Levy critica gestão econômica e acena com alta de tributos

Novo ministro da Fazenda ataca desonerações tributárias.  A equipe do novo ministro tem ex-integrantes do grupo de Antonio Palocci. Jorge Rachid voltará a comandar a Receita Federal e Tarcísio Godoy será o número dois da Fazenda. Empresários, industriais e banqueiros estiveram na posse. Eles disseram que Levy traz confiança e segurança à economia num cenário que promete turbulência…

O Globo

Manchete : Levy anuncia reequilíbrio fiscal e ‘ajuste de impostos’

Núcleo da Fazenda era ligado a Palocci
Ministro elogia austeridade pré-Real
Economistas veem time técnico e coeso

Em seu discurso de posse, o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, mostrou que a condução da economia no segundo mandato de Dilma será mais parecida com a do período em que Antonio Palocci era o titular da pasta, no primeiro governo Lula. Levy falou pela primeira vez em “ajuste em alguns tributos”, prometeu cortar gastos e fortalecer a Lei de Responsabilidade Fiscal, para que os “benefícios sociais se tornem melhores”. Também elogiou o equilíbrio fiscal adotado antes do Plano Real. A uma plateia de empresários e economistas, anunciou: “O reequilíbrio fiscal já começou.” Numa crítica à equipe anterior , defendeu o fim da concessão de crédito subsidiado farto e afirmou que não haverá adiamento de repasses a bancos públicos para pagar benefícios sociais. Com Levy, Jorge Rachid volta a chefiar a Receita. Tarcísio Godoy será secretário executivo da Fazenda, e Marcelo Saintive comandará o Tesouro. Os três, como Levy, eram ligados a Palocci. (Págs. 15 e 16)

 

Na balança comercial, 1º rombo em 14 anos

Com a queda de preços de minério de ferro e soja e a desaceleração mundial, a balança comercial teve déficit de US$ 3,93 bilhões em 2014, primeiro resultado negativo em 14 anos. O novo ministro do Desenvolvimento já prevê medidas para estimular exportações. (Pág. 17)

Pezão ordena economia de R$ 1,5 bilhão

O governador Luiz Fernando Pezão anunciou ontem, durante a posse de seu Secretariado, no Palácio Guanabara, que fará cortes de R$ 1,5 bilhão em despesas de custeio e pessoal este ano. Segundo ele, haverá redução de 25% a 35% em gastos com telefonia, transporte, alimentação e serviços terceirizados, além de gratificações especiais e cargos comissionados. Pezão disse que até mesmo Segurança, Saúde e Educação terão de renegociar contratos. (Pág. 7)

Ao menos 14 estados farão cortes

Nos primeiros dias após a posse, pelo menos 14 governadores já anunciaram cortes para enxugar despesas. As iniciativas afetarão servidores, em especial os de cargo comissionado. Parte deles será demitida em estados como Espírito Santo, São Paulo, Pernambuco, Mato Grosso, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. As novas gestões estão auditando contratos, suspendendo licitações e proibindo até gastos com papel. (Pág. 3)

Petróleo desaba e já é ameaça ao pré-sal

O barril do petróleo fechou cotado a US$ 50 em Nova York e a US$ 53 em Londres, menor valor em seis anos, acendendo uma luz amarela nos investimentos da Petrobras e de seus parceiros. O preço está muito perto do mínimo necessário para a viabilidade da exploração do pré-sal. As ações da Petrobras recuaram mais de 8% ontem na Bovespa. Nos dois dias úteis de 2015, a queda atinge 14%. (Pág. 17)

Planalto escolheu parceiros chineses

Embora a Petrobras diga que não controlava a empresa criada para construir gasoduto, o então presidente Lula admitiu em 2010 que o próprio Planalto decidiu pela parceria com os chineses e que a escolha teve motivações ideológicas. (Pág. 5)

TSE acaba com sigilo de partidos

Os partidos políticos, por determinação do TSE, terão que abrir três contas bancárias. E os bancos deverão repassar os extratos dessas contas mensalmente à Justiça Eleitoral. (Pág. 4)

PF investigará máfia de próteses

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, determinou que a PF investigue denúncias, feitas pelo “Fantástico” , de fraude no comércio de próteses em hospitais públicos e particulares do país. (Pág. 4)

Contra hepatite C

A Anvisa aprovou o daclatasvir , potente droga contra hepatite C. O SUS o distribuirá. (Pág. 20)

Panorama Político

Fato ou factoide

O corte de gastos e o ajuste fiscal deram o tom nas posses de Dilma, Alckmin (SP), Pimentel (MG) e Pezão (RJ). Os intérpretes do mercado entoaram cantos de responsabilidade (de uns) e de autocrítica (de outros). Mas o clima é de ceticismo entre cientistas políticos. Para eles, não há nada de novo sob o sol. Um deles resumiu: “É o ciclo típico de segurar no início e gastar no final” (na próxima eleição). (Pág. 2)

Merval Pereira

DILMA E A QUEDA DE BRAÇO

Ao desautorizar o ministro do Planejamento, presidente mostra não estar disposta a ceder. (Pág. 4)

Míriam Leitão

AS LIGAÇÕES DE LEVY

Ministro liga PT à escola de Chicago. Une FH, Lula e Dilma, junta equilíbrio fiscal a desenvolvimento. (Pág. 16)

Editoriais

ANP é parte do escândalo do gasoduto

No caso de um projeto bilionário tocado pela Petrobras como se fosse privado, e tendo um laranja de diretor, há dois aparelhamentos, da estatal e da agência reguladora. (Pág. 12)

Estado do Rio tem de considerar queda do petróleo

A situação atual do mercado de petróleo afeta as finanças estaduais e de municípios fluminenses, pelo encolhimento da receita de royalties e da arrecadação de ICMS. (Pág. 12)

————————————————————————————

Zero Hora

Manchete : O aperto começou

“Possíveis ajustes em alguns tributos serão também considerados, especialmente aqueles que tendam a aumentar a poupança doméstica.”

Joaquim Levy
Ministro da Fazenda

(Notícias| 16 e 19)

Decreto de Sartori – 4 mil vagas sem definição

Medida do Piratini congelou nomeação de aprovados em concursos. (Notícias | 8 e 9)

Decisão do TSE – Partidos terão de abrir contas

Movimentação bancária deverá ser comunicada todos os meses à Justiça. (Notícias | 11)

Máfia das próteses – Governo promete coibir fraude

PF e Receita devem averiguar cobrança ilegal de comissões. (Notícias | 10 e 14)

Extintores ABC – Denatran adia fiscalização

Multa a quem não tiver equipamento é suspensa por 90 dias (Sua Vida | 26)

————————————————————————————

Brasil Econômico

Manchete : Prefeituras cobram R$ 1 bi da Vale por royalties atrasados

A queda de 40% na arrecadação em 2014 levou os municípios produtores de minério de ferro a pressionar a empresa para agilizar o pagamento de uma dívida por dedução indevida de custos de transporte. A mineradora espera decisão da Justiça e pretende pagar R$ 300 milhões. A previsão é que a receita das prefeituras caia este ano até 50%. (Págs. 10 e 11)

Equipe alinhada com o ajuste

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, terá como secretário-executivo Tarcísio Godoy; no Tesouro, Marcelo Barbosa Saintive; na Receita Federal, Jorge Rachid, e na Secretaria de Política Econômica, Afonso Arinos Neto. (Pág. 3)

Petróleo – Crise no setor faz salários despencarem

A desaceleração da economia, a queda no preço do barril no mercado mundial e os escândalos na Petrobras levaram as empresas a enxugar custos e a reduzir remunerações. No fim de 2014, a demanda por formandos na indústria de óleo e gás chegou ao menor nível em dez anos. (Págs. 12 e 13)

Balança comercial – Saldo negativo no ano é o 1º desde 2000

O déficit de US$ 3,93 bilhões de 2014 foi provocado pela queda do preço das commodities e retração das compras internacionais, principalmente pela redução das importações pela Argentina. No mês passado, o país conseguiu um superávit de US$ 293 milhões. (Pág. 6)

Ações da Petrobras caíram 8%. Ibovespa recuou 2%

Ibovespa caiu 2%, pressionado por ações da estatal, que atingiram menor valor desde 2004, e por discurso morno do novo ministro. (Pág. 23)

Mosaico Político

Gilberto Nascimento

HADDAD DEVE FAZER MUDANÇAS

Terminado o anúncio do ministério do segundo mandato da presidenta Dilma Rousseff (PT), o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad(PT), deve iniciar uma reforma no primeiro escalão de seu governo. Sua equipe sofreu três baixas, mas a expectativa é que as mudanças não parem por aí. (Pág. 2)

E$porte Clube

Chico Silva

Comunistas e evangélicos juntos

O que parecia improvável, a convivência entre comunistas do PC do B e os evangélicos do PRB, será em breve oficializada. O novo ministro do Esporte, George Hilton, já deu sinais de que não pretende mudar a equipe que está tocando o projeto olímpico. Com isso, Ricardo Leyser, secretário nacional de Alto Rendimento, irá seguir à frente da estrutura que administra o Plano Brasil Medalhas, entre outras ações. (Pág. 19)

O mercado como ele é…

Luiz Sérgio Guimarães

LEVY ATENUA ALTA DO DÓLAR

O discurso de posse de Joaquim Levy no cargo de ministro da Fazenda conseguiu atenuar a escalada do dólar ontem. A moeda subiu continuamente até um pouco antes do pronunciamento, chegando a bater em R$ 2,7315, alta de 1,45% comparativamente ao esvaziado primeiro pregão do ano, o de sexta-feira. (Pág. 22)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete : Levy critica gestão econômica e acena com alta de tributos

Novo ministro da Fazenda ataca desonerações tributárias e traz de volta ao governo ex-integrantes da equipe de Palocci

O novo ministro da Fazenda, Joaquim Levy, assumiu a pasta e fez críticas veladas e explícitas à política econômica do primeiro governo de Dilma Rousseff. Além de anunciar a sua equipe, ele indicou que as próximas medidas poderão incluir alta de impostos. “Possíveis ajustes em alguns tributos também serão considerados”, afirmou. No discurso de posse, Levy atacou as desonerações tributárias setoriais promovidas nos últimos anos. “Não podemos procurar atalhos e benefícios que impliquem redução acentuada da tributação para alguns setores sem considerar seus efeitos na solvência do Estado.” A equipe do novo ministro tem ex-integrantes do grupo de Antonio Palocci. Jorge Rachid voltará a comandar a Receita Federal e Tarcísio Godoy será o número dois da Fazenda. Empresários, industriais e banqueiros estiveram na posse. Eles disseram que Levy traz confiança e segurança à economia num cenário que promete turbulência. (Mercado B1)

As ações da Petrobras caíram 8%, ao menor valor desde 2004, e fizeram a Bolsa fechar com queda de 2%. (B4)

Dilma pretende mudar equipe após denúncia sobre Petrobras

A presidente Dilma já planeja mudanças no ministério que acabou de empossar. Ela aguarda manifestação da Procuradoria-Geral da República sobre políticos envolvidos no desvio de recursos da Petrobras, prevista para fevereiro, para fazer as trocas. Se Henrique Alves (PMDB) não for denunciado, deve assumir o Turismo. Aguinaldo Ribeiro (PP), caso liberado, pode ir para a Integração Nacional. (Poder a4)

Menor ‘tem licença para matar’ , diz chefe da polícia de SP

O novo delegado-geral de São Paulo, Youssef Abou Chahin, afirmou ao assumir que os menores infratores “são 007, têm licença para matar”, em uma menção ao personagem James Bond. Segundo o chefe da polícia do governo Alckmin (PSDB), o Estatuto da Criança e do Adolescente protege o menor. “Ele não vai preso, fica na Fundação Casa e sai”, disse Chahin, que defende mobilização por mudanças na lei. (Cotidiano C1)

Paulistano pagará R$ 3,50 a partir de hoje no transporte

As passagens de ônibus, metrô e trem estão mais caras a partir desta terça-feira (6) na cidade de São Paulo. Elas custam agora R$ 3, 50. No Brasil, 17 de 27 capitais aumentaram a tarifa de ônibus desde 2014, ano seguinte ao da onda de protestos contra o reajuste no valor das passagens. (Cotidiano C4)

Governo federal suspende por três meses a obrigatoriedade de modelo específico de extintor nos carros. (C3)

Polícia Federal vai investigar suspeita de fraudes em venda de próteses (Saúde C6)

Brasileiro com suposta ligação com milícia vai ser extraditado (Mundo A8)

Vinicius Torres Freire

Ministro propõe as mudanças no ritmo de ‘o gato subiu no telhado’ (Mercado B4)

Clóvis Rossi

Brasil e EUA estão em uma nova lua de mel

O encontro entre a presidente Dilma e o vice-presidente dos EUA, Joe Biden, esboça contornos de um relacionamento renovado e em patamar mais elevado. A agenda da visita de Estado de Dilma ao país já começou a ser traçada. Ela quer visita não de pompa e circunstância, mas com substância. (Mundo a10)

Editoriais

Leia “Renovação externa”, sobre desafios do novo ministro das Relações Exteriores, e “Como gado”, a respeito da lotação dos ônibus de São Paulo. (Opinião A2)

 

EBC

Edição: Equipe Fenatracoop

Portal Cambé, site de informações e serviços de Cambé – PR.

Responda

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.