image descriptionOs moradores de Cambé estão divididos sobre o segundo mandato do prefeito João Pavinato (PSDB), mostra pesquisa feita pelo Instituto de Pesquisas Multicultural em parceria com a Folha de Londrina e Rádio Paiquerê AM. De acordo com o levantamento, o tucano tem a aprovação de 50% dos entrevistados e a rejeição de 44%. O nível de confiança da pesquisa é de 95%, com margem de erro de 3% para mais ou para menos.

Pavinato foi reeleito em 2012 com 28.080 votos (54,3%), contra 23.630 angariados por Dr. Martins (PSC) e os índices se equiparam à sua aprovação pelos eleitores para outro mandato.

Segundo a pesquisa, feita entre os dias 19 e 21 de fevereiro, 36% dos entrevistados avaliam a administração de Pavinato como boa ou ótima, 33% consideram como regular, 30% como ruim ou péssimo e apenas 1% não soube responder. A média dada à atual administração, numa escala de 1 a 10, é de 5,4 e 52% dos entrevistados dizem confiar no prefeito, contra 46% com opinião contrária.

O diretor estatístico do Multicultural, Edmilson Vicente Leite, chama a atenção para o fato de a avaliação de Pavinato ser melhor que a do governador Beto Richa (PSDB) e da presidente Dilma Rousseff (PT) – a administração do tucano é considerada ruim ou péssima por 59% dos cambeenses e a da petista, por 83,5 (leia texto nesta página).

“A pesquisa foi feita no momento em que há crise e greve de servidores no Paraná e de caminhoneiros. Se lembrar das manifestações que ocorreram em 2013, isso repercutiu em todos os níveis, mas o quadro atual parece ter afetado menos o prefeito”, avalia.

Já em relação à situação da cidade, a maioria (62%) avalia que está “parada”, contra 27,5% que consideram estar em desenvolvimento e 9,5% em retrocesso (1% dos entrevistados não soube avaliar). Para eles, o setor que mais precisa de atenção do poder público é a saúde (52%), seguido por segurança (14,5%) e educação (10%).

Entretanto, saúde depende de repasses federal e estadual e o segundo item é de obrigação exclusiva do Estado. “O município tem seus postos de saúde, mas não pode ser muito mais gerido. Já a educação, a preocupação é com vaga em creches e ensino fundamental, de responsabilidade do município”, recorda.

Pavinato considera sua avaliação na pesquisa boa ao pensar no reflexo das crises nacional e estadual sobre o gestor municipal e comemora os 69% de ótimo, bom e regular. “Regular não é reprovação, então, estamos bem e ainda teremos muitos frutos a colher e mostrar à população”, diz.

Sobre os problemas apontados, ele atribui a falhas dos governos federal e estadual, que não fazem a parte deles. “Eu gasto quase o dobro do exigido para o município em saúde, mas estou com repasses do Estado e da União atrasados. E sobre a segurança, constitucionalmente, não tenho obrigação nenhuma”, recorda. Também avalia o índice de preocupação com a educação “bastante baixo”.

CÂMARA DESCONHECIDA

O Instituto Multicultural ainda avaliou percepção da população em relação à Câmara de Vereadores de Cambé e, neste quesito, a maioria (45%) considera que a imagem é a mesma de sempre. Consideram a imagem negativa 29% dos entrevistados, 12% disseram ser positiva e 14% não souberam responder. “Esse é o mais grave, porque a própria população não sabe avaliar seu legislativo. Falta aos vereadores mostrarem mais seus trabalhos pela cidade”, avalia Edmilson Leite.

 

Fonte: Folha de Londrina/Folha Web

Portal Cambé, site de informações e serviços de Cambé – PR.

Responda

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.