EUA apontam desvios na Venezuela
A Justiça americana investiga integrantes da cúpula do governo da Venezuela pelo uso de estatais para lavar bilhões de dólares, desviar fortunas para paraísos fiscais e até ajudar traficantes de drogas, informa o enviado a Nova York Jamil Chade. O esquema pode ter desfalcado a petroleira PDVSA em US$ 2 bilhões. Suíça, Espanha e Andorra participam da operação…
Empresa opta por avião para levar carga e fugir de roubos
O aumento do roubo de cargas em estradas brasileiras fez com que esse transporte migrasse para aviões. A escolha, confirmada por empresas aéreas e transportadoras, tem sido feita até para trajetos curtos, como de SP ao Rio. O número de ocorrências no país quase dobrou de 2011 a 2016, segundo a Firjan (federação das indústrias do RJ). No Rio, empresas pedem blindados até para levar carne.

——————————————————————–

O Globo

Manchete : Tropa de elite do Exército já atua na intervenção
Batalhão de Forças Especiais faz operações cirúrgicas e cercadas de sigilo
Submetidos a treinamento de alto nível em Goiânia, os militares são comparados aos Seals da Marinha americana. Eles agiram no Alemão e na Maré, anteriormente, e estão de volta ao Rio
VERA ARAÚJO, FÁBIO TEIXEIRA E RAFAEL GALDO
Na linha de frente da intervenção federal na segurança do Rio estão militares que pertencem a um grupo de elite que atua em operações especiais, cercadas de sigilo. Preparados para ações antiterror e comparados aos Seals da Marinha americana, eles têm a tarefa de fazer o combate direto a traficantes fortemente armados.
Usam equipamentos como óculos de visão noturna, explosivos, fuzis de assalto e metralhadoras .50, de longo alcance. Nos últimos anos, fizeram ações cirúrgicas nos complexos do Alemão e da Maré. (Págs. 10 a 12)

‘Senhor das Armas’ é preso
Acusado do envio de 60 fuzis para o Rio pelo Aeroporto Internacional, Frederik Barbieri foi preso em Miami por agentes americanos. (Pág. 13)

O patrimônio oculto de Romário
Justiça afirma que senador do Rio tenta fraudar credores omitindo bens milionários

MARCO GRILLO E THIAGO PRADO
A Justiça do Rio descobriu que o senador Romário (Podemos-RJ) ocultou, nos últimos anos, um patrimônio milionário para burlar o pagamento de dívidas. Segundo a juíza de uma ação contra o senador, fica evidente a intenção de fraudar credores.Dois apartamentos na Barra da Tijuca que estavam em nome de uma construtora foram leiloados em dezembro, e uma casa no mesmo bairro, avaliada em R$ 6,4 milhões e cuja propriedade Romário nega, já está na mira do Judiciário do Rio. (Pág. 3)

Cresce oferta de barriga de aluguel na internet
A oferta por cessão do útero mediante pagamento cresce nas redes sociais. Preços vão até R$ 50 mil. Interessados recorrem a práticas caseiras de inseminação, devido à proibição legal. (Pág. 35)

Cartel do cimento segue sem punição
Inquérito de caso que resultou na maior multa já aplicada pelo Cade, R$ 3,1 bilhões contra seis indústrias, se arrasta em São Paulo. (Pág. 27)

Bernardo Mello Franco
PF e MPF ofereceram blindagem a faz-tudo de Temer. (Pág. 2)

Ascânio Seleme
Em Pelotas, uma prefeita que assumiu a segurança. (Pág. 6)

Elio Gaspari
A privataria de Doria no autódromo de Interlagos. (Pág. 7)

Míriam Leitão
Ambição eleitoral de Temer dificulta o fim do governo. (Pág. 28)

Ancelmo Gois
Investir em educação é mais eficaz contra a violência. (Pág. 12)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete : Pedágio sobe, mas empresas não respeitam contratos
Reajuste de tarifa em rodovias concedidas chega a 70% acima da inflação, enquanto obras deixam de ser feitas
Obras atrasaram ou nem foram executadas, investimentos e outras obrigações contratuais deixaram de ser cumpridos. Mesmo assim, a maior parte das concessionárias de rodovias federais tem sido favorecida com aumentos sucessivos de tarifas de pedágio em índices acima da inflação. Levantamento do Tribunal de Contas da União (TCU) com dados da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) mostra que quase todas as 21 concessionárias fiscalizadas pela agência estão nessa situação – são mais de 9,9 mil km de estradas, ou 15% da malha federal. A primeira etapa de concessões, da década de 90, é a que tem a situação mais crítica: todas reajustaram a tarifa acima da inflação, com casos de aumento de mais de 70%, enquanto entre 70% e 100% das obras deixaram de ser feitas. O TCU não aponta irregularidades, mas acusa a ANTT de ser conivente com os reajustes. (ECONOMIA / PÁGS. B1 e B4)

Aumento compensa custos
Concessionárias conseguem autorização da ANTT para reajustar tarifas como forma de compensação pelo custo de novas obras, que não estavam no projeto original. Para o TCU, esse modelo incentiva o descumprimento de contrato. (PÁG. B4)

Por eleição, Meirelles poderá deixar PSD
O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, admitiu que poderá sair do PSD para ser candidato à Presidência . O destino preferido, até agora, é o MDB, do presidente Temer. (POLÍTICA / A4)

Os bastidores da intervenção federal no Rio
Informações obtidas pelo Estado revelam o protagonismo do chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco, a resiliência do governador Pezão e a resistência inicial de Rodrigo Maia e Eunício Oliveira à intervenção no Rio. (POLÍTICA / PÁG. A6)

Jovens militares veem ‘guerra’ perto de casa (METRÓPOLE / PÁG. A19)

Em 10 anos, roubo de carro migrou para a periferia
Em 2008, 15% dos roubos de carro aconteciam no centro expandido – no ano passado, eram 6,9%. A periferia passou a concentrar 78,6% das ocorrências. (METRÓPOLE / PÁG. A18)

EUA apontam desvios na Venezuela
A Justiça americana investiga integrantes da cúpula do governo da Venezuela pelo uso de estatais para lavar bilhões de dólares, desviar fortunas para paraísos fiscais e até ajudar traficantes de drogas, informa o enviado a Nova York Jamil Chade. O esquema pode ter desfalcado a petroleira PDVSA em US$ 2 bilhões. Suíça, Espanha e Andorra participam da operação. (INTERNACIONAL / PÁG. A12)

Vera Magalhães
Judiciário no divã
Juízes combatem corrupção, mas recorrem ao corporativismo para manter privilégios. (POLÍTICA / PÁG. A8)

Notas&Informações
O que se espera da intervenção
Não é razoável esperar que a criminalidade seja domada sem plano consistente que restabeleça a cidadania de moradores de comunidades desamparadas. (PÁG. A3)

Irresponsabilidade com o campo
O Código Florestal afeta o desenvolvimento econômico, ambiental e social do País. (PÁG. A3)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete : Privatizar tudo é saída, diz mentor de Bolsonaro
Ultraliberal, Paulo Guedes elabora programa econômico do presidenciável
O responsável pelo programa econômico do presidenciável Jair Bolsonaro é um ultraliberal que defende “privatizar tudo” para zerar a dívida interna do país. O economista Paulo Guedes, 68, mora no Rio de Janeiro e vem de uma carreira próspera na área bancária. O ex-capitão do Exército e deputado federal encontrou nele um aliado improvável, dado seu histórico de posições estatizantes. Para ele, “o governo é muito grande, bebe muito combustível”, enquanto é modesto na aplicação de recursos na área social. “Se privatizar tudo, você zera a dívida, tem muito recurso para saúde e educação. Ah, mas eu não quero privatizar tudo. Privatiza metade, então. Já baixa metade da dívida”, diz. Ele afirma não saber se Bolsonaro se converteu ao ideário liberal que defende. Guedes minimiza as polêmicas que envolvem o pré-candidato, conhecido por declarações destemperadas. “Você nunca se excedeu? Estou vendo uma pessoa que todos dizem que é bruta, mas que tem demonstrado muita retidão comigo”, afirmou. (Poder A12)

Congresso tem mercado de compra de deputados
Corredores, gabinetes e salões do Congresso têm abrigado um intenso mercado de deputados, com ofertas bancadas pelos fundos partidário ou eleitoral. O valor oferecido para que ocorra mudança de partido varia de R$ 1 milhão a R$ 2,5 milhões. Siglas querem puxadores de voto porque o tamanho da bancada definirá sua sobrevivência após o pleito. (Poder A4 e A10)

Empresa opta por avião para levar carga e fugir de roubos
O aumento do roubo de cargas em estradas brasileiras fez com que esse transporte migrasse para aviões. A escolha, confirmada por empresas aéreas e transportadoras, tem sido feita até para trajetos curtos, como de SP ao Rio. O número de ocorrências no país quase dobrou de 2011 a 2016, segundo a Firjan (federação das indústrias do RJ). No Rio, empresas pedem blindados até para levar carne. (Mercado A19)

Violência no Rio é espalhada e, por isso, mais ‘visível’
Questionado sobre a situação da violência no Rio ser tão ruim quanto parece, o interventor federal, general Walter Braga Netto, balançou o dedo indicador, dizendo que não, e emendou: “Muita mídia”. Dados do anuário do Fórum Brasileiro de Segurança Pública mostram que, em parte, ele tem razão. (Cotidiano B1)

Marcos Lisboa e Leandro P. Carneiro
Em dez meses não dá para construir o que a PM não tem (Cotidiano B8)

Editoriais
Leia “Candidatos a candidato”, sobre pretensões eleitorais no governismo, e “As armas de Trump”, acerca de declarações disparatadas do americano. (Opinião a2)

————————————————————————————

Responda

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.