Tostão: Se perder, já há uma desculpa convincente – Triste ficar sem Thiago Silva e, principalmente, Neymar, neste momento decisivo. Se o time ganhar, será ainda mais heroico. Se perder, já existe desculpa convincente (…) O jogador foi retirado de campo aos prantos, com dores nas costas, depois de ser atingido nas costas por Zuñiga aos 41 minutos do segundo tempo, e está no hospital, passando por exames (…) O camisa 10 fraturou a terceira vértebra lombar durante a vitória da seleção por 2 a 1 sobre a Colômbia, nesta sexta-feira (4), em Fortaleza…

Juca Kfouri: Seleção brasileira agora virou o azarão – Sem o craque e o capitão brasileiros, os germânicos não são só favoritos, são barbada. E é aí que mora o perigo. Para eles. Livre do vexame, o Brasil virou azarão…

Assembleia aprova lei que veta máscara em protestos em SP – Os deputados estaduais de SP aprovaram projeto de lei que proíbe o uso de máscaras em protestos no Estado e exige que os atos sejam avisados previamente às polícias…

 

O GLOBO

Neymar está fora da Copa

Zaga põe o Brasil nas semifinais

Investigação chega perto da Fifa

Candidatos à Presidência estimam 49,5% a mais de gastos do que nas eleições de 2010

Onze concorrentes somados preveem despesas de quase R$ 1 bilhão

Com dois candidatos a mais na disputa, a previsão total de gastos da campanha pela Presidência da República neste ano é 49,5% maior do que há quatro anos. Na disputa pelo Palácio do Planalto, os 11 concorrentes somados preveem que suas despesas podem chegar a R$ 918,4 milhões. Em 2010 os nove candidatos protocolaram no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) previsão de limite de gastos de R$ 482,5 milhões, valor que, corrigido pela inflação, equivale a R$ 614 milhões.

O PT prevê gastar com a campanha à reeleição da presidente Dilma Rousseff em torno de R$ 300 milhões, um crescimento real de 34% em relação a 2010. O partido fará hoje o registro da candidatura e ainda fechava os orçamentos ontem. Já o candidato do PSDB, senador Aécio Neves (MG), prevê um limite de gasto de R$ 290 milhões. Esse valor é 26,5% maior do que o candidato tucano José Serra registrou como teto de despesas há quatro anos. O ex-governador Eduardo Campos (PSB), por sua vez, prevê gastar R$ 150 milhões, 31% a mais que a ex-ministra Marina Silva previu há quatro anos, quando era a terceira colocada nas pesquisas.

Juntos, os gastos previstos pelos três principais candidatos neste ano — Dilma, Aécio e Campos — cresceu cerca de 30% em relação aos três principais concorrentes de 2010 — Dilma, Serra e Marina. Mas a disparidade dos candidatos do PSDB e do PT em relação aos demais é grande. Quase idênticos, os orçamentos individuais de Dilma e Aécio são quase o dobro do de Campos, que está em terceiro nas pesquisas.

Governadores de SP e RS concedem reajustes um dia antes da proibição

Alckmin e Tarso publicam promoções no D.O; governo federal libera R$ 1,5 bilhão

No último dia útil antes da proibição de transferências voluntárias de recursos do estado para os municípios, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), assinou convênios de cerca de R$ 28 milhões com 12 cidades e reajustou os vencimentos e salários dos servidores públicos da área administrativa e da Saúde. No Rio Grande do Sul, o governador Tarso Genro (PT) publicou decreto com a promoção de 5.762 profissionais da Educação, dos quais 4.330 funcionários de escola e 1.432 professores e especialistas. As promoções foram publicadas no Diário Oficial.

Os repasses de Alckmin foram feitos para prefeituras e entidades filantrópicas para a compra de equipamentos, ambulâncias e para obras de infraestrutura, como pavimentação e reforma de praças. O reajuste para os servidores públicos da área administrativa e da Saúde foi de 7%. O aumento abrange funcionários ativos, inativos e pensionistas e vale a partir de 1º de agosto. O impacto anual é de aproximadamente R$ 110 milhões, segundo o governo.

O “Diário Oficial” de São Paulo também trouxe um reajuste no plano de cargos, vencimentos e salários dos integrantes do quadro de apoio escolar da Secretaria da Educação e a reclassificação dos vencimentos de policiais civis e militares e de agentes da administração penitenciária.

Para a Polícia Militar, o reajuste é de 8% nos vencimentos e o aumento do teto do auxílio-alimentação de R$ 3.041,14 para R$ 3.302,96 – impacto orçamentário de R$ 799 milhões anuais. Para os servidores das polícias Civil e Técnico-Científica, além dos agentes de escolta, vigilância e segurança penitenciária, o aumento é de 6%, totalizando R$ 174,3 milhões anuais de impacto no orçamento.

Picciani pressiona Lupi para desistir da candidatura ao Senado do Rio

O presidente regional do PMDB no Rio, Jorge Picciani (PMDB), deu um ultimato ao presidente nacional do PDT, o ex-ministro do Trabalho Carlos Lupi, para que ele retire hoje sua candidatura ao Senado. Caso contrário, o PDT estará fora da coligação que quer reeleger Luiz Fernando Pezão (PMDB) ao Palácio Guanabara e, consequentemente, o deputado estadual Felipe Peixoto (PDT) não será o candidato a vice-governador.

Barbosa derruba liminar e autoriza julgamento de processo que pode tornar Arruda ‘ficha suja’

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa, suspendeu uma decisão liminar e autorizou o Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) a realizar um julgamento que pode enquadrar o ex-governador do DF José Roberto Arruda (PR) na Lei da Ficha Limpa. O julgamento havia sido cancelado semana passada por uma liminar do ministro Napoleão Nunes Maia Filho do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Preso em 2010 no escândalo conhecido como “mensalão do DEM”, Arruda é pré-candidato a governador e lidera as pesquisas de intenções de voto.

Condenado por improbidade administrativa em primeira instância pela acusação de ter comprado apoio político para sua candidatura em 2006, com recursos provenientes de contratos de informática do governo do DF, Arruda poderia ser impedido de concorrer se o TJDFT mantivesse a decisão. O caso estava na pauta da última quarta-feira, mas o ministro do STJ concedeu liminar impedindo a realização do julgamento. Barbosa revogou a decisão de Napoleão

Dilma tuíta mensagem de apoio a Neymar após contusão

Presidente também parabeniza equipe pela vitória; Aécio pede ‘serenidade e garra’ e Campos posta foto com os filhos

Ao final do jogo da seleção brasileira contra a colombiana nesta sexta-feira, a presidente Dilma Rousseff divulgou, pelo Twitter, uma mensagem de apoio ao atacante Neymar. O jogador foi retirado de campo aos prantos, com dores nas costas, depois de ser atingido nas costas por Zuñiga aos 41 minutos do segundo tempo, e está no hospital, passando por exames.

“Como todo o Brasil, estou na torcida pela recuperação do nosso craque”, tuitou Dilma, que usou a hastag #ForçaNeymar. A presidente também parabenizou a equipe brasileira e deixou uma mensagem de confiança para o técnico Felipão e os jogadores.

“Foi uma vitória merecida, com talento e garra. O povo brasileiro confia em Felipão, Parreira e nos jogadores da Seleção Brasileira”, escreveu Dilma, com a hastag #VaiBrasil.

O ESTADO DE S.PAULO

Neymar fora da Copa

Campanha em SP custará R$ 277 mi

Falha em pilar pode ter abalado em viaduto

CORREIO BRAZILIENSE

A dor que calou nossa alegria

O Brasil celebrava a classificação às semifinais, após os 2 x 1 contra a Colômbia, quando explodiu como uma bomba a notícia de que Neymar havia fraturado uma vértebra. Atingido por uma joelhada nas costas pelo lateral-direito Zúñiga, aos 41 minutos do 2º tempo, o maior atacante brasileiro da atualidade está fora da Copa. Uma onda de tristeza invadiu o país. Na terça-feira, será a primeira vez que, sob o comando de Felipão, a Seleção jogará sem o craque da camisa 10. E justamente diante do mais forte adversário neste Mundial: a Alemanha. Em 1962, o Brasil ficou desfalcado da genialidade de Pelé, também contundido. Mas conquistou o título. Está na hora de repetir a façanha.

Candidatura de Dilma tem contratempos em SP, com palanque fragilizado

Às vésperas do início da campanha oficial, presidente também sofre com baixa aprovação. Na oposição, Aécio Neves e Eduardo Campos terão de contornar problemas no Rio de Janeiro

A conquista da maioria dos votos de 68,2 milhões de eleitores concentrados em São Paulo, em Minas Gerais, no Rio de Janeiro e na Bahia tem consumido a maior parte dos esforços de estrategistas e candidatos ao Palácio do Planalto no aquecimento para a campanha presidencial. Os três principais nomes na corrida pelo controle do Executivo contabilizam fragilidades pontuais em, ao menos, um desses locais. Na campanha petista, o quadro é bem diferente de 2010, quando Dilma Rousseff se elegeu perdendo apenas entre os paulistas, ainda assim por uma margem pequena de votos. O porém é que, justamente nesse estado, os problemas ganharam corpo nas últimas semanas.

Ao contrário de há quatro anos, o principal adversário oposicionista, o senador Aécio Neves (PSDB-MG), tem a hegemonia mineira, unificou o PSDB paulista em torno de sua candidatura, uniu as oposições baianas – em uma articulação conjunta com o prefeito de Salvador, Antonio Carlos Magalhães Neto (DEM) – e angariou o apoio do PMDB fluminense, insatisfeito com o fato de o PT ter lançado o senador Lindbergh Farias para concorrer contra Luiz Fernando Pezão (PMDB).

Iniciada a campanha, está aberta a temporada de caça aos votos do eleitor

A partir deste domingo, candidatos podem fazer campanha, comícios, carreatas e passeatas

A campanha para as eleições de 5 de outubro começa oficialmente neste domingo (6/7). A partir de agora, os candidatos e partidos estão permitidos a fazer propaganda e pedir votos, mas há limites neste período de três meses em que os postulantes a cargos eletivos estarão nas ruas e nas telas da tevê. Os chamados showmícios, por exemplo, são vetados pela legislação eleitoral, assim como a distribuição de brindes ao eleitor – prática comum em eleições no Brasil até poucos anos atrás.

Qualquer abuso contra as regras eleitorais poderá resultar em multas e no enquadramento do candidato pelas práticas de compra de votos e abuso de poder econômico e político. Caberá ao Ministério Público fiscalizar e denunciar eventuais irregularidades. Os próprios partidos também poderão representar na Justiça Eleitoral contra adversários.

Daqui a 90 dias, estarão em disputa no primeiro turno das eleições os cargos de presidente e  de vice-presidente da República, governador e vice-governador, senador, deputado federal e deputado estadual. No caso do Distrito Federal, deputado distrital.

FOLHA DE S.PAULO

Brasil vai à semifinal, mas Neymar está fora da Copa

Com gols de zagueiros, seleção bate Colômbia por 2 a 1  e pega Alemanha; craque sofre fratura em vértebra. Neymar, 22, o craque da seleção brasileira e artilheiro da equipe na competição, com quatro gols em cinco jogos, está fora da Copa do Mundo.

O camisa 10 fraturou a terceira vértebra lombar durante a vitória da seleção por 2 a 1 sobre a Colômbia, nesta sexta-feira (4), em Fortaleza.

O jogo garantiu a classificação do Brasil à semifinal do Mundial. Thiago Silva e David Luiz, zagueiros, fizeram os gols brasileiros. Devido à lesão, Neymar não atuará no confronto com a Alemanha, na terça-feira (8), nem numa possível final, dia 13 de julho, no Maracanã.

Tostão: Se perder, já há uma desculpa convincente

Triste ficar sem Thiago Silva e, principalmente, Neymar, neste momento decisivo. Se o time ganhar, será ainda mais heroico. Se perder, já existe desculpa convincente.

Juca Kfouri: Seleção brasileira agora virou o azarão

Sem o craque e o capitão brasileiros, os germânicos não são só favoritos, são barbada. E é aí que mora o perigo. Para eles. Livre do vexame, o Brasil virou azarão.

Com R$ 1 mi, Alckmin dobra seu patrimônio nos últimos 12 anos

Nos últimos 12 anos, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), quase dobrou o valor de seu patrimônio, que passou de R$ 554.458,48, em 2002, para R$ 1.069.498,27, em 2014.

O total em bens do tucano é atualmente duas vezes maior que o do ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha (PT), um de seus principais adversários na eleição.

Os dados fazem parte das declarações de bens entregues nesta sexta-feira (4) pelo PSDB e PT à Justiça Eleitoral. O petista declarou patrimônio de R$ 530.553,57.

Em 2002, o governador apresentava como bens mais valiosos um apartamento na capital paulista, avaliado à época em R$ 274 mil, e um sítio estimado em R$ 141 mil.

Teto de gastos dos presidenciáveis se aproxima de R$ 1 bi

A campanha à sucessão de Dilma Rousseff (PT) pode chegar a um valor que se aproxima de R$ 1 bilhão, segundo pedidos de registro de candidatura entregues pelos candidatos à Justiça Eleitoral.

Até esta sexta-feira, oito candidatos registraram sua candidaturas, entre eles o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB). A presidente Dilma Rousseff e o senador Aécio Neves (PSDB) devem protocolar seus pedidos de registro neste sábado (5), prazo final estipulado pela Justiça Eleitoral.

Segundo a Folha apurou, a campanha do PT vai registrar R$ 298 milhões como limite de gastos.

O valor será usado para produção do programa de TV –que tradicionalmente é a parte da campanha que gera mais custos–, comandado pelo marqueteiro João Santana, além de custos como eventos e a impressão de material de campanha.

Assembleia aprova lei que veta máscara em protestos em SP

Os deputados estaduais de SP aprovaram projeto de lei que proíbe o uso de máscaras em protestos no Estado e exige que os atos sejam avisados previamente às polícias

Rodoanel Leste é aberto com atraso, correria e falhas

A via ainda tinha falhas na sinalização e na proteção lateral. A liberação, prevista pelo governo Alckmin (PSDB) para a manhã, atrasou devido à reprovação na vistoria.

Prefeitura diz ter fiscalizado obra, mas não descarta erro

A obra do viaduto Batalha dos Guararapes estava na fase de retirada de escoras havia alguns dias, disse nesta sexta (4) o secretário de Obras e Infraestrutura de Belo Horizonte, José Lauro Terror. Ele não eximiu a prefeitura da responsabilidade por eventuais erros que levaram à queda da estrutura, mas afirmou que todos os itens de fiscalização a cargo do poder municipal foram cumpridos.(…)

“Nós entendemos que sim, houve um erro”, disse. “Estamos em etapa de identificação da causa. A responsabilidade é solidária de várias entidades e empresas que participaram do processo.”

Gestão Dilma teme que acidente afete humor com a Copa

O ministro das Cidades, Gilberto Occhi, afirmou que o governo federal lamenta o desabamento do viaduto, mas não tem responsabilidade sobre a execução da obra. Segundo a Folha apurou, porém, o Planalto está preocupado com o risco de o acidente contaminar a avaliação positiva da Copa pela população. De acordo com a pesquisa Datafolha desta semana, 63% são a favor do evento.

A ordem da presidente Dilma Rousseff é reagir rapidamente para evitar uso político do incidente ocorrido em Belo Horizonte. Sua equipe vai insistir que o viaduto, apesar de pertencer às obras da Copa financiadas com recursos da União, não estava sob supervisão de qualquer órgão do Executivo federal.(…)

“Não é o governo federal que elabora, licita e executa. Ou é o governo local ou é a construtora. Neste caso, o governo federal não tem responsabilidade e espera apuração rápida e rigorosa desse acidente lamentável”, afirmou [Occhi].

Chamado de ‘mão de manteiga’, goleiro argentino Romero cresce e vira trunfo por vaga

CONGRESSOEMFOCO

Edição: Equipe Fenatracoop

Portal Cambé, site de informações e serviços de Cambé – PR.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.