Tarso oferece 8,5% e Cpers rejeita – Embaixadas sugerem retirada de Tóquio – Aluno fere professora dentro da sala de aula no interior paulista – Brasileiro gasta mais com amortização e juros de dívidas – Japão tenta esfriar reatores com água – Tragédia fica maior a cada dia – AGU aperta o cerco à compra de terras por estrangeiros -Copa de 2014: CBF faz lobby na Câmara contra CPI – Energia será tema de Dilma e de Obama – Ameaça nuclear é “imprevisível” – Radiação no Japão atinge nível extremo, alertam EUA – ‘Japão perdeu o controle’, dizem EUA, Europa e Rússia…

O Globo

Manchete: ‘Japão perdeu o controle’, dizem EUA, Europa e Rússia

Segundo agência nuclear da ONU, há danos no núcleo de três reatores A batalha travada pelo Japão para resfriar quatro reatores com sérios problemas no complexo de Fukushima Daiichi tomou ontem rumos dramáticos. Os níveis de radiação aumentaram, e o grupo de trabalhadores que tentam controlar a situação foi retirado, só retornando horas depois. Há danos no núcleo de três reatores, afirmou a AEIA, agência da ONU. O cenário fez com que chefes de agendas nucleares dos EUA, da Europa e da Rússia fossem unânimes no diagnóstico: o Japão perdeu o controle da situação: “Estamos em algum lugar entre um desastre e um desastre gigantesco”, disse o chefe de Energia da UE. O imperador Akihito rompeu o silêncio e fez um discurso inédito pedindo que os japoneses não desistissem. Documentos vazados pelo WikiLeaks mostraram que a ONU temia falhas na indústria nuclear do Japão. (Págs. 1, Caderno especial, Miriam Leitão, Carlos A. Sardenberg e Veríssimo) Os ‘kamikazes’ da era nuclear Numa versão atual dos kamikazes da 2ª Guerra, 180 peritos tentam, numa missão suicida, salvar os japoneses de uma catástrofe nuclear. Em pequenos grupos, eles se revezam na usina para bombear água, monitorar a temperatura dos reatores e remover entulho das explosões. Foram retirados às pressas quando a radiação aumentou, mas voltaram. (Págs. 1 e Caderno Especial) Fugindo de Tóquio, a caminho de Osaka Os trens-bala partiram lotados, ontem, de Tóquio. A viagem de três horas para Osaka foi melancólica, relata Claudia Sarmento. Japoneses e estrangeiros abandonaram suas casas em Tóquio, onde falta comida e há riscos de contaminação radioativa. Em Osaka, não há mais vaga em hotéis. (Págs. 1, Caderno especial e Cora Rónai) Alimentos importados do Japão devem ser evitados, avisam especialistas. (Págs. 1 e Caderno Especial)

Ato contra Obama opõe PT a Dilma

A presidente Dilma não gostou da participação de setores do PT na organização de protestos contra Obama. O Planalto mandou que o partido enquadre descontentes e evite constrangimentos. Na Cinelândia, domingo, Obama falará de democracia e inclusão social. O discurso mais político será no Chile. (Págs. 1 e 3 a 10)

Epidemia de dengue cresce no estado

A Secretaria estadual de Saúde confirmou ontem que, além de Bom Jesus do Itabapoana e Magé, mais dois municípios enfrentam uma epidemia de dengue: Cantagalo e Santo Antônio de Pádua. (Págs. 1 e 13)

Kadafi ataca sede rebelde na Líbia

O ditador da Líbia, Muamar Kadafi, lançou bombas contra Benghazi, sede dos rebeldes. Quatro jornalistas do “NYT” estão desaparecidos. (Págs. 1, 29 e editorial “Questão líbia não se esgota em Benghazi”)

Dinossauros: maior carnívoro é do Maranhão

Cientistas descobriram na Ilha do Cajual, no Maranhão, o maior dinossauro carnívoro do Brasil. Batizado de Oxalaia quilombensis, ele tinha o tamanho de um prédio de cinco andares. (Págs. 1 e 30)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete: Radiação no Japão atinge nível extremo, alertam EUA

Novos danos em usina ampliam risco nuclear; para americanos, Tóquio pode ter subestimada a ameaça

A crise nuclear japonesa se intensificou ontem com a ruptura de outro reator da usina nuclear de Fukushima, no nordeste do Japão, que aparentemente estava liberando vapor radioativo. Um dia após o governo ter dito que o vaso de contenção do reator 2 também tinha sido afetado, os danos no reator 3 pioraram as já perigosas condições na usina, afetada pelo terremoto da sexta-feira passada. A agência reguladora de energia nuclear dos EUA afirmou acreditar que os níveis de radiação na região de Fukushima são “extremamente altos”, sugerindo que o Japão tem subestimado a gravidade da situação. Em discurso sem precedentes transmitido pela TV, o imperador Akihito se disse “profundamente preocupado”. (Págs. 1 e Internacional A12 a A16)

Cidade portuária fica cinco dias em chamas

O fogo ardeu por cinco dias na cidade portuária de Kesennuma, deixando um cenário parecido com um ferro-velho – e com um imenso navio no meio do entulho. O abrigo local, administrado por um engenheiro, deverá ficar sem gás dentro de dois dias e ele não sabe se conseguirá distribuir refeições quentes para os sobreviventes. “Eu me sinto tão envergonhado”, afirmou aos prantos. (Págs. 1 e Internacional A14 e A15)

Filha de Roriz recebeu dinheiro sujo, diz delator de esquema

Durval Barbosa afirma ao ‘Estado’ que o dinheiro entregue à deputada Jaqueline Roriz ‘é oriundo das propinas’ de contratos do governo do Distrito Federal

Delator do esquema de corrupção no Distrito Federal, Durval Barbosa afirmou em entrevista ao repórter Leandro Colon que a origem do dinheiro entregue por ele à deputada Jaqueline Roriz (PMN-DF) é suja. “O dinheiro é oriundo das propinas dos contratos de informática do governo do Distrito Federal. É sujo, não tem outra denominação”, disse, em sua primeira declaração pública sobre o conteúdo do vídeo em que aparece dando dinheiro vivo à deputada. A filha do ex-governador Joaquim Roriz alega que os recursos seriam caixa 2 de campanha. (Págs. 1 e Nacional A4)

Cópias para juízes

Em gravação de 2006 divulgadas ontem, Durval Barbosa diz que integrantes do Judiciário e do Ministério Público receberam cópias dos vídeos que comprovariam corrupção no DF. (Págs. 1 e Nacional A4)

Faltam remédios para pacientes de aids

Pacientes com HIV enfrentam desabastecimento de remédios. O atazanavir está em falta em alguns pontos do País, assim como saquinavir e didadosina. O Ministério da Saúde divulgou nota técnica com orientações para a substituição do atazanavir por outras drogas ou fracionamento da entrega. Médicos e pacientes se irritaram. “Isso traz um desgaste muito grande para quem está sob tratamento”, diz presidente de ONG. (Págs. 1 e Vida A24)

Índice do BC aumenta temor de inflação

O índice de Atividade Econômica do Banco Central acelerou em janeiro: alta de 0,71% em relação a dezembro. O resultado aumenta o temor do mercado com a inflação. (Págs. 1 e Economia B1)

Forças de Kadafi cercam principal reduto rebelde (Págs. 1 e Internacional A17)

Demetrio Magnoli

A maldição do pré-sal

O “imposto Petrobras”, um tributo oculto, mas bem real, pago pelos brasileiros, deveria conceder à Nação o direito de investigar a petroleira. (Págs. 1 e Espaço Aberto A2)

Notas & Informações

Os efeitos econômicos do tsunami

O Japão terá de esquecer os fundamentos macroeconômicos. (Págs. 1 e A3)

————————————————————————————

Correio Braziliense

Manchete: Procurador recrimina conduta de Durval

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, condenou a divulgação a “conta-gotas” de vídeos comprometedores com políticos brasilienses, a exemplo do flagrante da deputada federal Jaqueline Roriz recebendo dinheiro de forma ilícita. O chefe do Ministério Público Federal advertiu que pode suspender o benefício da delação premiada para Durval Barbosa se esse tipo de conduta permanecer. “Ele tem obrigação de entregar todo o material que ele tenha de uma só vez”, ressaltou. A subprocuradora Raquel Dodge disse estar perto de concluir a ação criminal contra o esquema de corrupção revelado pela Operação Caixa de Pandora, mas não estabeleceu prazo para apresentá-la. O Conselho de Ética instaurado ontem na Câmara dos Deputados recebeu a representação do PSol contra Jaqueline Roriz. A abertura de processo deverá ocorrer na próxima semana. O corregedor da Câmara, Eduardo da Fonte (PP-PE), pretende conduzir uma investigação ágil das denúncias que pesam contra a deputada federal. (Págs. 1, 4 e 31 a 33)

Ameaça nuclear é “imprevisível”

A iminência de um acidente nuclear no Japão comparável a Chernobyl causou uma onda de alertas da ONU, da comunidade internacional e até da família real japonesa. Em raro pronunciamento pela televisão, o imperador Akihito, de 77 anos, classificou o incidente na usina de Fukushima de “imprevisível” e disse que o país atravessa uma crise sem precedentes. O diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Yukiya Amano, avaliou a situação como “muito grave” e anunciou que irá ao Japão para contribuir pessoalmente com as tentativas de resfriamento dos reatores avariados pelo terremoto da semana passada. Equipes de prevenção mediram os níveis de radiação em moradores retirados da região de Fukushima. (Págs. 1, 22 e 23)

Energia será tema de Dilma e de Obama

Operários trabalham no Planalto para tudo ficar pronto a tempo da visita do presidente dos EUA, no sábado. A agenda de discussões, no entanto, já ficou definida. Pré-sal e biocombustíveis estão na pauta. (Págs. 1, 25 a 27 e Visão Do Correio, 20)

Um porta-joias de presente (Págs. 1 e 26)

Copa de 2014: CBF faz lobby na Câmara contra CPI

O presidente da entidade, Ricardo Teixeira, pressionou parlamentares a não apoiarem o pedido de investigação sobre os gastos com a organização do Mundial. O Palácio do Planalto estuda flexibilizar as regras das licitações para as obras do evento. (Págs. 1 e 5)

Sem proibição: Ministro vai bancar concursados da Anatel

Mesmo com a suspensão das contratações, definida pelo governo no corte de gastos do orçamento, o chefe da pasta das Comunicações, Paulo Bernardo, pediu autorização para convocar 71 aprovados na seleção feita pela agência em 2009. (Págs. 1 e 11)

————————————————————————————

Valor Econômico

Manchete: Dilma garante guerra à inflação

A presidente da República, Dilma Rousseff, foi afirmativa: “Não vou permitir que a inflação volte no Brasil. Não permitirei que a inflação, sob qualquer circunstância, volte”. A declaração foi dada durante entrevista ao Valor, a primeira exclusiva a um jornal brasileiro, num momento em que as expectativas de inflação pioram e os mercados insinuam que o Banco Central não tem autonomia para agir. “Eu acredito num Banco Central extremamente profissional e autônomo. E este Banco Central será profissional e autônomo”, garantiu a presidente.
Em conversa de cerca de duas horas, Dilma não poupou ênfase à guerra antiinflacionária: “Não negocio com a inflação. Em nenhum momento eu tergiverso com inflação. E não acredito que o Banco Central o faça”, reiterou, com a ressalva de que o combate não será feito com o sacrifício do crescimento. ‘Tenho certeza que o Brasil vai crescer entre 4,5% e 5% este ano”, afirmou. (Págs. 1, A6 e A7)

Desabastecimento ameaça Japão

O suprimento de gasolina e alimentos do Japão está se esgotando rapidamente, forçando não apenas os moradores do nordeste, assolado pelo terremoto, mas também de Tóquio a correr para comprar o que sobrou nas prateleiras cada vez mais vazias dos supermercados e lojas de conveniências.
“Fui ao supermercado comprar pão, macarrão instantâneo e enlatados, mas não tinha sobrado quase nada”, disse Mieko Saiki, de 29 anos, funcionária de uma consultoria de Tóquio. (Págs. 1, A12 e A13)

AGU aperta o cerco à compra de terras por estrangeiros

Em mais um passo para conter avanço de investidores estrangeiros sobre terras agricultáveis no Brasil, a Advocacia-Geral da União (AGU) enviou ofício ao Ministério da Fazenda orientando-o a criar regras, por meio de instruções da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), para impedir a aquisição de ações, por empresas estrangeiras, de companhias nacionais listadas na bolsa que detenham terras.
O documento foi enviado, de forma reservada e em caráter de urgência, ao ministro Guido Mantega. Por recomendação da AGU, a medida deve abranger todas as companhias de capital aberto detentoras de terras do país, segundo apurou o Valor. (Págs. 1 e A3)

Pré-sal terá US$ 1 bilhão do Eximbank americano

O Eximbank dos Estados Unidos deverá anunciar durante a visita do presidente Barack Obama ao Brasil a concessão de até US$ 1 bilhão em financiamentos para projetos ligados à exploração de petróleo na camada pré-sal, numa confirmação do interesse americano em ter o país como um de seus principais fornecedores de combustível fóssil. No ano passado, o banco firmou com a Petrobras um protocolo que garante linhas de financiamento estimadas em até US$ 2 bilhões.
Os dois governos assinarão, ainda, um memorando de entendimento para cooperação em exploração de petróleo, que lança as bases para, no futuro, consolidar a posição brasileira como fornecedor aos EUA. A disposição de fazer do país um grande fornecedor de petróleo aos EUA foi comunicada pela própria presidente Dilma Rousseff a autoridades americanas, como revelou o Valor, no início do mês. Um outro programa de impacto está previsto entre os anúncios a serem feitos durante a visita de Obama: um acordo para desenvolver biocombustível para aviação, assunto acompanhado com interesse pela Embraer. (Págs. 1 e A16)

Bancada ruralista define pauta polêmica para atuação no Congresso (Págs. 1 e B14)

 

Mudanças nas licitações

Grandes construtoras pressionam o governo contra proposta de mudança na Lei de Licitações que dificulta a inclusão de aditamentos aos contratos de obras para a Copa de 2014 e a Olimpíada de 2016. (Págs. 1 e A8)

Motéis do RJ ampliam o leque

Motéis do Rio investem para atrair um novo tipo de público: executivos em viagem de negócios à cidade. Com seis mil apartamentos disponíveis, o setor também espera atender os turistas na Copa de 2014 e na olimpíada de 2016. (Págs. 1 e B1)

Villares aposta em nichos

A Villares Metals, especializada na produção de aços especiais, vai aumentar sua aposta na produção de insumos siderúrgicos para os setores de petróleo, sucroalcooleiro e de energia eólica. (Págs. 1 e B7)

Cummins estuda nova fábrica

A Cummins estuda a construção de uma segunda fábrica no Brasil, para início de operações em 2013. No ano passado, a empresa produziu 96 mil motores, alta de 57%, e para este ano a previsão é crescer 10%. (Págs. 1 e B7)

Cortes cancelam reunião da CTNBio

Pela primeira vez em seus 15 anos, a Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) deixou de realizar sua reunião mensal por falta de verba para custear as passagens e diárias de seus membros. (Págs. 1 e B14)

Mais biodiesel

As usinas de biodiesel defendem um aumento da mistura ao ó1eo diesel, hoje de 5%, para 7% ainda neste ano. O volume seria elevado gradativamente até chegar a 20% em dez anos. (Págs. 1 e B14)

Entrega em domicílio

Justiça derruba multas aplicadas pelo Procon dos Estados por descumprimento às leis que exigem marcação de data e horário para entregas de produtos ou prestação de serviços no endereço do consumidor. (Págs. 1 e E1)

Ideias

Ribamar Oliveira

Governo terá de decidir até 15 de abril, quando apresenta proposta de LDO, se eleva ou não a meta de superávit fiscal. (Págs. 1 e A2)

Ideias

Maria Inês Nassif

A ginástica feita por Kassab para viabilizar-se na política produziu tantos efeitos colaterais que dificilmente o favorecerão. (Págs. 1 e A8)

————————————————————————————

Estado de Minas

 

Manchete: PIB de Minas cresce mais que o da China

Economia do estado cresceu 10,9% no ano passado em relação a 2009, superando a média nacional e até o desempenho do gigante asiático. É a maior expansão já registrada em 15 anos de apuração do indicador pela Fundação João Pinheiro. O grande destaque foi a mineração, com alta de 31,8%, devido, principalmente, às vendas de minério de ferro aos chineses. Outro produto importante na produção mineira, o café teve crescimento de 25,9%. (Págs. 1, 12 e 13)

Tragédia fica maior a cada dia

Agência da ONU alerta que “a situação é grave” no Japão e confirma danos nos núcleos de três reatores da usina de Fukushima. EUA detectam radiação extremamente alta na região e determinam que americanos fiquem a pelo menos 80km do local. Imperador pede à população que não perca a esperança.

Vítimas de radiação contam seus dramas.

Itamaraty procura 12 desaparecidos. (Págs. 1 e 18 a 21)

Foto legenda: Na cidade de Nihonmatsu, japoneses retirados do perímetro de segurança de Fukushima passam por teste para verificar nível de radiação

Obras da Copa ameaçam travar BH

Primeira de uma série, intervenção para duplicar a Pedro I engarrafa a Antônio Carlos. E BHTrans não apresenta alternativa. (Págs. 1, 25, 26 e Editorial, 8)

Um presente para Obama

A presidente Dilma Rousseff vai presentear colega americano com um porta-joias de madeira. Feita pelo cearense radicado em BH Eduardo Albuquerque, a peça representa o Brasil e suas riquezas. (Págs. 1 e 22)

Uberaba embaixo d’água

Na véspera da visita de Dilma, temporal de meia hora inunda principais avenidas da cidade e causa prejuízo no comércio. Carros foram arrastados e várias pessoas ficaram ilhadas. (Págs. 1 e 32)

Aposentadoria mais gorda

Regra do Instituto de Previdência do Legislativo de Minas permite somar o tempo em outros cargos eletivos municipais, estaduais e federais. (Págs. 1 e 6)

————————————————————————————

Jornal do Commercio

Manchete: Japão tenta esfriar reatores com água

Helicópteros lançam água sobre a usina de Fukushima, em mais uma estratégia para conter a radioatividade. Ruas de Tóquio estão vazias e local mais agitado da cidade ontem foi o aeroporto, com milhares de estrangeiros tentando deixar o País. (Pág. 1)

Brasileiro gasta mais com amortização e juros de dívidas (Pág. 1)

Dengue hemorrágica já provocou morte no Estado este ano (Pág. 1)

Aluno fere professora dentro da sala de aula no interior paulista (Pág. 1)

————————————————————————————

Zero Hora

Manchete: Embaixadas sugerem retirada de Tóquio

Nações estrangeiras recomendam a seus cidadãos que deixem a capital japonesa.

Enviado relata a luta contra a radiação. (Págs. 1 , 16,18 e artigo,23)

Tarso oferece 8,5% e Cpers rejeita

Reajuste proposto incidiria apenas sobre o salário básico. (Págs. 1, 16, 18 e Artigo, 23)

Clipping Radiobrás

 

Portal Cambé, site de informações e serviços de Cambé – PR.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.