Segurança Nacional (NSA), revelam que o organismo tem coletado diariamente milhões de imagens de rostos, sob o pretexto de rastrear suspeitos de terrorismo…

Para ministro, elo entre ‘blocs’ e PCC é ‘inadmissível – O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, considera “inadmissível” a união entre os black blocs e o PCC para transformar a Copa em um caos e o governo não tolerará abusos. A associação foi citada pelos manifestantes em reportagem publicada pelo Estado. O Exército vai ajudar no policiamento de SP durante o Mundial…

FOLHA DE S.PAULO

Na USP, 6 em cada 10 alunos poderiam pagar mensalidade

Seis em cada dez alunos da graduação da USP têm condição econômica para pagar mensalidade, segundo critérios do Prouni (programa federal de bolsas em faculdades privadas). A arrecadação anual da maior universidade pública do país poderia aumentar R$ 1,8 bilhão, caso fosse adotado um modelo que combinasse cobrança na graduação e pós-graduação e concessão de bolsas para estudantes da graduação.

O cálculo leva em conta uma mensalidade próxima ao valor médio cobrado pela PUC-Rio (R$ 2.600), melhor instituição superior privada do país segundo o RUF (Ranking Universitário Folha).

O valor potencial arrecadado representa 44% do subsídio de R$ 4,1 bilhões recebido pela USP em 2013 do governo estadual –que é a principal fonte orçamentária da USP.

A legislação estabelece que 5% do ICMS do Estado seja transferido à universidade.

A Folha analisou diferentes cenários hipotéticos de financiamento para a USP, que enfrenta uma de suas maiores crises orçamentárias.

Os problemas financeiros forçaram a universidade a usar R$ 1,3 bilhão dos R$ 3,6 bilhões de sua poupança, principalmente devido aos seguidos reajustes salariais.

Senadores ameaçam vetar embaixador do Brasil na Bolívia

A Comissão de Relações Exteriores do Senado não vai aprovar um novo embaixador brasileiro na Bolívia enquanto o Itamaraty não enviar aos parlamentares os documentos referentes ao caso do senador Roger Pinto, disse à Folha o senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP).

A embaixada é tocada por um encarregado de negócios desde a saída do embaixador Marcel Biato, em 2013, após a fuga para o Brasil do senador boliviano. A indicação do novo embaixador tem de passar pelo Senado brasileiro.

Em agosto de 2013, o diplomata Eduardo Saboia, então encarregado de negócios em La Paz, retirou o senador que estava asilado na embaixada havia 453 dias e o levou em um carro oficial até Corumbá (MS), desencadeando uma crise diplomática.

Snowden confirma que enviou pedido de asilo ao país

O ex-prestador de serviços da NSA (Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos) Edward Snowden afirmou neste domingo (2) que adoraria morar no Brasil e confirmou que fez um pedido de asilo ao país.

Em entrevista ao programa “Fantástico”, da Rede Globo, o delator do esquema de espionagem dos Estados Unidos disse que a solicitação foi feita no período em que ficou retido no aeroporto de Sheremetyevo, em Moscou.

“Eu adoraria morar no Brasil. Se o país oferecesse o asilo, eu aceitaria. De fato, já pedi asilo ao Brasil, quando estava no aeroporto.”

Informado de que o país havia negado seu pedido, ele se disse surpreso. “Talvez eu não tenha cumprido algum procedimento a ser seguido.”

Depoimento do ex-diretor da Petrobras divide CPI

Uma nova Comissão Parlamentar de Inquérito criada para investigar os negócios da Petrobras começará a trabalhar nesta segunda (2) em meio a divergências entre aliados do governo e a oposição sobre o momento mais adequado para chamar o ex-diretor da estatal Paulo Roberto Costa para depor à CPI.

Um dos alvos de uma operação desencadeada pela Polícia Federal para investigar um bilionário esquema de lavagem de dinheiro que movimentou recursos de construtoras e fornecedores da Petrobras, Costa é visto na oposição como alguém que poderia fazer revelações embaraçosas para o governo na CPI.

Mas ele frustrou a oposição em sua primeira entrevista após ser solto, publicada pela Folha neste domingo. O ex-diretor de abastecimento e refino da Petrobras negou irregularidades nos negócios da estatal e afirmou que não houve superfaturamento na construção da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, a maior obra da Petrobras.

Costa também disse que tinha boas relações com a presidente Dilma Rousseff (PT), que presidiu o conselho de administração da Petrobras no governo do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva e agora concorre à reeleição.

Costa foi preso pela Polícia Federal em março e foi solto após 59 dias por ordem do Supremo Tribunal Federal. A PF suspeita que ele se associou a um esquema criado pelo doleiro Alberto Youssef para recolher propina de empresas interessadas em negócios com a Petrobras e distribuir parte do dinheiro a políticos.

Aproximação da Fiesp com militares estimulou negócios

Um conjunto de documentos dos anos 70 arquivados na ESG (Escola Superior de Guerra) mostra que a união dos empresários paulistas com os militares nos preparativos do golpe de 1964 ajudou a estimular negócios para as empresas nos anos seguintes.

A conclusão surge da leitura das transcrições de palestras que os próprios industriais ministraram na ESG entre 1970 e 1976, material obtido pela Folha na instituição.

Tudo começou poucos dias após o golpe, quando a Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) criou um órgão de apoio aos militares em seu próprio interior.

A iniciativa era de industriais que diziam ter ajudado com dinheiro e equipamentos na derrubada do governo João Goulart, ação que resultou em 21 anos de ditadura.

Subordinado à presidência da Fiesp, o órgão foi batizado de GPMI (Grupo Permanente de Mobilização Industrial). Seu objetivo era converter a indústria paulista em fornecedora de material bélico, caso grupos de esquerda reagissem contra o golpe e deflagrassem uma guerra civil.

Numa apresentação feita em 1972, o então presidente da Fiesp, Thobaldo De Nigris, explicou que cabia ao GPMI planejar a “implantação do maior número de fábricas capazes de, no menor prazo industrialmente possível, produzirem os artigos de que necessitará o país na hipótese de uma mobilização geral”.

O GLOBO

Dilma diz que obras são para a população e não para a Copa

Diante de manifestantes e militantes petistas, a presidente Dilma Rousseff disse que as grandes obras de infraestrutura inauguradas no período da Copa do Mundo não são apenas para o evento, mas para toda a população. As declarações foram feitas durante a inauguração da Estação Madureira do BRT Transcarioca, corredor expresso de ônibus que liga o Aeroporto Internacional Antônio Carlos Tom Jobim (Galeão) à Barra da Tijuca, Zona Oeste.

Cidades-sede da Copa vivem epidemia de homicídios

Das 12 capitais brasileiras que sediarão os jogos da Copa do Mundo, sete tiveram aumento dos assassinatos na última década. O quadro é apontado por cálculo feito com exclusividade para O GLOBO a partir dos dados de taxa de homicídio do Mapa da Violência 2014, lançado semana passada. Mesmo entre as outras cinco cidades-sede que tiveram redução no percentual de homicídios por cem mil habitantes, houve crescimento de outros tipos de crime, como roubo ou estupro, segundo outro levantamento feito também a pedido do GLOBO, este pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

O cenário desafia o esquema montado para a Copa — cujo plano nacional de segurança, até um mês antes do início do Mundial, tinha menos de 12% pagos do total previsto para as cidades, segundo a Secretaria de Grandes Eventos. E não se trata apenas de problemas potenciais de segurança nas áreas centrais de cada cidade-sede. As periferias dessas capitais e suas regiões metropolitanas correm o risco de ver aumento da criminalidade, segundo pesquisadores da área, já que o policiamento estará concentrado nas regiões turísticas e nos locais onde público e participantes da Copa estarão.

Renan Filho venceria no primeiro turno em Alagoas, segundo Ibope

Na disputa pelo governo ele tem 35% das intenções de voto, de acordo com pesquisa

Uma pesquisa de intenção de voto divulgada pelo Ibope revela que o pré-candidato da Frente de Oposição para o governo de Alagoas, Renan Filho (PMDB), venceria a disputa no primeiro turno. Na pesquisa estimulada, ele aparece liderando a disputa com 35% das intenções de voto, mais que a soma das intenções de voto dos outros candidatos.

Em segundo lugar, com 25% está Benedito de Lira (PP). Eduardo Tavares (PSDB) aparece em terceiro, com 4%. Depois vem Mário Agra (PSOL), em quarto lugar, com 2%. Branco e nulos somam 22% e indecisos ou não responderam somam 12%.

O ESTADO DE S.PAULO

Crack avança e atinge 30% dos municípios de São Paulo

Cidades pequenas e sossegadas relatam ‘alto índice de preocupação’ com a droga

Para ministro, elo entre ‘blocs’ e PCC é ‘inadmissível

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, considera “inadmissível” a união entre os black blocs e o PCC para transformar a Copa em um caos e o governo não tolerará abusos. A associação foi citada pelos manifestantes em reportagem publicada pelo Estado. O Exército vai ajudar no policiamento de SP durante o Mundial.

Envolvimento com Mundial é baixo, aponta Ibope

À medida que a Copa foi se aproximando, o envolvimento foi diminuindo,  informa José Roberto de Toledo. Ao Ibope, 39% dos brasileiros disseram que se fosse possível medir em graus seu envolvimento, a temperatura estaria entre “fria” e “gelada”. Só 30% disseram que estaria entre “quente” e “fervendo”. O restante está “morno”.

Dilma: aeroportos são ‘grande rodoviária’

A presidente Dilma Rousseff disse que aeroportos são “uma grande rodoviária” e que o avião deixou de ser transporte da elite.

Carvalho critica oposição a conselhos

Ministro Gilberto Carvalho afirmou ser “hipócrita” tentativa opositora de vetar decreto que criou conselhos de participação social.

VALOR ECONÔMICO

Banco do Brasil torna-se gestor de obras públicas

O Banco do Brasil se tornou o embrião da agência de gestão pública sonhada pela presidente Dilma Rousseff para destravar a burocracia na administração de obras de infraestrutura.

Dilma quer dobro de tempo de adversários na TV

Para presidente, isso é o mínimo necessário para o que chama de a “grande prestação de contas” de seu governo. A presidente Dilma Rousseff estabeleceu uma prioridade e uma meta para junho: no mês em que a grande maioria do país estará ocupada com a Copa do Mundo, ela estará empenhada em assegurar pelo menos o dobro do tempo de rádio e televisão de seus adversários para a campanha presidencial de outubro.

Presidente inaugura obras no Rio sob forte esquema de segurança

Um forte esquema de segurança, com ruas fechadas, acesso limitado aos moradores e presença do exército marcou ontem a visita da presidente Dilma Roussef ao Rio de Janeiro. A agenda começou no Aeroporto Internacional Tom Jobim, onde inaugurou as obras de ampliação do Terminal 2, passou por vários bairros da Zona Norte e pelos Complexos da Penha e do Alemão – todos cortados pelo novo corredor expresso de ônibus BRT Transcarioca -, e terminou em Manguinhos, onde entregou 564 unidades do Minha Casa, Minha Vida em uma região próxima às comunidades do Jacaré e Jacarezinho. Apesar do impacto social das iniciativas, as cerimônias tiveram acesso controlado, como tem ocorrido em todas as visitas recentes da presidente ao Estado.

Lula defende atual política econômica

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu em longa entrevista à revista “Carta Capital” a política econômica da presidente Dilma Rousseff e disse que o governo tem de garantir “o aumento da poupança interna, mais investimento do Estado, mais junção entre empresa privada e pública, mais capital externo para investir no setor produtivo”, em vez de seguir fórmulas para controlar a inflação e fazer o país crescer que, segundo avaliou, não deram certo anteriormente, tais como “um pouco de desemprego, arrocho no salário mínimo”.

O presidencialismo de coalizão

A única alternativa para o tão criticado presidencialismo de coalizão é o bipartidarismo. Mas será que o queremos?

Planalto teme efeito-cascata de quinquênio da magistratura

Diferentes entidades de carreiras de Estado já cobram de senadores “tratamento isonômico” a propostas que também reivindicam adicional por tempo de serviço.

Esquema teve fluxo milionário de cheques

Fachada movimentou R$ 184 milhões em cheques a mando de Éder Moraes, diz PF. Mais de R$ 184 milhões foram movimentados em menos de três meses em duas contas correntes de uma das principais factorings investigadas pela operação Ararath da Polícia Federal (PF) – que apura esquema de lavagem de dinheiro, peculato e corrupção com fins político-partidários envolvendo os Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário no Estado do Mato Grosso, segundo o inquérito.

Prefeitos do PMDB de Goiás pressionam Junior Friboi

Prefeitos do PMDB em Goiás se mobilizaram para convencer o empresário José Batista Júnior, conhecido como Júnior Friboi, a voltar a ser o pré-candidato a governador pelo partido.

Produção da Petrobras não atinge metas

A Petrobras produziu em abril 441 mil barris a menos do que previa para 2011, antes de contar com o pré-sal. A estatal anunciou que atingiu no dia 11 de maio o recorde de 470 mil barris diários no pré-sal, mas está sendo difícil aumentar a produção nos volumes prometidos alguns anos atrás

Muda perfil dos protestos deste ano

Um ano depois das mobilizações de junho de 2013, mudou o perfil dos protestos em São Paulo e no Rio, principais palcos dos protestos. Em São Paulo, o MTST assumiu o protagonismo das grandes mobilizações. No Rio, os movimentos mais recentes têm pouca relação com os do ano passado

Ação preventiva corta custo de planos de saúde

Ao contrário de empresas que a cada ano pagam mais pelo plano de saúde de seus funcionários, a GE Brasil conseguiu reduzir em R$ 1 milhão o custo anual do convênio médico. Para isso, investe R$ 378 mil por ano em ações de prevenção de doenças e incentivo a hábitos de vida saudáveis

Dinheiro em pé

O empresário Ricardo Steinmetz Vilela tem, oito anos após importar as primeiras sementes de cedro australiano, um viveiro com 60 mil matrizes em sua fazenda em Campo Belo, no sul de Minas

Executivos gastam tempo no trabalho com tarefas inúteis

Pesquisa realizada pela consultora Betania Tanure com 528 profissionais de alto escalão no país mostra que mais da metade considera que até 30% de seu expediente é gasto com atividades improdutivas, tempo que, somado, representa cerca de um dia por semana jogado fora

Exportação volta a perder rentabilidade

A valorização mais recente do real frente ao dólar resultou em queda na rentabilidade das exportações. Com ganho de margem desde novembro, o exportador viu a situação mudar em abril, quando a rentabilidade caiu 0,9% na comparação com o mesmo mês de 2013.

CORREIO BRAZILIENSE

Protesto – Pressão popular

Manifestantes aproveitam a presença da presidente na cidade para criticar contra os gastos do governo para a realização do Mundial do futebol. Em clima de campanha, Dilma afaga o PMDB fluminense

Torcida partidária

Ao lado dos petistas, o PMDB, o PCdoB e o PP integram o grupo de legendas interessadas no bom andamento do Mundial e na conclusão das obras relacionadas ao megaevento esportivo para colher frutos eleitorais em outubro

A Copa do Mundo no Brasil, que começará daqui a 10 dias, com a partida entre Brasil e Croácia, não interfere apenas no PT, partido da presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição em outubro. Pelo menos outras três legendas têm interesse no êxito do Mundial, já que ocupam postos no governo federal que têm relação direta com os jogos no Brasil: o PCdoB (Ministério do Esporte); o PP (Ministério das Cidades) e o PMDB (Ministério do Turismo e Secretaria de Aviação Civil).

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo (PCdoB), chegou a cogitar deixar a pasta para candidatar-se a um novo mandato de deputado federal em outubro, mas acabou convencido pela presidente Dilma Rousseff a permanecer no cargo e conduzir os trabalhos da Copa. O partido comanda o Esporte desde 2003, ainda durante o primeiro mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em 2007, sob a gestão de Orlando Silva, o Brasil descobriu que sediaria o Mundial. Agora, corre contra o tempo para dar tudo certo.

Relator define ritmo de trabalho

O relator da CPMI da Petrobras, deputado Marco Maia (PT-RS), apresenta hoje o cronograma de trabalho da comissão da semana que deve ser, pelos planos da base governista, a única de trabalho ao longo das próximas quatro. Até a próxima sexta-feira, o Senado funcionará em ritmo de esforço concentrado para tentar votar o maior número de projetos possíveis. A partir do dia 9, as atenções dos parlamentares estarão voltadas para a Copa do Mundo, as convenções partidárias e as eleições .

A oposição tenta aprovar um cronograma mínimo de trabalho para evitar a paralisia dos trabalhos durante o recesso. “Teremos um esforço concentrado do Senado. Por que não adotar o mesmo ritmo de trabalho na CPI?”, defendeu o líder do DEM, senador José Agripino Maia (RN). Mas a tarefa não será tão fácil. Metade da comissão é composta por deputados, que serão obrigados a renovar os mandatos ou a buscar outros cargos eletivos em outubro. O problema afeta, de uma maneira ou de outra, a própria cúpula da CPI. O relator quer reeleger-se para mais quatro anos na Câmara. O vice-presidente, senador Gim Argello (PTB-DF), também precisa fazer campanha, já que seu mandato encerra-se nesta legislatura. E o presidente, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), está empenhado na eleição do irmão, Veneziano Vital do Rêgo, ao governo da Paraíba.

Maia desconversa e acha possível que as sessões da CPMI ocorram mesmo durante os jogos da Copa do Mundo. “Eu mesmo já fui relator da CPI do caos aéreo durante o recesso parlamentar e não interrompemos os trabalhos. Mas eu me recuso a realizar oitivas nos dias de jogos do Brasil”, admitiu. A seleção brasileira estreará em 12 de junho, em São Paulo, contra a Croácia. Na terça-feira, dia 10, o PMDB, de Vital do Rêgo, realizará a convenção nacional em Brasília para ratificar a aliança nacional com a presidente Dilma Rousseff. No sábado, 14, é a vez de o PSDB lançar a candidatura presidencial de Aécio Neves, tarefa que deve mobilizar o tucanato ao longo de toda a semana.

Morre criança que precisava de canabidiol

O menino Gustavo, de 1 ano e 4 meses, morreu na madrugada de ontem, em Brasília, vítima da Síndrome de Dravet — doença rara que provoca crises epilépticas. Ele estava internado no Hospital Santa Helena, na Asa Norte, mas não resistiu às complicações decorrentes de uma série de convulsões. A mãe dele, Camila Guedes, veio com a criança até Brasília para defender ao lado de outros pais de portadores da síndrome a liberação do uso do canabidiol (CBD), substância derivada da maconha que é apontada como terapêutica para o tratamento desses casos. O enterro vai ser em Fortaleza, onde morava o garoto. “Ele foi internado na quinta, pois estava tendo convulsões. É uma síndrome degenerativa em que a maioria das crianças morre antes dos 6 anos”, disse André Queiroz, tio de Gustavo.

A família de Gustavo havia sido a primeira do país a obter autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para importar o canabidiol. O produto, no entanto, teria ficado retido por 40 dias na alfândega, o que impediu o menino de iniciar o tratamento há mais tempo, conforme a paisagista Katiele Fischer, mãe da menina Anny, de 5 anos, que, em abril, obteve liminar para tratar a filha que sofre de problemas semelhantes.

Cuidado, seu rosto pode estar nos arquivos dos EUA

Novas denúncias feitas por Edward Snowden, o ex-analista da Agência de Segurança Nacional (NSA), revelam que o organismo tem coletado diariamente milhões de imagens de rostos, sob o pretexto de rastrear suspeitos de terrorismo. Segundo reportagem publicada pelo jornal The New York Times — que teve acesso a documentos divulgados por Snowden —, a NSA intensificou a utilização de tecnologias de reconhecimento facial nos últimos quatro anos, após dois atentados frustrados nos Estados Unidos. O dossiê secreto, datado de 2011, garante que os programas de computador empregados “têm um enorme potencial inexplorado”. Três softwares estariam sendo usados na espionagem: o Tundra Freeze, o Wellspring e o Pisces (veja o quadro).

Pelo menos 55 mil “imagens de qualidade para reconhecimento facial” também são capturadas e armazenadas no banco de dados da agência, que explora e-mails, mensagens em SMS, mídias sociais e videoconferências, em busca de fotos de rostos. Até então, acreditava-se que o escopo de vigilância eletrônica se limitasse às comunicações oral e escrita. “É uma abordagem de um completo arsenal que explora digitalmente as pistas deixadas por um alvo em suas atividades regulares na internet, a fim de compilar informações biográficas e biométricas”, atesta outro documento escrito em 2010.

CONGRESSOEMFOCO

Edição: Equipe Fenatracoop

Portal Cambé, site de informações e serviços de Cambé – PR.

Responda

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.